UGT: a foder os trabalhadores portugueses desde 1978

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

14 respostas a UGT: a foder os trabalhadores portugueses desde 1978

  1. Carrocel diz:

    A Foder?????? A UGT está a fazer precisamente o mesmo que a grande maiorida dos habitantes desta mer…da de retângulo. Está a defender-se a si mesma e os seu interesses.Mas não é isso que todos pensam fazer? Se assim não fosse nunca se teria chegado ao ponto onde se está. Há que criticar obviamente, mas também haverá que sacar os óculos conversores com que os criticos se vêem ao espelho da sua consciência diariamente! Ouço muita gente a queixar-se e a criticar; O estranho é que quando chega o dia de lançar a cruz na urna, tudo está bem e afinal basta só mudar a caraça ao animal. Com um voto na mão ninguém é de esquerda! Existe uma hipocrisia chamada ignorância, e sofrem deste mal os teoricos de barriga cheia!

    • De diz:

      Antes de mais parabéns pelo comentário, Rafael Fortes.
      Sempre (até à exaustão ) defendi que se deve dar o nome aos bois,que é o que faz a sua posta.
      E o que me merece este comentário de “Carrocel” é que o acho simplesmente “desculpabilizador”
      Chegou a altura de não termos paninhos quentes com algumas “coisas”
      E entre essas coisas avulta o caso da UGT e da sua direcção.

      Dizer que a UGT e passo a citar “está a defender-se a si mesma e os seu interesses.Mas não é isso que todos pensam fazer?”não é correcto.
      É que o que a direcção da UGT fez foi muito mais (e muitíssimo pior) do que defender-se a si mesma.Nem sequer isso fez.Nem sequer defendeu os interesses da “central”
      Ao fazer tal a UGT compromete o seu futuro.O coro indignado começa a crescer.Basta ouvir a própria “rua”.
      Quem assinou este acordo traiu os trabalhadores portugueses.Traiu o mundo do trabalho.Percebe a diferença abissal entre tal facto e o “eufemístico” “defender os seus interesses”?
      (os interesses de Proença,e afins isso sim…mas ainda não percebeu que Proença representava muito mais do que os seus interesses pessoais ?)
      (desde 1978, como bem assinala Rafael Fortes)

      Muito mais coisas há a dizer sobre o “voto” e a “urna”
      Fica para uma próxima oportunidade.Mas lastima-se que a crítica à “democracia burguesa” feita há tantos anos mereça da parte de alguns como que um manto de esquecimento.
      Como se tivéssemos alcançado o “omega” no que diz respeito ao nosso modelo social.
      E só o “votinho” nas urnas legitimasse tudo.E que tal “votinho ” amortalhasse a nossa participação social.
      Era o que mais faltava

      • Carrocel diz:

        Interessante o ponto de vista do “De”.
        Pôde parecer “desculpabilizador” o comentário que fiz há pouco, mas não é! Mas é também verdade que não apontei algum tipo de culpabilidade à UGT. Irão eles (UGT) aniquilar-se com este belíssimo autógrafo? Julgo que não. Durante anos têm-se assinado, de tudo e mais alguma coisa, traindo todo o género de direitos no mundo do trabalho e fora dele, favorecendo empresários e Cia, e no entanto os interesses de alguns, bastantes, continuam a dirigir as opções que vêm sendo tomadas.
        Os “gajos” da UGT são uns canalhas, mas isso não anula todo o fardo que se continua igualmente a levar em ombros.Volto a dizer, que se não fosse para se defenderem não teriam tomado essa decisão. Pelo menos isso pensaram, e é a parte menos grave.
        Veja uma coisa: quem tem o poder pode estar a cagar literalmente em cima do “porteguesinho”, que ele continua a bater palmas orgulhoso da sua resistência, porque não sabe, mas deveria intuir que a resistência nada tem a ver com a atitude miserável em que se vive.
        “…a crítica à “democracia burguesa” feita há tantos anos” Crítica ? Qual crítica ? O Sermão de Santo António aos peixes? É muito interessante, não dúvido que os peixes entenderam tudo; na “rua” vê-se bem a que ouvidos têm chegado esse esses iluminados conceitos. Talvez se se trocasse a crítica à democracia burguesa pelo apelo à humildade, os peixes entendessem a diferença entre ter um peixe ou ser um Homem.
        O voto foi só um devaneio sobre uma curiosidade. Querem tantos a real mudança mas infelizmente em 37 anos só o monstro bicéfalo pôs e dispôs, por opção nacional. Não se queixem!… ou então juntem-se os queixosos e adaptem-se.

        • De diz:

          Caro Carrocel:
          A questão não é assim como a pinta.A prova até vem de uma fonte “insuspeita”:
          “Deve ser complicado ouvir Torres Couto afirmar que a UGT, ao assinar o acordo, levou a cabo uma estratégia suicidária e que terá que explicar muito bem nos locais de trabalho porque é que assinou um acordo deste género”
          É que a traição tem custos.E é por isso que é tão bem paga.

          Quanto à tal democracia burguesa…já lhe disse que agora não é o momento.Mas olhe que vai de encontro aos tais 37 anos referidos.
          E a tudo o mais citado.

        • Luis Almeida diz:

          Sou suficientemente velho ( 68 ) para ter vivido os tempos do fascismo, do 25 de Abril e os imediatamente posteriores – que a direita jocosamente apelidou de PREC, como se agora não houvesse um outro PREC, Processo de Roubo Em Curso…), bem como os 35 anos vividos até ao desastre de agora. No tempo do PREC, o povo, despolitizado, classificava as pessoas de forma binária: ou se era “fascista” ou “socialista”. Todos se diziam “socialistas” ou pelo “socialismo”. Nós, PCP, o MRPP, os abundantes grupos maoístas, os trotskistas de vários matizes, etc. Até Mário Soares e o próprio Sá Carneiro, imagine-se! A palavra passou a ser tão prestigiada, tão bem querida do povo, que dela só conhecia o gabado nome e que era a favor dele, que, quando se deram as primeiríssimas eleições para a Assembleia Constituinte, em 1976, a quem é que o povo, agora tornado eleitorado, acorreu em força a dar o voto ? Ao ÚNICO partido que tinha essa prestigiada palavra no nome! A partir, daí , e usando a força do voto popular, foi só medidas gravosas, umas atrás de outras, de forma recorrente e continuada. Até a única coisa boa da autoria de um destacado militante seu, António Arnaud, o Serviço Nacional de Saúde ( que chegou a estar como o 12º melhor a nível mundial pela OMS! ) ” geral, universal e gratuito”
          ( aprovado com os votos do PS e da esquerda ) acabaram por vir a torpedear numa revisão constitucional posterior. Para poderem passar passar a cobrar as inconstitucionais “taxas moderadoras”, uniram~se à direita parlamentar e limitaram-se a acrescentar um simples advérbio de modo, antes do “gratuito”. “Tendencialmente”, foi a simples palavrinha acrescentada..,
          E, tem sido sempre assim. Ao longo destes 35 anos, os culpados pelo descalabro de hoje não são anónimos. Têm rosto e têm nome! São, apenas e somente, o PS, o PSD e o CDS. Só que o PS iniciou e os outros continuaram o efeito bola-de-neve. E têm sido muito competentes
          ( “incompetentes” é quando não é intencional, quando não obedece a um plano pré-traçado! ) e muito hábeis a dar cabo das Conquistas de Abril ( com maiúsculas e tudo ), a favor dos seus verdadeiros amos e contra a enganada maioria do povo. Até na forma lenta e gradual como têm vindo a lixar-nos foram competentes. Acontece uma coisa muito simples, mas, pouco clara para muitos: eles não governam mal, acontece é que NÃO GOVERNAM PARA NÓS!

  2. Kirk diz:

    UGT – UNIÃO GERAL DE TRAIDORES

    K

  3. Que foi um grande entalanço, lá isso foi. E o que é mais curioso, é que os isco estava montado há já alguns meses.

    • De diz:

      Um grande entalanço mesmo.
      Confirmou a cor de um traidor

      Quanto ao ministro?
      O ministro é um corrécio neoliberal a comandar os traidores amarelos.
      Nada de novo à face na terra.Para além das contas a ajustar com os pulhas desta craveira

    • helder diz:

      Foi o tempo que levaram a contar as lentilhas.

  4. Desculpe, mas o ministro em termos politicos fez uma ‘jogada’ genial. E foi genial na exacta medida em que todos estavam a pensar que ele era um banana, e toma lá pão que é chouriço, fintou o Carvalhas e a Intersindical, cuja experiência foi pela pia abaixo. Com a colaboração dos amarelos…Há que fazer o luto.

    • De diz:

      Qual jogada genial qual carapuça.
      Na sua ânsia de bater as mãos aos seus comparsitas este sujeito tenta proteger o interesse dos seus patrões.
      Está certo.Faz parte do clube dos ditos cujos
      Mas para que o seu ministro conseguisse o feito,teve que queimar de vez uma carta do baralho que mais valia estar semi-oculta.
      E agora os carreiristas da traição arcam com o peso da dita
      (enquanto os corrécios de ocasião tentam cantar hossanas aos seus patrões…e vão começando a tratar os traidores como estes merecem
      Oh ironia das coisas)

      Quanto ao luto?
      Refere-se ao luto do banana?
      ou ao seu comentário?Ou ao seu próprio luto?
      Talvez à necessária clarificação das águas a separar.
      Nada há de pior que ter escumalha escondida entre as forças que combatem.

  5. kirk diz:

    (Off topic) ou nem tanto

    Hoje é dia 18 de Janeiro. Passam 78 anos sobre o levantamento da Marinha Grande em 1934.
    Há cada vez mais motivos para relembrar datas como essa.
    Não esqueçamos!
    Kirk

  6. zemar diz:

    A UGT foi criada com a benção do Dr. Mario Soares, um rapaz sempre contra as lutas dos trabalhadores. Como em 1978 a CGTP nessa altura tinha muita força era necessario dividir os trabalhadores e então surgiu a UGT com o seu secretario geral T. Couto, que vendeu a alma dos trabalhares ao capital. Por isso neste momento em Portugal nada mudou no aspecto politico/laboral.

Os comentários estão fechados.