Mais um happening “pouco positivo” sobre a Greve Geral

Para que não falte nada ao spin da PSP, o movimento vai continuar a produzir elementos de prova. Bem pode a polícia treinar para o combate, que nós estaremos sempre melhor preparados. A força da razão será suficiente para dobrar o caminho proposto pelo Estado Policial.

“Com pezinhos de lã, governos e polícias de turno estão a impor a ideia de que é normal a infiltração em organizações políticas, a vigilância de militantes de esquerda, o recurso a provocadores em manifestações e a agressão a jornalistas para garantir o afastamento de testemunhas incómodas nas próximas cargas policiais. Um dia destes acordamos sem democracia e nem demos por isso.”

NRA, no i.

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

5 respostas a Mais um happening “pouco positivo” sobre a Greve Geral

  1. JgMenos diz:

    Cenas de indescritível violência!!! O terror na Baixa de Lisboa.
    Não recomendável a pessoas sensíveis …!!!

  2. Leo diz:

    “Mais um happening “pouco positivo” sobre a Greve Geral” ???????

    Mas o que é que o filme e a peça do Editor-executivo têm a ver com a greve geral? Rigorosamente nada!

  3. Leo diz:

    Em 28 de Março de 2012 o Renato Teixeira garantia: “Nem infiltrados, nem provocadores. A polícia teve ordem para atacar.”

    Hoje, apresenta um filme que termina dizendo: “Estão mais que vistas as tácticas subversivas que o MAI/PSP recorrem de forma a combater as notícias menos “positivas”…
    Uso excessivo da força
    Recurso a agentes à paisana provocadores (…)”

    Em que é que ficamos, afinal? Decida-se, Renato Teixeira!

    • Renato Teixeira diz:

      Oh imbecil Leo, o vídeo trata as duas estratégias de conjunto. A de Novembro e a de Março. Ide policiar o blogue da CGTP. Zute daqui de vez.

      • Leo diz:

        “o vídeo trata as duas estratégias de conjunto. A de Novembro e a de Março. ” ???? Só com imagens de Março? Que desculpa mais esfarrapada…

Os comentários estão fechados.