Por uma esquerda livre de mentiras

Acabei de ler este artigo do André Freire que ontem saiu no Público. Não partilho da lógica evangelizadora que perfilha desvalorizando, ingenuamente, a inteligência e a vontade de quem dirige os partidos ditos de “centro-esquerda”. Contudo, o que me parece mais extraordinário é a forma como repete a ideia, falsa, que só não houve governo de esquerda na Grécia porque o KKE não quis – “Todavia, não foi possível converter tal força eleitoral em maioria de governo devido à recusa dos comunistas ortodoxos (KKE)”.
Será que o André Freire não fez as contas? Fica-lhe mal. Espero que se retrate.

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

15 respostas a Por uma esquerda livre de mentiras

  1. Rocha diz:

    Este é o tipo de gente que escreve para o público. É este o tipo de jornal que é o público.

    Toda a imprensa burguesa é lixo! E não são dois ou três jornalistas decentes e com coragem para enfrentar a burguesia que alteram essa situação.

  2. Samuel diz:

    Quando as contas não contribuem para sustentar uma estória pré-concebida… descartam-se!

  3. Rui F diz:

    Tiago

    O André freire diz o óbio.

    Os comunistas ortodoxos ajudaram a impossibilitar uma alternativa à esquerda – mesmo se existisse maioria, estou convencido que os ortodoxos só iriam para coligação se a sua linha controlasse de facto as coisas. Apesar de eu achar pessoalmente, que uma coligação à Esquerda (sem o centro) “Albanizaria” a Grécia e abria caminho à chegada dos coronéis.

    Por outro lado, a alternativa só existe no centro-esquerda. É a unica que tem credibilidade para renegociar de alto abaixo o miserável acordo da troika. Esta constatação nem merece grande discussão.

    • Bafo de onça diz:

      Pelos vistos o KKK é culpado de ter impedido uma solução que levaria a uma inevitável ditadura militar! Malandros!
      Quando finalmente o modelo Pinochet ia ser implementado a cáfila dos comunistas impediu tal. Com esta gente não há futuro!
      E esta que de chapéu na mão se consegue umas migalhas da toika , è mesmo de uma enorme coluna vertebral e de grande futuro no bloco central dos interesses. Pelo menos é emprego certo!

    • Tiago Mota Saraiva diz:

      Rui F., o seu comentário é mais honesto informado que o texto e, em boa verdade, defende a mesma coisa. Contudo a sua posição política, legítima, articula-se a partir de convicções de fé. Acha que apenas o centro-esquerda, ou seja o PASOK, poderá resolver o problema grego – afirmação que a realidade teima em contrariar.

      • Rui F diz:

        Tiago

        O PASOK é centro. Não é esquerda.
        O centro-esquerda implica ter partidos de esquerda como o Syriza ou o PC. Para haver coligação tem que haver cedências.
        Não estou a ver qualquer renegociação quando a parte “fraca” apenas quer a ruptura.

        • Tiago Mota Saraiva diz:

          Rui, a solução que pretende seria uma coligação PASOK+Syriza+KKE? Isso não seria mandar os programas políticos às malvas?

          • Rui F diz:

            Tiago

            Essa coligação seria a única que poderia trazer à mesa das negociações com a troika deles, o assunto da renegociação, alargamento de prazos, auditoria, etc.
            O programa politico às malvas?
            Não exactamente. A situação é de bancarrota e teóricamente passageira. Após a eminência da bancarrota ter sido ultrapassada e o crescimento voltar, cada um poderia ir às suas.

            Se o objectivo é convencer a renegociar – há quem pretenda cancelar mas aí esta questão não se coloca – não vejo outra alternativa que convença esta Europa. Para já só existe esta Europa.

  4. Leo diz:

    “o que me parece mais extraordinário é a forma como repete a ideia, falsa, que só não houve governo de esquerda na Grécia porque o KKE não quis – “Todavia, não foi possível converter tal força eleitoral em maioria de governo devido à recusa dos comunistas ortodoxos (KKE)”.

    Pois para mim é banal, foi sempre assim que desde 1974 os socialistas se desculparam. Por cá e para todos – Soares, Guterres, Sócrates, etc – a culpa foi sempre dos comunistas sempre apresentados como “ortodoxos” não espanta que André Freire use o mesmo “argumento” para os seus amigos gregos.

    O que mais me divertiu neste texto, confesso, foi o final: “quanto mais a esquerda
    radical for capaz de fazer inflectir os socialistas para a esquerda, nomeadamente através das coligações, maior a probabilidade de uma viragem significativa.”

    Se isto não é levar o Syriza ao colo vou ali e já venho…

    • antónimo diz:

      Leo, Não requer resposta, claro está, mas o TMS demorou tanto tempo a actualizar que não sei se chegou a ver que ainda lhe tinha respondido mais qualquer coisa em

      http://5dias.net/2012/05/23/nao-sei-ler-grego-mas-as-vezes-a-informacao-aparece-em-ingles/

      Quanto a este caso concreto, não vale a pena misturá-lo com as aldrabices ou os desejos do André Freire.

      • Tiago Mota Saraiva diz:

        Antónimo, lamento os atrasos. Temos tido um crescimento extraordinário do número de comentários, sobretudo, a partir das questões relacionadas com a polícia.

        • Antónimo diz:

          Tiago,

          Era uma constatação, não uma crítica. Neste caso decorreu mais de falta de piquete vosso – como se não devessem aproveitar os fins-de-semana.

          Mas sim, parece que a PSP não larga o blogue. O que tem vantagens. Ao menos fornece-lhes elementos para reconsiderarem procedimentos e declarações. Todas as instituições funcionam melhor com escrutínio.

          E, de repente, várias televisões falam de violência policial.

  5. Rui Campos diz:

    É isso pá. Só não há paraíso na terra por causa dos comunistas,a conversa do costume portanto.

  6. licas diz:

    Toda a imprensa burguesa é lixo.
    Rocha sabe qual ela é.
    E não acredita nela.
    12000 mortos na Síria (diz *ela*)
    Espero que Bashar el-Assad tenha um julgamento justo no
    Tribunal Penal Internacional e que apanhe (tal como Charles Taylor,
    antigo presidenie da Libéria) 50 anos de prisão pelos mesmos crimes
    contra a Humanidade . . . ASSIM SERÁ . . .

    • De diz:

      Sorry “licas”
      Isto não é o pardieiro.
      Fale no tema em debate.Outros temas estão disponíveis noutros sítios.Noutras postas.Também aqui no 5 Dias.
      O facto de proceder como procede redu-lo à insignificância.O que quer é usar sound bytes.Usar chavões.Agitar fantasmas.Não pretende discutir ou debater.Pretende deitar lama por cima e difamar.Pura e simplesmente difamar.À custa dos esgares histéricos dos slogans em uso pela malta da sua classe.

      A

Os comentários estão fechados.