V – feminismos…

Cedo as lutas laborais fizeram parte do património de luta das mulheres. O Dia Internacional das Mulheres tem origem no Woman’s Day (Dia da Mulher) organizado pelas feministas socialistas dos EUA. Este dia, que contou com uma participação de 1500 mulheres, comemorou-se pela primeira vez a 3 de Maio de 1908, para exigir a igualdade, o direito de voto e lutar contra a opressão e exploração das mulheres. Dois anos depois, Clara Zetkin (1857-1933), na I Conferência Internacional das Mulheres (integrada no Congresso da II Internacional) realizada em Copenhaga, em 1910, propõe que se institua um Dia Internacional das Mulheres, para lutar não só pelo direito de voto para todas, como também contra os salários de miséria e as elevadas jornadas de trabalho. Pretendia-se, pois, que as mulheres se organizassem contra as terríveis injustiças sociais do sistema capitalista e lutassem pela transformação da sociedade. Nessa conferência foi aprovada uma resolução a favor do trabalho das mulheres na indústria e do princípio da igualdade salarial.

(comunicado “Do Dia Internacional das Mulheres ao Mayday – Continuando lutas emancipatórias” do MaydayLisboa2012)

(também aqui)

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

4 respostas a V – feminismos…

  1. Pingback: V – feminismos… « Paulo Jorge Vieira

  2. Y diz:

    Porra. O Império permitiu que estas gajas se emancipassem!!! tsst tsst.

  3. Pedro Bergano diz:

    Mas isto é só GAJOS a escrever sobre o dia internacional da mulher?!?!
    Ou como a blogosfera é um reduto de machos…?

  4. …um gajo vai e volta e no entanto, aqui, continua-se a comentar a cor das cuecas da Cinha Jardim! Quando é que decidem escrever sobre o que realmente está acontecer e mobilizar ideias que mobilizem gente. Afinal são vocês os intelectuais que leram um abismo de teorias políticas e tudo o que há para ler. Ponham lá as ideias em prática!
    Feminismo? Sim. Hoje a cada português o estado deveria oferecer uma mulher boa, para dar umas quecas boas! Não, está errado!
    Cada mulher é que se deveria oferecer por livre e expontânea vontade, para dar não uma mulher mas umas quecas boas.

Os comentários estão fechados.