Para ouvir e divulgar | Sábado, 15h, Marquês de Pombal

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

Uma resposta a Para ouvir e divulgar | Sábado, 15h, Marquês de Pombal

  1. Rocha diz:

    35% da economia da zona euro está a ser empurrada para uma recessão brutal pela políticas austeritárias. Isto é a soma dos PIBs de Portugal, Irlanda, Itália, Grécia e Espanha. A este desastre deve somar-se o Chipre cuja economia sofre dum contágio imediato da Grécia e está já sob a mira da Troika. Devem somar-se a Hungria e Roménia que fora da zona euro mas dentro da UE estão a aplicar a mesma receita pela mão do FMI e sob ordens da UE. Mas devemos também acrescentar a Holanda e a Bélgica, que apesar de algum desafogo orçamental e financeiro, mergulham em crises políticas perante o violento embate entre partidários e opositores da austeridade.

    Todos estes países vivem sob as ordens da senhora Merkel e do Banco Central Europeu. Todos eles navegam entre uma aceitação catastrófica das imposições austeritárias ou uma encarniçada revolta contras as imposições como já estamos a ver na Grécia, nas Astúrias e veremos em Lisboa na manif da CGTP (só para falar nas que por agora são mais faladas).

    Um pouco por toda a periferia da Europa e até mesmo no centro da Europa, as manifestações de protesto agitam cartazes a dizer: “salvem os povos e não os bancos”.

    Por consequência está se a dizer também “salvem os povos e não o BCE”. O BCE que nunca é de mais dizer é uma aberração anti-democrática, um trono imperial onde assenta a mais desastrosa política monetária de que há memória.

    Chegou a hora de dizer “salvem os povos e não o Euro”.

Os comentários estão fechados.