Pasmemo-nos com o mundo revoltante e opressor onde vive João Pinho de Almeida

Aguardamos, expectantes, o que terá o excelso deputado na Nação – com opiniões tão firmes em matéria de direitos, liberdades e garantias – a dizer sobre isto, isto, isto e, por que não?, sobre isto! Se o tabaco lhe provoca tamanha sanha libertária, que terá a dizer sobre estes casos? Ou nada disto se lhe afigura como «uma limitação intolerável a um valor fundamental»?
Que não se sintam pressionados aqueles que até ao momento permanecem num silêncio que tem tanto de incómodo como de questionável. Há momentos em que a necessária unidade na acção pode ser determinante para tornar possível o despertar da sociedade para algo de muito grave que começa a repetir-se de forma demasiadamente quotidiana para que possamos continuar a assobiar para o lado ou a puxar a luta apenas para o que consideramos mais conveniente. Seria bom que entendessem esta crítica como uma forma de vos deixar um apelo para que nos encontremos tod@s o quanto antes.

Este artigo foi publicado em cinco dias and tagged , , . Bookmark the permalink.

7 respostas a Pasmemo-nos com o mundo revoltante e opressor onde vive João Pinho de Almeida

  1. asd diz:

    O homem tem toda a razão.

    • Pedro Nunes diz:

      Pois… A malta da direita, com uma base social bastante mais consciente dos seus interesses, costuma ser menos heterogénea nas suas opiniões que a malta de esquerda. No entanto, lá porque o João “Cara-de-Tóto” Pinho de Almeida resolve tomar uma posição contra a deriva fascizante que também se consubstancia neste tipo de medidas de controlo da vida privada, será que devemos saltar-lhe em cima?
      Parece-me que a nossa preocupação deve ser defender os nossos direitos fundamentais. Estou-me nas tintas para a coerência do JPA. Ele também os defende? Tanto melhor.

      • Carlos Guedes diz:

        Comparar a defesa da liberdade de fumar (que ainda falta provar que tenha sido mesmo isso que ele quis fazer) com tudo o que se vai passando à nossa volta é, no mínimo, ofensivo!

        • Pedro Nunes diz:

          Oh Carlos Guedes, não fiz nenhuma comparação e estou plenamente de acordo consigo que este assunto não tem mesmo comparação com outros muito mais graves a que se refere certamente com o “tudo à nossa volta”. Só comentei que a deriva fascizante (…) TAMBÉM se consubstancia neste tipo de medidas de controlo da vida privada. Ou o “tudo à nossa volta” é só uma parte?

  2. Pisca diz:

    O homem até pode ter razão neste caso, mas como andou pelo Belenenses o Carlinhos tem reacções pavlovianas, rosna logo

  3. Caxineiro diz:

    No meio desta miséria toda que é a saúde em portugal, o Dr George só vê um problema; o tabaco.
    Ouvi hoje na TVI24 estes indicadores
    _ Portugal é o país europeu com menor percentagem de fumadores
    _O número de fumadores em Portugal tem diminuido nos últimos anos e o cancro do pulmão tem aumentado. (Não estivesse a falar de cancro e diria que é cómico)
    Sou levado a pensar que estas discussões sobre o perigo do tabaco servem apenas para distrair a atenção do povo de outros problemas muito mais graves que se passam na saúde
    Não me lembro de ver, uma vez que fosse, a “questão do fumador” ser tratada com seriedade. Já ouvi médicos, repito: médicos, com argumentos deste tipo: ” das pessoas que morreram de avc este ano, 60% eram fumadores” Eu perguntaria: e quantas sabiam andar de bicicleta?

    O deputado do CDS aproveitou a boleia do tabaco para armar em paladino da liberdade. Haverá sempre outro CDS na contra-mão a apanhar a boleia da saúde avançando com uma qualquer disparatada lei anti-tabaco, e pronto: até são democratas e tudo

Os comentários estão fechados.