Canalha que nem um canalha e estúpido que nem uma porta.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

O indivíduo retratado na foto (foi o melhor que se conseguiu arranjar…) acaba de dar o final tiro no seu pedúnculo. Afirma que permaneceu na reunião da concertação social  e assinou a maior traição aos trabalhadores de que há memória, porque vozes, aparições, altos quadros do PCP lhe teriam sugerido que o fizesse.

Por outras palavras, quando era seu intento sair de um simulacro de negociação, bater com a porta a uma farsa, ficou na sala aprisionado do mau olhado do vermelhudo. – Madagáscar. Constantinopla.

Onde era seu projecto defender intransigentemente os direitos e interesses dos trabalhadores contra a ganância do capital e do governo que o serve, a sua mão contra si próprio se virou, guiada pelos desígnios da Grande Loja Táctica Soeiro Pereira Gomes 49(?). – Assina, João Avença, assina. Precisamos de seres abjectos como tu, para nos sentirmos altos quadros na comparação!

Ou melhor ainda! No momento em que, uma vez mais, encarnava o sempre difícil papel de secretário-geral da UGT e se preparava para representar a sua organização sindical na reunião da Concertação Social, o indivíduo acima representado, possuído pelo grande cornudo, falou e agiu segundo a orientação do controleiro. – Caga para a tua central sindical, marimba-te nos teus sindicatos, ouve o que te diz o camarada Lenine lá do Outro Mundo.

O indivíduo de que falamos, revolucionário como sempre o conhecemos, foi canalha por um dia, por que lhe disseram que era melhor assim. Ficou estúpido que nem uma porta, desde que o telefone vermelho lhe tocou à meia noite.

Ou então, não. Não é nada estúpido. São os jornalistas que são estúpidos. Ou melhor: estúpidos são os seus camaradas da UGT. Ou será que afinal são os trabalhadores em geral que são estúpidos?

Que resposta dar a estas perguntas? (Ah já sei: o estúpido sou eu.)

Este artigo foi publicado em cinco dias and tagged , , . Bookmark the permalink.

15 respostas a Canalha que nem um canalha e estúpido que nem uma porta.

  1. helder diz:

    O titulo é insultuoso.
    Aqui, onde trabalho, há uma porta que abre sozinha quando alguém se aproxima e fecha depois das pessoas passarem.

    • Pedro Penilo diz:

      É verdade, Helder! É insultuoso! Insultuoso e verdadeiro.

      Coitada da porta. (Realmente, ainda alguém me há-de explicar porque é que as portas são estúpidas… Será que ouvem vozes? Mas as paredes é que têm ouvidos…! Isto assim é difícil…)

  2. A.Silva diz:

    Este bronco ao pé do dos pasteis de nata, até que nem fica mal.

  3. Armando Cerqueira diz:

    Na sua intervenção na reunião extraordinária do Comité Central do PCP de cerca de 11 de Agosto de 1975, o Dr Álvaro Cunhal verberou duramente o sectarismo de alguns membros (digo ‘membros’ e não militantes) do seu Partido. É que o sectarismo e a falta de inteligência táctica e estratégica provocam e provocaram graves prejuízos ao PCP. Infelizmente continua a haver muito primitivismo em alguns membros do PC, muita falta de respeito pelos adversários.
    É o caso do Pedro Penilo, que me parece ter tiques de apparatchik estalineano.
    Temos necessidade de comunistas inteligentes, cultos e educados como, por exemplo, o Dr Álvaro Cunhal, e não de trogloditas.
    Sem dúvida que a traição de João Proença e da UGT merecem a mais firme, dura e severa condenação. Mas haveria sinceramente lugar a ilusões sobre a UGT e seus apparatchik? E sobre o sindicalismo ‘pluralista’, isto é pró-capitalista do P’S’? As pessoas não se lembram das acções de Soares & Zenha em princípios de 1975 contra a Inter a favor de um sindicalismo divisionista e dos capitalistas e seus políticos, financiado pela CIA e AFL/CIO? Há infelizmente muita gente que passa a vida a dormir e a esquecer (ou a ‘aceitar’) e que depois acorda estremunhada…
    Bom, Pedro Penilo, seja mais urbano, use da civilidade em benefício da esquerda e do seu Partido.
    Armando Cerqueira

    • Pedro Penilo diz:

      A palavra “canalha” existe no dicionário de língua portuguesa. A palavra “estúpido”, também. As palavras são para serem usadas. E também as podemos inventar. A palavra “canalha” deve ser empregue quando alguém é um canalha. Ninguém nasce canalha: vai-se fazendo. João Proença é um canalha, de facto. Mais, faz gáudio de o ser. E, no caso presente, foi estúpido. Como se diz em bom português: “que nem uma porta”.

    • Pedro Penilo diz:

      O Armando Cerqueira também não se coíbe de usar as palavras “apparatchik” e “estalineano”. Como vê, também lhe dá gozo usar as palavras.

  4. João Pedro diz:

    Tens razão, Penilo.

    Pela minha parte, obrigado, pela tua contribuição plena de ironia para a desmontagem desse cavalo de troia, desse pseudónimo do capital financeiro, a que chamam de UGT e das figurinhas e figurões que activamente desempenham esse papel no quadro de tal entidade…

    Saudações

    João Pedro

  5. D diz:

    Eu não diria que o $R0€nÇ@ é estúpido que nem uma porta, mas que o é que nem um torniquete do metro (ou das estações da CP). Daqueles a que, nos dias que correm, faço o possível para não passar cartão.

  6. cid simoes diz:

    Caro Pedro; querCerqueira quer não, o homem não gosta mas é de ti. E ainda bem… porra!

  7. Lúcia Gomes diz:

    O prurido com as palavras é interessante. Normalmente evidencia-se quando alguma palavra proferida para epitetar algo ou alguém, choca pela sua simplicidade. Choca porque verdadeira. E, habitualmente, as verdades não são escritas. Reescrevem-se.
    A inteligência reside em saber-se dizer e escrever as coisas, por forma a que todos – e não apenas alguns que utilizam um léxico mais aprumado – as entendam.
    Um estúpido, será sempre um estúpido. Um canalha, será sempre um canalha. Ainda que o chamemos tantas outras coisas.

  8. Samuel diz:

    Pronto… já que está tudo com paninhos quentes… é um canalha!!! 🙂

    Abraço.

  9. Mário diz:

    Não deixa de ser coerênte, repugnante, como um verme na almofada.

  10. V Cabral diz:

    Voto nos Comunistas, sem o ser! Gostaría mais de ver e ouvir os Comunistas, tratarem os bois, pelo nome. Um canalha não atende se lhe chamarem anginho. Ao proença não se pode chamar anginho, porque ele é conhecido pelo …

Os comentários estão fechados.