EXCLUSIVO 5DIAS: Notáveis do PASOK pedem solidariedade com Portugal

«Avolumam-se o isolamento e a discriminação de Portugal, fortemente acentuados pelo discurso dominante dos principais dirigentes europeus e da comunicação social»

«é, no mínimo, chocante no seio da União Europeia, onde mais se esperaria compreensão e solidariedade e, sobretudo, desajustada quando se sabe que a crise não é só portuguesa mas europeia»

«a crescente fractura entre os cidadãos e o poder político, em torno da invocada necessidade de cada vez maiores sacrifícios para que a dívida seja paga e o défice orçamental reduzido»

«Acentuam-se a tensão e a violência, tornando ainda mais difícil o diálogo indispensável à procura de soluções mais justas e partilhadas para a situação existente»

«face à agudização das tensões políticas e sociais em Portugal, os signatários apelam à solidariedade com o povo português e à criação de condições que permitam respostas democráticas e consistentes de uma Europa solidária aos problemas sociais e aos direitos das pessoas»

Não aconteceu, mas podia ter acontecido. Será que o PS subscreveria um documento assim, ou optaria por mais uma abstenção violenta?

ACTUALIZAÇÃO: Esta prosa, aplicada à Grécia, consta de uma petição de notáveis subscrita por gente da área do PS e uns poucos, cada vez menos, homens de esquerda que ainda acreditam na redenção socialista.

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

6 Responses to EXCLUSIVO 5DIAS: Notáveis do PASOK pedem solidariedade com Portugal

  1. JgMenos diz:

    «uma Europa solidária aos problemas sociais e aos direitos das pessoas»
    Um bom princípio que tem dois sentidos: norte->sul e sul->norte.
    Ora, o direito das pessoas do norte é que não existam Estados no sul a desbaratarem o dinheiro que o norte lhes empresta, para a seguir clamarem por não pagamento invocando a solidariedade; e requerendo mais do mesmo!!!!

  2. Rocha diz:

    Deixa lá essas fábulas Tiago. Tenho preciosas informações para continuares a tua sequência de posts sobre a evolução de sondagens na Grécia (as fontes estão abaixo):

    Sondagem de Eklogica.gr publicada a 15/02/2012
    NOVA DEMOCRACIA – 27,5%
    ESQUERDA DEMOCRÁTICA – 16%
    KKE – 14%
    SYRIZA – 13,5%
    PASOK – 11%
    LAOS (extrema-direita tipo CDS) – 4,5%
    ECOLOGISTAS VERDES – 3,5%
    ALVORADA DOURADA (extrema-direita nazi) – 2,5%
    BIGA DE CIDADÃOS PAN-HELÉNICOS (cisão do Pasok) – 2%
    ALIANÇA DEMOCRÁTICA (cisão da ND) – 2%
    ANTARSYA (frente anticapitalista, extrema esquerda, ciṣo da Syriza) Р1%
    OUTROS – 2,5%

    Nota: Só acima de 3% dos votos é possível eleger deputados segundo uma cláusula eleitoral em vigor. Os Ecologistas Verdes são os últimos a consegui-lo segundo todas as últimas sondagens. O bloco do governo da Troika ND-PASOK-LAOS tem 43% contra 43,5 dos partidos à esquerda ED-KKE-SYRIZA.

    Vê estas páginas com tradutor ou olha para a gravura do gráfico:
    http://kke4ever.blogspot.com/2012/02/vprc-3-11-red-star.html
    http://lesvosnews.net/2012/02/15/ar-2/
    http://www.epikaira.gr/epikairo.php?id=38624&categories_id=69
    http://www.eklogika.gr/news/8067

  3. Luis Almeida diz:

    Muito boa, Tiago! Vou pôr no FB.

  4. Antónimo diz:

    a coisa é útil e não vejo onde raios é que a coisa aponta à redenção socialista, tirando na presença de vários. clubites à parte é passível de ser subscrita por qualquer democrata (dos liberais e dos populares). repete aliás muitas coisas ditas pelos democratas populares.

    • Tiago Mota Saraiva diz:

      Antónimo, a coisa é útil para quem?
      O texto apresenta um conjunto de generalidades que, como demonstro podem ser aplicadas ao país que se quiser…
      Para que esta tendência de petições de notáveis promovidas pela Fundação Soares?

      • Antónimo diz:

        Mete-me nojo o constante furor com que pela europa fora se tenta ostracizar a grécia, como se não devêssemos fazer todos parte do mesmo barco.

        Generalidades ou não, não se pára de ouvir em todo o lado gente repetir exactamente o contrário, pontos de vista validados pelos resultados das sondagens que continuam a dar a liderança ao PSD e expressivos resultados do CDS. E se as sondagens são manipuladoras – defendo a proibição da sua divulgação- mas não acredito que o sejam em grandezas de valor excessivamente altas.

        A resposta à crise apenas pode ser dada à escala europeia, juntando vozes discordantes do caminho que se tem seguido. Metendo os pés à parede, renegociando, recusando violentamente epítetos racistas como PIIGS e recolocando no espaço público o valor e primazia do humano. Tíbio ou não, é isso que este apelo faz, não é da mesma cepa daquele dos três antigos PRs à conformidade com a tróica.

Os comentários estão fechados.