ANTÓNIO RIBEIRO CHIADO: “(…) guardar das encobertas e de quem falla á vontade; guardar de fallar verdade a quem trata com mentira; guardar de quem suspira co’o pesar do bem alheio; guardar de quem sem freio diz cada vez o que quer. (…)”

Retirado daqui, onde pode ler mais do poeta Chiado.

Por causa disto e daquilo para fazer isto ou aquilo. Hoje, às 18h, todos os caminhos vão dar ao Chiado.

Os agentes que lá forem ao engano que tomem os seus cuidados. É que o engodo do capataz não os tira da cadeia.

Este artigo foi publicado em cinco dias and tagged , , , , . Bookmark the permalink.

2 respostas a ANTÓNIO RIBEIRO CHIADO: “(…) guardar das encobertas e de quem falla á vontade; guardar de fallar verdade a quem trata com mentira; guardar de quem suspira co’o pesar do bem alheio; guardar de quem sem freio diz cada vez o que quer. (…)”

  1. Roberto diz:

    Bom poema.
    É impressão minha ou “guardar de quem deseja o alheio e quanto vê” e “guardar de quem suspira c’o pesar do bem alheio” são avisos em relação à esquerda que vocês representam, sempre a cobiçar o que os outros têm?

Os comentários estão fechados.