Porque é que há dois mil palestinianos em greve de fome e não se vê uma notícia sobre isso?

O aniversário da Nakba (catástrofe) com que Israel massacra a Palestina desde 1948 e a greve de fome dos cerca de 2000 palestinianos presos ilegalmente nas prisões israelitas, parece não despertar a atenção da opinião pública nem a ter o devido tratamento jornalístico nos meios de comunicação.

Em greve da fome colectiva desde 17 de abril, alguns deles iniciaram a greve há 2 meses e meio e encontram-se em perigo de vida. São quase metade do total de presos, os que lutam neste momento contra o sistema de “detenção administrativa”, o isolamento e a ocupação da Palestina. (Ler comunicado dos grevistas)

Para combater o obscurantismo e a censura, participa no debate, hoje, às 19h, no acampamento da primavera global – Parque Eduardo VII – com o João Jordão, do Comité de Solidariedade com a Palestina e, no dia 17 de Maio em frente à Embaixada de Israel, participa na manifestação de solidariedade convocada pelo Movimento Pelos Direitos do Povo Palestino.

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

22 respostas a Porque é que há dois mil palestinianos em greve de fome e não se vê uma notícia sobre isso?

  1. licas diz:

    Porquê tanta Palestina e nenhuma Síria?

    • Renato Teixeira diz:

      Pois o licas só deve ler o 5dias, está visto, É que nos meios de comunicação, greve dos palestinianos, nakba ou Palestina, nem uma palavra. Já sobre a Síria…

    • LGF Lizard diz:

      “Porquê tanta Palestina e nenhuma Síria?”

      Porque os judeus estão na “Palestina” (para esta malta Israel não existe) e não estão na Síria….

      • De diz:

        Os judeus estão na Palestina?
        Estão,pois claro que também estão.
        Se bem que aqui não se tratem de judeus.Antes de sionistas. E do estado-pária de Israel.

        A Síria?Ah, esta forma cobarde, tão característica dos cobardes de tentarem cobardemente fugir aos assuntos em debate.

        Há mais exemplos mais abaixo.(Copiam-se quando se reveem ou apenas aprenderam na mesma escola?)

        • LGF Lizard diz:

          Claro que são “sionistas”. Ainda choca apelar à morte dos judeus. Faz lembrar a malta da suástica. E isso fica mal a quem se diz de esquerda.
          Quanto aos sírios, é deixá-los em paz. Eles que se entendam.

          • De diz:

            Suástica?
            Este deve estar a brincar?
            Apelar à morte dos judeus?
            Este está a provocar
            Oh Lizard deve estar equivocado.Quem pega na suástica para continuar o trabalho são infelizmente algumas das vítimas dos verdugos de outrora.
            Não sabia?

            ““El diario israelí Haaretz publicó un artículo del periodista Amir Oren en el que se afirmaba que responsables del Ejército israelí han estado estudiando las tácticas utilizadas por las SS nazis para el aplastamiento de la revuelta judía en el Ghetto de Varsovia en 1943, con el fin de aplicarlas contra las ciudades palestinas de Gaza y Cisjordania. El artículo de Oren está basado en la declaración de un alto responsable militar israelí al que el periodista se cuida de no identificar, para librarle de las previsibles represalias.
            No resulta difícil de ver la razón por la que a Sharon y los máximos responsables políticos y militares israelíes les puede parecer útil el extraer lecciones de la forma en la que los nazis trataron a los judíos para aplicarlas a los palestinos. Tanto los nazis como los sionistas, que mantuvieron por cierto buenas relaciones durante la Segunda Guerra Mundial, se han guiado por una ideología racista basada en un profundo desprecio a los “pueblos inferiores”: los judíos, en el caso de los nazis, y los árabes, en el de los sionistas. Muy reveladoras en este sentido son las declaraciones del ideólogo sionista, Vladimir Jabotinski, cuyo retrato aparece en numerosas ocasiones detrás de Sharon, y que fue el inspirador y mentor de los movimientos terroristas sionistas en Palestina, responsables del asesinato y limpieza étnica llevados a cabo contra la población árabe local.”

            Há mais,muito mais.

  2. Telmo diz:

    Fosse em Cuba ou na Venezuela…ui……..

  3. Maria Celeste Baeta diz:

    Porquê, Porquê?????? porque a maltinha aqui da europa só está interessada na sua barriguinha, caraças!!! Vocês também andam para aqui a chatear acerca de austeridade, crescimento troikas, autoritarismo, direita, esquerda, combate de blogues (és tu o maior ou sou eu????), tanto narcisismo dá dó, etc., e tal, mas estão-se maribando para debater seriamente as questões fundamentais. Como ligar todas as lutas contra o sistema capitalista nesta fase de hegemonia global. Não é com certeza com meia dúzia de manifestantes a chamar nomes ao Passos quando com ar patético faz de conta que é literato.
    Estou cansada de assistir a tanta tiro ao lado!!!!
    A luta do Povo Palestiniano deveria ser há muito uma prioridade, porque é lá que se desenrola uma parte importante do destino daquela região, bem como, se calhar, do destino da euroásia.

  4. João Torgal diz:

    Não é bem verdade, Renato.

    Aqui está uma reportagem sobre a greve de fome na Palestina, que li no outro dia no “Público”:

    http://www.publico.pt/Mundo/metade-dos-prisioneiros-palestinianos-de-israel-esta-em-greve-de-fome-1544682

    Mas concordo contigo no facto de ser uma matéria pouco noticiada. Já para não falar do previsível silêncio da comunidade internacional

  5. licas diz:

    Uma guerra civil não tem comparação em baixas com
    reivindicações de prisioneiros. Cda caso tem a gravidade que merece:
    mortes ou ão acesso a cursos universitários para os detidos.
    Mas como à Rússia Putínica e à China Comunista decidiram apoiar
    o Bashar al-Assad (Guerra Tépida) , silêncio absoluto . . .

    • De diz:

      “licas”
      Uma guerra civil?
      Ah
      E você ,entretido entre o ciberdúvidas e o roupão, quer esconder uma guerra de ocupação?
      Mais uma vez não passa.Os cúmplices do estado-pária de Israel devem ser denunciados pelo que são.Como cúmplices.
      Sorry “licas”

  6. licas diz:

    A conta *já vai* nos 10 000 mortos . . .
    A esquerda radical é a “desproporção” feita praxis . . .

  7. Pai dos povos diz:

    “Porque é que há dois mil palestinianos em greve de fome e não se vê uma notícia sobre isso?”

    Talvez pela mesma razão porque não se vê uma única notícia acerca das centenas de milhar de prisioneiros do gulag norte-coreano. Nem na imprensa “burguesa”, nem no 5 Dias…

    • De diz:

      PP.
      Errado.

      Percebe-se que perante a Palestina saltem.
      Serve tudo.Até o gulag.(onde é que já ouvi isto?)
      A imprensa burguesa mandou um representante em forma de PP? Ou mais correctamente, o burguês tenta completar o trabalho em prol de?

      Falar da Palestina.E dos crimes do estado-pária de Israel.
      Aqui e agora

      Sorry PP

      • LGF Lizard diz:

        Por muito que custe ao De e demais apoiantes dos islamofascistas, Israel irá continuar a existir. E a ser uma democracia para todos os seus habitantes.
        Os palestinianos viverão sob o Hamas (fervorosamente apoiado pelos tolinhos ocidentais) e os palestinianos continuarão a viver á espera do seu Estado. Que só o terão quando tiverem uma liderança que faça o impensável – reconheça Israel e faça um acordo de paz definitivo e duradouro.
        Enquanto pensarem em destruir Israel e matar judeus…. não vão lá, por mais que essa ideia agrade à extrema-direita e extrema-esquerda europeia.

        • De diz:

          Lizard:
          Que ande aos caídos atrás do PP da sua estima isso é um problema seu.
          Mas que ande a acusar outrém de “apoiantes de “islamofascistas” isso já me parece que carece de uma resposta à altura.
          Eu falo no conluio entre alguns nazis e alguns sionistas.Falo no estado-pária de Israel.
          Acuso-o de ser sionista e andar a arrastar-se tentando identificar os que combatem os crimes do estado-pária como sendo anti-semitas ou anti-judeus.Ou a tentar colocar nos outros as palavras que mais lhe convém,nessa atitude de vitimização dos bandoleiros de serviço.Um asco

          Ainda não o identifiquei como nazi,que era o que merecia com a sua baba esconsa.
          Vamos ao que interessa:

          “A origem do sionismo, a origem do Estado de Israel. O sionismo tem sido apresentado como o legado moral do holocausto, das vítimas do holocausto. O movimento sionista tem como que se “alimentado” da mortandade coletiva dos 6 milhões de vítimas da exterminação nazista na Europa. Esta é uma terrível e selvagem ironia. A verdade é bem o oposto disso. A liderança sionista colaborou com os piores perseguidores dos judeus durante o século XIX e o século XX, incluindo os nazistas.
          Quando alguém tenta explicar isso para as pessoas, elas geralmente ficam chocadas, e perguntam: o que poderia motivar tal colaboração? Os judeus foram perseguidos e oprimidos por séculos na Europa e, como todo povo oprimido, foram empurrados, impelidos a desafiar o establishment, o statu quo. Os judeus eram críticos, eram dissidentes. Eles foram impelidos a questionar a ordem que os perseguia. Então, o melhor das mentes da inteligência judia foi impelido para movimentos que lutavam por mudanças sociais, ameaçando os governos estabelecidos. Os sionistas exploraram esse fato a ponto de dizer para vários governos reacionários que o movimento sionista iria ajudá-los a remover esses judeus de seus países. O movimento sionista fez o mesmo apelo ao Kaiser na Alemanha, obtendo dele dinheiro e armas. Eles se reivindicavam como a melhor garantia dos interesses imperialistas no Oriente Médio, inclusive para os fascistas e os nazistas.
          Como se deu essa colaboração dos sionistas com os nazistas? Em 1941, o partido político de Itzhak Shamir (conhecido hoje como Likud) concluiu um pacto militar com o 3º Reich alemão. O acordo consistia em lutar ao lado dos nazistas e fundar um Estado autoritário colonial, sob a direção do 3º Reich. Outro aspecto da colaboração entre os sionistas e governos e Estados perseguidores dos judeus é o fato de o movimento sionista ter lutado ativamente para mudar as leis de imigração nos EUA, na Inglaterra e em outros países, tornando mais difícil a emigração de judeus perseguidos na Europa para esses países. Os sionistas sabiam que, podendo, os judeus perseguidos na Europa tentariam emigrar para os EUA, para a Grã- Bretanha, para o Canadá. Eles não eram sionistas, não tinham interesse em emigrar para uma terra remota como a Palestina. Em 1944, o movimento sionista refez um novo acordo com Adolf Eichmann. David Ben Gurion, do movimento sionista, mandou um enviado, de nome Rudolph Kastner, para se encontrar com Eichmann na Hungria e concluir um acordo pelo qual os sionistas concordaram em manter silêncio sobre os planos de exterminação de 800 mil judeus húngaros e mesmo evitar resistências, em troca de ter 600 líderes sionistas libertados do controle nazista e enviados para a Palestina. Portanto, o mito de que o sionismo e o Estado de Israel são o legado moral do holocausto tem um particular aspecto irônico, porque o que o movimento sionista fez quando os judeus na Europa tinham a sua existência ameaçada foi fazer acordos, e colaborar com os nazis”

          Quem o diz,sem papas na língua é Ralph Schoenman.
          Há mais,muito mais

  8. Augusto diz:

    È tão mau o apoio ao islamofascistas, como o apoio aos nazis-sionistas.

    É vê-los em França de braço dado com a Le Pen, em Inglaterra com os neo-nazis, na Holanda defensores acérrimos do Wilders, onde houver um movimento neo-fascista ou neo -nazi na Europa, aparece logo algum movimento apoiante dos Sionistas de Israel , a dar-lhe o seu apoio.

    • An Lage diz:

      Nazi és tu, desavergonhado! Como pensas conseguir alguma coisa alienando toda a população israelita e tratando-a de nazi-sionista? Os palestinianos são gordos, não são raquíticos, e não são arrebanhados em campos mortos aos milhares por dia. Os aliados e herdeiros do nazismo são o hamas que têm pedaços dos protocolos dos sábios de sião na sua carta. O hamas reprime qualquer dissidência na zona controlada por eles e faz um verdadeiro apartheid de género admitindo os crimes por “honra” contra as mulheres.

      • De diz:

        Este é apenas um sionista a tentar fazer o que mais sabe.Outros há por aí e por aqui,convocados quando sentem uma necessidade interior de entrarem em acção ou simplesmente quando chamados e pagos pelos comités do lobbie sionista
        A História e os factos sobrepor-se-ão às tentativas de manipulação dos factos e reescritas da realidade.Pouco a pouco cai o manto sangrento que tenta ocultar os crimes odientos cometidos por.
        Entretanto continuam a tentar confundir as coisas.A luta não é contra os israelitas ou contra os judeus.A luta é contra quem oprime,ocupa,mata,viola,esmaga.Como o(s)governo(s)israelitas.

        • LGF Lizard diz:

          Curiosamente, enquanto este idiota útil afirma que “a luta não é contra os israelitas ou os judeus”, o Hamas, governo legítimo da “Palestina”, diz exactamente que a luta é mesmo contra israelitas e judeus.
          Deve ser preciso ter-se um estômago de ferro para ser-se de extrema-esquerda e apoiar uns tipos que, se pudessem, enforcariam todos os apoiantes da extrema-esquerda na árvore mais próxima……

          • De diz:

            Lizard.Já uma vez o avisei para ter mais tento na língua.
            Portanto meta o termo idiota onde quiser.Aí consigo ou em algum dirigente sionista que preze.
            Valeu?

            E leia o que se escreve em vez dizer asneiras.A demagogia aparentemente balofa só o não é porque esconde objectivos mais sinistros.
            Eu volto a repetir para que não tente deturpar o que se escreveu:
            “A luta é contra quem oprime, ocupa, mata, viola, esmaga.Como o(s)governo(s)israelitas.
            A minha e a de muitos mais.
            Mesmo um como vossemecê deve agora perceber.

Os comentários estão fechados.