Compilação das lutas de 2012

Greve Geral de 22 de Março

Postei compilação das lutas de trabalhadores em Portugal, entre Janeiro e o 1º de Maio de 2012, na Jangada de Pedra.  Neste período relativamente curto decorreram acções nacionais significativas, com destaque para a grande manifestação nacional de 11 de Fevereiro e a Greve Geral de 22 de Março. Amanhã será mais uma grande jornada de luta.

(Ajudem-me a colmatar naturais lacunas na compilação.)

Sobre André Levy

Sou bolseiro de pós-doutoramento em Biologia Evolutiva na Unidade de Investigação em Eco-Etologia do Instituto Superior de Psicologia Aplicada, em Lisboa
Este artigo foi publicado em André Levy, luta dos trabalhadores. Bookmark o permalink.

4 Respostas a Compilação das lutas de 2012

  1. JgMenos diz:

    A LUTA!
    Sempre me confunde que gente dotada de vasta cultura, intelectos de bom nível, e que se dizem ágeis praticantes da dialéctica, meçam os êxitos pelo número e dimensão das arregimentação de gentes, sem qualquer análise de:
    – se há algum crescendo de número participante
    – se são novas adesões ou se são mais com os mesmos
    – e em particular o que há de ganhos substantivos em resultado dessas lutas
    Sobra a suspeita de que há burocratas a organizar tais lutas, sem outro objecto crítico que não justificarem a sua existência!

  2. De diz:

    A luta e JMenos.Compreende-se
    Menos tem a visão do outro lado.Morde o que pode.E o que não pode.
    E a sua “fala” vai,como não podia deixar de ser, até aos burocratas …aos que lhe convém,claro,já que o seu mister é este.
    Aparentado com a camarilha neoliberal tenta tapar os buracos que a camarilha deixa passar no tecido social.Apavora-o uma coisa simples.É que se reconheça a Besta por detrás da trupe dos tipos de Chicago.E que a revolta atinja em cheio os capos que conduzem o país em nome dos grandes interesses económicos.Neoliberais pois então.
    Mas há algo mais.JMenos tenta capitalizar a seu favor(dos que defende,claro) o aparente refluxo das lutas dos trabalhadores.Tão só para as por em causa.JMenos é a face dos media servis e de classe, que sistematicamente ocultam tudo o que diga respeito à luta dos trabalhadores.JMenos é assim a face invisível dum josé manuel fernandes com tiques de balsemão,dourado de miguel sousa tavares.Servindo os mesmos e à mesma mesa se baqueteando.
    No fundo está preocupado.Já não se trata de defender a corte corrupta porque o não pode.Seria perfeitamente ineficaz.Mas tão só manter o mundo do trabalho “quieto”.À medida dos desejos do Capital.
    Por isso atarefa-se por aqui

  3. Caro JgMenos
    é preciso algum engenho para criticar o que pretende ser meramente uma listagem (incompleta) das lutas dos trabalhadores. É claro que o trabalho de compilação seria mais completo se fossem assinalados números de participantes (com comparações temporais). É claro que seria mais completo se fossem assinalados alterações qualitativas na participação, através de apontamentos sobre novas adesões. É certo que seria informativo se fosse oferecida informação sobre as consequências das lutas. Lamento não ter capacidade para tanto.
    Comecei a fazer estas compilações porque não existiam. Pensei que seria útil fazer um apanhado (no 1º de Maio e no final do ano) meramente listando as lutas ocorridas. E que o fruto desse trabalho pudesse servir para outros mais aprofundados, mas sobretudo que servisse como um lembrete, um rescaldo, à semelhança do que jornais e revistas fazem (também superficialmente) sobre os acontecimentos do ano, só que este centrado nas lutas laborais. Creio que têm sido úteis, ao colocar num mesmo espaço e organizado cronologicamente, as várias lutas ocorridas no país. Creio que a mera listagem oferece uma perspectiva da dimensão da luta, da sua ocorrência em diferentes regiões e locais de trabalho. É certo que o trabalho poderia ser mais aprofundado, mas não chego para tanto (as compilações em si, já dão algum trabalho).
    Faço notar que omito plenários de trabalhadores e eventos nos quais os participantes se reduzem praticamente a activistas sindicais, e assinalo manifestações, greves e protestos, onde participam os trabalhadores, e não somente os seus representantes sindicais. De forma que a observação de que as lutas listadas se resumem a eventos de “burocratas … justificando a sua existência” é inválida.

  4. De diz:

    Convenhamos que a resposta de André Levy é a resposta serena e adequada.
    (E com isso só ganha o debate).

    Mas confessemos também que já “sobram” as constantes provocações sobre as lutas dos trabalhadores.E da manipulação quotidiana sobre estas da parte do poder político,do poder mediático e dos seus seguidores.

    Por exemplo:
    http://o-companheirovasco.blogspot.pt/2012/05/fox-news-97-onde-para-o-1-de-maio-da.html
    http://o-companheirovasco.blogspot.pt/2012/05/fox-news-97-onde-para-o-1-de-maio-da_01.html
    Acresce que às 20 e 23 m de hoje,dia 1 de Maio, as primeiras páginas do Público e DN online são aquilo que são.
    Ou seja,uma versão dos media ditos de referência às angústias que sobram de JgMenos

Os comentários estão fechados