DESEMPREGADOS APELAM A MANIFESTAÇÃO PELO DIREITO AO TRABALHO – Do coiso do pastel de nata ao coiso do cupcake, andam descaradamente a gozar na cara dos desempregados.

O Ministério da Verdade já respondeu aos imbecis que acham que a falta de emprego se combate com empreendedorismo e não levará muito tempo até que voltemos às ruas do protesto.

Um grupo de desempregados está a preparar uma manifestação para o próximo dia 30 de Junho, que pode bem voltar às portas de São Bento, exigindo o direito ao trabalho e pleno emprego. Como se pode ver pelo excelente trabalho estatístico do MSE, as contas são fáceis de fazer ao minuto. O preço do desemprego, para lá do seu custo humano, está à vista.

Esta iniciativa, proposta inicialmente por um grupo de desempregados do Porto, será igualmente discutida depois da Flashmob do Movimento Sem Emprego, dia 28, no Centro de Emprego do Conde Redondo, e na Assembleia Popular da Plataforma 15 de Outubro, a 3 de Junho, no Rossio.

Proposta de manifesto da manifestação:

«O desemprego é um flagelo, queremos trabalho!»

“Cavaco Silva disse, há pouco tempo, que 10.000 euros por mês não lhe chegavam para as despesas. Miguel Relvas e Passos Coelho já afirmaram em público que os jovens só terão melhoria na sua vida se emigrarem, e insultaram os que ainda não o fizeram dizendo que «não querem sair da sua zona de conforto». Agora, Passos Coelho diz que «o desemprego é uma oportunidade para mudar de vida» e que não se deve «estigmatizar» um despedimento.

É notório o desrespeito dos membros do Governo, dos deputados da maioria, e do Presidente da República, em relação aos trabalhadores desempregados. Desrespeito que já vem de longe entre os partidos que nos governam: não esquecemos que José Sócrates assinou um memorando com a troika onde está escrito, preto no branco, que é preciso reduzir de 24 para 18 meses o tempo do subsídio de desemprego porque «a actual duração do subsídio não estimula a procura de trabalho»!

Os desempregados não são calaceiros. São as vítimas da política de PS, PSD e CDS, de há muitos anos, de destruição da economia nacional, destruição da protecção laboral, venda ao desbarato de empresas públicas, permissividade total aos negócios mais mirabolantes no sector privado – com o seu cortejo de falências, deslocalizações, despedimentos colectivos, «lay-offs» -, ausência absoluta de um modelo económico que não assente em trabalho barato e sem qualificações. Se há desemprego não é por culpa da falta de empreendedorismo, de proactividade, de dinâmica e espírito de iniciativa dos desempregados: é porque há a decisão política de não investir na economia. A decisão política de não qualificar os trabalhadores. A decisão política de não negociar em favor de Portugal junto da UE. A decisão política de prejudicar os trabalhadores e beneficiar o capital.

Porque rejeitam todas estas decisões políticas, e sobretudo porque sentem vivo repúdio por quem lhes destruiu o emprego e ainda os culpa por isso, os desempregados vão sair à rua em todo o país, convidando a juntar-se-lhes todos os partidos políticos, todos os sindicatos, todas as associações, todos os movimentos sociais, todos os colectivos, e todos aqueles que rejeitem esta política de insulto a quem não trabalha por decisão política dos partidos ao serviço do capital. O desemprego não é uma oportunidade: o desemprego é uma catástrofe nacional, cujos culpados não são os desempregados, nem os imigrantes, nem as conjunturas, nem as inevitabilidades: os culpados são os partidos cujas políticas criaram, maciçamente, o desemprego, e que têm ainda a suprema desfaçatez de atirarem a culpa para o agredido por eles!”

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

26 respostas a DESEMPREGADOS APELAM A MANIFESTAÇÃO PELO DIREITO AO TRABALHO – Do coiso do pastel de nata ao coiso do cupcake, andam descaradamente a gozar na cara dos desempregados.

  1. Baresi88 diz:

    O Herman perdeu uma grande oportunidade de ficar calado, para dizer tanta baboseira, era o melhor que tinha feito, ficar mesmo calado.

    • antónimo diz:

      Mostra mais juízo a neta do António Ferro que a Ana Mesquita mais o Herman.

      • De diz:

        Isso mesmo.
        E o Herman mostra outra coisa.Bem suja

        • Baresi88 diz:

          Ser um Vendido.

          • antónimo diz:

            O pior é que, apesar dos defeitos, muitos, tenho algum respeito intelectual pelo Herman.

            Talvez valesse a pena mandar-lhe para o programa umas caralhotas, uns pães de almeirim, e perguntar-lhe se acha que vale a pena investir nesse produto para ganhar a vida. Não é tão bom como os queques com corações mas são nacionais e bons.

  2. eu diz:

    Como a ‘Democracia’ é o melhor dos sistemas politicos ,estes ‘politicos’ nunca mais voltarão ao poder,pruqe,prontos, o povo é sábio comó caral**!
    Estive a ver umas sondagens e,descobri que os palonços ainda dão a maioria a esta escumalha,composta por ladrões, assassinos,escroques,professores de economia cheios de sucesso:a economia está ‘cientificamente’ ombreada pela Astrologia imaginem ao que chegou!!!
    Mas, a súcia do sucialismo está logo atrás,o que ‘desmonstra’ a infinita sabedoria desta mole…. snif! ;(

    • Caxineiro diz:

      O povo é bombardeado todos os dias com (“inevitabilidade das medidas” “vivemos acima das possibilidades”) toda a panóplia de mentiras e medos avançados pelos comentadores de serviço e “artistas” tipo Herman que dominam os meios de informação. Esta estratégia tem resultado, E se a Grécia sair do Euro, prepare-se para ver diariamente nas TVs os desgraçadinhos dos gregos penando com fome por se terem recusado a fazer sacrifícios como nós, o “bem comportado” povo portugues. Quem tem a informação nas mãos, tem o poder
      O povo já foi muito mais ignorante do que é hoje. Está dominado pelo medo. Está dominado pelo medo difundido pelos media
      Até quando?…
      A raiva cresce a cada dia que passa

  3. um gajo qualquer diz:

    Esse badochas decadente (e em tempos implicado no caso Casa Pia) chamado herman josé só vem provar a minha teoria:

    Depois da revolução, é pegar na puta da beatiful da TV, metê-los a todos no sud express e largá-los já para lá dos pirinéus. Não apenas estirpávamos essa gangrena de televiseiros do país, como ainda exportaríamos os parasitas para a linda União €uropeia que eles tanto adoram…

    • Santos.se diz:

      Ou então amarrá-los a uma âncora e atirá-los ao canhão da Nazaré, mesmo correndo o risco dos peixes emigrarem para outras bandas devido á poluição!

    • antónimo diz:

      Implicado na casa pia foi metade do país mediático. Para ter valido alguma coisa, ao menos dúvida, convinha que o tipo que o acusou não tivesse dado uma data para os factos, uma época de Carnaval, em que o humorista não estivesse no Brasil.

      Herman promoveu o pimba, ajudou muito a estragar o prime-time televisivo
      e sai-se muitas vezes com estas tiradas que embotam a inteligência que tem, e que o colocam muito mal, mas isso nada tem a ver com a Casa Pia.

  4. Raquel Varela diz:

    Bem hajam, finalmente uma manifestação que tem um propósito claro, preciso, óbvio.

  5. Pôncio Fagundes diz:

    Epá, para mim o Herman foi e é um grande artista, mas perdeu uma excelente oportunidade para estar calado. Vive completamente alheado dos problemas das pessoas.

  6. o puma diz:

    Um dia a casa vai abaixo

  7. Diogo diz:

    Manifestações para quê? Alguma vez, alguma coisa mudou com manifestações?

    Quando há uma máfia financeira que domina a política, os Media, as leis e os juízes?

  8. Gostei da idéia de voltar às portas de São Bento. É o lugar de onde nunca se devia ter saído. É que a força da razão, mais a força do simbolismo, é muito maior do que qualquer razão da força ou alguma idiotia ideológica neoliberal advogada de “empreendedorismo”. Total apoio ao MSE. Só a luta através da acção colectiva pode levar o poder político que exerce o “empreendedorismo destrutivo” a promover políticas de sentido inverso, ou seja que promovam os caminhos do emprego. Com outros actores políticos de preferência, urgência e necessidade. Rua com o coiso, o piegas, e o fascista austeritário. Um outro mundo é possível!
    João Martins

    • Renato Teixeira diz:

      Não quer aproveitar a data para fazer algo por ai? Podia-se aproveitar a onda, nem que fosse para testar um primeiro plenário de desempregados…

      Se ainda não for desta, até São Bento. 😉

      • Olá Renato,

        Tentei no Sábado passado vender a ideia do MSE – Algarve ao pessoal do primavera global em Faro que decidiu continuar a reunir. Não obtive feeedback, mas eles estão a esboçar uma agenda temática. Talvez se o MSE os contactar. Eles estão com vontade de fazer coisas. Penso que vão criar uma página web em breve. Talvez fosse uma boa ligação. Eu pessoalmente agarraria na causa se não tivesse a vida Troikada.

        Abraços

  9. Santos.se diz:

    É tempo de criminalizar as agencias de notação financeira, o fmi, e os bancos centrais, estas instituiçoes têm rosto. Estão a matar os povos, e não são só aqueles que se estão a suicidar, estão assassinar o futuro e a esperança de uma vida melhor e em paz.
    De uma maneira geral a diferença entre um corrupto e um maçónico é nula, a rede de interesses dos politicos, juizes e financeiros é a mesma.
    Um mundo novo é possivel sem miséria e sem guerra, não é amanhã, mas é possivel ser construido.

    • Pai dos Povos diz:

      “É tempo de criminalizar as agencias de notação financeira, o fmi, e os bancos centrais, estas instituiçoes têm rosto. Estão a matar os povos, e não são só aqueles que se estão a suicidar, estão assassinar o futuro e a esperança de uma vida melhor e em paz.”

      Essas instituições estão a ameaçar aqueles que julgavam que podiam financiar o Estado Social com dívida. Pois claro…

  10. Pai dos Povos diz:

    Essa do “Direito ao Trabalho” é uma deturpação de conceitos. O direito ao trabalho não é a mesma coisa que o direito à liberdade de expressão.
    O que a Constituição diz não é que a todo o cidadão lhe deve ser atribuído um emprego. Mas sim que todo o cidadão não pode ser impedido de ter um emprego. O que é muito diferente. O Estado pode assegurar direitos cívicos. Mas só pode assegurar direitos materiais enquanto tiver dinheiro. Por isso, os direitos cívicos são permanentes. Os materiais é… enquanto houver guito!

    • Renato Teixeira diz:

      Já ouviu falar no Pleno Emprego?

    • De diz:

      Direito ao trabalho?
      Uma deturpação de conceitos?
      Lolol…o conceito de conceito está deturpado,dirá depois este PP quando se aperceber da asneira?

      Os direitos cívicos permanentes?
      Mais outro rematado disparate?

      Os direitos materiais só enquanto houver guito?
      Mas o guito como está distribuído?

      Ou seja,a luta de classes a mostrar que PP sente necessidade de vir qui defender não o imenso guito dos da sua classe,mas a permanência deste mesmo guito nas mãos dos que se apropriaram dele
      embora o faça desta forma tão descabelada

  11. Pingback: Só a luta nos devolverá o emprego! | cinco dias

Os comentários estão fechados.