Prostituição musical: Movimento Zero Desperdício

Um grupo de músicos lançou, com o alto patrocínio de Cavaco Silva, o hino do Movimento Zero Desperdício. É um projecto que tem as medidas do Presidente da República e que se dedica a pedir a restaurantes, hotéis e supermercados – imagine-se – que dêem as sobras a quem precisa. Isto, que mais não é do que um hino à pobreza e que em momento algum questiona os responsáveis pela calamidade social em que vivemos, indigna qualquer pessoa de esquerda. Por isso, espero que os artistas que se deixaram vender à hipocrisia tenham os bolsos cheios. Todos temos de comer mas há quem prefira a dignidade ao dinheiro. Falo da Ana Bacalhau, Anabela, Anjos, António Pinto Basto, Adriana, Ana Sofia Varela, Armando Teixeira, Boss AC, Camané, Carlos Mendes, Chullage, Cristina Branco, Cuca Roseta, Fernando Cunha, Fernando Girão, Fernando Tordo, Gomo, Janita Salomé, João Pedro Pais, Jorge Palma, João Gil, Kátia Guerreiro, Lara Li, Lúcia Moniz, Luís Represas, Luísa Sobral, Manuel João Vieira, Mafalda Veiga, Miguel Gameiro, Miguel Pité, Nuno Norte, Olavo Bilac, Paula Teixeira, Paulo de Carvalho, Pedro Laginha, Pedro Puppe, Ricardo Quintas, Ricardo Ribeiro, Rita Guerra, Roberto Leal, Rui Veloso, Salvador Taborda, Sara Tavares, Sérgio Godinho, Susana Félix, Tiago Bettencourt, Tim, Tito Paris, Vitorino, Zé Manel.

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

126 Respostas a Prostituição musical: Movimento Zero Desperdício

  1. licas diz:

    Tiago says:
    17 de Abril de 2012 at 15:06
    Peço desculpa, mas esse restaurante está condenado a fechar. Nunca vi nenhum nessas condições e duvido que exista. O que está em causa é a forma de como olhamos a pobreza. Se uma consequência da inexistente distribuição da riqueza que é criada por quem trabalha ou se os pobres são para ser encarados como seres a quem damos o que sobra do prato que se come quando se vai a um restaurante. É a dignidade das pessoas. Se os artistas querem mudar algo… que cantem contra os lucros astronómicos de quem paga misérias a quem lá trabalha.

    ______________________

    Esta . . . é de GRITOS: a forma como encaramos a pobreza é que é importante ???
    Não será nosso dever aliviar um pouco a situação EXISTENTE?
    Já percebi: Tiago prefere vir para a rua vociferar por a bruteza do capitalismo
    a propiciar uma refeição a um pedinte. SÃO OPÇÕES . . .

    • Tiago diz:

      Se quer ler isso tudo bem, é mediocre, mas está no seu direito. A questão é que a intenção destas medidas é em primeiro lugar omitir a razão da existência da pobreza… dizendo que “nós preocupamo-nos com os pobrezinhos”. Se quer matar a fome a alguém (antes de vencer o capitalismo) ajude… sem a TV a filmar. Essa é a diferença. Mas boa tentativa, é um excelente cidadão e está realmente preocupado com a pobreza, na missa, no trabalho será aplaudido, com coragem irá ganhar uma medalha, todos lhe agradecerão. É de gritos e eu aplaudo. Só tem um problema… em relação à luta contra os motivos da existência da riqueza? Zero. Mas lugar no céu terá de certeza… o Deus católico gosta dessas hipocrisias.

      • Miguel diz:

        Meus caros

        Isto é uma questão de bom senso: aproveitar enão desperdiçr refeições que estão em condições e que não saíram da cozinha.
        Isto foi pensado por cidadãos que não funcionam dentro do “esquema partidário”.
        Como é possível quererem denegrir uma campanha feita para ajudar quem precisa ?
        Aprendam a sair do vosso conforto intelectual e preocupem-se com pessoas..!

        • De diz:

          Funcionar ou não dentro do esquema partidário?
          Mas que droga é esta?
          Mas desde quando há os que funcionam e os que não funcionam?
          Mas que espécie de racismo larvar sobra desta conversa da treta?

    • F M R diz:

      Atrevo-me a sugerir : “Vamos brincar à caridadezinha” – José Barata Moura (gravação original de 1973)
      O LINK É: http://www.youtube.com/watch?v=ZHieMBabirY

      O ÚLTIMO DOS TROIKANOS

    • CARIDOSO diz:

      Desde já quero participar com um rolo de papel higiénico para o autor desta letra de merd @

  2. jose silva dos santos diz:

    o fosso entre ricos e pobres está cada vez maior. há que escolher onde se que quer estar e este grupo de músicos escolheu sem dúvida o lado da
    “A senhora de não sei quem
    Que é de todos e de mais alguém
    Passa a tarde descansada
    Mastigando a torrada
    Com muita pena do pobre
    Coitada”

  3. Telmo diz:

    Que desilusão em relação a alguns dos artistas que participaram. Não coloco em causa que continuam de esquerda, espero que a minha teoria seja verdadeira: que julgavam que iam participar num novo “Live Aid” ou algo do género, e acabaram a cantar para ajudar o governo da caridadezinha. Julgo que se entra nestes projectos pela camaradagem entre os artistas e para passar uns bons momentos e promover a carreira, e provavelmente o objectivo final do projecto é secundário e não se importa muito, e depois faz-se m…. da grossa.

    Seria bom alguns desses artistas de esquerda darem explicações aos seus admiradores para minimizarem a mancha que fica na carreira…

    • João diz:

      Mas… em que é que este tema se relaciona com esquerda e direita? Aproveitar de forma digna a quantidade escandalosa de sobras (segundo estudos, cerca de 30 por cento do que é confecionado) de restaurantes e hotéis para ajudar quem precisa é assim tão escandaloso? é de direita? Eu, que de esquerda me assumo desde que me conheço, tenho é vergonha de quem se diz de esquerda e inicia um processo de intenções, só porque entre os patrocinadores da iniciativa (muito nobre, diga-se) está Cavaco Silva. Alguém acredita que o que vão dar às pessoas são os restos que eu e tu deixamos no prato? Estão loucos? único reparo: o momento da letra da música em que é cantado: «o que eu não aproveito, ao almoço e ao jantar, a ti dava-te jeito». Obviamente, é um momento dado a más interpretações. Mas somente de quem está muito mal intencionado. Ou cuja única intenção é fazer política com tudo. Até mesmo com a desgraça. Tenham juizo. E sejam realmente de esquerda, cumpram os seus ideais, mais do que fazer disso uma vaidade. Ok? Um abraço fraterno a todos!

    • Miguel diz:

      Telmo

      Mas o que é que o Governo tem a ver com isto ?

      Isto é um movimento de cidadãos que se importaram e trouxeram uma solução.

      sabia que já existem centenas de pessoas a beneficiarem deste projecto ?

      Provavelmente não sabia porque pelos vistos não quer saber..!

  4. Carlos diz:

    O Bruno de Carvalho usou a mesma técnica de desinformação que é usada todos os dias nos telejornais das tvs, além de uma grande má fé, induzindo desde logo quem lê isto na opinião dele. Já que lhe causou tanta admiração, tinha a obrigação de perguntar, pelo menos a alguns, o porquê da sua colaboração e se sabiam que o Cavaco estava misturado. Não, resolveu logo diabolizar, ter má fé. O primeiro comentário foi logo a chamar filho da puta ao Sérgio Godinho, está correcto? O Bruno deve logo ter pensado, sou muito bom, já está a fazer efeito a desinformação. A Líbia, o Iraque, a antiga União Soviética, Cuba, etc., também teem estado a sofreram, e sofrem com isso.

    Carlos- Deputado CDU à assembleia municipal de município alentejano.

  5. Maria diz:

    Lamento ver artista por quem tenho admiração a participarem nesta coisa de que falava a canção do Zé Barata Moura ” vamos brincar à caridadezinha…”

    • Miguel diz:

      Maria

      Antes de botar comentários, agradeço que se informe.
      Isto não é caridade, é bom senso: não desperdiçar refeições em condições – não tem nada a ver com restos de prato.
      Aliás, ao ler e informar-me, verifiquei que este movimento é´acompanhado pela própria ASAE, logo existe segurança alimentar.

      deixem-se de demagogias, este é um projecto de cidadãos para cidadãos.

  6. Eva diz:

    bem….nem sei bem o que responder a esta mamarrachada! ou seja…se eu faço uma refeição em casa e sobra metade da panela, calculo que por dignidade a deva deitar fora? não posso comer o mesmo no dia seguinte?
    Aqui não se está a falar de dar os restos do prato Sr., estamos a falar de dar os restos da panela!!!!! ou o senhor é muito limitado e não entende o obvio, ou não sabe informar-se antes de escrever fantochadas.

  7. Não diz:

    A música é uma grande merda.
    Se tivessem coragem tinham feito algo dissimuladamente subversivo. A ocasião estava a pedi-las. Uma letra com vários significados, sei lá…

  8. Ricardo Passos diz:

    Sejamos caridosos. Parece que este grupo já está a preparar a próxima, contra o desperdício de água. Lavar o cu num balde, aproveitar e mijar. Dá para um pobrezinho, tomar banho.

    • Miguel diz:

      Ricardo Passos

      E que tal fazer alguma coisa pelo seu País ?

      Como ao que parece fizeram os cidadãos anónimos e apartidários que criaram este movimento.

      • De diz:

        O melhor que se podia fazer a este país era correr de vez com estes neoliberais da treta pesporrenta e caceteira que nos governam.
        Acabar com as condições que criam o desemprego,a fome e a miséria.
        Todos somos poucos para tal desiderato.Cidadãos anónimos ou não,apartidários ou não.
        A dignidade humana ficaria agradecida.

  9. Ricardo Passos diz:

    Um verdadeiro hino de louvor à austeridade. Que se seguirá? Uma sessão de entrega de medalhas em Belém, a estes artistas por serviços prestados à sociedade? Agora entendo porque ninguém vê esta gente em frente a manifs, ou darem entrevistas a mostrarem a sua indignação. Ai Zeca que falta nos fazias agora, para mostrar a estes meninos o que é ser Homem.

    • Miguel diz:

      Um hino de louvor ao bom-senso.

      Ricardo, o que pensaria se beneficiasse de refeições em condições e tivesse fome ?

      Talvez pensasse duas vezes antes de botar opiniões .

      • De diz:

        A luta não é por um prato de lentilhas.Qualquer um o sabe ou devia saber.
        Lutar pelo fim destas situações que nos conduzem à pobreza e a esta situação miserável em que se encontram muitos portugueses.
        Todos juntos ,os que nos indignamos com este estado de coisas.
        Por este andar estaríamos a dar os tais brioches ao povo de Paris,como pugnava Maria Antonieta.
        E os Luíses ainda reinariam no reino da França

  10. Frederica diz:

    BOA! Vamos criar um PAÍS DE SOBRAS!
    Vamos tornar os pobres o nosso Fino caixote do LIXO, ou MELHOR o nosso meio de reciclar o que nos SOBRA!
    EU NÃO VOU PARTICIPAR NESTA CADEIA!
    Prefiro Partilhar o que tenho com o MEU IGUAL!

    Che Guevara

    • Miguel diz:

      Frederica

      Mas a verdade é que não partilha nada.

      E ao contrário de quem criou este movimento – fora do esquema partidário – a Frederica nada fez e eles muito fizeram e com resultados concretos.

      • De diz:

        O Miguel anda a bater teclas com todo o direito.
        Não pode é partir para a grosseria própria de quem pensa que detém a verdade.E sobretudo não pode partir para afirmações baratas e ligeiras.
        Ou seja,tem que aprender a respeitar a opinião da Frederica.E a não dizer asneiras como:
        “a verdade é que não partilhou nada”.
        Essa mania de olhar para o umbigo e não entender o que os outros escrevem já é um mal.Mas pior ainda é fazer afirmações gratuitas sobre o que os outros partilham ou não.
        Fica-lhe mal.

      • Frederico(a) diz:

        Por vezes apetece . . .

  11. Ricardo Passos diz:

    Quando alguém passa fome, melhor que prolongar a sua agonia com caridades bacocas é ensiná-los a plantar. Aqui vai: 1 garrafa de vidro de litro+ 0,3l de gasolina+ 0,1l de óleo+ desperdício q.b. para encher a garrafa e fazer um pavio+ 1 isqueiro ou caixa de fósforos. Agora só têm que se juntar uns milhares na próxima manif e em vez de de levarem umas faixas com uns dizeres engraçados, irem preparados para construírem o futuro dos vossos filhos, já que destruíram o vosso próprio e tudo pelo qual os vossos pais lutaram.

    • Miguel diz:

      Chega de manifestações, tragam soluções.

      Chega de basófias

      • De diz:

        Mais uma vez o Miguel podia-se ficar pela sua luta e pelo seu projecto.
        (Uma espécie de remendo em forma de ténue teia com que se tenta tapar os buracos enormes que sobram na nossa sociedade).

        Mas o Miguel não pode, se for honesto, colocar em questão que há quem ache que as soluções para os problemas são de outro molde.
        Mais solidárias.
        Que podem passar pela luta de massas contra a presente situação. Por manifestações e outras coisas mais.

        “Chega de manifestações”?
        Essa faz-me lembrar toda a canga ideológica de quem tem medo da liberdade de expressão e de manifestação.Quem tem medo de tal assumindo-se como partidário ou não.Mas que denota sempre uma atitude política assim para o rasca

  12. Rute Gago diz:

    Se algum de nós, que escreve e opina em blogs, soubesse o que era passar fome, de certeza que estaria a favor desta campanha. Há pessoas, e cada vez mais, a ir buscar restos de comida aos contentores de lixo e, esses sim, são restos dos pratos dos que ainda se sentam à mesa. Isso sim é perder a dignidade! É um dever de cada um de nós, utilizar os recursos de forma inteligente e racional, já que isso não é possível em tantos hóteis, restaurantes e supermercados, porque não ajudar quem não tem o que comer?! Temos de nos lembrar que há crianças que todos os dias vão para a escola sem comer, há pessoas que, por terem o estômago vazio, não conseguem produzir no trabalho o que seria normal. Esta medida não resolve o problema da pobreza, mas pelo menos, minimiza o desespero!

Os comentários estão fechados