Solidariedade(s) selectiv@s

Porque será que este artigo do Esquerda.net ignora o abaixo-assinado “Solidariedade com os trabalhadores e o povo da Grécia!” – que em poucos dias já conta com mais de 800 subscritores?
Eu bem gostava de subscrever este outro abaixo-assinado que o Esquerda aconselha, mas chateia-me que seja colocado a martelo uma orientação de voto no Syriza. Não consigo perceber porque não se circunscreve a apoiar a decisão democrática do povo grego e/ou um governo unitário de esquerda. O apoio ao Syriza exclui potenciais subscritores, por exemplo, comunistas.

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

23 respostas a Solidariedade(s) selectiv@s

  1. Gentleman diz:

    Por falar em selectividade, porque será que o 5Dias ignorou completamente as decisões que emanaram do VI Congresso do Partido Comunista de Cuba?

    Por falar em selectividade, porque será que o 5Dias ignorou completamente os crimes de ódio de Março de 2012 em Toulouse quando, em contrapartida, se desdobrou em comentários acerca dos crimes de Breivik?

    • De diz:

      Mas porque mas porque ignorou o congresso de Cuba?
      Mas porque mas porque ignorou os crimes de ódio dos breivik travestidos?

      Mas porque porque?
      Oh foi pecado?
      Foi pecado sim senhor

  2. miguel serras pereira diz:

    Sim, Tiago, o apoio ao Syriza é redutor num abaixo-assinado que se endereça ao exterior do BE (este tem, evidentemente, o direito de apoiar o Syriza, mas isso é outra questão…).
    Quanto ao abaixo-assinado que aqui divulgaste peca pelo facto de condenar a UE – e não as suas políticas ou orientações actuais – responsabilizando-a por todos os males. Assim, não poderá ser assinado, por exemplo, por quem tenha sobre a UE, a zona euro, o combate à política austeritária da oligarquia financeira governante, posições coincidentes com as do Syriza, ou, em geral, posições que passem pela reivindicação conjunta de “mais Europa e mais democracia”, como as de Zizek e outros.
    É por isso que, embora concorde com outros aspectos dos dois abaixo-assinados, não posso em consciência subscrever nenhum deles.

    msp
    Por isso, para concluir, se o manifesto do esquerda.net peca por impor o apoio ao Syriza de quem o subscreva – mas fá-lo explicitamente, ainda que mal, a meu ver -, o abaixo-assinado que aqui defendes acaba por enterinar, no que se refere à questão europeia, as posições do KKE, sem sequer o referir.

    • Tiago Mota Saraiva diz:

      Miguel, o abaixo-assinado condena de uma forma clara a acção política do FMI, do BCE e da União Europeia e não apela ao voto em nenhum partido nem defende as posições do KKE.

  3. Pascoal diz:

    Subscrevam-se todos.
    Mas Tiago, nesta altura não é o KKE que tira o sono à Merkel e a “sus muchachos”

  4. leonor diz:

    não há dúvida que os dois manifestos são diferentes, e um deles é mesmo para aqueles que não querem apoiar o Syriza, bueno… apoiem o quiserem, porque haviam uns de não apoiar o que apoiam para poderem ter o apoio dos que não apoiam?…

  5. Augusto diz:

    Tiago Mota Saraiva, o esquerda-net divulga os dois primeiros manifestos de apoio ao povo grego, este do PCP tem dois dias, é possivel que quando o artigo foi escrito ainda nem houvesse conhecimento dele.

    Porque é que só agora, o PCP apresentou este manifesto de apoio?

    Será que esteve todo este tempo a debater , se iria dar o seu apoio ao KKE, e por fim decidiu-se por uma coisa mas lata, talvez porque o apoio ao KKE e ao seu sectarismo, não seja consensual nas suas fileiras.

    Já agora amanhã na casa do Alentejo ás 21.30 sessão internacional de apoio ao Syriza, oradores entre outros Carvalho da Silva e Marisa Matias.

    E no Sabado ás 21.30 no largo do Camões comicio festa , é depois da Manif da CGTP , apareçam.

  6. Baresi88 diz:

    Os ódiosinhos de estimação.

  7. Luís Branco diz:

    Tiago,

    Deves ter reparado que a notícia do esquerda.net fala de vários manifestos (foi entretanto atualizada para incluir também o que referes) e não só o dos apoiantes da Syriza.

    O apoio à decisão democrática do povo grego já existia noutro manifesto antes de surgir o que apoia abertamente a proposta de governo de esquerda da Syriza e o que sublinha que o resultado eleitoral será viciado por causa do terror imposto ao eleitorado.

    As declarações da secretária-geral do KKE na conferência de imprensa de ontem tornam claro que quem vota KKE está a votar contra esse governo de esquerda proposto pela Syriza. Por isso, os “potenciais subscritores” de que falas, todos aqueles que defendem “um governo unitário de esquerda” para a Grécia, ficaram a saber que no domingo só têm um partido a apoiar esse governo.

    A linha sectária do KKE, cujos cartazes apelam ao eleitorado para “não confiarem na Syriza”, tem sido reproduzida por cá no “Avante” de hoje – é mesmo a única referência à campanha eleitoral grega no órgão central do PCP: http://www.avante.pt/pt/2011/opiniao/120454/ – ou neste post aqui em cima – http://5dias.net/2012/06/14/pcp-e-be-kke-e-syriza-sectarismo-e-traicao. Ambos os autores subscrevem o manifesto que publicaste e que na prática lhes servirá para dizerem na segunda feira que a culpa é da Merkel e do Barroso, que aterrorizaram os gregos para votarem em todos os partidos menos no KKE…

    Abraço,
    Luís

    • Tiago Mota Saraiva diz:

      Luís, se a CDU defendesse um “governo unitário de esquerda” constituído exclusivamente pelas forças políticas que integram a referida coligação, “sectários” seria o adjectivo mais doce com que a malta do BE a brindaria.

      • Luís Branco diz:

        E teriam toda a razão em fazê-lo, no caso da CDU não conseguir maioria para governar. Mas não é isso que a Syriza faz, e as declarações do KKE são a resposta antecipada ao apelo para fazer parte desse governo. Quem lê o Avante esta semana fica com a certeza que o PCP faria o mesmo por cá.

        • Tiago Mota Saraiva diz:

          Luís, o Avante não são as Teses do PCP. E acho muito bem que possam vir artigos de opinião, assinados, que defendam tudo o que não seja contrário aos documentos fundamentais do partido (teses, resoluções políticas, programa…) democraticamente discutidos e aprovados.
          E o BE, achas que já fez algum apelo a um governo de esquerda destinado ao PCP?

          • Luís Branco diz:

            O governo de esquerda foi uma das propostas do Bloco na última campanha eleitoral, há menos de um ano, dirigido a toda a esquerda que se opunha à troika, incluindo o PCP. Tens aqui a parte do debate Louçã/Jerónimo que tratou disso, a partir dos 10m35s até ao fim: http://www.youtube.com/watch?v=Dm9gTtrK-yQ

            Não achas estranho que na última semana duma campanha eleitoral que está a abalar a Europa, o Avante só lhe dedique uma crónica que é uma pobre imitação do cartaz do KKE que diz “não confiem na Syriza?”

          • Tiago Mota Saraiva diz:

            Luís, no minuto que referes parece-me que um e outro se entendem.
            O texto do Avante é um artigo de opinião assinado. Tu subscreves tudo o que se publica no Esquerda.net?

  8. Luis Rainha diz:

    Mas achas mesmo que não há muitos comunistas tugas que votariam no Syriza se pudessem?

    • Tiago Mota Saraiva diz:

      Não faço ideia Luis. Só sei que os “comunistas tugas” não rejeitam construir uma solução de governo anti-capitalista.

  9. Pascoal diz:

    Subscrevam-se todos.
    Mas Tiago, nesta altura não é o KKE que tira o sono à Merkel e a “sus muchachos”.

  10. Kirk diz:

    Provavelmente porque o Bloco está empenhado na vitória do Syriza; existem mais afinidades ideologicas que divergencias entre o BE e o Syriza e mal pareceria que o Bloco as ocultasse neste justo momento. Aliás o FLouçã foi convidado deles na campanha eleitoral. Assim nao me admira que um baixo assinado que nao expresse o seu apoio ao Syriza não terá um apoio do Esquerda.
    Estou convencido que se em vez do Syriza fosse o KKE a ter o apoio popular que o primeiro parece ter esse facto seria devidamente realçado num qualquer baixo assinado de apoio à esquerda grega. De resto pouco me importa que o Esquerda apenas apoie um dos baixo assinados. Por mim resolvi facilmente essa contenda: deixei-me de pruridos ideologicos e assinei os dois. Acho o destino dos gregos bem mais importante que uns pintelhos ideologicos.
    Vocês podem fazer o mesmo.
    K

  11. Ana Menta diz:

    E é mesmo pelo apelo ao syriza e não ao respeito pelo voto de cada um que não assinei esse e assinei os outros.

  12. Pingback: Solidariedade com os gregos | cinco dias

Os comentários estão fechados.