Ser doce pode tornar-se privilégio dos ricos

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

6 respostas a Ser doce pode tornar-se privilégio dos ricos

  1. Carlos Vidal diz:

    Bom post.
    Eu ía perguntar (mas já não volto a este assunto, bem arrumado que está) se isto hoje foi ideia daquele génio da sociologia portuguesa de nome António Barreto.

  2. Caxineiro diz:

    Desculpe-me, e deixe que resuma desta forma tudo o que me vai na alma

    PUTA QUE PARIU O BICHO!!

  3. Bolota diz:

    Raquel,

    Enquanto cidadão, eleitor e consumidor estou ENVERGUNHADO. Nunca pensei que o meu semelhante fosse capaz de chegar a este ponto de humilhação e estou ciente que a partor daqui vale tudo, até tirar olhos.

    ENVERGUNLHADO é o sentimento que me invade

  4. leão da abissínia diz:

    Se as massas são zombies então não é possível uma revolução de massas. Sendo elas “naturalmente” alienadas, então só as elites serão iluminadas. Talvez regressar à fonte teórica para perceber melhor o que se passa?

  5. António Paço diz:

    Uma casualty inesperada da iniciativa do supermerceeiro Soares dos Santos talvez seja a de António Barreto, se se sentir suficientemente incomodado para resignar ao lugar confortável que ocupa na fundação financiada pelo supermerceeiro.

    • Carlos Vidal diz:

      António Barreto defendeu a supressão do estado social em tempos de crise económica.
      Não creio que não esteja nem estivesse ao corrente de tudo. E, depois, é como sempre: o indivíduo vai dizer que a sua “função” é cultural e não comercial.
      Não vai mexer uma palha.

Os comentários estão fechados.