Pára tudo!

Este artigo foi publicado em cinco dias and tagged , . Bookmark the permalink.

9 respostas a Pára tudo!

  1. A.Silva diz:

    Bom cartaz :))

  2. Sassmine diz:

    olha lá, isso do da joana é comigo? :p

  3. Monti diz:

    Serve de pouco.
    Enquanto da praça do Marquês de Pombal,
    não sair uma SAS para invadir a catedral elétrica,
    subir e despejar um tal Vasconcelos por uma janela.

  4. Pois, pois . . .
    O *estúpido* do povo, maioritariamente,
    deu-vos com os pés . . .
    Coisa que não se passa nas *democracias* a brincar
    como na Síria apoiada pela URSS-China-Cuba-Coreia do Norte,
    onde não se fazem perguntas *reaccionárias* como seja: quem querem
    que vos governe, oh povo?

    • De diz:

      Pois pois era um slogan usado por um sacripanta explorador,useiro e vezeiro em negociatas de pato-bravo.
      Foi-se o sacripanta.Ficou o “luís a afonso”.

      Um pouco pateticamente se regista o registo do pobre coitado.Refugia-se nos braços de qualquer outra coisa…
      desde que não se fale na Greve Geral.

      “luís a. afonso”.Tenha paciência.Mas o trejeito é por demais notório.E cheira a mofo pegajoso,
      a raiva…
      …e a um pouquito de medo

  5. ….bem podem fazer as greves que quiserem, se não lutarem diariamente contra os maus costumes do espírito e consumo, não vos servirá de nadinha. Mas boa sorte á mesma por “tem que ser!”.

    • Pedro Pinto diz:

      «maus costumes de espírito e consumo»?… Olhe, da minha parte cada vez consumo menos, e não é porque não faça falta… Tudo serve para lançar a confusão. Mas diga lá, adere à greve ou não?

      • Há anos que estou em greve e há anos que vivo uma guerra diária! Não existe nenhuma greve convocada por quem quer que seja, que me alimente mais a consciência que a minha guerra diária rumo ao cataclismo deste sistema. Prefiro ir ao fundo com o “barco” que simular uma luta ausente de uma consciência.
        Antes que o estado & Cia. me imponham cortes já há muito que vivo recortado. Acredito que, na união está a força mas, actualmente é mais forte a desunião que a vontade de alterar a situação.

        Abraços.

Os comentários estão fechados.