Fazer caminho na luta pela justa divisão do trabalho

Nos dias que se seguiram à Greve Geral e no decorrer da manifestação, dezenas de pessoas pediram para aderir ao Movimento Sem Emprego, alargando ainda mais as fronteiras abertas pelo entusiasmo inicial.

Se é verdade que a sua comunidade em rede já ultrapassou os 1400 contactos, não é mentira que o seu sucesso dependerá sobretudo do que estas e outras pessoas forem capazes de fazer cara a cara, além do fogo sempre fátuo definido pela rede.

Esta tentativa forjar uma organização para os desempregados tem corrido bem, gerado interesse a nível nacional com contactos a serem feitos em várias cidades e com núcleos em andamento, da Margem Sul ao Bombarral, por iniciativa de gente que nesses lugares está a levar a cabo esta experiência. Com uma estratégia de desenvolvimento baseada na democracia de base, cada grupo tem total liberdade na construção do seu próprio plenário e da orientação que em cada local se decida tomar, não estando o movimento refém de directórios de qualquer espécie.

O desafio é enorme, sobretudo porque se trata de pessoas que vivem no limiar da poupança, de ajudas familiares ou de biscates. Uma vez que boa parte delas nem sequer tem direito a figurar nas estatísticas, o subsídio de desemprego representa uma miragem ou um direito coxo e a prazo para os milhões de desempregados, sub-empregados, respigadores e precários que o país acumula e sacrifica para que a crise continue a ser um bom negócio.

Amanhã, às 18h30, vem fazer o balanço da greve geral e definir os próximos passos a dar.

Este artigo foi publicado em cinco dias and tagged , , , . Bookmark the permalink.

21 respostas a Fazer caminho na luta pela justa divisão do trabalho

    • Renato Teixeira diz:

      Não vi ninguém com esse nome nem ele me diz nada. Eu sei que para o Leo é difícil de acreditar mas nem todos os movimentos precisam de tanto músculo no serviço de ordem. Este é aberto e define-se pelo que todos decidem colectivamente.

  1. Leo diz:

    “Não vi ninguém com esse nome nem ele me diz nada.” ????

    Linkou o Bombarral sem ler?

    • Renato Teixeira diz:

      Exactamente. Só conheço as pessoas do MSE de Lisboa. Eu sei que para o sindicato dos sonhos do Leo é preciso ser aspirante duas décadas, mas…

      • Leo diz:

        “Bem Vindos
        O meu nome é Nelson Arraiolos, tenho 37 anos, nasci em Évora, e vivo no Bombarral, na bonita zona do Oeste.
        Sou modelo comercial em inicio de carreira, isto é, estou a iniciar a minha carreira como modelo publicitário, e fotografia de moda.
        Espero para já apenas vir a exercer esta actividade como um hobie e não penso para já numa carreira, pois tenho a perfeita noção de que esta é uma área onde existe muita concorrência, e bastante feroz. Para além disso tenho consciência de que não é facil encontrar o primeiro trabalho nesta área de actividade, também não é facil fazer furor sempre, pois passa-se de moda rapidamente, ainda que possamos ser requisitados muitas vezes.
        Esta minha decisão foi muito ponderada, pensei muito antes de a abraçar, ou seja, não foi em vão que decidi avançar só agora.
        Quero ainda frisar que estou aberto a todas as propostas, para isso deverão contactar-me, para qualquer audição/casting através do meu e-mail, ou através da minha agência contactos que deixarei no final deste texto.”

        De facto é um tanto embaraçoso admitir que conhece o tal Arraiolos…

        • Renato Teixeira diz:

          Não conheço mas está visto que o seu trabalho também é dado a muito desemprego. Não encontro nenhum problema na sua investigação stasiana, já do seu parasitismo enchi o saco.

          • Leo diz:

            “Não conheço mas está visto que o seu trabalho também é dado a muito desemprego. Não encontro nenhum problema na sua investigação stasiana” ???? Bastam dois segundos no google e qualquer um caça o sujeito.

            O mais cómico é que quem admite que não conhece o Arraiolos é quem jura a pés juntos num post mais em baixo “Nem infiltrados, nem provocadores. A polícia teve ordem para atacar.” Isso mesmo, em 28 de Março de 2012 o Renato Teixeira!.

          • Renato Teixeira diz:

            Oh homem, ainda não percebeu que a ideia não é fazer caça ao homem?

  2. um gajo qualquer diz:

    OS SINDICATOS DE SONHO DO LEO SÃO AQUELES QUE COLABORAM COM A PSP

    OS SINDICATOS DE SONHO DO LEO SÃO AQUELES QUE POLICIAM AS MANIFS

    OS SINDICATOS DE SONHO DO LEO SÃO AQUELES QUE ESPANCAM TRABALHADORES NÃO ALINHADOS (com aquela ortodoxia política que diz que devemos alinhar com a PSP).

    OS SINDICATOS DE SONHO DO LEO SÃO O NOSSO PESADELO

    • Leo diz:

      Pela berraria calculo que seja o gajo do batuque.

      • um gajo qualquer diz:

        Não Leo. eu sou o filho da puta do gajo que te atira à cara k COLABORAR COM A BÓFIA É COISA DE FASCISTAS & AMARELOS.

        DESONRAS TODOS OS MORTOS QUE O TEU PARTIDO TEVE ÀS MÃOS DA BÓFIA, Leo.

        continua com as piadas

    • Samuel diz:

      Olha… outra vez o “qualquer”. Pelos vistos a medicação está a ser um fracasso. 🙂

      • um gajo qualquer diz:

        pois está. Curte a minha tripe:

        Lembras-te da CATARINA EUFÉMIA assassinada pela GNR?
        levou com umas de ampolas de chumbo

  3. Menshevik diz:

    “na sua investigação stasiana”

    Ai, ai, ai Renato…isso são coisas que se digam?!??
    Stasi?!!?!
    Como ousa?!?
    Como se atreve?!?
    Isso não existia (tal como a KNVD/KGB) o (por certo saudoso) kamarada Lavrenti Pavlovitch Béria (vénia).
    Isso (Béria, o KGB, o Glavnoïé oupravlénié laguéreï…) são tudo expressões abstractas e perturbadas do nosso subconsciente eminentemente pequeno-burguês, revisionista e, comme il faut….”desviacionista”

    Olhe o respeitinho ao CC!!

    LOL!

    PS – Dizem, por aí (certamente bocas “fascizantes” e a soldo da “reacção”) que o hipotético novel líder da “”””monarquia””””” norte-coreana estudou num colígio da Suiça.
    A ser verdade (o que duvido, pois o filho do Querido Líder NUNCA estudaria num “antro reaccionário” desses”) será também certo que todos os cidadãos da República Popular e Democrática da Coreia do Norte puderam ter os seus filhos a estudar em estabelecimentos similares.
    É a igualdade, e tal……a igualdade….e a solidariedade, e tal……ah…e a fraternidade…..também…..
    …….também há quem acredite no Pai Natal…….

  4. coeh diz:

    Passos Coelho não exclui mais medidas de austeridade. “Há riscos e as coisas não estão garantidas”
    Se não o tiram do comando o homem leva o País ao fundo!

  5. João diz:

    Mas o que é lá isto, então os camaradas modelos não são trabalhadores? Actualize-se camarada Leo, até as camaradas putas sofrem a opressão de classe! Ou acha que não há modelos e putas a votar no PCP?

    • ana diz:

      Por acaso ia comentar exactamente o mesmo. Se o tipo arranjou biscates como modelo fotográfico qual é o problema?
      Tenho muitos amigos a fazer este tipo de trabalho precário porque é ‘relativamente’ bem pago (se bem que muito abaixo do lucro que dão, não recebem direitos das imagens, etc). Por duas horas num anúncio ganha-se de 500€ para cima.
      Não tem nada a ver com modelos de passerele, lê-se modelo imagina-se logo um aspirante a beldade.
      As pessoas que aparecem nos anúncios de seguros, telemóveis, detergentes, lojas, querem-se o mais banal possível, à imagem do cidadão comum. Se nunca repararam há muitas pessoas nestes anúncios novas, velhas, bonitas, feias. Etc. Ou pensavam que eram modelos de passerele que anunciavam fraldas lindor?
      Já pensei inclusive inscrever-me eu própria, se bem que não gosto do trabalho. Mas que é ‘bem pago’ quando se consegue é. Não sejam portanto preconceituosos. Portugal é um dos grandes exportadores de anúncios para países de leste, há provavelmente até amigos vossos a fazer estes anúncios e não vos contam. Eu tenho pelo menos 2 amigos a fazê-los.

  6. ana diz:

    Em suma, não me admira que uma pessoa na penuria, sabendo que um amigo, sendo gordito e careca, ganhou 1000€ num anúncio feito num par de horas, não tente também.

Os comentários estão fechados.