Caixas de Pandora com 50% de desconto

Soares dos Santos talvez se veja como um novo Poujade, campeão não dos pequenos, mas dos grandes merceeiros, mas ontem, na sua superpromoção (e provocação ao 1.º de Maio), é capaz de ter vendido distraidamente algumas caixas de Pandora.

Felizmente para ele e para os seus pares, o Estado continua a ser, como escreveram uns tipos no século XIX, o «comité central da burguesia» e os alarmes ainda devem estar a soar em São Bento, na Buenos Aires, no Caldas, no Rato. O sr Soares dos Santos será ‘chamado à razão’, a bem da nação. É que se os poderosos temem acima de tudo as mobilizações que, vindas da esquerda, são portadoras de uma alternativa de sociedade, temem também as jacqueries urbanas como a que se viu no ano passado em Inglaterra. Os novos ‘senhores dos castelos’ têm medo de ver os seus castelos em chamas, haja ou não bandeiras vermelhas no campo dos assaltantes.

Ou muito me engano, ou ainda havemos de ver muitos soares dos santos com saudades dos ‘equilíbrios’ dos tempos da guerra fria.

A esquerda tem outras tarefas: construir a alternativa à barbárie em que nos vão afundando.

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

14 respostas a Caixas de Pandora com 50% de desconto

  1. Paulo68 diz:

    Esta manhã, já outro “palhaço” da comunicação social, chamado Villaverde Cabral, veío dizer que tinha achado a ideia “genial” (até rima).
    Parabéns, pela gravura fixada no “post”.

    • manuel figueiredo diz:

      Se eu fosse sociólogo, envergonhava-me de ter um colega desta estirpe. É que ele é mesmo um palhaço! Há algumas semanas, num “PRÓS & CONTRAS”, só disse alarvidades que espantaram até os seus parceiros. Há cerca de dois anos, no pico da crise industrial do Vale do Ave, com o fecho continuado das empresas fabris, afirmou em entrevista que não acreditava nos dramas sociais relatados (e graves que eram!).
      Para bem da sociedade, não se escute mais o dito sociólogo!
      Gostaria de lhe dedicar, a ele, sociólogo, o texto “Crimes da Austeridade”, que escrevi em http://www.sextante-poveiro.blogspot.com . Se calhar não vai gostar…

  2. JgMenos diz:

    Um comentário inteligente!
    O que levou o Soares dos Santos a fazer tais saldos não sei.
    Mas se foi a resposta a certa ‘esquerda’ o ter vilipêndiado na questão de pôr a holding na Holanda, foi uma resposta à altura!
    A mediatização que visavam obter das manifestações do 1º de maio foi-lhes retirada por uma dávida de quem falsamento foi acusado de querer prejudicar o país!

  3. Caxineiro diz:

    Vai-te foder mais “a resposta à altura”
    Sabendo, como sabemos, que se pode degradar o ser humano até ao ponto de o por a lutar, numa luta de morte, por um simples pão, sabemos tambem que toda a acção que vá nesse sentido é condenável, e ponto
    Esse gajo do Pingo Doce não passa de um reles; de um miserável que não terá escrupulos nenhuns, em futuro agravamento da crise, de fazer uma “promoção” para 10 ou 20 empregos, pondo milhares de pessoas mendigando e atropelando-se umas às outras à sua porta. A lógica é a mesma
    O fascistoide está a pedir uma resposta à altura. Olá se está!

    • JgMenos diz:

      Põe-te manso Caxineiro!
      Já se sabe que a raiva aos ricos te impede qualquer aproximação ao racional!

      • Caxineiro diz:

        Manso será quem fez a latrina que trazes sobre os ombros, que só te permite ver inveja onde há indignação
        E se não vês na “fuga” aos impostos prejuízo para o país, compra um cérebro novo e depois junta-te às pessoas

        • JgMenos diz:

          Eu não falei em inveja…mas é muito bem lembrado! Confere com o género!

          • Caxineiro diz:

            A tua memória não é lá grande coisa, é como a tua honestidade.
            Mas há um ponto onde podemos estar de acordo: puseste-te mesmo a jeito!

        • Zuruspa diz:

          Pronto, e passaram às ofensas…

          … que culpa têm as latrinas da imbecilidade do JgMenos? >:D

  4. A.Silva diz:

    Bom post!

  5. Marco diz:

    Isto vai acabar mal, lá isso vai.

    Agora resta esperar para ver se para “eles”, se para “nós”.

  6. licas diz:

    manuel figueiredo says:
    2 de Maio de 2012 at 14:51
    Se eu fosse sociólogo, envergonhava-me de ter um colega desta estirpe.
    ________________
    If I was a rich man . . .
    Violinos no Telhado. Felizmente o escriba acima não é sociólogo (afirma),
    felizmente as suas opiniões são . . . suas.
    Felizmente o Villaverde Cabral deve-se estar *marimbando*
    para o piolho-escriturário . . . digo eu, sem saber ao certo:
    PRESUMO.

    • António Paço diz:

      Licas aprovei-lhe este comentário, mas mandei o outro para o lixo. Como diz o Prof. Cavaco, que você deve apreciar, a má moeda expulsa a boa moeda. Se quer os seus comentários aprovados, não baixe demasiado o nível, que não queremos cá «má moeda». E já agora, antes de escarnecer dos «escriturários», dê uma olhada aos seus manuais de Inglês: é If I were a Rich man, não If I was…

  7. Pingback: Nunca ninguém matou a fome com moral mas há quem se encha de moral à conta da fome dos outros. | cinco dias

Os comentários estão fechados.