Não sei ler grego… mas às vezes a informação aparece em inglês

Para contrariar a nossa iluminada intelectualidade mediática, que declama a quatro ventos que o Syriza não terá direito ao bónus de 50 deputados, aqui fica uma pequena nota dissonante deste medíocre ortodoxo:

The much desirable 50-seats Bonus could be granted also to SYRIZA at the June-17 elections, as the party applied to be registered as a single Athens Supreme Court party and no more as a coalition. On Tuesday, “Radical Left Coalition” (SYRIZA) submitted an application Greek Supreme Court in Athens to be registered as a single party.
According to its founding declaration, the new party is called “SYRIZA Unionist Social Front” , will have the same emblem and will be managed by a committee of 19 members. Chairman of the party will remain Alexis Tsipras.

Continuar a ler

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

17 Responses to Não sei ler grego… mas às vezes a informação aparece em inglês

  1. Leo says:

    Com o apoio do Google Translate:

    “Tsipras and SYRIZA namoram bónus de 50 lugares como “partido único”

    O muito desejável bónus de 50 lugares poderia ser concedido também ao SYRIZA nas eleições de 17 de Junho, dado que pediu no Supremo Tribunal de Atenas para ser registado como um único partido e não mais como uma coaligação. Na terça-feira, a “Coligação Radical de Esquerda” (SYRIZA) apresentou um pedido ao Supremo Tribunal em Atenas para ser registrado como um único partido.

    De acordo com a sua declaração de fundação, o novo partido é chamado de “SYRIZA Frente Unionista Social”, terá o mesmo emblema e será gerido por um comitê de 19 membros. Alexis Tsipras permanecerá Presidente do partido.

    Num parlamento de 300 lugares, o bónus de 50 lugares é concedido ao partido político que fica em primeiro lugar nas eleições gerais. Na verdade, os eleitores decidem quem vai ocupar o resto dos 250 assentos …

    Logo após as eleições de 6 de Maio o SYRIZA defendeu a mudança da lei eleitoral e o cancelamento do bónus de 50 lugares.”

  2. xatoo says:

    isto é uma fotocópia do Bloco dito de Esquerda pronto a alinhar com os do Partido dito”Socialista” que não pretendem que se percam as conquistas da Direita contra os trabalhadores
    Tsipras disse ontem também (via TVI24) que não tinha quaisquer previsões para governar com a Grécia fora do Euro, isto é, que aceita a subserviência à Alemanha do deutsche-euro
    O que não dirá a seguir sobre a participação da Grécia na NATO… talvez umas palmadinhas nas costas uns dos outros, tal e qual o Hollande já andou a fazer pela reunião de Chicago.
    Que o Tsipras aproveite o bónus dos 50 deputados segundo a lei imposta pelo paradigma neoliberal até é natural, para quem se dispõe a fazer coligações com eles

    • Pascoal says:

      Onde é que estás a ver coligações? Manter o euro e recusar o austeritarismo parece-me uma plataforma mínima claramente definida.
      Tenho algumas dúvidas quanto ao aproveitamento do bónus de 50 deputados, regra essa que devia desaparecer em nome da democracia, mas estou farto de ouvir os revolucionários que só aprovam o processo revolucionário depois de a revolução estar “feita”.

  3. antónimo says:

    Tenho sérias dúvidas quanto à bondade de aproveitar o bónus dos 50 deputados.

    Mas isto não é altura se andar a brincar às barreirinhas nem, como diria Oscar M, de Ficar à espera que nos façam bilú-bilú no queixo.

    Os 50 deputados estão lá postos para outros, aprovados com propósitos concretos e com determinado espírito. Quem ficasse à frente facturava.

    É aproveitar todo o são espírito que permitiu perverter a proporcionalidade e escolhas dos eleitores. Quase citando José Mário B, Para filho-da-Puta filho-da-puta e meio.

    E Tiago, quase que aposto que até sabe ler grego. Acontece é que, como no meu caso, não percebe nada do que leu. Isto do uso das letras gregas em fórmulas da Física tem virtudes que só há pouco descobri.

    • Leo says:

      “Os 50 deputados estão lá postos para outros, aprovados com propósitos concretos e com determinado espírito. Quem ficasse à frente facturava.”

      Está pois a confirmar que o Tsipras e o SYRIZA namoram o bónus de 50 lugares e por isso à pressa mudaram o SYRIZA – que era uma coligação – para partido único.

      • antónimo says:

        Fizeram eles bem. Sim, confirmo. Se os lugares existem para serem aproveitados por outros então que o sejam por todos, também pela Coligação Democrática Unitária lá dos gajos.

        De outra maneira nem nas urnas, nem nas ruas. O resto é basófia. Esto não é altura para andar a brincar ao esquerdismo enquanto doença infantil nem para trancar o velho Lenine na gaveta, como se o capital fosse nosso amigo. O poder é para tomar onde der para tomar.

        • Leo says:

          “Fizeram eles bem.” ???

          Percebo. Se os “nossos” derem o dito por não dito, está bem? Se forem os “outros” já está mal…

          Recordo que a notícia diz: “Logo após as eleições de 6 de Maio o SYRIZA defendeu a mudança da lei eleitoral e o cancelamento do bónus de 50 lugares.” Entretanto mudaram de ideias. Rapazes espertos, não é verdade? Pois, são dos “seus”.

          • antónimo says:

            Para sua infelicidade eu até voto nos seus. Não acredito é que a revolução chegue por magia.

      • antónimo says:

        E depois o bónus não desaparece sem que votem pela sua desaparição no parlamento grego, pelo que 50 deputados darão um jeitão para os fazer desaparecer. Garanto-lhe que por magia é que não desaparecem de certeza.

        • Leo says:

          Relembro que bónus aparte, nas eleições de Maio, ND e PASOK apenas obtiveram 93 lugares. Num Parlamento de 250 eleitos, sobraram 157 lugares. Presumo que sejam mais do que suficientes para acabar com o bónus, havendo vontade política.

  4. CausasPerdidas says:

    Segundo sei, o Syriza mantém a proposta de acabar com o bónus de 50 deputados. Mas, para que tal aconteça, terá de ter uma maioria para alterar a lei, digo eu. Partindo deste princípio, alteração táctica do estatuto “frentista” do partido para partido “uniforme” estará de acordo com a estratégia de ganhar as eleições à direita, de não morrer na praia como aconteceu.
    O Syriza mantém, também, que quer manter a Grécia no Euro. Este posicionamento é chatice para os seus adversários à Direita, porque seria mais fácil para todos quantos ameaçam com o despedimento da Grécia da moeda única (FMI e líderes europeus) que o partido fosse “anti-europeísta”. Uma espinha cravada na garganta de quem pretende acrescentar crise à crise e não quer ver discutidas outras formas de financiamento do Estado, digo eu.
    Não sei qual será o resultado de tal estratégia. Se o Syriza ganhar as eleições (coisa que acho pouco provável porque a campanha da “ameaça vermelha” já está na rua e só não a vê quem anda demasiado distraído com o campeonato de comparação de pilinhas revolucionárias), será uma situação completamente nova no panorama europeu nos últimos anos.
    Uma coisa sei eu: ainda não se formaram sovietes, e não está estabelecida a dualidade de poderes, por isso será um pouco cedo para culpar o Syriza de não exultar a Classe Operária os Soldados e os Marinheiros gregos a tomarem o equivalente local ao Palácio de Inverno.
    Para já, ficaria satisfeito com menos: que se deixasse de acusar o Syriza daquilo que não se tem coragem de defender em Portugal: a exigência da saída imediata da moeda única e da União Europeia. Eis um assunto que merece ser discutido de forma séria.

    • Leo says:

      “o Syriza mantém a proposta de acabar com o bónus de 50 deputados. Mas, para que tal aconteça, terá de ter uma maioria para alterar a lei, digo eu.”

      A mim, francamente, precisar do bónus para acabar com o bónus, no mínimo parece-me exótico.

      • LM R says:

        Pois parece. Mas se conseguisses pensar, perceber isto já seria tarefa mais simples.

        • Leo says:

          Tendo o bónus só servido a ND e PASOK, tendo os dois – mesmo com bònus – ficado em minoria, não me parece impossível, havendo vontade política, acabar com esse sistema claramente anti-democrático. Mas ao pôr-se a jeito para eventualmente usufruir do bónus o Syriza acaba por legitimizar esse sistema anti-democrático. É o que penso.

  5. licas says:

    xatoo says:
    23 de Maio de 2012 at 13:51
    isto é uma fotocópia do Bloco dito de Esquerda pronto a alinhar com os do Partido dito”Socialista” que não pretendem que se percam as conquistas da Direita contra os trabalhadores
    __________________
    O Stalinismo +e mesmo Xatoo: com a corda na garganta
    (estagnou, apodreceu, não consegue mais aderentes) fica
    lixado com os concorrentes da esquerda *traidora*.
    E vivem *disto* eternamente . . .

  6. Zuruspa says:

    Por alguma razäo esta “lei trafulha” foi feita assim… é mesmo só para beneficiar ND e PASOK. Que cambada!
    Pelo menos na Itália o “prémio de maioria” é atribuído ao partido ou coligaçäo vencedor das eleiçöes.

  7. Leo says:

    O que se passa, Tiago? Tenho comentários à espera de aprovação desde o dia 24.

Comments are closed.