Imagens que perturbam

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Por causa de um curto comentário sobre uma das imagens que aqui apresento, algumas almas, lendo o que lá não estava, com o mesmo espírito inquisitorial que sempre atribuem a outros, decidiram dizer o que eu não disse, desde  uma inventada condenação da luta violenta até às minhas hipotéticas preferências gastronómicas. A simples imagem de trabalhadores em unidade, vincando bem com o seu fato de trabalho, a sua classe e condição, parece para algumas mentes um pecado.

Fiz por isto este diagrama explicativo.

Este artigo foi publicado em cinco dias and tagged . Bookmark the permalink.

12 respostas a Imagens que perturbam

  1. Renato Teixeira diz:

    “Espírito inquisitorial” tem a tua tia. E por agora fico por aqui.

    • Pedro Penilo diz:

      Talvez esta malta não saiba: quando eu faço um comentário num post do Renato, esse comentário só sai quando o Renato quiser. Eu nisso não tenho poder para interferir. Pelo contrário, o Renato tem acesso aos comentários que me são dirigidos e pode aprová-los quando quiser.

      Assim temos que um comentário meu pode demorar 12 horas a sair. Mas os meus poderes de moderação de comentários são de escalão inferior aos do Renato, que pode decidir sobre que comentários são ou não aceites aqui. Incluindo os insultos de sua lavra 🙂

  2. Jesus diz:

    Pedro Penilo, és das poucas razões pelas quais ainda venho a este blog e uma réstia de coerência dialéctica no meio da arrogância pequeno-burguesa de muitos mestres-da-revolução-que-virá que por aqui pululam. Abraço

  3. Aspirante a Rebuçado diz:

    Nuca pensei dizer isto, mas concordo com Jesus! Jesus, estás certo. Esse é mesmo o caminho que nos traz aqui.

  4. André Silva diz:

    Pedro,

    Acho que foste claro que no teu post inicial. O Renato é que às vezes gosta de fingir que não percebe para ter um pouco de tempo de antena extra. Isto partindo do princípio que não é assim tão limitado.

  5. Licas diz:

    Fui roubado AQUI: nas *Imagens que perturbam*

  6. Pingback: O espírito inquisitorial… dos outros. | cinco dias

Os comentários estão fechados.