Internacionalista e solidário é a tua tia, pá!

Na oposição:

No governo:
Sócrates reiterou que os casos grego e português são «incomparáveis e afirmou que não prevê agitação social

+

O número de trabalhadores a recibo verde subiu 53% nos últimos quatro anos, ou seja, durante o Governo Sócrates.

+

Olhando com detalhe para os valores divulgados pelo INE, conclui-se que o período entre Julho e Setembro deste ano foi o pior para os jovens no mercado do trabalho desde que José Sócrates chegou a primeiro-ministro. Do segundo para o terceiro trimestre de 2010, a população desempregada entre os 15 e os 24 anos passou de 20,3% para 23,4%, o maior aumento trimestral registado desde, pelo menos, o primeiro trimestre de 2005 (ver gráfico). Passando de percentagens para valores absolutos, há hoje 99 mil jovens sem emprego em Portugal, mais 12,2 mil do que os registados entre Abril e Maio deste ano. No ano passado, do segundo para o terceiro trimestre, a subida do desemprego jovem tinha ficado pelos 0,5 pontos percentuais.

+

Em 2007, o então deputado e porta-voz do PS, Vitalino Canas, foi nomeado pela APESPE, isto é, a associação das empresas de trabalho temporário (ETT), Provedor da Ética Empresarial e do Trabalhador Temporário – ver site do Provedor. Vitalino Canas foi assim contratado pelos patrões das ETT’s com o objectivo de “melhorar a imagem do sector” e, claro, receber queixas dos trabalhadores temporários.

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

3 Responses to Internacionalista e solidário é a tua tia, pá!

  1. JM says:

    O tipo de hipocrisia demonstrado nesta faixa constitui, de facto, uma das piores faces da “politiquinha” doméstica!

  2. Manel says:

    E aqui apareço eu na foto, a ensaiar os pequenos aldrabões a gritar: abstenção violenta! Ahahahah.

    De facto, é preciso terem uma lata imensa para aparecer com aquele tipo de cartazes. Mas, enfim, deu-me (e a outros) a oportunidade de lhes gritarmos tudo aquilo que nos apeteceu, o que já não é mau de todo! :)

  3. Pingback: Juventude européia: desemprego e mobilização « Marcos Aurélio

Comments are closed.