E a Parque Escolar ainda existe…

O ministro da Educação e Ciência, Nuno Crato, revelou nesta terça-feira que, segundo uma auditoria da Inspecção-Geral de Finanças, o preço unitário de cada uma das escolas reabilitadas pela Parque Escolar, que estava estimado em 2,82 milhões de euros, saltou para os 15,45 milhões de euros, o que representa uma subida de mais de 400%.

“Caberá à IGF apresentar os resultados, mas posso adiantar algumas conclusões – deviam ter sido estabelecidos tectos máximos de investimento para cada obra e deveria ter sido feita uma apreciação crítica da arquitectura antes de as submeter a concurso”, disse Nuno Crato, na Comissão Parlamentar de Educação, Ciência e Cultura.
Ainda disse que para tomar decisões sobre o futuro da Parque Escolar aguarda o resultado de uma outra auditoria, esta a cargo do Tribunal de Contas. Neste caso haverá também dados gerais, mas ainda estão na fase do contraditório cinco auditorias feitas a outras tantas obras específicas, disse o ministro.
Apesar de ter revelado aqueles dados, Crato deixou sem resposta o deputado comunista Miguel Tiago, que o convidara a “extinguir a Parque Escolar” e a “assumir as suas responsabilidades”, dinamizando obras em escolas que, segundo disse, estão num estado de degradação que já não garante a igualdade de condições das crianças em relação às condições de estudo.

Breves notas:
1. Parece que afinal o relatório da auditoria do Tribunal de Contas sempre existe (a auditoria começou há dois anos);
2. Para perceber que os valores de obra foram muito superiores ao estimado e/ou ao valor de mercado não era necessário uma auditoria. Já agora, se os auditores quiserem uma pista, investiguem bem as 4 escolas da fase 0 quando a toda poderosa Maria de Lurdes Rodrigues ainda era ministra;
3. A consequência óbvia das declarações do Sr. Ministro, e que estranhamente tarda, é a demissão e responsabilização criminal dos dirigentes da Parque Escolar.

Este artigo foi publicado em cinco dias and tagged . Bookmark the permalink.

3 respostas a E a Parque Escolar ainda existe…

  1. antónimo diz:

    nos blogues das viúvas do outro (http://aspirinab.com/penelope/o-pecado-da-modernizacao-das-escolas/) continuam a discutir estas notícias sobre a Parque escolar como tendo origem num bando de energúmenos que queria manter as escolas num estado de ruínas e que assim sabota os esforços sem mácula de uma gente rigorosa, competente e cheia de boas intenções.

  2. Luis Almeida diz:

    Há 35 anos que é o regabofe mais descarado. Primeiro foram as verbas da UE. Formação que nunca existiu, etc, etc. Enfim, encheram-se muitos bolsos de gente no poder e afins…
    E os culpados não são anónimos. Têm nome e têm rosto! São sempre e só o PS, o PSD e o CDS.
    Já se perguntaram porque caiu a venda de carros utilitários ( até os usados! ) mas não dos topo de gama?
    Já se perguntaram porque é que associação de empresas de construção imobiliária só agora descobriu as delícias da “reabilitação urbana”? Porque têm montões de dinheiro empatado e dívidas a banca que não consegue pagar! Lançaram-se com o conluio da banca, que ganhava de dois carrinhos – a emprestar aos construtores e a quem queria adquirir casa própria – na construção desregrada de “cidades satélite” na periferia apanhando tudo o que eram linhas de água e terrenos de “vocação agrícola” e que hoje deixou de vender-se. Bairros inteiros, novinhos em folha, sem vivalma a habitá-los! Até passaram a arrendar, para não perder tudo!
    Não foi só o PCP a alertar para isto. Pessoas como o Arquitecto Ribeiro Telles, faça-se essa justiça, fartaram-se de criticar isso mesmo!
    Entretanto, os andares em condomínios de luxo e as luxuosas moradias com piscina nunca baixaram as vendas! A corrupção encheu os bolsos a uma minoria, de algumas dezenas de milhares, que dá para movimentar um pequeno mas rendoso comércio de luxo…
    É só ver a obscenidade de preços de “boutiques”, como a Hermès, no Chiado. Como é que alguém pode comprar um lenço ou umas luvas ( com um belo e exclusivo design, é certo…) por um preço superior ao salário médio mensal de um trabalhador?
    No início ainda tive a ingenuidade de pensar que Guilherme de Oliveira Martins, apesar de ser do PS, partido em que eu confio ainda menos do que na direita, iria por a casa em ordem ( refiro-me ao Tribunal de Contas, claro ) mas, hoje é para mim claro que é como o resto da pandilha…

  3. Luis Almeida diz:

    Eu sou muito apreciador do design ( em que a forma é tanto mais bela quanto mais estiver ao serviço da função ) , do estilismo, enfim de coisas bonitas. Acho que, posto ao serviço da maioria, o bom gosto poderia não sair mais caro que as coisas feias, que os “mamarrachos”. Interesso-me por moda, sobretudo pelo seu papel social. E, penso que estética, beleza e bom gosto não são incompatíveis com o mundo em que acredito…

Os comentários estão fechados.