A Grande História do Golpe de Estado em Portugal

Aqui.

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

2 Responses to A Grande História do Golpe de Estado em Portugal

  1. Leo says:

    http://www.publico.pt/Mundo/houve-um-golpe-de-estado-em-portugal-mas-so-no-twitter-1540542#Comentarios

    “Os rumores começaram a circular pelo Twitter e foi constituída a hashtag #PrayForPortugal. (…) Pouco depois, a agência internacional Associated Press (AP) pegava no assunto (…). Imediatamente a seguir, o “El País” escreveu na sua conta de Twitter (…) Depois disso, o rumor ganhou dimensões internacionais. Milhões de utilizadores do Twitter queriam saber o que se estava a passar em Portugal. (…) No final era tudo mentira. (…) por detrás deste embuste estarão centenas de utilizadores do Twitter, entre eles o cineasta espanhol Rodrigo Cortés”

    E foi exactamente assim que criaram o caos e desestabilizaram a Síria. Por detrás esteve o blog supostamente de uma lésbica de Damasco que meses depois se veio a apurar ser um norte-americano residente na Escócia. Além do sempre presente “laboratório dos direitos humanos” que desde Londres ia inventando mortes e perseguições. E ainda continua, com acusações a uma única parte, as forças de segurança – os polícias e militares – da Síria, os “maus” do sítio.

    Por cá, os artistas contentam-se em inventar

    - manifestações:
    http://5dias.net/2012/04/02/flashmob-do-chiado-estou-a-incorrer-no-artigo-45o-da-constituicao/

    - perseguições sectárias:
    http://5dias.net/2012/03/23/como-ontem-me-livrei-de-levar-um-enxerto-de-porrada-de-um-amigo-de-longa-data/

    - e perseguições pessoais:
    http://5dias.net/2012/03/23/a-psp-continua-a-fazer-as-noticias-nas-greves-gerais-1/

  2. licas says:

    Da Síria, organizações internacionais decentes já disseram
    de sua justiça, quanto Aos Direitos do Homem, que Bashar Al-Assad,
    teima em dialogar com os adversários políticos . . . matando-os.
    E para os Tugas (pseudo) defensores da não ingerência estrangeira no sítio
    basta lembrar que nem a Liga Árabe lhe confere qualquer direito de
    *Defender os Líbios* , como proclama. É QUE JÁ É AZAR, MEU!
    No entanto, o Reino dos Tontinhos, vulgo Irão, defende-o, POIS!

Comments are closed.