Estamos a viver um momento Histórico!!! A luta contra a ditadura da dívida entra numa fase decisiva!!!

Ontem fiz uma síntese de várias notícias acerca do momento único e histórico em que estamos a viver. O pior cego é aquele que não quer ver, e como foi dito à dois mil anos “muitos dos últimos serão dos primeiros e dos primeiros serão os últimos”, assim foi, assim é e assim sempre será. E neste momento em que os campos se estão a definir e a luta se está a agudizar,  é para mim claro qual  o meu lado da barricada, e este não é certamente. A luta será longa e árdua, em certos momentos é como uma longa caminhada, noutros é como  subir uma colina, noutros é uma corrida de 100 metros. Estamos a curto prazo, numa corrida de 100 metros.

Mesmo os grupos de extrema-esquerda mais sectários, ou os reformistas democratas mais à direita, aquando do golpe de estado reaccionário que tentou derrubar o governo de Hugo Chavez em 2002, perceberam que nesse momento só havia um lado da barricada onde estar. Na luta contra os golpistas e oligarcas, só se poderia estar ao lado do povo nas ruas, e sim, pela reposição de Chavez. Agora na Grécia vamos assistir a um imenso plebiscito à Troika e a escolha é muito simples e só quem é cego não entende, ou se vota contra a Troika ou se deixa vencer a Troika…. Depois disso muita luta, muito protesto, etc… vai acontecer, como de resto também referi logo. Isto não significa ter de aderir ipsis verbis ao programa da Syriza. Tal como com Chavez, Morales ou Allende (entre outros) há que manter uma autonomia e independência crítica. Mas em momentos chave, E ESTE É UM MOMENTO CHAVE. Não pode haver hesitações, depois de dia 10 ou 17 a luta continua e será longa e dura, mas até lá existe uma janela de oportunidade HISTÓRICA. Não aproveitá-la é dar de mãos dadas o ouro aos bandidos. Neste momento a tarefa absolutamente determinante é dar a vitória nas próximas eleições Gregas à coligação anti Troika que se está a formar, como alguém disse nos comentários, de forma engenhosa. Parabéns ao Camarada Tsipras e à Syriza por estarem a aproveitar os três dias de “palco” que têm de forma tão profícua. De Berlim a Washington, passando por Londres, o Capital está a apanhar o maior susto dos últimos anos! E é preciso ser muito cego, estar muito embrenhado nos seus preconceitos e ter uma visão anti-dialética da história para não se entender o que se está a passar.

Como referi aqui na breve análise aos resultados de domingo, ainda antes de se saber a magnitude da derrota troikista, as eleições na Grécia não são um evento isolado. A 31 de Maio há REFERENDO SOBRE A AUSTERIDADE NA IRLANDA, a Irlanda que já disse não pode muito bem voltar a fazer o mesmo. Houve eleições na França, e mais uma vez é preciso ter uma visão anti-dialéctica e muito básica da história para não se entender os impactos que a vitória de Hollande tem na relação de forças e no contexto político, um impacto que obviamente vai muito além de qualquer proposta, ou até da intenção do próprio Hollande, não é por acaso que os fariseus espumam. Os resultados quer na Grécia quer na França já estão a influenciar o voto na Irlanda!

The Irish electorate goes to the polls on 31 May to either ratify or reject the EU fiscal treaty which President Hollande says he wants to amend with a growth-stimulus package.

Proponents of a No vote particularly Sinn Fein have claimed that the Socialist Party victory in France and now the stunning gains of the Greek far left will allow Ireland plenty of room to renegotiate the austerity measures contained in the lastest EU treaty to be put to a referendum.

E camaradas, este voto dia 31 é antes das próximas eleições na Grécia!!! Se o Não ganha, novamente, na Irlanda a coligação anti-troika na Grécia fica com as costas muitíssimo mais quentes! Apesar de sabermos quem é Hollande, ele também vai ter eleições em Junho-Julho e vai até lá ter de dar uma de mais ou menos de Esquerda e “solidariedade Europeia”.  Este é um momento absolutamente decisivo para o movimento popular, em toda a Europa, efectuar um importante contra-ataque depois de (apesar das muitas manifes, etc…) as populações estarem a ser pura e simplesmente esmagadas durante os últimos anos, esta é uma janela de oportunidade para EFECTIVAMENTE se revogarem medidas tomadas e EFECTIVAMENTE construir alternativas COM PODER (e não me refiro apenas a “poder de estado”, mas a poder como capacidade de introduzir mudanças na vida dos povos e não apenas dar-lhes “alento” ou “válvulas de escape” para o descontentamento, que é o que se tem passado últimamente).

Algumas análises e notícias recentes:

European elections: if the left doesn’t lead revolt against austerity, others will e sim Renato, a Esquerda se não se “puser fina” e se deixar de tretas está a abrir caminho à extrema direita, mas há alguma dúvida?

E se houver novas eleições? Sim, nisto está coberto de razão (e nisto também).

Governo alemão adiou votação do Tratado Orçamental no Parlamento, pois é o IV Reich tá a fazer voz grossa, mas sabe que tem muito a perder se a Grécia sair do Euro ou se pura e simplesmente desprezar o que a França tem a dizer. Aliás, os inspectores da Troika que iam à Grécia no final de Junho já adiaram a visita, e a tranche do empréstimo à Grécia de 5 biliões a pagar brevemente serão entregues, com ameaças pelo meio (para a Grécia pagar os juros dos outros empréstimos, pura usura). Aliás na Espanha a coisa está se a agravar, se o barco abana muito isto vai pelos ares. Tendo de estar preparado para tudo (incluindo a saída do Euro), a Syriza tem, de facto, alguma margem de manobra para o seu programa. (no meio disto tudo o PS português e o Coelho-Gaspar foram os primeiros a aprovar um tratado, que mais do que provavelmente irá ser alterado ou revogado, seria patético se não fosse trágico)

Greece at the global forefront

Sem dúvida é a Grécia que nos próximos meses estará na vanguarda da luta pela Democracia, Justiça e Dignidade. Na Grécia o próximo mês e o resultado das próximas eleições será absolutamente decisivo e existe uma janela de oportunidade HISTÓRICA que será do foro criminal não aproveitar.

Sabendo que estamos a travar uma luta que será longa, dura e em que será a pressão e a força da rua o elemento, em última análise, decisivo, não podemos desprezar o impacto que uma vitória eleitoral da Frente Anti-Troika terá na Grécia, na Europa e no Mundo. 

Havendo essa hipótese real, não contribuir para a vitória da Frente Anti-Troika é, no mínimo, de uma cegueira total.  É um favor que o Capital e o IV Reich agradecem. É contribuir para que futuras alternativas ao regime (o que será inevitável) venham a ser lideradas pela extrema-direita.

Não me parece que face ao que se está a passar na Grécia a postura mais correcta é do tipo  MRPP durante o PREC, mas enfim… Os cães ladram, a caravana passa. Aqueles que nesta luta titânica escolherem estar à margem, marginalizados ficarão… é tão simples quanto isso.

Volto a dizer, APRENDE A NADAR COMPANHEIRO, estamos a viver novos tempos, novas realidades, Renato, vais ter ainda maiores surpresas e eu também, estamos numa fase qualitativamente diferente as dúvidas e certezas de hoje já são diferentes das de ontem, é fundamental, crucial o nosso esquema mental estar preparado, muita coisa vai mudar, muitas voltas o mundo vai dar. Vivemos momentos Épicos, com toda a Grandeza, Glória e Tragédia associada. Estamos em muitos sentidos mais próximos dos anos 30 do que dos anos 90.

Este é um momento em que mais do que nunca o Povo Grego necessita a nossa solidariedade, é um momento em que necessita de saber que se rechaçar o memorando e a troika terá o apoio do resto dos povos europeus. Esse apoio e solidariedade começa por por de lado bizantinices e neste decisivo momento apoiar aqueles que na Grécia podem efectivamente derrotar a Troika. Se a Troika for derrotada, muita luta haverá, fiquem descansados… Se o regime ganhar, a sua legitimidade sai reforçada, as lutas em curso vão perder força e a repressão sobre elas irá aumentar. Será também uma enorme derrota para quem defende a democracia e quem pretende apresentar alternativas em todo o continente.

PELO TRIUNFO DA FRENTE ANTI-MEMORANDO E ANTI-TROIKA NAS PRÓXIMAS ELEIÇÕES! POR UMA POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO E EMPREGO NA GRÉCIA E NA EUROPA!

PELA DERROTA DOS VELHOS PARTIDOS CORRUPTOS E DEFENSORES DA OLIGARQUIA! QUEM PROVOCOU A CRISE NÃO IRÁ SOLUCIONAR A CRISE!

PELA DEFESA DA INDEPENDÊNCIA DA GRÉCIA FACE AOS DICTATES DE BERLIM! PELA SOLIDARIEDADE ENTRE TODOS OS POVOS DA EUROPA!

PELA DEFESA DA DEMOCRACIA AMEAÇADA NO PRÓPRIO BERÇO!

Este artigo foi publicado em cinco dias and tagged , , , . Bookmark the permalink.

38 Responses to Estamos a viver um momento Histórico!!! A luta contra a ditadura da dívida entra numa fase decisiva!!!

  1. Pingback: 5 DIAS QUE ABALARAM A EUROPA! Certezas e Questões em aberto. | cinco dias

  2. Pingback: Grécia, Eleições em Junho! Civilização ou Barbárie. | cinco dias

Os comentários estão fechados.