Coisas parvas II

Chegaremos a ouvir esta parvoíce da boca de Cavaco?

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

10 Responses to Coisas parvas II

  1. licas says:

    Coisas parvas . . .
    As mulheres dos Embaixadores da Grã-Bretanha e da Alemanha
    solicitaram à esposa de Bashar al-Assad, Asma, para convencê-lo
    a ordenar o fim do massacre que a mais de 6 meses submete os
    Sírios (10 000 mortos, pelo menos).
    A ONU (se não fora o criminoso apoio das comunistas China e URSS,
    crismada à pressa de Rússia, já teria posto em ação uma força de
    interposição e veríamos o tal Bashar a baixar a bolinha e sair de
    rabinho entre as pernas).
    A MULHER? Numa civilização como a Muçulmana, em que está
    abaixo de camelo? DEIXEM-ME RIR . . .

    • Aryan says:

      Seguramente que não sabe o que diz! Venha à Síria e veja com os seus próprios olhos quem são realmente os terroristas. Não veja pelos olhos de quem vos anda a alienar aí no Ocidente: os media.

    • Zuruspa says:

      À diferença da monarquias e repúblicas do Golfo Pérsico, a Síria é um estado secular, onde as mulheres até podem PASME-SE andar sem véus, ir à Universidade, conduzir sozinhas, …

      Claro que os “licas” deste mundo preferem o Afeganistäo das burcas, aí é que as mulheres têm imensas liberdades… tal como liberdade de escolher as pedras com que as matam. Ou nem isso.

    • Carlos Carapeto says:

      Oh “senhor” Licas não se envergonha de dizer tanto disparate?

      Vc prova que é uma pessoa politicamente inculta e muito mal informado.

      Nem sabe qual o sistema politico em vigor na Rússia. Por isso dar troco aos seus disparates seria colocar-me ao seu nível.

      No entanto ainda acrescento alguma coisa para o ajudar.
      Aconselho-o a ler muito e a diversificar as suas fontes de informação, só desse modo pode destruir essa ingnorância que o leva a dar opiniões sobre assuntos para os quais não está preparado.

      Pode começar por pesquizar qual a diferença da liberdade politica e religiosa dos Sírios aos demais países da região .

      Convinha ali outra Líbia não é? Compreende-mos isso logo desde o inicio da agressão.
      Porque com a Síria dominada, para a aviação Israelita até Teerão era um saltinho . E com um Irão destruido e avassalado, arrombar a porta de entrada dos hidrocarbonetos da Bacia do Cáspio era canja, depois cortava-se o abastecimento de energia à China, e mais um pulo as tropas da NATO (imperialismo) abivacavam na fronteira do Xinjiiang. Melhor; transpunham as portas da Dzungária e a China desfazia-se numa miriade de pequenos Estados?

      E deste modo ficava concluido o dominio global ?

      São estas situações que os cretinos como o Licas desconhecem, depois limitam-se apenas a executar as piruetas que o domador lhes ensina.

  2. cavaco nunca se engana e raramente tem duvidas.

  3. licas says:

    1º____Zuruspa é porco: insinua que prefiro o Afeganistão quando
    não tem quaisquer indícios.
    2º____Zuruspa mente: basta pensar na *república* do Irão para se
    ver o atraso de o supremo órgão da constituição ser Muçulmano e estar
    sujeita à Sharia. . .(O mesmo que seria o Patriarca ter a última palavra
    e o Decálogo Católico ser imposto a n´s todos, Portugueses).
    3º____Zuruspa esquece muito provavelmente que o termo *terrorista*
    caducou completamente cá quando o Salazarismo o empregou à saciedade
    para designar os combatentes nacionalistas Angolanos, Moçambicanos, Guineenses . . .
    4º____Zaruspa é parvo, ou pelo menos quer fazer-nos parvos: o uso do véu,
    o poder conduzir automóveis NADA DIZ da condição servil, diária, encastrada
    nos hábitos, nos pressupostos, no inamovível machismo dessas gentes.
    5º____Zaruspa parece não querer que esses povos sejam civilmente livres
    lutando por que seja eliminado todos os órgãos religiosos de governação,
    que a igualdade entre os sexos seja proclamado como princípio fundamental
    consagrado na Constituição.
    6º___Zaruspa, pelo menos de modo subjetivo ,apoia que um governante. no
    caso Bashar al Assad, mate sistematicamente sem sombra de remorso os seus
    concidadãos que proclamam (e lutam) pela liberdade civil, com eleições livres,
    com alternância de poder por escolha dos cidadãos. Aceita e apoia que o líder
    de um partido se torne o *natural* herdeiro do papá no acesso ao *trono*
    mediante *eleições* que não passam de nojentas farsas. COREIA DO NORTE?
    ESTÁ BONITO, ESTÁ . . .

  4. licas says:

    Daniel Santos says:
    18 de Abril de 2012 at 20:50
    cavaco nunca se engana e raramente tem duvidas.
    ____________

    NISTO é *talqualzinho* aos Marxistas cá do sítio (site . . .).

  5. licas says:

    Para cada tirano que qpqrece há sempre um *espírito esclarecido*
    que o apoia, e um *sacristão* que o adjuva. . .

    • Caxineiro says:

      ” os combatentes nacionalistas Angolanos, Moçambicanos, Guineenses”
      Sim… a malta entende. Tú nem és salazarista nem nada! É preciso separar as águas, carago!… Ías lá agora apelidar de formatados à Marx os combatentes anti-coloniais…
      Eu imagino o que aconteceu senhor inspector licas. Você ía a levantar-se, escorregou, e bateu com a cabeça na argália
      As melhoras, padreco *!*

  6. De says:

    Basta.
    Uma coisa de nick “licas” arroga-se o direito de insultar outrém.Fá~lo com alguma frequência e já não é a primeira vez que vai longe demais
    “licas” é o que é.Mas tal facto não o torna imune a ser acusado quando se arma nesta coisa assim para o podengo de caça, do neoliberalismo reinante.

    O post é claro.
    Fala de Cavaco.
    “licas” atira-nos com a Síria e aproveita e vai até à URSS e à China.
    O objectivo do coitado é claro e simples.Tenta esconder a falta de coluna vertebral do cobarde que nos governa.E atira para o lado
    Estas coisas são o que são.Obedecem à classe dominante com a falta de classe própria de quem anda pela vida aos caídos.
    Se “licas” quiser falar das coisas que o coitado toma como “parvas”, que o faça no local próprio ou na altura própria.
    Mas desta forma manhosa e reles arrisca-se a ser nomeado pelo que é.

    Mas há mais

Comments are closed.