Uma Esquerda de combate!

Já muito se escreveu por aqui (e ainda aqui e aqui) e por ali (e ali) sobre o Manifesto que a foi hoje apresentado no S. Jorge, em Lisboa.

Peço emprestada ao Vítor Dias uma ideia que subscrevo na íntegra e que aqui deixo como uma espécie de declaração de interesses:

Começo por formular o voto de que os autores e subscritores do Manifesto interiorizem e exteriorizem bem a ideia de quem assina manifestos públicos com este conteúdo e formulações, perante os comentários críticos que este receba, ultrapassem a tendência que há em todos nós para o melindre, a susceptibilidade e a irritação. E que tenham o «fair-play» de perceber que se podem escrever indirectamente que eu pertenço a uma esquerda da «inconsequência» então eu também tenho direito de lhes responder pelo menos com palavras tão directas e fortes como as que usaram.

Não pretendo menosprezar a iniciativa. Não faz sentido que o faça e considero válidas e importantes todas as movimentações que sejam agregadoras da malta de Esquerda. Deixo claro que reconheço que há ali gente convicta de que aquele é o caminho. E deixo claro que, para mim, não é de todo claro que essa seja a convicção de todos os que fazem parte do grupo inicial de subscritores. O envolvimento do Daniel Oliveira na coisa, a seis meses da Convenção do BE, representa uma afirmação clara de uma opção que para muitos bloquistas não merece o esforço de uma repetição. A aproximação ao PS, feita pela cúpula, não resultou com Alegre e não há nada, de então para cá, que justifique a insistência numa táctica tentada e falhada. Dir-me-ão que os tempos mudaram e que o que não funcionou então poderá funcionar agora. Cá estaremos para ver e para o saudar, caso aconteça. Sendo certo que acredito na sinceridade do que o Daniel aqui diz. Com base nessa confiança, desejo que o processo de discussão que nos levará até à Convenção represente para o Daniel Oliveira um exercício de liberdade. Chegados à Convenção, se vir as suas teses serem rejeitadas mantenha, ainda assim, a vontade agregadora que demonstra hoje. Ainda que o Daniel não seja um político («Só que eu não sou político»). Pois não.

Ou então não vá. Sinta-se livre para decidir.

O Manifesto conta já com mais de 1500 subscritores. São mais de mil homens e mulheres que responderam a um apelo e que, independentemente do que acima escrevo, estão do lado certo da luta. Embora seja muito previsível que em certos casos é maior a probabilidade de virmos a encontrá-los mais vezes do lado de lá das barricadas do que do lado de cá. É, também, um dado importante a significativa ausência de militantes comunistas no rol. Não digo que não estejam lá, não os conheço a todos. Mas daqueles cujo nome seja facilmente reconhecível nem um para amostra. E unir a Esquerda, em torno do que quer que seja, deixando de fora o PCP não é sério.

Digno de registo é o facto de até ao momento não haver ainda notícias da bênção de Soares e da adesão entusiástica do Fernando Nobre.

Sério também não é partir do pressuposto/preconceito de que «a esquerda está dividida entre a moleza e a inconsequência». Em política, mais do que no resto, as generalizações são perigosas. Esta é a prova evidente disso mesmo. Mas, mais do que perigosa e nada séria, esta é uma generalização que ofende os muitos e muitas militantes e lutadores de Esquerda que, em Portugal e na Europa, todos os dias combatem, em condições cada vez mais difíceis, esta austeridade e o Capitalismo. Seja ele ou não de rosto humanitário. O Capitalismo pode até pretender ter vários rostos, mas sabemos que em mente tem um objectivo fundamental e esse é o do seu fortalecimento.

Posto isto, chega a hora de também eu dizer que quero uma Esquerda livre. Livre do preconceito de que a Esquerda não é livre. Livre da ideia de que só existirá uma Esquerda livre quando esta for aquilo que EU/TU/ELE queremos que seja. Livre, enfim, das amarras que nos impedem de pôr de lado as nossas divergências e juntar forças por tudo aquilo que nos une.

A esta Esquerda que hoje se apresenta eu não viro as costas. Espero é que digam igualmente «presente» se e quando o apelo for por uma Esquerda de combate!

Este artigo foi publicado em cinco dias and tagged . Bookmark the permalink.

82 respostas a Uma Esquerda de combate!

  1. Maria Conceição Ferreira de Sousa Peralta diz:

    Apenas e tão só para subscrever e assinar em baixo tudo o que aqui está escrito e dito pelo Carlos Guedes. É que, precisamente porque sempre fui e sou uma mulher de esquerda e talvez demasiado exigente nas posturas, até comigo própria, não gosto de servir de estribo para depois montarem o cavalo e deixarem todos os outros apeados…..

  2. antonio bahia diz:

    perante os dois paquidermes (ppd e ps )que têm governado o quintalito dos silvas, a que somos obrigados a assistir, urge relançar o espirito de abril, sem medos e acusações. todos temos o dever de demonstrar e concretizar a união da esquerda livre. estarei ao lado dos que querem um projecto novo sem peias e que não seja onerado por credores da verdade. mãos à obra.

  3. licas diz:

    Tão simples como isto . . .
    O PCP é stalinista e quer permanecer assim eternamente, o seu modelo são as repúblicas populares,
    O BE reconhece que por ali não se vai a lado nenhum, mas não encontra modelo se chegar a ser governo.
    E o POVO está-se marimbando para a guerrilha PCP-BE, e repudia, aos 90%,
    qualquer tentativa de apoiar ditaduras . . .

  4. M.D. diz:

    O nome “Esquerda Livre” por si só já é caricato o suficiente. É o mesmo que chamar a algo Socialismo Democrático, ou Comunismo Suave… Qualquer ideologia de Esquerda é no seu todo castradora da Liberdade. Não há ideias de Esquerda que possam ser postas em prática sem privar o cidadão das suas mais básicas liberdades, como por exemplo a liberdade de ser dono de si próprio, de agir em seu beneficio, e ser responsavel pelas suas acções. A Esquerda para existir no mundo real tem legislar tudo o que conseguir, e regular o que não conseguir. Proibir e obrigar são as palavras de ordem da Esquerda. Negar a natureza humana e molda-la na transformação de um Homem que ser Bom, à custa do seu castramento mental. De todos eles o maior ataque à liberdade da Esquerda, é o ataque à liberdade do ser humano ser livre para dar uso ao fruto do seu trabalho: o ataque ao dinheiro, ao lucro e à propriedade privada. Tenham juizo, e sejam verdadeiros. Esquerda Livre…

    • Carlos Guedes diz:

      Há tanto preconceito nesta sua declaração que qualquer tentativa que fizesse para a convencer do contrário esbarraria sempre em mais preconceitos. É a vida.

      • M.D. diz:

        Caro Carlos Guedes,
        Desafio a tentar. Desafio a mostrar-me como na sua ideia é possível aplicar os ideias de esquerda, principalmente os de “igualdade” sem privar a liberdade individual do ser humano. E desafio também a dar-me exemplos de “esquerdas livres” que conheça. É que o seu comentário realmente, para além de me chamar de preconceituosa, não me elucidou muito…

        • Carlos Guedes diz:

          Não lhe chamo preconceituosa. Afirmo que a sua declaração tem por base uma série de preconceitos. Pode não parecer, mas é diferente. O resto apenas confirma o que eu escrevi. Lamento.

          • M.D. diz:

            Ok, optou por declinar o desafio, e discutir semântica. Compreendo que seja dificil (impossível?) de contrapor com argumentação o que escrevi. Permita-me desta forma utilizar a sua lógica, e confirmar ainda mais o meu ponto de vista. Esquerda e Liberdade são conceitos totalmente antagónicos.

          • Carlos Guedes diz:

            Optei sim. Sou de Esquerda e respeito a sua opinião, apesar do que já referi. Não concordo com ela e acho que por muito que escreva não conseguirei fazer com que mude de opinião. Não é uma questão de maior ou menor grau de dificuldade. É ser prático.

          • De diz:

            E de que modo.
            O lucro, o dinheiro e a propriedade privada são os paradigmas da liberdade para M.D.
            Até fala na natureza humana, numa de petição secreta ao “darwinismo social”, avançando com o perigo do castramento mental com que tenta justificar o direito “legítimo” do homem ser o lobo do próprio Homem.
            Não dá nem serve.Mais.É mesmo arrepiante.
            Postas assim as coisas ficamos com uma convicção ainda mais profunda que por trás destas posições repousa o que de pior tem a humanidade.E de como o (neo-)liberalismo é hoje algo fétido e podre
            O direito à sacrossanta liberdade individual, mesmo que se tenha a liberdade de morrer de fome,doença, miséria ou no esgoto?
            “A estreita colaboração entre grandes pensadores liberais como o economista Milton Friedman e regimes ditatoriais de extrema-direita como o de Pinochet ou as relações de proximidade entre vários grupos e correntes liberais e as ditaduras de Hitler ou de Salazar” são alguns exemplos do cheiro putrefacto da liberdade que apregoam.

            Com o devido respeito ao autor da posta , este comentário de M.D. não tem por base só uma série de preconceitos.Tem por base outras coisas bem piores. Sinistramente piores.

        • Teixo diz:

          Preconceituosa e com uma visão política muito inviesada.

          • M.D. diz:

            Não referi que o “O lucro, o dinheiro e a propriedade privada são os paradigmas da liberdade”, disse que também são valores de liberdade, e que a Esquerda não sabe, nem tem como não atacá-los na busca dum igulitarismo que nunca existirá, apenas pelo facto de, de facto sermos todos diferentes. Tomamos opções na vida que nos guiam para caminhos diferentes, tornando-nos também nós diferentes uns dos outros. Uns ricos, outros pobres. Uns com saúde, outros sem. Uns cultos, e outros burros. E isto a Esquerda não admite.

          • De diz:

            Eu sei a que se referiu.Logo de início.A sua catalogação das liberdades nem sequer é metafísica.
            É um esqueleto podre, ancorado nas suas opções ideológica,s essas sim claramente a saber a requentado.
            Tudo adivinhado desde o pretensiosismo da escrita da palavra liberdade com inicial maiúscula. Concretizado na apologia ainda oculta do xenofobia. Antecipado na eugenia que se vislumbra.
            Escondendo as diferenças entre os seres como diferenças na condição humana dos seres.
            Tanto, que faz lembrar as prédicas de outros tempos em que o catolicismo pregava que pobres sempre os houvera
            O destino,claro.Às mãos de uma canalha que não quer largar os seus priuvilégios

          • M.D. diz:

            DE, obrigado por mostrar bem a superioridade moral da Esquerda. Em poucos minutos não tem feito outra coisa que não insultar (com suposta educação) uma pessoa que não conhece, apenas porque não pensa como você. Tem ai o desprezo que na realidade a Esquerda tem sobre a diferença. O ódio com que escreve deixa bem visivel o que faria à minha Liberdade se a sua ideologia fosse dominante. Siga esse caminho revolucionário, e não se esqueça de ir vestindo umas T-Shirts do Ché!

          • De diz:

            M.D. deixe de se mostrar ofendido como uma vestal, quando o que escreve revela o muito que é.
            Manipulador e caricato mas não só.Ridículo e pretensioso,mas não só.Mentiroso e aldrabão mas não só ( essa vai direitinha para a sociedade socialista no poder).

            Porque há outra coisa que importa salientar.É que basta escarafunchar um pouco e surge logo a verdadeira faceta do personagem em questão.
            Repare-se no e cito”o que faria à minha liberdade se a sua ideologia etc e tal”.Mas então em Portugal não singramos há 38 anos para o socialismo?Como é?A minha ideologia não é a dominante?
            Mais depressa se apanha um coxo do que um aldrabão com meia duzia de tretas alinhavadas.
            Mas há mais.Fala nas irredutíveis diferenças entre os seres “Uns ricos, outros pobres. Uns com saúde, outros sem. Uns cultos, e outros burros.”
            Mas não admite nem por sombras que quem não alinhe nas posições neoliberais predadoras não tenha o espaço de escolher outro rumo.As diferenças servem apenas para cumprir o destino de exploração que a classe dominante exerce. Quando se fala no direito dos explorados inverterem o bico ao prego,eis as lágrimas e os suspiros , mesclados agora com o medo das T-Shirts revolucionárias. Desapareceu o mito da esquerda dominante.Passa a aparecer o medo da esquerda que afronta o poder.
            Típico

      • Caxineiro diz:

        Aí, o artista, deve andar preocupado com a ” legislação castradora da liberdade individual, negando a natureza humana” de que sofrem os Loureiros, Isaltinos, Limas, etc…etc…etc..(não cabem todos)
        Por vezes fico a pensar se estes gajos não advogam mesmo o regresso à selva

        Se o manifesto servir para discutir ideias, pontos de vista diferentes sobre a mesma realidade política, só poderá ser bom. Mas, não acredito. Pelo que li, parece-me mais uma jogada para a formação de novo partido
        Anda por aí muito PS e até PSD desiludido? Vamos lá arranjar espaço para eles. Esta táctica já é velha ( Quando o Zenha ía vencer Soares, inventou-se Pintassilgo)
        Quem escreve coisas como:«a esquerda está dividida entre a moleza e a inconsequência» é pessoal que não tem a mínima ideia do que se passa no concreto, no terreno; numa fábrica, por exemplo

    • Caro M.D. você confunde “liberdade” com “propriedade privada”. A esquerda não pretende privar o indivíduo de ter ideias ou propriedade privada. Entende é que cada cidadão deve ter o direito a desenvolver-se, e que tal não é possível numa sociedade em que prima a desigualdade económica, social, política e cultural. O socialismo não proclama abolir a propriedade privada individual, mas a propriedade dos meios de produção, para que a economia possa beneficiar todos. Não há mais liberdade quando todos têm igual acesso a ensino de qualidade, a cuidados médicos de qualidade, a usufruir e produzir cultura? Claro que tal também tem implicações sobre quanto um indivíduo pode possuir, fruto da exploração do trabalho de outros, ao considerar ser imoral que numa sociedade em que predomina a pobreza hajam pessoas que vivam em luxo, a maior parte das vezes não por mérito próprio, mas por canais de influência, e sempre tendo como base valor criado por outros.

      Parece-me que é direita conservadora que castra os direitos individuais baseados numa suposta moralidade, ao empolar o casamento heterossexual e a família como núcleo social, lutando contra o IVG, contra apoio social que dê apoio aos mais privados de desenvolverem a vida de acordo com padrões mínimos de dignidade humana.

      • M.D. diz:

        Não pertenço à direita conseradora. Lá está, defendo a Liberdade. Defendo casamento gay, liberalização das drogas, prostituição, aborto.

        • Leo diz:

          “Defendo (…) prostituição” ????

          Defende portanto a mais velha forma de exploração. Não admira pois que defenda as modernas formas de exploração…

          • M.D. diz:

            Defendo a liberdade de uma pessoa fazer o que entender da sua vida, incluindo aquilo que quer fazer com o seu corpo. Defendo que se um adulto quiser oferecer o seu corpo a outro em troca de dinheiro (ou do que for), de comum acordo, não deverá ser nem eu, nem você, nem muito menos o Estado a proibi-lo. Lá está, a Esquerda tem de facto uma dificuldade imensa com o conceito prático da palavra Liberdade.

          • Carlos Guedes diz:

            Pois é. Até que enfim que estamos de acordo! Até qualquer dia, sim?

  5. M.D. diz:

    Eu não teria necessariamente que mudar de opinião, mas podia até chegar à conclusão que estou errada. Assim, como disse, reforço a minha convicção. Eu não me limitei a dizer que a Esquerda na aplicação prática das suas ideias oprime inevitavelmente a Liberdade dos individuos, mostrei-o com exemplos. Desta forma prova-se mais uma regra comum às pessoas de esquerda: a maioria que se diz de esquerda é-o por convicção. Como quem diz, “Isso da realidade não me interessa, o que me interessa são as minhas convicções!”. Pelo menos no momento em que começar a transpor os seus ideais para o mundo real, com pessoas reais.

    • Carlos Guedes diz:

      A Esquerda que eu defendo é uma Esquerda humanista, solidária, convicta, séria, combativa, respeitadora dos direitos, liberdades e garantias, socialista… dizer-lhe que é uma Esquerda necessariamente democrática é, a meu ver, redundante. Dar-lhe exemplos de quê? De partidos «livres»? Para?

      • grito da selva diz:

        Todos estes predicados poderiam ser subscritos, assim em abstrato, pela Companhia de Jesus. Ou seja, nada disto identifica a esquerda; são boas vontades, princípios lindos, não é um programa.

        • Carlos Guedes diz:

          Pois poderiam… diga qualquer coisa depois de falar com eles. E não, não é um programa. Nem eu pretendia que fosse.

      • M.D. diz:

        “Esquerda humanista, solidária, convicta, séria, combativa, respeitadora dos direitos, liberdades e garantias, socialista” De todos estes principios fico com dúvidas na palavra “Garantias”. Mas garantias do quê?

        • Carlos Guedes diz:

          Garantias de ter uma paciência infinita para lidar com pessoas como a queridíssima M.D. Um grande beijinho.

    • De diz:

      Como disse não é só uma questão nem de preconceito nem de enviesamento.
      É outra coisa “menos limpa”
      O comentário de M.D., claro

      • M.D. diz:

        Tem razão. O caminho dos ultimos 38 que temos feito rumo à sociedade Socialista, tem sido muito limpo, como aliás o resultado do país bem o demonstra… Se calhar temos pecado por defeito.

        • Carlos Guedes diz:

          Rumo a quê?

          • M.D. diz:

            Rumo a uma sociedade Socialista. Leu bem. Ou os 38 anos passados têm sido mais parecidos com uma sociedade liberal? (ler meu comentário das 22:07 para complemento)

          • De diz:

            Claro que lemos.Tanto que nos faz lembrar cada vez mais um tipo asqueroso que também defendia a sociedade dita liberal.Depois apoiou o golpe de Pinochet e pregou a liberdade do povo chileno poder dessa forma manter as liberdades primárias do lucro,da propriedade privada e do dinheiro.Chamava-se Friedman e é hoje consensual que era um patife da pior espécie

        • De diz:

          Sorry M.D.Mas vossemecê tem que se esforçar mais do que estas afirmações tolas,tontas,arrogantes e autoritárias.
          Porque se não sabia, as suas opiniões e as suas mistificações não são nem objectivas nem factuais.Poderia catalogá-las como ridículas,mas de facto representam mais do que isso.
          A sua afirmação tão taxativa como repelente sobre os 38 anos rumo à sociedade socialista representam o corolário do que desde o início eu o vinha a acusar.Anda a mistificar as coisas para esconder a responsabilidade dos pulhas que nos governam.Perante o descalabro a que assistimos,perante mais esta crise do capitalismo profunda,grave,violenta e turva, há que fazer surgir bonecreiros do género para tentar “limpar” a sujidade dos comparsas.
          O descalabro é tal e a luta tão tenaz, que há que tentar outras roupagens e tentar seguir em frente.Chega-se ao ponto de catalogar como de “rumo ao socialismo” a política de direita que os canalhas que nos governam,oscilando entre o caceteiro e o neoliberalismo, praticam e levam a efeito.A podridão é tanta que só dizendo bacoradas deste calibre podem aspirar a mais tempo de antena.Como já disse,por trás destas coisas aparecem outras coisas ainda piores.Este parece o discurso batido dos neofascistas, cúmplices dos Coelhos de ocasião.

          • M.D. diz:

            Pinochet era um tipo asqueroso. Agora é a sua vez: Fidel Castro, Chè Guevara, Estaline, Lenine, Mao, eram e são….?

            “crise do capitalismo profunda,grave,violenta e turva” ???? Meu caro, deve ser novinho, mas fica a saber que se vive melhor numa crise do capitalismo, que nos tempos aureos (Houve?) do comunismo-socialismo!

            Ajude-me, a “política de direita que os canalhas que nos governam” refere-se aos ultimos meses deste governo? Se sim, realmente deram cabo de tudo. Estava tudo tão bem depois de 8 anos de Socialismo… Mais perto de 12 anos de Socialismo nos ultimos 15. Tenha juizo….

          • Carlos Guedes diz:

            Esclareça-me só uma dúvida. Sendo este um «debate» à Esquerda, e não querendo limitar seja de que forma for a sua participação, intriga-me o seu inusitado interesse. Ainda por cima com um nível argumentativo pejado de preconceitos e de frases mais que batidas… perdoe-me a sinceridade, até porque esta é somente a opinião de um «ignorante».

          • M.D. diz:

            Carlos Guedes,
            As frases feitas que referem têm sido suficientes, pois não vejo quem tenham sido rebatidas com argumentos, mas sim com declarações de intenções e ideais vazios. O meu interesse é apenas o de conhecer melhor o que leva alguém a pensar como o fazem. O que leva alguém a não perceber a cadeia de forças que existe no mundo. Só isso. Interesse ideológico, mais nada.

          • Carlos Guedes diz:

            «O que leva alguém a não perceber a cadeia de forças que existe no mundo.» Se há aqui alguém que anda a ver o filme errado não serei eu… veja bem que até neste aspecto tão simples falha desgraçadamente.
            Há muito que a Esquerda percebeu a «cadeia de forças» que refere. E há muito que percebeu que as condições não são as mais favoráveis. Mas perceber uma e outra coisa não é sinónimo de aceitação nem, sequer, de resignação. Antes pelo contrário.

          • De diz:

            Não ajudo nada.
            Apenas mais uma vez a desmascaro.Desde o início era visível.Mas de repente foi um ar que se lhe deu .O “rumo ao socialismo” desapareceu.Ficou apenas as benesses do capitalismo tout court.
            Lol.
            Sorry mas é por demais elucidativo.
            Bora lá estudar um pouco mais a lição a desfraldar

          • De diz:

            E basta dar um pouco de corda para se ficar a saber ao que vem e o que representa.
            De repente os 38 anos de rumo ao socialismo converteram-se em 8…ou 12 em 15.
            Ahahahahah

            Desculpe mas cada vez mais claro.O paleio aproxima-a cada vez mais do paleio dessas coisas pesporrentas que nos governam durante o período eleitoral.
            Afinal a designação de “rumo ao socialismo” era areia para os olhos.Quando identificados os pulhas que nos governam, a dona salta em defesa dos ditos cujos.Já não fazem parte da conspiração esquerdista dos ultimos 38 anos.Perde M.D.o sentido do que foi dito e arregaça o dedo (mindinho?)para defender a trupe.
            Lol
            A direita no poder há bué.Com tiques mais liberais umas vezes,outras mais caceteiros.Estes agora, para além de tentarem concentrar ainda mais riqueza num número cada vez menor de pessoas,ainda tentam liquidar com tudo o que cheire a Abril.
            Como o discurso em ziguezague desta M.D tão bem faz transparecer.

  6. M.D. diz:

    Meus amigos, procurem na história, antiga e recente, e no próprio presente, sociedades e países onde o resultado prático dessas vacuidades ideológicas, e têm a minha resposta.

    Ps: e nem adianta virem mostrar o estado em que está o país (e a Europa) para demonstrar o contrário. Se o fizerem apenas me dão mais razão, pois um país com uma Constituição da República que nos guia a caminho de uma sociedade Socialista, onde temos todos os subsidios possíveis e imaginários, um código laboral onde para se despedir é preciso “justa causa”, salário minimo, escola pública, saúde pública, carga fiscal superior a 40%, etc, etc não é mais do que um país de Esquerda (com ou sem PSD’s e CDS’s no governo).

    • Carlos Guedes diz:

      Hélas!

    • De diz:

      Um neoliberal a tentar limpar o ambiente e a tentar ocultar a responsabilidade dos liberais pela trampa de mundo em que vivemos.Como se a responsabilidade pelo acontecido fosse das “vacuidades” ideológicas que desrespeitam aquelas primárias condições básicas “naturais” em que quer que chafurdemos.A “realidade” diz o “melro, enquanto aguça o dente contra tudo aquilo que chama pretensiosamente de “esquerda”

      O ridículo solene mistura-se com a ignorância?É certo.Mas começa aqui a vislumbrar-se mais o território em que se move.O do pequeno provocador a tentar arranjar espaço para as suas posições ideológicas no panorama do caldeirão da luta de classes em que estamos.
      É que no fundo quem nos governou e governa foram os M.D. ideologicamente afins a este M.D.Tinham umas vestes diferentes.Mas estes exemplares vêm de longe.Pinochet fez-lhes companhia e abençoou-os
      A História de facto ensina muito.
      Sorry M.D.Mas não as estórias com que nos quer entreter.

      • M.D. diz:

        Eu ajudo-o. Tire lá o Neo, e chame-me só Liberal. Dixe cair a proza à là Manuel Alegre, e agarre-se à realidade. Se que nos tem governado fossem as M.D’s garanto-lhe que não tinha a Constituição da República que tem. Não teria a escola Pública que tem, mas sim cheques ensino. Não pagaria metade do seu trabalho em impostos gastos sem beneficio póprio. Poderia optar por descontar não para a SS mas para um PPR e caso não tivesse reforma a responsabilidade seria sua. Não teria o estado envolvido em 50% da balança económica. Não trabalharia 11 meses e receberia 14. Teria Tribunais céleres onde poderia tratar dos seus problemas como fazem sociedades civilizadas. Teria casamento gay, liberalização das drogas, prostituição e aborto. Como vê, bem diferente do que pensa.

      • De diz:

        Deixe de dizer disparates
        Deixe de tentar condicionar o que digo ou que não digo.
        Deixe lá o Manuel Alegre ou o Manuel Triste
        Deixe lá a “proza”e os erros de ocasião despoletados nas suas arremetidas cheias de pressa por.
        Deixe sobretudo de nos tentar fazer engolir que esta sociedade tem algo de socialista ou sequer de simulacro de.
        Deixe lá esse paleio de tiques de tia de Cascais sobre o cheque-ensino e outras barbaridades.
        Deixe lá a CRP como álibi para as pulhices da governação que fazem.
        Deixe lá a sua sanha persecutória contra o ensino público e contra o SNS.
        Deixe lá esse discurso ao lado que quem explora e é patrão.
        Deixe lá essa linguagem que se pretende nova mas que tem séculos de efectividade e serventia.
        Deixe lá a boçalidade do trabalhar 11 meses e receber 14.Ou não percebeu que tal é o produto de muitas outras coisas? Ou é apenas a patroa ou o patrão a tentar defender aquilo que sabe e faz.A exploração do trabalho alheio.
        Sobretudo deixe de nos tomar por tolos.Deixe de nos tentar impingir o mesmo modelo de sociedade assente na perpetuação da exploração do homem pelo homem.Sob as roupagens pretensamente higiénicas, inodoras, eugénicas dos neoliberais de turno

  7. Edgar diz:

    A autodenominação de “esquerda livre” demonstra uma atitude política que nem vale a pena comentar.
    Na minha opinião, o Manifesto não acrescenta nada nem apresenta alguma proposta concreta para combater e alterar as políticas que nos conduziram e conduzem ao desastre. Mais preocupados com críticas à actuação do PCP e do BE os subscritores do Manifesto parecem esquecer que o PS tem sido actor e autor de grande parte de tais políticas e continua a afirmar-se defensor do cumprimento integral do pacto imposto pela troika.
    Ao longo da minha vida antes e depois do 25 de Abril já assisti a um sem número de iniciativas semelhantes, inconsequentes, que mais parece quererem mudar alguma coisa para que tudo fique na mesma.
    Para quem se afirma de “esquerda”, é muito pouco.

  8. Kirk diz:

    Meus, se isto devia ser uma conversa á esquerda porque é que estão a dar tanto ttroco á MD?
    desculpem a franqueza mas a vossa atitude parece-me muito pouco inteligente. Entretanto a pessoa monopolizou a conversa levou-vos atrás e o que se devia discutir ficou por discutir, certo Carlos Guedes?
    A MD colocou aqui 12 comentários; contando com as respostas por vezes em duplicado assiste-se a uma enorme perda de tempo e de latim que devia ser gasto em conversa de Esquerda, porque o post de CGuedes dirigia-se á Esquerda e dispensava esta intromissão de uma pessoa conservadora cujo unico interesse objectivo neste caso foi sabotar a conversa que se devia gerar entre pessoas de esquerda.
    Assim não vamos lá.
    K

    • Carlos Guedes diz:

      Certo. Eu já tinha tentado fazer o «ponto da situação»… mas não fui feliz. Acho que agora fui mais eficaz.

    • M.D. diz:

      Mesmo depois de 12 comentários meus ainda não conseguiu ver que estou longe de ser conservadora. A minha “intromissão” na conversa foi apenas por ter registado a ambiguidade de se utilizar as palavras Esquerda e Liberdade associadas na mesma frase. O que conseguiram fazer foi prova-lo para além de qualquer dúvida. Já aqui escrevi que defendo por exemplo o casamento gay. Que defendo por exemplo a despenalização das drogas. Acha que são isto valores conservadores?

      • Carlos Guedes diz:

        Depende. Podem ser. Numa perspectiva simplista pode ser e pode não ser. Mas mesmo que seja não tem que ser só porque é. Essa coisa da ambiguidade é palavra bonita para remediar a falta de argumentos. Mas olhe, não perca a esperança e siga em frente. Para pior é certo que não vai!

  9. licas diz:

    O *amor* à liberdade , que de modo asqueroso aqui foi confundido com a
    existência de propriedade privada) pode muito bem ser retratado por historicamente
    à 150 anos para cá:
    ___Não existência de jornais, livros autorizados, que venham contra o que o governos querem
    ___Não admissão de haverem partidos políticos
    ___Encarceramento (com tortura) por *delitos de opinião* (mesmo sem acusação formal)
    ___Não liberdade de reunião.
    ___Não liberdade de opinião
    Eis o Socialismo NA PRÁTICA.

    • M.D. diz:

      Será que por exemplo Cuba se encaixa nessa caracterização…? Engraçado que estão lá todos os seus intens. Pode-se ainda juntar as prateleiras dos supermercados vazias.

      • Carlos Guedes diz:

        Escute. Peço-lhe, educadamente, que não insista mais. Não vale a pena porque a M.D. está carregada de razão e nós aqui somos todos uns «botas da tropa» da pior apanha. Nós, os da tasca. Os comentadores esforçam-se por elevar um pouco o nível mas é um esforço inglório. Aliás… basta ler um ou dois dos seus comentários para se verificar isso mesmo. Tenha um bom dia e uma vida melhor. Grande abraço. Volte sempre. Traga ideias e argumentos. Ah. E o espírito aberto também ajudava…

      • M.D. diz:

        Peço desculpa pelo engano. Cuba não bate certo. Lá não há desiguldades provocadas pelo Capitalismo-Librealismo. Lá são todos iguais. Igualmente miseráveis, mas iguais. Alguma coisa tem que estar a ser bem feito por aqueles lados…. Já sei. O povo não têm Liberdade…

        • Carlos Guedes diz:

          M.D. tenha um resto de um bom dia. Lamentamos informá-la mas acabou de esgotar o seu plafond de comentários. Estamos certos de que, como pessoa informada e esclarecida que é, saberá compreender e aceitar esta situação. São coisas do Capitalismo. A malta depois explica-lhe. Um abraço.

          • M.D. diz:

            Ora ai está uma liberdade que lhe assiste. O espaço é seu, e faz dele o que entender. Até lhe agradeço a paciência. Se eu fosse um esquerdista estava já aqui a vociferar contra a liberdade de expressão, a berrar “fassssisssmo”, “fassssisssssmo”, e querer obrigar o Estado a formar um grupo de trabalho para regular a liberdade de expressão dos blogs. Como liberal só tenho que aceitar.

            Ps: publique só mais este. A sério, mostrava fair play, e eu prometo que me calo (por hoje).

          • Carlos Guedes diz:

            Isso de ser liberal é mesmo chato. Aceitar as coisas sem protestar… Mas pronto. Está feito!

  10. Carlos Carapeto diz:

    “M.D. says:

    17 de Maio de 2012 at 23:

    “crise do capitalismo profunda,grave,violenta e turva” ???? Meu caro, deve ser novinho, mas fica a saber que se vive melhor numa crise do capitalismo, que nos tempos aureos (Houve?) do comunismo-socialismo!”.

    Carissima MD não pretendo pelear consigo enquanto se mantiver a disparar dardos das ameias do ganguesterismo neoliberal vigente. Saia a terreiro e prove onde o sistema politico que defende eliminou a miséria e as desigualdades e contribuiu para o bem estar da maioria da população.
    Os seus comentários indignaram-me ao constatar que tem a insatetez em atribuir à Constituição vigente a responsabiliade dos problemas que o país atravessa.
    Não encontra outros resposáveis? Os maiores responsáveis não serão esses politicos que idolatra e as politicas por eles seguidas nas ultimas décadas? Não há inocentes.
    Culpados do desastre economico e social em que o país se encontra são todos os que nos têm governado.

    Talvez para si a Constituição de 1933 servisse melhor os interesses de Portugal?

    Mas não foi isto que me levou a intervir no assunto.
    Foi devido a este desabafo infortunado da sua parte ( que nos tempos aureos (Houve?) do comunismo-socialismo!”.) .
    Trata-se de uma provocação grosseira, uma falta de respeito aos muitos milhões de cidadãos desses países que com a reintrudução do capitalismo mergulharam na miséria mais extrema que se possa imaginar.
    Não me estou a referir a pessoas comuns, refiro-me a cidadãos com cursos universitários, professores catedráticos e técnicos altamente qualificados.

    Perante estas afirmações infelizes ( ao que parece feitas com convicção), lanço-lhe o desafio de me provar em que aspetos essas populações viram as suas condições de vida melhoradas. Dê-me um exemplo apenas. Basta-me um.
    Não se atreva a citar a palavra GULAG, que é um dos apanágios dos rufias de direita.

    Caríssima, conheci a URSS em 1988, continuo a ir à Russia sempre que me é possivel, de minha casa falamos mais que uma vez por semana para lá. Portanto sei muito bem como era antes e no que se transformou.

    Em certas regiões recuou a antes de 1917.
    Com isto já os distintos democratas, defensores da liberdade não se preocupam?

    • M.D. diz:

      Tem razão Carapeto. O Capitalismo gera mais desigualdades que o comunismo-socialismo. Agora pergunto: prefere viver numa sociedade igualitária como um um Norte Coreano, ou numa sociedade desigual, como a nossa por exemplo?

      Em Cuba há muito menos desigualdade que por exemplo no Canadá. Onde preferia viver? Onde há mais liberdade? De vez em quando pergunte-se a sim mesmo isso, que deve encontrar as respostas.

      • Carlos Carapeto diz:

        “M.D. says:

        18 de Maio de 2012 at 12:15

        Em Cuba há muito menos desigualdade que por exemplo no Canadá. Onde preferia viver? Onde há mais liberdade? ”

        Conclusão? Vira o disco e toca o mesmo.

        Que os factos são coisas teimosas, lá isso são.

        Não me respondeu a nenhuma questão das que lhe coloquei, escudou-se em novas argumentações bafientas.

        Responda por favor. Qual foi o resultado da reintrodução do capitalismo nos antigos países Socialistas?
        Não foi mais miséria? Atraso generalizado? Degradação das condições sociais? Ruina economica? Subserviência e perda de soberania favorável aos países capitalistas?

        Sobre Cuba por favor não entre por aí porque o brinquedo explode-lhe nas mãos.

        Deixe de fazer demagogia grosseira porque isso não lho permito. Está a tentar comparar o incomparável? Tem a desfaçatez em comparar Cuba ao Canadá?
        Porque não faz uso da honestidade e compara Cuba com os restantes da América Latina? Compare com o Haiti ali ao lado ( a menos de 60 Km).

        E porque não compara Portugal ou a França à Noruega?

        Pressenti logo que ia ao congelador sacar um dos seus acepipes de preferência, por isso é que fiz a advertência para não citar os GULAG. Descongelou Estaline .

        Devia saber que mais de uma década depois da morte de Estaline do outro lado do Atlântico, naquele maravilhoso paraíso politico em que se inspira, a segregação racial ainda era permita por lei.
        Um cidadão só por ser negro eram-lhe negados todos os direitos civicos, podia ser linchado ou queimado vivo em plena via publica impunemente.
        Essa situação só acabou depois dos Estados do Sul (em especial o Alabama) ficarem reduzidos a cinzas no verão de 1966.

        Há dias passou aqui um raspanete a outro participante por ser novo, que por isso não devia ter experiência da vida.
        Pergunto-lhe. E para que lhe tem servido a idade ao ignorar estas situações?

        Vá aparecendo por aqui, que eu agradeço que me vá ajudando a destruir a minha “ignorância”. Não foi isto que me chamou num comentário atrás?

        • M.D. diz:

          “Qual foi o resultado da reintrodução do capitalismo nos antigos países Socialistas?
          Não foi mais miséria? Atraso generalizado? Degradação das condições sociais? Ruina economica? Subserviência e perda de soberania favorável aos países capitalistas?”

          Não, em nenhum. Esses países socialistas impludiram precisamente por causa do socialismo. Quando se acabou o dinheiro (o que acaba sempre por acontecer com o socialismo-comunismo) ficou à vista o rasto de miséria e pobreza que conhecemos. Não vá por mim, vá por quem lá viveu nesses períodos altos do socialismo.

          Agradeço o desafio e respondo-lhe: Indice de liberdade económica da Noruega: 40º lugar. Portugal: 68ª lugar… Ui… Como deve ser daqueles que acha que os países nórdicos são socialistas, deixo-lhe mais uma posições interessantes:

          Dinamarca – 11º
          Filandia – 17º
          Suécia – 21º
          Islândia – 27º

          Agora vamos onde se vive bem, e em plena liberdade proporcionada pelo comunismo-socialismo:
          Russia – 144º
          Ucrânia – 163º
          Uzebesqitão – 164º
          Venezuela – 174º
          Cuba – 177º
          Coreia do Norte – 179º

          (ano 2012)

          • De diz:

            Sorry M.D. mas os disparates têm um limite.
            “índice de liberdade económica”?
            O que é isso?
            Um índice dos tios banqueiros conservadores e neoliberais?
            Criado pelo The Heritage Foundation e pelo The Wall Street Journal.?
            The Heritage Foundation is an American conservative think tank based in Washington, D.C. Heritage’s stated mission is to “formulate and promote conservative public policies based on the principles of free enterprise, limited government, individual freedom, traditional American values, and a strong national defense”
            O Wall Street Journal, a publicação dos mercados, que está ligada ao gangster Rupert Murdoch?

            Sorry mas não servem nem os valores da defesa americana e dos seus mandantes, nem os da mafia organizada.

            Como piadas pícaras saliente-se que em primeiro lugar está Hong Kong (China).
            E em 7º um país que viveu sob uma besta, Pinochet.
            E em 12ª o Bahrain

            Sorry mesmo.Não serve.
            Mas pode constituir um bom tema para uma piada sobre o argumentário neoliberal

  11. M.D. diz:

    Quando se tem o cérebro encastrado com a eterna e bolurenta visão da” luta de classes”, a “exploração do homem pelo homem”, melhor ainda, a “patroa ou o patrão a tentar defender aquilo que sabe e faz. A exploração do trabalho alheio.”, quando se diz com todos os dentes que a época da URSS de Estaline é que era, rendo-me. Rendo-me porque como já alguém dizia que não devemos nunca discutir com um ignorante, pois ele arrasta-nos para o seu nível, e ganha-nos por experiência. Mas rendo-me feliz por saber que, todos juntos, os DE’s e Carapetos’s da vida não passam dos 20%… Nem tudo está perdido. E agora permitam-me ir ali ser explorada até às 18h pelo meu patrão.

    • Carlos Guedes diz:

      O seu problema não reside nos tipos que não chegam aos 20%… é que enquanto houver um é sinal de que a ideia não morre.
      De resto, a URSS já morreu e parece que só você é que ainda não reparou nisso!

      • M.D. diz:

        Respondo-lhe na mesma forma: olhe que a URSS pode ter morrido, mas a Ideia permanece viva, a julgar pelos comentários do amigo Carapeto.

      • Carlos Carapeto diz:

        “De resto, a URSS já morreu e parece que só você é que ainda não reparou nisso!”.

        Carlos Guedes! Descordo da sua opinião.

        É verdade que a URSS desapareceu e nunca mais haverá hipoteses de ser reconstituida tal como existiu.
        No entanto deixou um legado que por muito que os seus inimigos e detratores pretendam denegrir e omitir jamais o podem fazer.

        Com todos os seus erros, vicissitudes, desvios, permissão da tomada das cupulas do poder por uma horda de oportunistas que acabaram por provocar a derrocada do sistema. A URSS deixou uma herança inestimável para os povos do mundo inteiro.
        É esse valioso espólio que um cidadão consciente de esquerda tem a responsabilidade de preservar e defender. Deve assumir também e reconhecer que muita coisa correu mal.
        No entanto tem o dever de compreender (e divulgar) , que não houve só Outono e Inverno também houve uma linda Primavera e Verão.
        Resultaram daquela experiência condições para os mais desprotegidos da sociedade e para os trabalhadores em geral que o sistema capitalista jamais está interessado em oferecer.

        Por isso mesmo temos que manter acesa a esperança da nossa luta legitima, inspirados no melhor que aquela experiência histórica nos deixou se pretender-mos almejar no futuro uma sociedade mais justa, menos desiquilibrada e mais igualitária socialmente, evitando sempre repetir os erros cometidos.

        Que a URSS nos sirva de lição para o bem e para o mal.

    • De diz:

      (Um aparte.
      Com nível ou sem nível…Ignorante é vossemecê.)

  12. licas diz:

    Enquanto houver um . . .
    Não é preciso dizer mais . . .Estou perfeitamente elucidado.
    : . . Elucidado que os Russos dizem do Comunismo : NUNCA MAIS.
    (pois se não fosse assim maioritariamente votariam no Partido
    dos que quer em que regresse . . .OU A LÓGICA É UMA BATATA).

  13. De diz:

    Hoje Tiago Mota Saraiva posta sobre a censura levada a cabo pela mui nobre e distinta TED
    http://5dias.net/2012/05/18/nick-hanauer-a-conferencia-que-a-ted-talks-nao-quer-publicar/

    O liberalismo da TED tem limites ( e repare-se que o significado da palavra liberal é substancialmente diferente aqui ou nos EUA). Esta conferência ( e a censura posterior) revelam também a hipocrisia reinante.As ditas “liberdades” do lucro, do dinheiro e da propriedade privada permitem também explicar onde nos encontramos.Permitem também verificar que é urgente a união de quem de forma coerente e efectiva está disposto a dar os passos necessários para acabar com esta sociedade baseada na exploração do Homem pelo homem.
    “Precisamos em Portugal da mais vasta agregação e convergência à esquerda de múltiplas e diversificadas contribuições, patrimónios e capacidades de luta e de proposta.” (cito Vitor Dias). E que esta esquerda seja uma “esquerda de combate” (cito o autor da posta).

    Porque os vampiros estão aí.Com sede também pela vingança própria dos chacais que são. Estão ai e governaram e governam.A desregulamentação do mercado de trabalho, a culpabilização do desemprego aos próprios desempregados que são levados na enxurrada, a desumanidade crescente nas relações de trabalho,a tentativa de arruinar o SNS, de comprometer a segurança social, de acabar com o Ensino Público.Eis alguns vectores da acção dos neoliberais, curiosamente caceteiros e ultramontanos, que nos governam.
    Um ou outro já até questiona não só o direito aos subsídios de férias ou de Natal como também o direito à remuneração do mês de férias….

    Há que acabar com a barbárie do capitalismo.

    • M.D. diz:

      O SNS já está arruninado. Não tenho médico de familia para o meu filho, por exemplo… E para marcar consulta (sem médico de familia) para vacinação para o inscrever (na escola pública), só há vaga disponivel para data já depois da inscrição… Felizmente o Capitalismo oferece solução. Lá fui a uma CUF, marquei uma consulta e 3 dias e 70 € depois lá tinha o papel. Não, não foi há 20 anos isto, foi mesmo este ano lectivo.

      O “mais velho”, também estudante da escola pública (que aqui a burguesa válá que ainda tem emprego, mas ainda não dá para meter os meninos nesses centros de exploração capitalista que são os melhores colégios nacionais (privados), onde se exerce sobre os míúdos a mais vil pressão para que, pasme-se…estudem, e aprendão…) não consegue ter as notas que o curso pretendido exige (mais uma desigualdade do capitalismo: todos deveriamos tirar os cursos que quisermos sem este pressão das médias e das notas…), lá teve aqui a “burguesa” que pedir ajuda ao capitalismo. Não é que por 20 €/hora, 2 horas por semana o miudo lá conseguiu subir o nível. Até subiu demasiado pois agora tem notas muito mais altas que alguns colegas, o que é nitidamente injusto. Devia ser mesmo ilegál este desnivelamente gerador de desigualdade…

      Em ambos os casos o Capitalismo Opressor (Lollll, desculpe, não resito lolll) ajudou-me a explorar diversos trabalhadores, em busca apenas do meu beneficio comum. Tenho vergonha de mim própria.

      • De diz:

        Lê-se e não se acredita
        M.D.enterra o SNS de quem alguns dos seus mestres foram e são os coveiros.(Um deles,um banqueiro de reputação duvidosa, tem ligações às seguradoras tão fortes que o deviam interditar para o cargo).
        E vem toda contente fazer propaganda ao privado?À custa de 70 euros por um papel?
        E rebola-se de contente com o facto do “privado” lhe resolver o problema? À custa do poder de compra da dita senhora que não resolveu atempadamente as suas responsabilidades?
        O pior é que a maioria da população portuguesa não pode dar-se a este luxo.
        (Ou tudo isto não passa de uma propaganda à referida instituição hospitalar?Ou ao pulha do ministro?)
        Hum.
        Depois vem com a conversa das explicações…num naco de texto provavelmente escrito à pressa e que nem vale a pena escalpelizar para evitar ser cruel com.
        Porque o parágrafo final é de tal forma confrangedor que se pergunta se a dona entende o que se está a dizer.

        Sobra pouco disto tudo.Talvez fique na memória o carpir de alguém sobre o direito à remuneração do mês de férias….
        E um riso néscio de uma senhora dona.

        • M.D. diz:

          DE, como em todas as suas respostas não apresenta um único argumento. Limita-se a insultar e debitat soundbytes vazios. Acabei de lhe demonstrar com pequenos exemplos pessoais que o SNS já está defunto faz tempo. Mas há muitos mais, das listas de espera no IPO (lembra-se do que aconteceu ao médico que denunciou esta situação no Porto…?), às ambulâncias que deixam de transportar doentes oncológiocos, passando pelos milhares de pessoas sem médico de familia. Porque não tem o meu filho um médico de familia? Não pago a minha parte? Porque são precisos 4 meses e meio para marcar uma consulta no centro de saúde? E isto é culpa minha? E se não fosse a tal instituição privada, o que me sugeria fazer? Rebolo-me de prazer por ver o meu problema resolvido ?!?!?! Não faria o mesmo? E se não fossem as tais instituições privadas, quantos mais meses teria eu que esperar por uma consulta no centro de saúde? Qual a repercursão nas filas de espera? Não leu que (infelizmente) o meu poder financeiro não me permite dar aos meus filhos a educação que pretendo, tendo-me que me contentar com o (fraco) nível da escola pública da minha zona (onde os professores estão longe de serem os culpados)? E que mal tem a história das explicações? Quer ver que acha mesmo que deveriam ser proibidas? “Discutir” consigo é de facto um exercico de retórica. Atira-se-lhe com argumentos, recebem-se dogmas e declarações de intenção… Felizmente que não toda, mas é assim a grande maioria da esquerda. Prefere ver um doente à espera de tratamento no hospital público, do que saudável em casa à custa do privado.

          • Caxineiro diz:

            Tem um filho, MD ?…Pobre rapaz…
            Subscrevi este post na esperança de poder seguir uma discussão interessante sobre um tema interessante, e porra!.. Ao invés levo consigo diariamente num off topic mais-que-desiquilibrado
            Fosse eu o pai da criança e já tinha levado a MD a ver os aviões
            Sem ofensa, claro

          • De diz:

            M.D.
            Sorry,mas parece que o seu debater continua a resumir-se a uma série inqualificável de disparates.
            Mais uma vez repito que o calendário nacional de vacinações está aprovado,as vacinas deste são gratuitas e são administradas nos centros de saúde sem necessidade de se passar pelo médico.
            Basta de aldrabices.
            Eu vou repetir.Basta de aldrabices e de mentiras.
            Valeu?
            O resto são exercícios de estilo ao serviço dos mellos seus conhecidos

            Quando às questões da educação estou noutra.Não me pauto pela escola neoliberal do direito ao ensino de acordo com as posses de cada um.Que é afinal o que no fundo lamenta.Se ainda não percebeu tenho pena.Se ainda não percebeu que o diz corresponde a uma ignorância total do que é uma sociedade e para que serve o dinheiro numa sociedade como esta,então aconselho-lhe que estude.
            Deixe assim de olhar para o seu umbigo e fazer da discussão dos seus exemplos familiares exemplos para o que quer que seja.O Belmiro podia dizer exactamente o mesmo que vossemecê e o discurso revelar-se-ia perfeitamente oco para o que interessa.
            Como é o seu caso.

            Cada um coloca-se na posição que quer.A dona coloca-se na posição de quem está do lado dos interesses privados e histericamente tenta convencer que tais interesses são dos interesses da população.
            Como é o caso do pagamento de 11 meses em vez dos 14 meses
            Com a sua permissão isso é voltar cem anos atrás.E cheira tão mal como os anos que tenta fazer girar o relógio ao contrário.

  14. M.D. diz:

    Caixeiro, obrigado pelos seus argumentos. Acrescentaram bastante à discussão, e fiquei bem mais esclareida sobre o seu ponto de vista…

    DE, tendo em conta a (propositada) confusão com que escreve, são precisas 10 página para responder a cada linha sua. Vou tentar ser mais breve que isso: no seu primeiro parágrafo consegue acertar apenas numa coisa: as vacinas serem administradas nos centros de saúde. Como desconhece o enquadramento do caso, torna por principio que é tudo mentira. 4 meses para marcar consulta num CS? Mentira. Indisponibilidade de médicos de familia? Mentira. Taxas moderadoras? Mentira. Listas de espera de mais de um ano (!!!!) ? Mentira.

    Quanto ao ensino, como não tem coragem de dizer frontalmente que é contra por exemplo alguém pagar a outro por um serviço de explicações, diz que ” não se pauta pela escola neoliberal do direito ao ensino de acordo com as posses de cada um.” Esta frase é a maior banalidade e a maior mentira ideológica que já ter a coragem de escrever!!! Como se a sua casa, o seu carro, o se PC, a sua ligação à net, a sua educação, a sua saúde, a sua alimentação, etc, etc não estivessem de acordo com as suas posses, e fossem iguais às de todas as pessoas da sua sociedade. Olhe que se procurar bem vai ver que independente da sua condição financeira, vai encontrar muitos que desejariam ter o que você tem. Cabe-lhe a si agir em conformidade como pensa para com esses, e já agora, para consigo também…

    • De diz:

      Sorry MD mas foi apanhada a mentir.
      Diz textualmente:”E para marcar consulta (sem médico de familia) para vacinação para o inscrever (na escola pública), só há vaga disponivel para data já depois da inscrição… Felizmente o Capitalismo oferece solução. Lá fui a uma CUF, marquei uma consulta e 3 dias e 70 € depois lá tinha o papel.”
      O que eu disse:”Mais uma vez repito que o calendário nacional de vacinações está aprovado,as vacinas deste são gratuitas e são administradas nos centros de saúde sem necessidade de se passar pelo médico.
      Basta de aldrabices.
      Não era preciso nenhuma consulta com médico.O calendário nacional de vacinações está disponível e qualquer pai ou mãe pode fazer o que tem a fazer
      O resto é o brua-brua acrescentado à pressa.O que eu disse que era mentira é o que eu disse que é mentira.
      Ponto final parágrafo.

    • De diz:

      O que diz a seguir sobre o estado do SNS resulta da acção governativa dos partidos da direita,uns a tender para o neoliberalismo outros a tender para o caceteiro. Outros ainda a conjugar os dois termos da equação : neoliberais-caceteiros.

      Havia uma senhora que foi líder do partido de Passos Coelho que dizia do alto da sua sapiência que quem quer saúde a devia pagar.e A antiga líder do PSD entendia que os doentes com mais de 70 anos que necessitem de tratamentos de hemodiálise os devem pagar. “Tem sempre direito se pagar” referia a dita cuja naquela insensibilidade peculiar típica da direita roufenha

      Vê-se que o mesmo preceito é seguido por M.D.

    • De diz:

      O que acrescenta sobre a educação é o seu retrato.

      Mais uma vez repito o que disse e que lhe parece sobremaneira desagradar:
      “Não me pauto pela escola neoliberal do direito ao ensino de acordo com as posses de cada um”
      A “maior mentira” ser simultaneamente a “maior banalidade” é uma questão que tem que dirimir com alguém aí da sua relação familiar ou do circuito de amigos
      Mas sabe que quando o disparate é demasiado grande… não há volta a dar
      As suas extrapolações sobre explicações e o diabo a sete provêm mais uma vez do seu posicionamento ideológico enviesado à boa maneira de um propagandista neste caso pouco hábil.
      Confinar o ensino, ou tentar fazer girar a discussão sobre este, à questão das explicações é ou ignorância ou outra coisa que me abstenho de adjectivar.
      Mas nunca me viu dizer que não podia ter as explicações que quisesse.
      Valeu?

    • Caxineiro diz:

      Caxineiro senhora!… Caxineiro! A sua cabeça…

  15. De diz:

    Um breve reparo:
    MD dixit: “DE, como em todas as suas respostas não apresenta um único argumento. Limita-se a insultar e debitat soundbytes vazios”
    MD dixit (umas horas mais tarde):” DE, tendo em conta a (propositada) confusão com que escreve, são precisas 10 página para responder a cada linha sua”

    Se não consegue esconder outras coisas….ao menos alguma coerência

    • M.D. diz:

      Eu percebo que quando não há argumentos, se opte por confundir, insultar, gritar umas vacuidades que caem por terra no primeiro minuto de introspecção da vida que cada um leva. Eu percebo, e agradeço sinceramente terem-me ajudado mais uma vez a aferir a mim própria a validade do pensamento liberal em oposição a um pensamento socialista-comunista-centralista-igualitário. Procuro incessantemente no contraditório brechas na minha forma de estar na vida, e felizmente, os insultos, vulgaridades, juizos de valor com que me deparei (e deparo) não têm sido suficientes para o fazer. Não estou contente com a politica nem com a matriz ideológica do meus país, mas considero estar mais próxima do perfeito do que do péssimo. Já os meus interlocutores parecem estar a milhas de distância dos seus ideais estatizados, pelo que sugiro uma procurem no mapa países para viverem com os quais tanto se identificam. Façam o teste e vão aferir a realidade do vosso pensamento. Podem ter é alguma dificuldade em visitar e comentar blogs, que por aqueles lados o google não ainda muito famoso. Passem bem.

  16. Carlos Guedes diz:

    Agradeço os vossos contributos! A discussão (que nada ou quase nada) tem a ver com o assunto do post termina aqui por exclusiva decisão minha! Sei que compreenderão. Espero ver-vos noutras «postas»!

Os comentários estão fechados.