Para que serve o Rui Tavares grego?

Venizelos (Pasok) e Kouvelis (Esquerda Democrática) ultimam governo austeritário.

Ou como explicar, numa imagem, a razão da esquerda democrática ser um problema maior para a esquerda do que qualquer declinação de direita.

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

19 respostas a Para que serve o Rui Tavares grego?

  1. José Freitas diz:

    A Grécia parece que entrou numa guerra e que a perdeu.
    As leis da moeda euro e do ilegitimamente chamado «Banco Central Europeu» foram feitas por capatazes das altas burguesias financeiras. São leis ideológicas ao serviço das altas burguesias financeiras. Escândalo dos escândalos o «BCE» empresta dinheiro a 1% às altas burguesias financeiras pra estas emprestarem aos Estados a 5, 6 ou 7%. O «BCE» emprestou dinheiro às altas burguesias financeiras a 1% para essas mesmas altas burguesias financeiras emprestarem esse mesmo dinheiro ao Estado da Itália a 7%!!!
    O ilegitimamnente chamado «BCE» está proibido de emprestar dinheiro directamente aos Estados, normalmente. Só empresta e a 5% de juros aos Estados, com dificuldades financeiras, que se submetem a uma agenda idelógica de Direita. E às altas burguesias financeiras empresta a 1% de juros. Se querem ler mais vão ao blog ANTI-COLONIAL 21
    htttp//:anticolonial21.blogspot.com

  2. Rinka diz:

    Esquerda Democrática? Toda a Esquerda não é ela Democrática?

    • Renato Teixeira diz:

      Está visto que não. Como em quase tudo, quem se baptiza com uma dada caracterização, no caso, “democrática”, é porque não costumem ter actos que o atentem por si.

  3. um gajo qualquer diz:

    o pá! que és isto ãnh?

    ENTÃO AINDA HÁ 2 DIAS O KKE ERA UM PARTIDO ESTALINISTA E SECTÁRIO POR NÃO QUERER FORMAR GOVERNO COM GENTE QUE ELES CONSIDERAM REFORMISTAS & OPORTUNISTAS… E AGORA FICAMOS A SABER QUE ERAM MESMO!!!!!

    Como é que fica agora a minha visão unívoca do mundo..?

  4. http://www.businessweek.com/ap/2012-05/D9UMG8100.htm

    Kouvelis insisted he could not participate in a government with just the conservatives and socialists. “We have made our position clear. In a government with (only) New Democracy and PASOK, we will not take part,” Kouvelis said.

    Kouvelis told his deputies in a speech Friday. “And without Syriza, a government cannot be formed that is in harmony with the popular will, representing the strength of each political party.”

    Lê as notícias, Renato, não vejas só as fotos.

      • Renato Teixeira diz:

        De resto acho notável a clarificação. Estão dispostos a governar com a troika, desde que outros capitulem a seu lado.

        Que delícia de esquerda. Viva o foxtrot!

        • Kirk diz:

          Renato, você é um individuo “cool” mas os resulados das eleiçoes gregas deixaram-no todo baralhado.
          É que dá para ver que a resposta dada a Tavares é um verdadeiro remate pela linha de fundo. Nota-se á ganancia que o seu sarcasmo é apenas para disfarçar o tiro que você deu no pé com este post.
          Como diz Tavares, há que ler tudo e não apenas o que nos interessa e depois vir aqui postar para que os restantes camaradas baralhados exultem.
          Só mais uma coisa, quanto quer apostar que você está mais preocupado com a esquerda grega que os gregos? Há que aceitar com desportivismo que o Syriza levou a palma aos outros partidos da esquerda e aceitar que agora há muitos mais motivos de exultação (as eleiçoes gregas podem nao representar uma vitoria para a esquerda, dou isso de barato, mas nunca em dias de sua vida o Renato tinha estado tão perto duma sociedade mais igualitária que no dia das eleiçoes gregas) do que de divisão. Urge que os camaradas se afastem da tese defendida pela direita de que um governo com o Syriza seria uma catástrofe e expermentarem alegrarem-se com o tremendo cagaço que estas eleiçoes pregaram aos liberais europeus. Lembrem-se camaradas, que a revolução também vive de acontecimentos destes e não precisamos de ficar com cara de pau quando alguém do nosso lado da barricada ganha.
          K

          • antónimo diz:

            Mas Kirk,

            Acha mesmo que o Renato Teixeira não tem razão quanto à Esquerda Democrática? Um partido que admite governar com o PASOK e a Nova Democracia e quer arrastar o Syriza com ele para a capitulação perante a guerra travada com o Eixo Berlim-Finanças?

          • Leo diz:

            “Um partido que admite governar com o PASOK e a Nova Democracia” ????

            Exactamente como o Syriza admitiu. Até reuniu duas vezes com os líderes do PASOK e Nova Democrcia. E de uma das vezes a convite do líder do Syriza.

          • antónimo diz:

            Sim, Leo, Daqui a nada está a dizer que quando o PS convidou a CDU e o BE para se reunirem com ele na sequência das eleições em que perdeu a maioria absoluta estava mesmo a pensar em governar com eles.

            Reunir com a ND e o Pasok com um programa mínimo anti-tróica, por muito que lhe custe, e por mais que eu admita que a coisa tem algo de hipócrita, não convence ninguém que o Syriza queria abrir mão desse programa reformista, mínimo, mas ainda assim de corte e ruptura. Já o partido que Tavares defende mostrou vontade de governar segundo o programa pró-tróica.

            Não misture águas em nome de uma auto-proclamada pureza que tem tanto de fragilidade dialética como de insuportável vaidade e presunção de superioridade pessoal.

        • Em bom português escreveste que a esquerda democrática é “um problema maior para a esquerda do que qualquer declinação de direita”. Incluindo os neonazis? É só para perceber a tua lógica.

          Já agora, em português: O líder da Esquerda Democrática defendeu que um governo de unidade nacional não pode ser formado sem o Syriza. “Não podemos formar governo sem o Syriza. Deixem-me ser claro, não farei parte de um governo Pasok-Nova Democracia”, disse Fotis Kouvelis.

          http://www.jornaldenegocios.pt/home.php?template=SHOWNEWS_V2&id=556297

          • Renato Teixeira diz:

            Rui, a lama é escorregadia. Fica claro que, tal como o rui defendeu no seu texto, faria parte de um governo em que a troika estivesse acompanhada com ele e o Syriza, a tal fábula que nos fala da salvação nacional, agarrados ao bote e aos marinheiros da catástrofe.

            Não vê que não há mesmo mais nada para ser percebido?

            (os nazis sãos um verbo de uma nota só. Entre outras coisas, não declinam).

  5. Pisca diz:

    Calma gente que o Guedes tem 3 maquinas ligadas com os google abertos a procurar links por tudo o que é lado, daqui a pouco aparece a explicar

  6. Leo diz:

    Afinal o KKE tem toda a razão. Isto só lá vai com novas eleições. Mas fora o KKE todos os outros estão com muito medo por isso o KKE permanece sozinho a pedir novas eleições.

    • Kirk diz:

      Leo, você lê os jornais? Onde foi buscar essa ideia de que todos estão com medo das eleiçoes menos o KKE? Bem, também pudera, o KKE depois de ter APENAS 7% dos votos estar com medo de novo plebiscito….
      Os unicos a ter medo de novo acto eleitoral serão a ND, o PASOK, o FMI, a UE, o BCE, e a canalha liberal alemã e seus peões de brega. O resto da maralha nem por isso. Aliás, a crer numa sondagem saida nos jornais, o Syriza arrisca-se a ganhar se houver eleiçoes.
      K

  7. Kirk diz:

    Meus
    Um excerto de uma noticia do Publico (edição on-line) a mostrar como certos julgamentos antecipados de algumas pessoas se revelam precipitados:

    “”Horas antes de ser confirmado o novo falhanço, Alexis Tsipras – que viu o Syriza ser o segundo partido mais votado e a grande surpresa do escrutínio – reiterou que não aceitaria formar governo com partidos que defendam as medidas de rigor orçamental impostas em troca da ajuda externa, como é o caso da Nova Democracia e do PASOK.

    “Não é o Syriza que renuncia, é o veredicto do povo”, disse Tsipras aos jornalistas. O líder da esquerda radical criticou também o pequeno partido Esquerda Democrática, que nesta quinta-feira pôs a hipótese de vir a integrar um novo Executivo, por ter alinhado com Venizelos. “Agora temos uma linha comum de três partidos que pedem a aplicação do memorando” da troika, disse.””

    Ficamos á espera da analise dos confrades que acham que o Syriza não tem principios
    K

  8. Leo diz:

    “Não é o Syriza que renuncia, é o veredicto do povo”.

    Extraordinário! Então porquê a fantochada dos encontros de Tsipras com os líderes da ND e do PASOK?

Os comentários estão fechados.