Recordar é viver.

“Confesso que o voto contra, do PCP, ao empréstimo à Grécia deixa-me estupefacto. Pode ser-se contra a forma como a Europa está a lidar com a crise e como isso se reflecte nas condições do empréstimo. Pode-se condenar a política anti-social na Grécia. Pode-se apontar o dedo aos verdadeiros responsáveis por esta crise. Mas votar contra a parte portuguesa do empréstimo é apostar na miséria grega para ter razão. Os gregos estão a manifestar-se contra a falta de solidariedade europeia e contra os ataques aos seus direitos, não estão a manifestar-se para serem abandonados à sua sorte.”

Daniel Oliveira

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.