Histórico: Argentina expropria empresa petrolífera

A esta hora treme a burguesia espanhola. Cristina Kirshner, Presidente da Argentina, acaba de anunciar a expropriação de 51 porcento da YPF, empresa petrolífera que está nas mãos da Repsol. A chefe de Estado justificou a expropriação pela falta de investimentos da filial e assegurou que, durante 2010, a Argentina se viu obrigada a importar combustíveis por quase 10 mil milhões de dólares. Durante as últimas semanas, vários governantes espanhóis lançaram várias ameaças e alertaram para as consequências de tal decisão. Uma notícia a acompanhar.

Adenda: Um representante do governo argentino entrou na sede da YPF e leu uma lista com nomes de funcionários a expulsar do edifício. Segundo o diário El País, vários foram forçados a arrumar os seus pertences e a sair para a rua.

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

26 Respostas a Histórico: Argentina expropria empresa petrolífera

  1. De diz:

    A seguir com imensa atenção.
    O Estado argentino pretende reassumir o controlo da petrolífera, cujo capital foi vendido a investidores privados durante os anos 90, aquando da onda de privatizações lançada pelo então presidente, Carlos Menem. (mais concretamente em 1999)

    “A Argentina foi saqueada pela grandes corporações, o governo neoliberal de Menem conseguiu levar o país a bancarrota, privatizando tudo e servindo aos interesses do FMI, Banco Mundial e OMC. Genocídio Social, a Argentina passou da condição de país “quase de 1º Mundo” para um país em que a maioria da população se tornou miserável. Mortalidade infantil, desnutrição, abandono social total, endividamento externo fizeram a marca do que seria o “exemplo de neoliberalismo para o mundo”. Toda essa situação se tornou insuportável até finalmente explodir na revolta popular de 19 e 20 de dezembro de 2001.”

    O que é do povo ao povo tem que retornar.

    Entretanto vale a pena ler este texto:
    http://elpravda.blogspot.pt/2012/04/espana-cual-espana-sobre-el-conflicto.html#more

  2. silva diz:

    História da corrupção em Portugal.
    Vejamos o procedimento de gente corrupta.
    Márocas, como administrador da empresa, ao fim de uns anos e sabendo, que o seu lugar está chegando ao fim, começa a pensar o que vai ser de mim, embora com uma reforma choruda, deixo toda uma atividade que me mantinha vivo.
    Bom antes que isso aconteça vai preparar, já o caminho, aos seus amigos e familiares, que trabalhando na sombra, asseguram outro rendimento, que o deixa orgulhoso dele mesmo.
    Sendo assim, combinado com os seus amigos e familiares, constroem empresas de outsourcing, para quando envolver a empresa num despedimento coletivo, alegando a quebra de lucros, os amigos e familiares estejam, preparados para substituir ilegalmente os trabalhadores despedidos.
    Ora quem vai desconfiar de mim, administrador da empresa com cartas dadas a todos os níveis, jogando toda a influência que tem, com os médias, empresários, governos e até gabinetes de advogados, além de todo o corpo gerente da empresa.
    Estando tudo isto organizado, com o estado a meu favor mais a justiça, e a empresa a criar já o ambiente de preparação faço o ultimato o DESPEDIMENTO COLETIVO. Desgraço a vida de muita gente, mas tem que ser, pois tenho que levar uma vida de rei, dando tudo aos amigos e familiares, que se lixem os que querem trabalhar sem a minha bênção.
    O administrador tem a capacidade de enganar de tal modo que alguns, apercebendo – se mais tarde deste golpe e que no fundo ainda lhes resta um pouco de solidariedade e decência, querem mostrar – se, mas já estão de tal maneira comprometidos com o corrupto, que só lamentam o despedimento coletivo.
    NÃO HÁ NINGUÉM EM PORTUGAL QUE NÃO CONHEÇA CASOS DESTES, DESDE GOVERNOS Á POPULAÇÃO EM GERAL, MAS O MAIS GRAVE É ADTIRMOS QUE SE CONTINUE COM ESTE FLAGÊLO NACIONAL QUE ESTÁ A LEVAR O PAÍS PARA A MISÉRIA TOTAL.
    Por: luta até á morte

  3. xatoo diz:

    não é nenhuma revolução. Trata-se apenas de um Estado terceiro-mundista que o neocolonianismo económico colocou em estado de extrema necessidade.
    Mesmo assim, sobre isto, um alto-responsável pela monarquia espanhola já tinha vindo dizer antes que caso esta nacionalização se consumasse seria entendida como um ataque de “hostilidad a España y al Gobierno de España” y tendrán “consecuencias”
    http://mesaredonda.cubadebate.cu/noticias/2012/04/12/ministro-espanol-amenaza-a-argentina-por-posible-nacionalizacion-de-ypf-repsol/

  4. Bolota diz:

    Bruno,

    Mas o que fez o neoliberal Menem, não é o que está a fazer o neoliberal Passos Coelho????
    Se o FMI levou a Argentina á bancarrota não vai levar Portugal ao mesmo ponto de penuria???
    Ao que fez Cristina Kirshner, chamo eu mulher de colhões. Bentida hajam mulheres como esta.

  5. Mário Estevam diz:

    O filme Bruno, o filme nestas coisas é sempre importante…

    A privatização da YPF é dos maiores roubos da história neoliberal. Nenhum país abdicou da sua indústria petrolífera a não ser que a tenha perdido numa guerra.

    • De diz:

      Um filme fundamental.
      Fernando Solanas, realizador do documentário, foi baleado depois de ter denunciado publicamente o processo de privatização.
      Nuno Teles chama a atenção para o depois do minuto 59:00, onde o caso da YPF é tratado em concreto. O documentário é todo obrigatório, dados os paralelismos com a situação portuguesa nos dias que correm,continuo a citar o mesmo Nuno, nos Ladrões de Bicicletas

      Não é uma revolução.Mas não deixa de ser um dia Histórico.
      Luís Almeida,Bolota,…estou com vocês.Grande Mulher de facto.
      Força Cristina

  6. Luis Almeida diz:

    Grande Mulher! Abençoada!

  7. Rocha diz:

    QUE FAÇAM O MESMO À GALP EM TODOS OS PAÍSES DO MUNDO É O QUE EU DESEJO AOS FILHOS DA PUTA DOS OLIGARCAS DO PETRÓLEO!!!!!

  8. licas diz:

    Toda a expropriação de propriedade privada é um roubo____Lrak Xram

    • Caxineiro diz:

      Toda a expropriação da propriedade colectiva é um roubo____Caxineiro
      Todos os vende-pátrias serão um dia julgados, pelo povo ou pela história

    • Antónimo diz:

      Gosto de o ver do lado das pessoas e contra a petrolífera que em 2010 expropriou 10 mil milhões de dólares dos salário privados dos argentinos. Atendendo ao sentido geral dos seus comentários Confesso que desta feita o seu bom-senso me surpreendeu. Continue assim.

    • chapeleirolouco diz:

      é verdade licas… nacionalizações só mesmo quando os bancos estão aflitos…

  9. Rocha diz:

    Expropriação de todas as petrolíferas! Abolição da propriedade oligarca!

  10. Orlando diz:

    Uma mulher que faz uma politica justa, já admirava Cristina, agora admiro muito mais.

  11. licas diz:

    Aposto 100 contra 1 que uma vez nacionalizada
    a tal *petrolífera de fabulosos lucros* passe a ser
    deficitária a muitos milhões de milhões . . . é da história
    (e ela constitui a grande mestra da vida) . . .

    • chapeleirolouco diz:

      claro licas, e a noruega não existe… e os privados tem uma relação previlegiada com deus daí os seus super poderes…viu-se isso na crise fianceira, e não foi a primeira… mas não deixe que os factos atrapalhem o raciocinio.

    • Zuruspa diz:

      Ehpá, a Cristina está aterrada, afinal um investimento enorme em “uma estrutura de «até 20 pessoas»” representa milhares de milhöes para o PIB da Arrentina. Ela já nem deve dormir hoje!

  12. Pingback: PPP – Proveitos Pornográficos para os Privados, ou o exemplo da Linha do Norte | Aventar

  13. Bruno, até podes já ficar a saber qual será o fim desta controvérsia. Depois de “nacionalizada”, a empresa dentro de algum tempo será privatizada novamente – “dificuldades de gestão” (ruína), funcionalidade das empresas, interesses chineses, etc -, desta vez em mãos argentinas, por sinal, aquelas que a tinham deixado arruinada: a “famiglia” Eskenazi.
    Francamente… uma sopeira com estilo de dona de bordel diz umas chalaças ao estilo Mussolini, e logo há quem veja “revoluções”. Verás.

  14. Viva a República diz:

    Um castelo -branco com dotes peneirentos fala em sopeira com estilo dona de bordel
    Sai ao estilo de outro castelo-branco com os adjectivos que se adivinham.
    será monarquico e andará nas caçadas com o outro?
    O estilo e a prosápia desta cambada…

    • Claro, é típico e vai direito à zona média do vizinho: é “isto”, a esquerda – pois, ainda me lembro do debate Louçã/Portas – e a direita que temos, irmãs siamesas.

      * Já agora, o outro não se chama 2castelo branco”. Chama-se Vieira e o nome que usa não passa de um pseudónimo. Sabe de quem é irmão? Do Sérgio Vieira, antigo ministro da Frelimo e hoje governador de província (Moçambique).

  15. Pingback: PPP – Proveitos Pornográficos para os Privados, ou o exemplo da Linha do Norte – Aventar

  16. Pingback: O princípio do fim para Kirchner « O Insurgente

Os comentários estão fechados