Parece que a Grécia vai referendar o euro

A “coisa” é repetida em todos os noticiários. Os órgãos de comunicação social já substituiram as eleições legislativas gregas por um referendo à permanência da Grécia no euro. Sem qualquer pudor afirma-se que no domingo os gregos decidirão se querem ou não ficar no euro. Parece ser irrelevante quem escolherão para os governar.

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

Uma resposta a Parece que a Grécia vai referendar o euro

  1. Rocha diz:

    (…)”Uma economia em recessão como a espanhola não pode cortar o défice em seis pontos percentuais. É impossível”, dizia Jose Carlos Diez, economista-chefe da corretora madrilena Intermoney, à Bloomberg. “Será que Bruxelas também quer que mudemos a lei da gravidade?”, ironizou.(…)
    Excerto da notícia “juros da dívida espanhola atingem recorde perto dos 7%” (DEconomico)

    Até porta-vozes dos especuladores sabem que a política capitalista da União Europeia é uma política de desastre. Até eles sabem que é a própria UE comandada pela Alemanha que está a matar o euro.

    Mas numa situação destas ainda há quem tenha a bazófia de de dizer que são “dados científicos” que suportam a necessidade de permanecer na zona euro.

    Essa mesma zona euro que o capitalismo europeu criou e que o capitalismo europeu está a matar sem que tenha alguma vez trazido outra coisa que não lucros obscenos para o capital e destruição e desolação para o trabalho.

    A zona euro nunca passou de um espantalho, um fantasma para ora iludir ora aterrorizar os trabalhadores. Nunca foi uma alternativa ao dólar e nunca foi uma verdadeira moeda única porque nunca existiu um Estado federal e uma política fiscal única – Euro podia muito bem chamar-se Marco porque quem o controla é efectivamente a Alemanha. Mas serviu muito bem para destruir séculos de direitos conquistados e décadas de melhorias no nível de vida. Então que vá para o caixote do lixo da História, pois é totalmente irrelevante.

    A verdadeira questão é que há quem defenda uma anexação silenciosa dos PIGS pela Alemanha e há quem esteja a resistir e se disponha a fazê-lo por todos os meios que forem necessários.

Os comentários estão fechados.