As concentrações da greve geral

A CGTP-IN, no âmbito da Greve Geral do dia 22 de Março, promoverá um conjunto de acções públicas em todos os distritos do país, nos seguintes locais de concentração. Deixo aqui alguns.

Lisboa: Rossio, às 14h.
Porto: Praça da Liberdade, às 15h.
Coimbra: Praça 8 de Maio, às 11h.
Setúbal: Largo da Misericórdia, às 11h.
Barreiro: Largo da Santa no Alto Seixalinho com desfile para o Largo Catarina Eufémia, às 15h30.
Braga: Praça Arcada, às 15h.
Corroios e Cova da Piedade: Desfile para o Laranjeiro/Praça da Portela, às 10h30.

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

18 respostas a As concentrações da greve geral

  1. Renato Teixeira diz:

    Porque se mexe em equipa que ganha, que é como quem diz, se a manifestação da última greve geral correu bem, porque se recua para simples concentrações?

    • Pedro Penilo diz:

      Renato, porque é que insistes na ideia ridícula e infantil de que tu é que deves impôr à CGTP e às centenas de milhares de trabalhadores que sustentam a Greve Geral a tua agenda, marcando antecipadamente manifestações, horários e percursos (com toda a tua liberdade), mas depois te queixas de que os planos da CGTP não coincidem com os teus?

      Porque é que não escolhes entre a tua liberdade de fazer o que quiseres na Greve Geral ou reconheceres que, se deve haver unidade, ela deve ser feita em torno de quem convoca a Greve Geral – só por uma questão de razoabilidade, número, representatividade, etc, etc, etc?

      • Renato Teixeira diz:

        Ora essa. Então já nem os sindicalizados têm direito a sugerir formas de luta à CGTP? Pensava que a central, integrada na sociedade em que está, ouvia as sugestões de todos, mas ao que parece nem mesmo os sindicalizados.

        Pedro, fica-te mal essa sobranceria. Eu não marco manifestações face à minha agenda, participo em movimentos que o fazem e que, curiosamente, aderiram à greve. É bom que assim seja, certo?

        Fico sem saber porque é que se mexe numa equipa que ganha…

        • Pedro Penilo diz:

          Ora bem, tu participas em movimentos que marcam manifestações por conta própria (e com inteira liberdade). A CGTP, como organização crescidinha que também é, marca as suas.

          Mas tu exiges que a CGTP seguisse a “orientação” dos teus movimentos (que por sinal não são responsáveis pela Greve Geral, nem fizeram grande questão de saber para quando, onde e como quereria a organização mais representativa dos trabalhadores portugueses marcar a sua manifestação ou concentração).

          • Renato Teixeira diz:

            Relê o comentário Pedro. A pergunta referia-se ao facto de praticamente não haver divulgação da manifestação, mesmo a da CGTP.

            Mas adiante. Parece que afinal o destino é o mesmo para todos.

  2. MG diz:

    Em Lisboa, é concentração seguida de manifestação!

    A pergunta pertinente é outra: porque é que em dia de greve geral andam organizações a promover iniciativas paralelas e sem convergir com a CGTP-IN, como a que está a ser convocada para as 16h00.

    Estão no seu direito? Claro! Merecem o meu respeito? Não!

    Lá estarei às 14h00. Com a CGTP-IN e todos os sindicatos e estruturas que se lhe juntaram na greve geral.

    Um Abraço,

  3. subcarvalho diz:

    Em dia de Greve Geral, Luís Rebelo, representante dos estudantes da Universidade do Porto e Dra. Cláudia Almeida, representante dos funcionários não docentes da Universidade do Porto, em vez de estarem em Greve, vão ao beija mão do coveiro Passos Coelho, que tem a sua visita à UP marcada, lá está, para o dia a greve geral, por volta das 16h00.

    Às 15h00, há malta que se vai concentrar por aí, pela Praça dos Leões, contra a vinda do coveiro e os fura-greves, numa espécie de flashmob com tempero de piquete (ou vice-versa)

    • AS diz:

      Não há fura-greves. Há gente que quer trabalhar outros parece que não…

      • De diz:

        Um comentário a este comentário.
        Claro que há fura-greves.E os que dizem “eu quero trabalhar” enquanto furam a greve,para além de serem fura-greves,são na sua maioria uma outra coisa.
        Não parece?Mais do que isso.São mesmo
        Percebido AS?

  4. unidade? diz:

    A pergunta é pertinente?
    Na Greve Geral de 24 de Novembro de 2010 não houve concentrações ou manifestações de rua promovidas CGTP. Na última não foi assim.
    Desta vez, como a 24 de Novembro de 2011, essas tais “organizações” convocaram (no final de Fevereiro) uma manifestação para as 16h do dia da Greve Geral (22 de Março de 2012) comunicando com a CGTP/USL para coordenação de esforços [iniciativa paralela?].
    Entretanto, hoje, dia 19 de Março de 2012, é público que em Lisboa acontecerá uma concentração promovida pela CGTP/USL no Rossio às 14h.
    Então, qualquer “organização” que tivesse vontade de sair à rua no dia 22, devia ter esperado pacientemente pela convocatória de hoje da Central para não ser acusado de divisionista e quem não o fez não merece respeito. Tá certo!

    Dia 22 saiamos à rua, para lutar contra o Governo, sem dizer que o vizinho que luta também é que está a sair à rua à hora errada!

    • Pedro Penilo diz:

      Sucede que é o Renato que exige que a CGTP adira às convocatórias que ele propõe. Ninguém o criticou por convocar manifestações às horas que quiser, com o percurso que quiser.

      E sim, se quem adere à Greve Geral está interessado em fazê-lo em unidade, pode perfeitamente esperar pela convocatória da CGTP, responsável que é pela marcação da Greve Geral. Eu esperei e tenho a certeza de que não chegarei atrasado. Se querem marcar a sua concentração privada, podem fazê-lo com toda a liberdade.

      • Renato Teixeira diz:

        “o Renato que exige que a CGTP adira às convocatórias que ele propõe.”?!?!? Deves estar a brincar. Podes dizer-me onde lês-te essa exigência?

  5. Pingback: Manif em Portugal contra o governo « overdemar

Os comentários estão fechados.