É o capitalismo, estúpido.

O Governo decidiu prolongar a suspensão da aprovação de novas operações no Quadro Estratégico de Referência Nacional (QREN) até concluir a reprogramação estratégica dos fundos comunitários.
[Aqui]


[Sebastião Salgado]

Até para o mais fiel defensor da boa fé dos mercados e do capitalismo, esta decisão é incompreensível. Contudo, ela faz parte do “ajustamento” em curso que não é alheio ao sistema. O capitalismo é isto mesmo. As soluções para o crescimento económico, no quadro deste sistema, só serão criadas se beneficiarem, em primeiro instância, os grandes interesses e as grandes empresas. “Aos de baixo” o dinheiro só chega de uma forma indirecta, mesmo quando é dito que a política económica é especificamente para eles.
Veja-se, por exemplo, os incentivos às PME’s que Sócrates/Teixeira dos Santos promoveram em 2009. O governo do PS achou por bem não incentivar a economia directamente. Fê-lo por intermédio dos bancos, públicos e privados. Dois terços desse dinheiro dos contribuintes ficou com a banca, segundo um Relatório do Tribunal de Contas. Ao mesmo tempo o dinheiro público que saia dos bancos (públicos e privados) ia sendo descarregadonas grandes empresas – ver investigação do DN sobre o BPN (pág. 8 ) com a lista de empresas financiadas após a nacionalização.
Caso de polícia, dir-me-ão.  Certo, mas isto é o capitalismo a funcionar.
Por que razão é que o Estado não financiou directamente a economia sem passar pela banca?  Porque, mais uma vez, isso é o capitalismo a funcionar. Ou seja, um capitalismo doce pode embalar-nos durante muito tempo, mas nunca nos libertará de viver momentos como os que estamos a viver, mesmo que seja o produto de regabofes alheios. Toda e qualquer iniciativa para salvar o capitalismo, mesmo que conduza à prisão e/ou afastamento de uns quantos actores do pântano em que estamos atolados,  é simpática para o sistema.
À esquerda compete-lhe construir a esperança da alternativa.

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

21 respostas a É o capitalismo, estúpido.

    • licas diz:

      . . . e a alternativa ao capitalismo seria o socialismo
      um sistema em que não só promove o progresso como também
      elimina aliberdade individual do cidadão: a História de 150 anos
      o prova à saciedade . . .
      Aqui , como amostra, eliminam-me os meus comentários . . .

      • Zuruspa diz:

        Chora lá mais um bocadinho, anda. Tadinho/a.

        O Pinochet e o Suharto de quem tu tanto gostas näo eliminavam só a liberdade individual do cidadão, eliminavam o cidadäo individualmente. E às vezes, em grupos.

      • De diz:

        Mais disparates a concorrerem com o seu autor.
        Soma aí mais 150 anos de história.
        150 pois então!!!

        Já agora que passo de gigante para “licas” reconhecer que o socialismo é um sistema que promove o progresso
        🙂

      • Santos.se diz:

        Esta brincadeira com o rodrigo dos santos mostra a triste realidade dos tristes jornalistas, autenticas marionetes. Independentemente da estação são uns autenticos batanetes, por vezes dão ares de intelegentes, mas a verdade é que são umas grandes bestas responsáveis porque tem a obrigação de investigar e denunciar a realidade, põem os catrogas, os medinas e outros que tais grandes mentes de técnicos vivem á custa do povo, com reformas escandalosas, inclusivamente dizem que a idade da reforma tem que aumentar, quantos destes porcos se reformaram com menos de 50 anos, com várias reformas, tiveram uma vida dura de corrupção!
        ….

      • eu diz:

        Xor licas e, que tal fazer um peditório para o impoluto,inocente,grande mecenas ,altruísta Duarte Lima?Que tenha fodido a velha com dois tiros,um dos quais nos cornos,em nada rebaixa a superioridade moral dos jagunços do Capitalismo.
        Já agora,uma estátua dupla rotunda em Oeiras ,onde a fina flor do concelho com mais licenciados aorovam o rigor de fazer obra embora custe mais de 100 X ou,se fraça empréstimos aos bancos para ‘fazer obra’ empenhando o erário publico.Como já não tenho paciência para escória da sociedade como o senhor-que vá para o caralho que o foda!!!!

  1. Samuel B diz:

    O Tiago anda mal informado. A suspensão deve-se ao facto de não haver dinheiro em abundancia. Neste contexto (e por favor, não se esqueça dele sim?) o dinheiro que existe terá que ser assegurado para os projectos QREN que receberão o apoio do BEI. O Capitalismo nada tem a haver com esta situação. Não confunda as coisas.

    • De diz:

      O link referido pelo Dédé aí em baixo responde de forma adequada a um rematado disparate.Ou a uma inusitada ignorância.Ou a várias coisas mais.
      O resto pode ler na posta do Tiago.Claríssimo

      Há mínimos

      • Samuel B diz:

        E sobre o post… nada! O Carissimo De já nos habitou a chutar para o lado quando a coisa não lhe convém. Eu, por exemplo, ainda estou à espera que o Carissimo De me indique uma sociedade socialista que tenha tindo sucesso social, com desenvolvimento económico, com criação de trabalho, com protecção social sustentável, enfim uma sociedade que perdure por mais tempo que um comicio.

        Meu carissimo De, pense e depois diga-me. Até-lá peço-lhe que se remeta ao silêncio, no que aos meus post dizem respeito. Porque para ser ouvido é preciso alguém que o oiça.

        O Tiago também ainda não saiu da toca. Deve estar a folhear os livros de um decreto-lei qualquer, em busca de uma justificação para as suas más interpretações, habituais diga-se, da realidade contemporanea.

        Mas enfim, continuamos neste blogue para macacos que não falam, não vem e não ouvem a não ser o que querem… muito ao estilo de um qualquer lápis azul… (Para refletir…)

        • De diz:

          Está lá tudo.Está cá tudo
          Até está a tentativa canhestra de assobiar para o lado como se isto não fosse o quotidiano do capitalismo podre e corrupto como ele se apresenta nos nossos dias.
          (Os mínimos solicitados era para evitar estas cenas um pouco confrangedoras a que se expõe assim o Samuel B
          Provavelmente um funcionário – sabemos pela sua boca que o é – em funções ao capital como lhe compete a sua posição de classe.Mas ao menos …)

          Depois deveria ser exigido um mínimo de coerência.Não como defensor um pouco bacoco do neoliberalismo,mas do que escreve e do que debita.
          É que a questão angustiada de Samuel já foi refutado e documentada.Várias e cansativas vezes.Daí que se aconselha B a procurar para trás em vez de nos maçar com a repetição do já dito.Não custa muito. Samuel tem muito tempo livre,nas horas de trabalho.(Lembra-se quando choramingava que só o podia fazer nas horas(!) do almoço?Ah já sei,está de momento em Vacances)

          Quanto ao seu pedido, lastimo não o poder satisfazer. Quando o disparate e a função ultrapassam um mínimo,terá a minha resposta.Eu sei que preferia não ser contraditado.Sorry

          (mas já agora deixe-se de pedantices próprias de propagandistas neoliberais em fase de actualização moderna com os seus ” “caríssimos” e com os seus “para reflectir”.E não tome os desejos pela realidade a falar em “macacos” que não falam ou não ouvem ou não são lidos ou outros desvairados termos
          A pedantice torna-se ridícula, sabia?

          • De diz:

            (Samuel . Eu agora vou ser mais claro.O capitalismo é isto tudo. Esta trampa imensa que nos sufoca e asfixia. Invocando beatamente o lucro, a ganancia e a competividade.Enquanto concentra em cada vez menos, uma cada vez maior riqueza.
            Eu pensava que dava para perceber logo à primeira.Helas…enganei-me.

          • Samuel B diz:

            De facto, continua a esconder-se nessa sua linguagem de ódio e desprezo. Bem ao estilo dos melhores socialistas do nosso tempo: Estaline e outros tantos (até são poucos dadas as infelizes experiencias que logo o povo soube tirar as devidas lições).

            O resto da sua conversa é o mesmo de sempre: insultos, insinuações, etc. Sinal evidente que perde a razão sempre que alguém lhe atira a verdade e o obriga a justificar o que não tem justificação. A sua crença por algo nunca visto: Uma sociedade socialista justa e não corrupta!!! Sim, porque o que a história nos ensinou foi que em sociedades fechadas e centralizadas o fenomeno da corrupção é bem maior do que em sociedades democráticas (coisa ainda não vista nas sociedades socialista).

            Fique bem meu caro De. desconfio que deve estar a preparar a proxima luta dos seus trabalhadores, que por sinal são cada vez menos (a inscreverem-se na sua turma, lista, etc)

          • De diz:

            Mais uma vez atira para o lado.E convoca até Estaline, o que demonstra,confessemos algum desnorte.Lol

            Não gosta que mostremos que a trampa em que vivemos é o capitalismo a funcionar.Até tem a pequena veleidade de negar que o que se passa com a referida “suspensão” e os disparates que cita à volta, não representam a dita trampa em funções.

            Percebe-se que um neoliberal pretenda mostrar-se “não envolvido” perante a violência que assola os nossos dias.Violência do capitalismo e do Capital.Assim tenta que nos esqueçamos que Passos ou Gaspar são farinha do mesmíssimo saco que Cavaco, Barroso,Dias Loureiro ou Duarte Lima.
            E tenta chutar a bola para o outro lado, numa atitude tão típica dos que já nem ousam defender a sua dama.

            Ah, se somos cada vez menos,por que essa preocupação e desorientação que trespassa nessa sua prosa?
            Lol.E se “ninguém me ouve” como afirma,porque continua apostado em contrariar o que v. próprio escreve e apregoa?
            Enquanto vai em busca de alguma coerência,busque também as respostas aquilo que tão ridiculamente afirma sobre o “obrigar a justificar o que não tem justificação”.
            Para além de tal poder passar por pedantice,revela também uma grande preguiça da sua parte.Já foi aconselhado atrás a fazer tal.
            Não se lembra?

  2. licas diz:

    Queria dizer:

    não só não promove o progresso como também
    elimina aliberdade individual do cidadão: a História de 150 anos
    o prova à saciedade . . .

  3. Kirk diz:

    Foi sempre o calcanhar de Aquiles da Esquerda: construir a alternativa.
    Era bonito ver-se algo concreto e não apenas palavras. Era bonito as forças de Esquerda construirem um projecto comum e não apenas palavras. Porque ninguem acredita, penso eu, que seja possivel a qq força da esquerda isolada construir esse projecto. Claro, ninguém acredita, mas o que nos é dado a ver é a constante esquiva ao diálogo, á unidade na acção. Parece que toda a gente olha para o proprio umbigo e os trabalahadores aparecem como arma de arremesso dos jogos politicos. vejamos o que se passou com aquele manifesto que apareceu recentemente. A maioria das pessoas que o assinam e se revêem nele são pessoas copm quem se devia conversar. Pensam de maneira diferente? Esse é que parece ser o problema. A crónica impossibilidade de pessoas mais ou menos afastadas politicamente, porém localizadas na Esquerda do espectro politico conseguirem uma base de entendimento que permitisse ao povo português algumas vitórias. Para mim falar de Vitória não passa apenas pela construção da tal sociedade socialista. Para mim, falar de vitória pode ser apenas a luta contra a troika, contra a politica de agressão do imperialismo franco-alemão e nada mais; derrotar essa politica mesmo que o capitalismo continue, mais adocicado. Há que ir por fases. Provavelmente congregaremos mais apoios para a a mera luta contra a Troika do que para luta pela sociedade da igualdade de oportunidades. A questão agora é: vamos lutar contra a troika ou pomos como objectivo a luta por uma sociedade oposta ao capitalismo, sem etapas intermedias e correndo o risco de lançar nos braços da direita milhares de pessoas que doutro modo poderiam estar connosco? O facto de os objectivos da esquerda á esquerda do PS ser uma sociedade anticapitalista não pode ser impeditivo de criar alianças com outros grupos sociais, de pequena burguesia ou média burguesia para objectivos mais modestos mas igualmente importantes para quem trabalha, para quem está desempregado mas precisa de soluçoes a relativamente curto prazo, nem que seja arranjar trabalho, arranjar emprego, mesmo na base duma politica economica que não ttransborde para fora dos limites do capitalismo. Porque é muito importante a satisfação de necessidades básicas. E essas necessidades básicas não passam, a curto prazo, pela construção do poder popular. Passam por coisas tão banais como ter emprego, ter trabalho e sobreviver.
    A sociedade da igualdade poderá ter que esperar. Há coisas mais urgentes e tão básicas que deveria ser possivel juntar á mesa toda a gente da esquerda para nos libertarmos da agressao externa.
    K

  4. JgMenos diz:

    «Por que razão é que o Estado não financiou directamente a economia sem passar pela banca?»
    Como se faz tal coisa? Subsídios? Mais umas público privadas? Um novo serviço público de empréstimos? Mais uns avales do Estado? Cria-se um Banco ou manda-se o pessoal dirigir-se à CGD?
    E as regras lá para o lado de Bruxelas e FMI…delirium!

    • De diz:

      A curvatura do espinhaço a acentuar-se feita lama às regras lá para os lados de Bruxelas e FMI.
      “Delirium” diz o factotum.
      As regras dos mercados serão para obedecer e calar.Mesmo que sem sequer o álibi do voto.Mesmo que sem qualquer álibi,para além da acumulação de mais riqueza nas mãos de meia-dúzia de banqueiros.

      Sem o querer,JMenos revela o seu desvelo pelo sistema financeiro.Banca a sério é mesmo a privada.E os lucros são para se manter naquelas sacrossantas instituições.Feitos à custa do erário público pois então
      O capitalismo é assim.A porra é que há alternativas.

  5. licas diz:

    De says:
    16 de Maio de 2012 at 23:52
    Mais disparates a concorrerem com o seu autor.
    Soma aí mais 150 anos de história.
    150 pois então!!!
    _____________

    Dome o que quiser : o somar é livre . . . (até a linguagem rasca)
    Se eu ponho o começo da ideia Socialista por volta de 1850, e se
    a fazem remontar a 1700, também está bem . . .ORA!

    • De diz:

      “licas”
      vou tentar não ser muito agressivo com a sua contabilidade.
      (já o fizeram antes alguns colegas seus… e de uma forma perfeitamente arrasadora…adiante)

      Escreve “licas”:o socialismo um sistema em que ….: a História de 150 anos
      o prova à saciedade . . .”
      Agora tecla o seguinte :”Se eu ponho o começo da ideia Socialista por volta de 1850…”

      Oh “licas” mas não percebeu ainda?
      Mas não percebeu que a dita “Ideia” não tem História para o provar?
      Pelo menos até ao século XX?
      ( ou será que quer também falar no outro Adolfo?)

  6. licas diz:

    eu says:
    17 de Maio de 2012 at 12:15
    Xor licas e, que tal fazer um peditório para o impoluto,inocente,grande mecenas ,altruísta Duarte Lima?
    ____________
    A sugestão é sua_____PROMOVA-A . . .

Os comentários estão fechados.