Não há evidências de programa Iraniana para bomba nuclear

Um artigo publicado hoje no New York Times revela que há consenso entre as 16 agências de inteligência Estadunidenses de que o Irão não tem um programa para construir bomba nuclear. Não há dúvidas entre estas agências e as Europeias e Israelitas de que o Irão está a enriquecer urânio. Mas o próprio Irão não o nega. Afirma claramente que a energia nuclear é central para a sua política energética. O que tem negado é ter intenção de prosseguir um programa de produção de armas nucleares. Um relatório de 2007 das agências Estadunidenses, confirmado pela Estimativa de Inteligência Nacional de 2010, concluiu que em 2003 o Irão abandonou quaisquer planos de produção de armas nucleares.  A CIA e outras agências consideram que o Irão ainda poderá decidir enveredar por um programa de armamento nuclear e alguns analistas consideram que o Irão tem uma estratégia de ambiguidade, aumentando a sua influência mantendo a dúvida sobre as suas intenções.

A divergência entre as recentes avaliações das agências de inteligência e a produzida em 2005 deve-se em parte a um critério mais exigente na produção dos relatório de inteligência, no seguimento dos rotundos falhanços sobre a existência de Armas de Destruição Massiva no Iraque. Os analistas têm agora que ter acesso à informação bruta e à identidade das fontes, e é-lhes exigida mais informação sobre a lógica conducente às suas conclusões. 

A Agência Internacional de Energia Atómica indicou recentemente que o Irão acelerou o seu programa de enriquecimento de urânio. Mas esse processo é necessário também para fins civis. O processo de enriquecimento envolve aumentar a proporção do isótopo U-235 face ao isótopo U-238, o elemento principal extraído das jazigas. Um enriquecimento de 5% é suficiente para o funcionamento de uma central nuclear. Uma ogiva nuclear requer um enriquecimento superior a 90%, e em quantidade (pelo menos 15 kg). Nada indica que o Irão tenha capacidade de tal produção, embora já seja capaz de enriquecimento na ordem dos 20%.

A parada é alta. A ambiguidade não é boa companheira. Há que recordar que em 2005, o Ayatollah Khamenei, Líder Supremo do Irão, emitiu um decreto religioso (fatwa) proibindo a produção e uso de armas nucleares. O Irão tem sido consistente nas suas intenções legítimas de possuir um programa de energia nuclear, e tem dado acesso ao AIEA, mas não perde nada com maior transparência. A AIEA tem de ser mais clara nos seus pronunciamentos sobre a real capacidade do Irão produzir a quantidade necessária de Urânio enriquecido e o capacitar numa ogiva. Israel e o ocidente manda achas na fogueira com a sua espionagem flagrante (recorde-se o avião não pilotado dos EUA que o Irão recuperou), o assassinato de vários cientistas nucleares Iranianos, e Israel – único país que possui armas nucleares na região, embora não declaradas –tem ameaçado realizar ataques preventivos na primavera.

 

Sobre André Levy

Sou bolseiro de pós-doutoramento em Biologia Evolutiva na Unidade de Investigação em Eco-Etologia do Instituto Superior de Psicologia Aplicada, em Lisboa
Este artigo foi publicado em André Levy, Imperialismo & Guerra and tagged , . Bookmark the permalink.

5 respostas a Não há evidências de programa Iraniana para bomba nuclear

  1. kirk diz:

    Esses filhos de puta ruim dos israelitas e americanos andam a tentar preparar a opinião publica internacional para fazerem o que a corja anglo-americana e seus apaniguados foram fazer ao Iraque. Apesar de eu gostar tanto do Irãso como de Israel ou EUA penso ser uma repassada filha da putice a propaganda imperialista claramente destinada a intimidar o regime iraniano apenas porque o complexo industrial militar norte-americano e as companhias petroliferas precisam de aumentar os seus proventos e de dominar fontes de matérias primas, nem que para isso seja preciso fomentar uma guerra num país longinquo.
    A atitude de grande abertura do Irão face aos controles da AIEA tem-lhes dificultado claramente a tarefa (aos sionistas e ao grande satã). Esperemos que assim continue e pirincipalemte que aquela agencia paute as suas inspecções e respectivos relatorios por critérios de honestidade, embora saibamos que isso represwenta uma ténue barreira que em ultima analise será insuficiente para impedir qualquer agressão se for do interesse do imperialismo americano.
    Entretanto o silencio da Europa face ás ameaças de que o Irão tem sido vitima leva-me a concluir que o lugar de pequenos paises como o nosso não é numa Uniao dominada por interesses que estão longe de coincidir com os de Portugal. É preciso olhar para outros horizontes. Repito o que já escrevi noutro comentario, se os chineses cá chegaram, se os portugueses chegaram á ásia, se chegaram á áfrica e á américa latina, porque não voltar a essas paragens?
    K

  2. notrivia diz:

    Para reforçar o exposto, recomendo um link de uma entrevista relacionada com o assunto em meados de Novembro passado…

    http://therealnews.com/t2/index.php?option=com_content&task=view&id=767&Itemid=74&jumival=7594

    Era de se enviar uma mensagem ao new york times com a seguinte pergunta:
    ‘Where were you, and what were you doing then?’

  3. Não há evidencia do Irão esteja a produzir armas nucleares . . .

    Depois kirk já não precisa de evidências e caga desta maneira ( a laia de claque de futebol):

    . . . Apesar de eu gostar tanto do Irãso como de Israel ou EUA penso ser uma repassada filha da putice a propaganda imperialista claramente destinada a intimidar o regime iraniano apenas porque o complexo industrial militar norte-americano e as companhias petroliferas precisam de aumentar os seus proventos e de dominar fontes de matérias primas, nem que para isso seja preciso fomentar uma guerra num país longinquo. . .

    JÁ PERDI A PACIÊNCIA PARA JAVARDICES STANINISTAS DESTE TEOR. . .

  4. Zuruspa diz:

    Más notícias para os iranianos, entäo. Seräo invadidos e massacrados. Como se näo bastasse já viverem debaixo daquela teocracia!

    Pois se o Saddam realmente tivesse as famigeradas ADM näo seriam invadidos, por medo que os americanos as levassem em cima. Como a CIA sabia perfeitamente que passavam por aquilo como cäo por vinha vindimada, foi uma beleza.

Os comentários estão fechados.