“Não quero vingança, quero justiça”

26 DE MAIO 
Era 1h00 da manhã. Tony esperava que a sua companheira terminasse a limpeza do café onde trabalha. A polícia chegou. Passados poucos minutos iniciaram-se as agressões. Foi para a esquadra. Às 5h30 foi transportado para o Hospital Garcia de Orta. Tinha líquido nos pulmões, hematomas por todo o corpo e as costelas partidas. À saída do hospital terá dito: “Não quero vingança, quero justiça!”

26 DE MAIO 
Às 7h00, Benedita Machado regressava a casa com alguns amigos. No comboio terá sido interpelada para retirar os pés do assento, ordem que cumpriu. Ao sair do comboio, na gare de Oeiras, um dos seus amigos terá começado a ser agredido por agentes. Saiu em sua defesa. De acordo com o seu relato foi arrastada pela gare e espancada na esquadra.

28 DE MAIO 
Passa-se em plena luz do dia na R. Morais Soares. Na versão da PSP o cidadão estaria a falar ao telemóvel enquanto conduzia, na versão de testemunhas presenciais, o cidadão estaria a falar ao telemóvel dentro de um carro estacionado. Os primeiros afirmam que o cidadão injuriou o agente, os segundos terão visto o cidadão dirigir-se a um multibanco para pagar a multa afirmando que o ambiente só aqueceu quando o agente se recusou a devolver-lhe os documentos. O que aconteceu de seguida pode ser visto num vídeo que circula pela internet. Um desproporcionado número de agentes chega ao local, retira violentamente uma criança dos braços do pai e detém-no.

Tudo isto passou-se em 72 horas, na área da Grande Lisboa, o que torna difícil de sustentar a tese da excepcionalidade. Das duas uma; ou há uma ordem política para que os agentes carreguem na população ao mínimo sinal de protesto ou as esquadras foram tomadas por milícias de extrema direita. Só o ministro Miguel Macedo pode esclarecer esta dúvida.

Hoje no i

Este artigo foi publicado em cinco dias and tagged . Bookmark the permalink.

5 Responses to “Não quero vingança, quero justiça”

  1. Nuno Cardoso da Silva diz:

    Isto é um sinal claro de descontrolo por parte de um governo desesperado e a perder a cabeça. E manifesta-se igualmente num ministro ameaçar uma jornalista de divulgar pormenores da sua vida privada na internet se ela não se calar. Os polícias sentem o desespero que vem de cima e actuam na base dos mais baixos instintos, mas não é por serem de extrema direita. É por serem estúpidos, ignorantes e não terem tido qualquer formação adequada ao quadro democrático em que devíamos viver.

    Embora de tipo diferente foi-me contado, por quem estava presente, que numa festa para crianças dos 4 aos 9 anos, na Escola Superior de Educação de Leiria, a tropa (!!!???) tinha sido convidada para participar e tinha instalado, num relvado, duas metralhadoras (!!!???). Não para ameaçar ou controlar as crianças, claro está, mas como exibição da sua actividade. Numa festa de crianças??????… E, aparentemente, ninguém da direcção achou estranho. Se atingimos este grau de estupidez institucional, se aceitamos a ostentação de símbolos da violência como normais numa festa de crianças, não admira que a PSP se comporte como as SS alemãs. Não tarda temos o forte de Peniche de novo em actividade… Vamos ter de nos mentalizarmos de que isto já não se resolve a bem…

  2. Pingback: Dançar, dançar – Aventar

  3. Vejam as origens do Miguel Macedo e vão chegar á conclusão que ele foi membro da direita fascista do antigo regime de que sua família fazia parte, na zona de Braga. Ele não vai dar explicações a ninguém. Por isso não se admirem com o comportamento da polícia, mas existe uma organização da policia para defender os seus direitos e que deveria apelar ao comportamento cívico dos agentes e que poderia fazer sair para o exterior alguma informação sobre esse assunto, mas está em silencio. Os agentes da policia seja ela qual for têm origem no povo português e sabem que o não podem tratar mal, se o fazem é porque são instigados a isso e só fazem os que são escolhidos para o efeito, o que aconteceu e é motivo desta notícia me parece operação montada para criar medos na população, á moda antiga, mas porque não te mexes povo português ? – Não tens nada a perder !

  4. atento diz:

    e nesse mesmo espaço de tempo quantos honestos cidadãos tiveram de recorrer à policia por terem encontros com os amigos do alheio ?a policia não é o problema mas a sociedade que vocês também ajudaram a criar .

Os comentários estão fechados.