Bitri


Ao contrário da Política, área em que perco sempre, o Futebol sempre me deu muitas alegrias. Preferia que fosse ao contrário, mas as coisas não são como nós queremos.
Por isso, mas não só, a minha postura perante a Política e o Futebol não podia ser mais distinta. A Política é algo que está ou deveria estar ao serviço da população e defender ou não um determinado Partido só faz sentido enquanto esse Partido continuar a enquadrar-se naquela que é a nossa ideologia. O Futebol não. Somos de um clube incondicionalmente, aconteça o que acontecer. Não mudamos de clube. Não nos sentimos traídos.
A liberdade com que encaro Política e Futebol, essa, é a mesma. Da mesma forma que a minha ideologia me coloca muito próximo do Partido Comunista, subscrevendo muitas das suas propostas a nível interno – quase todas, não tenho qualquer problema em criticar todas as posições do Partido no contexto da política internacional, abominando todos os regimes que o PCP teima em defender. Da mesma forma que digo que o FC Porto é neste momento o número um em Portugal por mérito próprio, não tenho qualquer problema em questionar tudo o que acho que está errado no interior do clube.
Tudo isto para dizer que a partir de hoje poderão encontrar-me no Bitri. Um blogue colectivo, constituído por bloggers que têm em comum o facto de serem adeptos do FC do Porto. Entre eles, está o João Valente Aguiar, daqui da casa, mas também o Rui Curado Silva, que já por cá passou, o João José Cardoso, do Aventar, o André Azevedo Alves, do Insurgente, o Fernando Moreira de Sá, do Forte Apache, o António Nogueira Leite e muitos outros que a seu tempo darão notícias.
Estão todos convidados para irem lá dar umas opiniões. Em especial tu, Tiago – sim, que agora estamos do lado contrário da barricada…

Este artigo foi publicado em cinco dias and tagged . Bookmark the permalink.

29 Responses to Bitri

  1. anon diz:

    Espero pela opinião referente ao corrupto putanheiro que há decadas lidera o clube.

  2. Tiago Mota Saraiva diz:

    Desejo-te os maiores sucessos na política.

  3. Tiago Mota Saraiva diz:

    Respondi-te no lugar próprio.

  4. Rocha diz:

    Se contribuir para desmistificar a máfia de todas as SAD e direcções clubísticas, boa sorte aos camaradas.

    Francamente eu que sou do Porto mas não do FCP, mas sim anti-futebol. Tenho os ouvidos cheios – durante as viagens para manifs de Liboa – com barbaridades reaccionárias do regionalismo futeboleiro. Os clubes parecem ser piores que as fronteiras no atiçar de ódios idiotas entre a classe trabalhadora. E isto acontece porque vigora a reverência à sua “santidade” Don Pinto da Costa, a sua “majestade” Luís Filipe “rei dos pneus” Vieira e à “meritíssima” quadrilha financeira (que há anos hipotecou o Sporting).

    Depois ainda há o Sporting Clube Bragaparques, o industriais VitóriaGuimarães roubalheira ilimitada, o defunto xadrez Loureiro boavisteiro (que devia ser xilindró para toda aquela família) e estou certa que esta lista do submundo da máfia de dirigentes de futebol continua.

    Se é para virar frangos e leitões, isto é assar mafiosos, merecem o minha claque.

  5. O futebol profissional é um dos mais expressivos expoentes do capitalismo.

  6. Eu não participava no mesmo blogue que o André Azevedo Alves, nem que fosse sobre culinária. Não é uma questão de política ou futebol, mas de decência e honestidade.

    • Ricardo Santos Pinto diz:

      André, no Bitri política não entra.

      • kirk diz:

        Caro, a politica entra em tudo, mas em tudo mesmo. Mesmo no Bitri. E então, tratando-se de futebol entra mais. Quando o RuiRio foi eleito e o Porto foi campeão da Europa o gajo nem os quis receber na câmara? seria porque achava que era fazer politica recebê-los, ou seria por achar que se não os recebesse não estava a fazer politica?
        Eu fui dar uma espreita a um ou dois escritos do AAA no Insurgente e… menino! O homem é um reaccionário do caraças. Pode ser portitsta, mas é um portista reaça.
        Eu quando encontro um portista nao lhe pergunto a cor politica. Aproveito para exaltar as vitorias presentes e passadas do clube, o que me permite elevar um pouco o ego, neste país á beira da bancarrota.
        Mas que o AAA é reacionário, lá isso é.
        K

      • PP diz:

        E depois disto prepara-te porque vais ser chutado daqui pra canto como o AF foi.

  7. Jakim diz:

    Podes dizer aos teus comparsas de blogue que quando o Porco da Costa bater a bota, e se eu ainda cá estiver, vou ali à Fonte da Telha largar umas canas para comemorar. Vocês são a entidade mais nojenta e asquerosa deste país. Represenatm tudo aquilo que eu mais detesto.

    E olha lá, este ano vamos voltar a ter sessão de beija pés na Assembleia da REpública ao Porco, como tem sido nos anos anteriores ?

    • Ricardo Santos Pinto diz:

      Para quem não diz o seu nome e inventa o e-mail, tens muita letra. Mas não te preocupes, é muito provável que morras antes dele.

      • Rocha diz:

        Vês Ricardo? É este tipo de provocações imbecis que fazem do futebol uma excelente arma de alienação.

        O Jakim além de reaccionário, como todos sabíamos, é também uma criatura boçal. Coitado do Jakim… coitado do Pinto da Costa… coistado do futebol… Mas sobretudo coitada da inteligência em Portugal!

      • Jakim diz:

        Deixa-te de tretas, tu devias era de fazer um post a questionar porque é que uma agremiação como o Futebol Clube dos Porcos paga viagens ao Brasil a um árbitro (vi o recibo nos jornais), paga prostitutas a árbitros (comprovadas pelas escutas no youtube), fomenta o ódio (a que nós respondemos com ódio ainda maior) e é nada acontece sendo ainda recebido e convidado para jantares nos areópagos do Regime, como a AR.

        Eu digo-te uma coisa pá: tenho muita pena que aquele calhau que foi mandado ao carro do Porco na A5 a) não tivesse 20 kilos, b) não tivesse ido direitinho aos cornos do Porco Nojento.

        Estás a perceber ?

        • Ricardo Santos Pinto diz:

          É impressão minha ou o educado leitor, que continua sem revelar o seu nome e sem indicar um endereço de mail inválido, falou algures no nome de Inocêncio Calabote?

          • Jakim diz:

            Tu nem a história do Calabote sabes. Vai ler a história do Calabote antes de vomitares. E depois lês as histórias todas do teu clube de mafiosos. E pergunta-te porque é que ninguém do Futebol Clube dos Porcos está de cana,. Se não sabes eu digo-te: porque o filho da puta do Regime vos limpa as trafulhices todas.

          • Ricardo Santos Pinto diz:

            Ah, o simpático e educado leitor referia-se ao antigo presidente João Vale de Azevedo. Não ao actual, claro, um exemplo em todos os aspectos. É isso, deve ser isso. Muito pó nos pneus, comentador e amigo Joaquim, muito pó nos pneus, é o que é.

          • Luis Magalhães diz:

            É por isto que eu gosto destes jakinzinhos: na sua imbecilidade demarcam com nitidez a separação (luta de classes), que tanto nos querem fazer que já não existe, imanente à sociedade. Além disso deixam bem à vista que o que norteia a direita, não obstante os discursos piedosos do tipo “o melhor dos maus sistemas”, é a pura velhacaria, ou, de forma menos anacrónica, a maior das sacanices.
            Adoro jakinzinhos!!

          • Dylan diz:

            Caro corajoso que tem nome e e-mail válido,

            ainda não percebi muito bem qual é a diferença entre si e o Jakim. Não sei o que vale escrever o nome atrás de um teclado e mandar bojardas sem fundamento mas pode ser que um dia tenha que vir justificar aquilo do “pó dos pneus”. Sabe de algo que elucide a sociedade acerca disso?! Não, bem me parecia…

          • kirk diz:

            1/ Ó Rocha não tenho nada contra Vc nao gostar do FCP. Mas se está á espera da sociedade ideal para alguma vez gostar de futebol pode esperer sentado.
            Então acha que o futebol atiça ódios entre a classe trabalhadora. Diga-me lá se faz favor a que clubes pertenciam os 300.000 quwe estiveram no Terreiro do Povo e quais foram os clubes que ali não tiveram adeptos. Essa conversa parece a do Ratzinger quando ele defendia a pureza da ideologia católica. Deixemo-nos de merdas. Qualquer gajo muda mais depressa de opinião politica do que de clube de futebol. Aliás, é mais fácil um gajo mudar de mulher que de clube. Isto não o assusta? O futebol tem qualquer coisa, Rocha, tem, tem. Mas não é acessivel a todos. Veja, tive um senhorio que achava que o futebol eram 11 contra 11, aos pontapés uns aos outros. Só viu metade dum jogo e nunca mais entrou num estádio

            2/ Merda, merda, merda, Jakim! Não achas falta de ética insultares as pessoas mesmo porque sabes de antemão que RSP (de quem estou ideologicamente afastado mas com o qual, feliz ou infelizmente, partilho a admiração pelo Porto desde pequenino) não te vai responder na mesma moeda? Acho essa merda de mau gosto, uma sacanice. Mas desta vez até te estou agradecido porque assim vou fazer o gosto ao dedo sob a desculpa de que tu é que começaste. Eu bem não queria, mas tu deste o mote. Não é grande mote até porque os teus insultos sao do mais básico que se pode encontrar. Mas se não aprendeste na Escola também nao me parece que alguma vez a veia se te incline para tão libertador estilo literário.
            Jakinzinnho, vejo pela raiva que destilas e pelo tipo de insulto que proferes que tu não és um gajo do “Nuârte”, karago. Ou então, se és do norte o teu pai é de certeza um gajo que nasceu a sul do rio Douro.
            Porque se fosses saberias insultos de alto gabarito literário e recorte têcnico.
            Olha este:
            1/ Vai para a grandessíssima puta que te pariu, ó azeiteiro do caralho!

            ou então este, mais soez, verdadeiro “créme de la créme” do insulto javardo:

            2/ “eu só não te mando para os cornos do teu pai porque posso ser eu”

            ou este, de tonalidade tão subtil que és muito capaz de não perceber

            3/ “ó Jakim, os teus pais são primos direitos?”

            Fazes favor, a partir de agora se quiseres insultar não sejas banal.
            Antecipadamente agradecido

            Kirk

          • Rocha diz:

            Kirk, você até diz umas coisas sobre política. Mas quando começa falar de futebol – misturado com a política – não se percebe nada. Mais depressa o quê?

            Conheço muita gente que mudou de clube. Conheço muita gente que deixou de gostar de futebol como eu, inclusive quem começou a odiar futebol (algo que eu considero legítimo dado o estado putrefacto do mesmo).

            Dizer que o futebol é o ópio do povo, é hoje mais verdadeiro que dizer que a religião é o ópio do do povo. Se bem que aceite que há vários ópios à escolha, o futebol é o ópio de eleição dos que querem libertar a raiva – que de certo têm contra o sistema capitalista, mesmo quando se trata de reaccionários (eles tb são vítimas de frustrações do sistema). Ora essa válvula de pressão não podia ser mais útil para desviar a raiva dos que esmagam a vida dos de baixo (mesmo de alguns que acabam por ser tontos úteis da reacção).

            Os dirigentes dos clubes e cartéis do futebol não sofrem dessa doença que é o clubismo. Nem o Pinto da Costa, nem nenhum outro. A essência da liderança dos clubes, incluindo o seu querido FCP, é ser um negócio milionário à custa da fidelidade cega e canina de milhões.

            Pois sabemos que quando os clubes grandes vão à falência – como já foram várias vezes – os impostos de um lado e as benesses do outro fazem com que os contribuintes paguem pela sobrevivência da máfia futeboleira no mesmo espírito de “salvar os bancos” à custa da miséria do povo inteiro.

            Ora eu que já fui do FC do Porto, que já fui do Sporting, que ocasionalmente fico satisfeito sempre que os clubes “pequenos” ganham aos grandes e que agora sou mesmo anti-futebol. Sempre fui comunista do PCP e só queria que quando os clubes grandes forem insolventes e incapazes de pagar impostos (e o que devem a fornecedores) fossem à falência com a mesma dignidade que foi o Salgueiros.

      • Jakim diz:

        Não posso com vocês nem com molho de tomate, Porcos de Merda !

  8. Carlos Vidal diz:

    O FCPorto sempre foi o número 1 na cidade do Porto, e mesmo assim não sei…….
    Força camarada, fazer do 2º o 1º (e isso não é de agora, deste campeonato) também é obra!

  9. Luis Almeida diz:

    O Porto é uma “naçom”, carago! Agora a sério: é por aleivosias como as do inclassificável Jakim ( para o classificar teria que descer ao nível dele e gabo-te, Ricardo, pelas tuas boas maneiras ) que eu, em futebol e religião, sou ateu. Não tenho deus nem clube. Fui criado a admirar o Belenenses em pequenino ( para mim azul ainda é Belenenses ) mas, depois, comecei a pensar pela minha cabeça e deixei-me disso…
    A pensar pela minha cabeça também noutras coisas: por exemplo, o meu pai era salazarista e eu sou “comuna”.
    Mas sempre direi ( nem que seja para irritar o Jakim ) que tomáramos nós aqui em Lisboa, ter um dirigente que dê tantas provas de amor ao seu clube como o Pinto da Costa.
    Não há, aqui no Sul, ninguém com a craveira e competência dele…
    Eu sou lisboeta de várias gerações mas amo a cidade do Porto ( agora estou a falar da cidade e não do clube). Acho-a muito genuína e autêntica, tenho aí muitos amigos e sempre que aí vou sinto-me muito bem…

    • Ricardo Santos Pinto diz:

      Também gosto muito de Lisboa, Luis. E não me importava nada de morar aí.

    • Zuruspa diz:

      Näo concordo. “Amor ao clube” näo iliba trafulhices. Eu amo muito a minha família mas näo roubo nem suborno por causa disso, em vez disso trabalho duramente.

      Sendo benfiquista, a última coisa que quero é um PdC à frente do meu clube. Vade retro Satanás! Se é para ganhar daquela maneira, prefiro passar 10 anos a seco.
      Já me basta a vergonha de ter tido Damásios e Azevedos…

      Como aliás com a Ferrari. O meu maior desgosto foi ver aquele trafulha alemäo na escudeira. Tanta vitória de sabor amargo, 10 anos que sofri.
      Após já ter visto desde 1985 3 anos sem vitórias em GP (e só 2 nos dois anos seguintes), 15 anos seguidos sem títulos, 5 anos seguidos de títulos com trafulhice, fiquei täo, mas täo feliz naquela dia de 2007 porque pude finalmente celebrar plenamente um campeonato mundial!

      Mas isso sou eu, que näo sou adepto normal. Porque o normal é, como diz o RAP, meter o cérebro de lado ao falar em futebol (especialmente os trafulhas).

  10. Vasco diz:

    Sou do Benfica, mas sinceramente é conversa que não me interessa. Vejo os jogos quando posso e apago a TV (ou continuo na tasca com a malta, dependendo dos casos). Conversas sobre o assunto, sinceramente, não tenho imaginação para tanto…

Os comentários estão fechados.