A TSF e as rádios livres a que Cavaco chamou de piratas


via Viceland

Só consegui ouvir, no carro, os primeiros 2 minutos da entrevista de Cavaco Silva à TSF. Foi suficiente, ainda assim, para começar a bolsar copiosamente – ainda mais do que um grande amigo quando leu ontem a entrevista de Elísio Summavielle ao I.
Diz o Presidente da República que, outrora, quando desempenhava as funções de Primeiro-Ministro, liberalizou a rádio e foi assim que nasceu a TSF.
Ora, se a memória não me atraiçoa, o que fez o Governo em 1988 foi exactamente o contrário. Acabou com centenas e centenas de emissoras livres, onde se fazia rádio a sério, e chamou-lhes piratas, acabando assim com um dos momentos mais belos da comunicação social portuguesa no pós-25 de Abril.
Ao invés, através de critérios pouco transparentes, criou um feudo para meia dúzia de rádios ditas locais. Entre elas, a TSF. Que, como se sabe, é uma emissora eminentemente local…
Foi isto que aconteceu com a dita «liberalização» da rádio. Todos sabemos que a memória de Cavaco já não é o que era, mas há limites para tudo.

Este artigo foi publicado em cinco dias and tagged , , , , , , , , . Bookmark the permalink.

3 respostas a A TSF e as rádios livres a que Cavaco chamou de piratas

  1. Luigi Fare Niente diz:

    O da Fossa de Boliqueime, devia estar a pensar no dias loureiro,duarte lima,joaquim coimbra,isaltino,loureiros,etc.

  2. Pingback: Leituras de moralidade duvidosa | Aventar

  3. JSoares diz:

    Vejam lá quem é que ganhou um monopólio nas rádios à custa da aquisição de rádios locais?
    Quem foi quem foi?
    O genro do Cavaco, o Luis Montez. Esse Sr. Silva nunca dá ponto sem nó, o verdadeiro Al Capone da politica nacional.

Os comentários estão fechados.