Um colaboracionista não pode criticar


Um colaboracionista como Marques Júnior, que traíu a Revolução durante décadas a fio ao serviço do PS, é o último a poder criticar a Associação 25 de Abril pelo facto de não estar presente nas comemorações da Revolução.
Os seus companheiros de então, ao contrário dele, souberam ser coerentes ao longo de uma vida. E amanhã, mesmo que com alguns anos de atraso, continuarão a dar provas dessa coerência.

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

4 Respostas a Um colaboracionista não pode criticar

  1. Armando Cerqueira diz:

    Mas, ó Ricardo, muitos dos companheiros (e amigos) de então de Marques Júnior, do ‘Grupo dos Nove’, também traíram “a Revolução durante décadas a fio ao serviço do PS”… Foram eles que o levaram irregularmente para o Conselho da Revolução…

    A gente deve manter intransigentemente a coerência, e olhar para todos os lados. Não perder a postura, o pensamento crítico de que falava António Sérgio.

    Creio que se torna urgente estudar o que foi o PREC, ler os textos e as obras partidariamente independentes sobre o assunto.

    Pessoalmente recuso as cartilhas do PCP, do PS, do PPD, do BE, e por aí fora…

    Cumprimentos,

    Armando Cerqueira

    Armando Cerqueira

    • Ricardo Santos Pinto diz:

      É verdade, Armando, houve outros. Quanto ao 25 de Abril, o maior de todos, Salgueiro Maia, também sempre recusou a cartilha dos Partidos.

  2. miguel serras pereira diz:

    RSP
    com a devida vénia, este seu post é um perfeito despropósito.
    Se Marques Júnior – que, evidentemente, pode e deve ser criticado – é colaboricionista pela sua ligação ao PS, outros militares de Abril – com destaque para Melo Antunes, que foi militante do PS – terão de ser postos no mesmo saco.
    Se é colaboracionista por discordar do boicote às comemorações oficiais – que, pessoalmente, me é simpático, apesar de tudo -, então também o PCP e o BE terão de ser acusados de colaboracionismo.

    Não quer rever a formulação da sua crítica, homem?

    Cordialmente

    msp

    • Ricardo Santos Pinto diz:

      Não, Miguel, não quero. Neste post não falo de outros, de quem até poderia dizer o mesmo. É deste que falo e deste que quero falar. E mantenho que alguém que fez a Revolução nunca poderia estar num Partido como o PS. As comemorações são apenas um pretexto, até porque ele próprio não vai estar presente – só em 2012 se deu conta de que o 25 de Abril não foi feito para isto?
      Cumprimentos.

Os comentários estão fechados