Sair do Euro, Construir um Futuro

«The clear-headed rationalism at the heart of this book conveys a controversial message, unwelcome in many quarters but soon to be echoed across the continent: impoverished states have to quit the euro and cut their losses or worse hardship will ensue».

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

2 Responses to Sair do Euro, Construir um Futuro

  1. Rocha diz:

    Ora estamos de acordo.
    Espero que seja desta que me publica o comentário.

    Ainda não vi realmente nenhum argumento digno desse nome para justificar permanecer no euro – excepto da parte da direita dentro da sua lógica, proteger os banqueiros , capitalistas e o poder imperial da Alemanha. Mas eu gostava de ver um único argumento de esquerda que não seja o fantasma e superstição do “dilúvio” em caso de saída do euro e aquele argumento do pseudo-internacionalismo que não podia ser mais bacoco.

  2. P.Porto diz:

    Ora, está a ver, Raquel?
    É isto, não é a conversa da treta “nós não vos pagamos mas vocês continuam a emprestar-nos, combinado?”
    Como verá, a solução defendida no livro não será bem recebida na esquerda.
    A malta da esquerda dos nossos dias quer ficar no euro (que paguem os alemães), e quer bancos, de preferência privatizados, pra poder pedir emprestado, não pagar e ainda dizer que o banqueiro é um malandraço.

    Agora publique isto, deixe-se de censuras que não têm graça nenhuma.

Os comentários estão fechados.