Jesus não me convence

Há muito que penso que Jorge Jesus não é treinador para o Benfica. Declaro-o a contra-ciclo, agora que estamos em 1º lugar e a subir de rendimento. É nestes momentos que o coração benfiquista me permite falar destas coisas.
Reconheço a Jesus, duas grandes qualidades: a capacidade de mobilizar quem entra dentro de campo com regularidade e a persistente defesa de um modelo de jogo.
Mas tal como em tantas outras profissões uma das qualidades que mais respeito em treinadores de futebol é a capacidade de desaparecer nos melhores momentos e de dar o corpo às balas nos piores. No fundo, uma certa humildade que só conquista quem tem confiança nas suas capacidades.
Durante estes últimos anos Jesus não soube criar períodos de silêncio e só me recordo de ter dado o corpo às balas, consistentemente, por Roberto. Aliás, a inusitada defesa de Roberto encerra uma das grandes dúvidas que tenho sobre Jesus: seria apenas uma incrivelmente estúpida teimosia ou havia algo mais?
Por outro lado, a sua crónica teimosia, trouxe-nos duas derrotas humilhantes (Porto e Liverpool) numa das épocas mais brilhantes de que tenho memória sempre que insistia em não fazer alinhar Coentrão queimando David Luiz no lado esquerdo da defesa, e gerou inúmeras dissidências de jogadores fundamentais para a identidade do Benfica.
Bernard Tapie, que Vata consagrou como Bernadette, para manter o seu poder no OM defendia que toda a equipa devia ser transferida de uma temporada para a outra. Provavelmente por limitações financeiras, Jesus não o tem feito, mas tem isolado todos os jogadores que podem criar um discurso identitário que lhe possa fazer sombra. Estes são os casos de Moreira –  que, sempre que era chamado a substituir Quim ou Roberto, fazia excelentes exibições – Nuno Gomes ou Mantorras – ainda que em final de carreira tinham uma enorme importância dentro do plantel – Simão Sabrosa – que Jesus terá impedido de vir terminar a sua carreira no Benfica – e mais recentemente, Rubén Amorim – cuja possível saída, pelo seu perfil polivalente e histórico benfiquismo, devia motivar uma onda de protestos dos adeptos. A estes acresce uma lista de odiados de que Enzo Pérez, Capdevilla ou Carlos Martins, são os exemplos mais recentes.
Mais, Jorge Jesus tem-se borrifado em estabelecer a relação entre a formação e o plantel sénior, optando por mandar comprar jovens promessas formadas noutros clubes para  valorizar e mais tarde vender, criando fantásticas mais valias financeiras que fazem as delícias dos traficantes-empresários. Nelson Oliveira (um dos melhores jogadores do mundo da sua geração), Roderick, David Simão, Luís Martins ou Miguel Vítor têm sido lançados às feras a despropósito e, ainda que não comprometam, imediatamente condenados ao degredo.
É por tudo isto que Jorge Jesus não me convence. Jesus pauta a sua actividade profissional por um complexo que lhe faz temer quem lhe possa fazer sombra. Em qualquer actividade profissional, quem tem receio dos profissionais que gere, não consegue retirar o melhor da equipa que deve liderar.

 

 

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

17 respostas a Jesus não me convence

  1. Mario diz:

    Jesus tem os seus defeitos como toda a gente, mas é o melhor treinador qu eo Benfica teve desde o Eriksson e francamente . Sinceramente não entendo o que as pessoas vêm no capdevilla, o tipo chega cá, velho e gordo, a ganhar imenso e acha que vai ser titular só por ser campeão europeu e mundial, lixou-se, tão simples quanto isso, nunca devia ter vindo disse isso desde o ínicio. E ao que me parece a situação do Enzo Perez é completamente diferente, o tipo é que é um idiota. Quanto ao Ruben Amorim… não quer jogar a Defesa Direito, quer jogar a médio, por mim era posto a treinar à parte até terminar o contracto. Quando um jogador assina um contracto com clube é para jogar e ajudar o clube, não especifica a posição em que vai jogar, se o treinador o quisesse como guarda redes, só tinha que jogar e acabou. Mas hoje em dia é assim, os jogadores acham que podem mandar nos clubes, e em muitos casos mandam.
    Quanto ao resto, eh pah derrotas humilhantes, Roberto e afins. Quem nunca cometeu erros? aponta-me um treinador de um grande clube europeu que tenha inventado e acabou vergado… Aponta-me um treinador de um grande clube europeu que não tenho adquirido um jogador e esse não tenho dado em nada. Queres que faça aqui a lista de flops que o FC Porto já teve? todos os clubes têm ou já tiveram flops, Roberto foi um erro, Artur veio a custo 0, segue em frente. Quanto ao Nuno Gomes só digo o seguinte: devia ter saído mais cedo. Mantorras era um peso morto no plantel e também estava há tempo de mais no clube e no futebol em geral, pagamos-lhe um salário para estar o dia todo a coça-los e ainda se queixava… pfff sei de muita gente que não se importava de receber 10% daquilo que ele ganhava para estar sem fazer nada.
    E não me admirava nada que devas ser daqueles benfiquistas que detestam o cardozo…por marcar muitos golos.

    • Tiago Mota Saraiva diz:

      Mario, como compreenderás estou em absoluto desacordo com a análise feita sobre os jogadores. É certo que Jesus também erra, mas com Roberto, persistiu no erro em demasia.

  2. Ricardo Santos Pinto diz:

    Pois é, Tiago, mas o que conta no futebol são os resultados. E como este ano o Benfica deve ser Campeão…

    • Tiago Mota Saraiva diz:

      Ricardo, no Benfica, não é tanto assim. Repara no Trapattoni. Pôs o Benfica a jogar mal e a defender bem. Ganhou o campeonato, mas destruiu uma equipa por muitos anos. Ninguém tem saudades da raposa da Opus.

      • Rafael Ortega diz:

        Não concordo. Com a equipa que Trapatonni tinha não se podia fazer melhor.

        Como avançados o melhor era o Nuno Gomes.
        Extremos só tinha o Simão (o Geovanni sempre foi uma adaptação muito manhosa).
        Tinha três médios (Manuel Fernandes, Petit e Nuno Assis).
        Metade dos defesas não teriam hoje lugar no plantel.

        No ano seguinte com a mesma base e as entradas do Miccolli e do Leo o Benfica fez uma boa Liga dos Campeões.

      • Nuno Rodrigues diz:

        A raposa vai erguer a querida Irlanda mais alto. Tá no sítio certo! De resto, concordo com a análise ao Jesus (sou do Porto, sim.)

  3. joao diz:

    Pois é Tiago o que distingue os bons dos maus treinadores é a sua capacidade de transformar jogadores médios em bons jogadores e bons jogadores em excelentes jogadores e depois acho que o benfica compra demasiados jogadores que são muito bons nos seus clubes e no benfica demoram ou nunca se afirmam Ha vários casos desde que Jesus é treinador de bons jogadores que quase nunca jogam
    porque será.
    E porque será que contra equipas de igual dimensão nunca é clara a superioridade benfiquista. A resposta esta no treinador.Porque é um treinador com medo qi inventa tácticas cujo objectivo primeiro é não perder mesmo que a sua equipa esteja e jogar melhor futebol e tenha um plantel claramente melhor.
    É por isso que o Benfica não joga tão bem como justificaria com o plantel que tem.

  4. Pisca diz:

    Tiago, espero que o Benfica não se vá tramar também.

    O Jesus que há meia duzia de épocas andava por Moreirense e Leiria (2004-2006), teve a sorte ir para o Belenenses, as coisas correram bem, uma final da Taça, e achou-se o maior da rua dele, na epoca seguinte assumiu-se como um “tudo manda!, no futebol e quase no clube, face à doença em evolução do então Presidente Cabral Ferreira, geriu como quis e causou prejuizos enormes ao já debilitado Belém, recusando a saída de jogadores o que permitiria um encaixe financeiro, por exemplo, para acabar por ficar em 10º e mesmo assim querer um prémio.

    Ficaram celebres as suas birras por só querer o estádio para ele, e exigir treinos à noite (com custos que se podem imaginar)

    Saiu “de mansinho” para o Braga já a ver mais vôos, tendo feito o mesmo por lá, é certo que é um profissional, mas as atitudes de humildade e honestidade também lhe ficariam bem, para além das pastilhas gorila

    Agora no Benfica tem vindo, mais devagar a tomar as mesmas atitudes

    Treinar o Benfica com aquele plantel e o que se vai comprando e vendendo, até o Pato Donald, já que a concorrência anda aos papéis

  5. O pessoal parece já não se lembrar do que foram os anos anteriores. O Jesus chegou e disse: “comigo a equipa vai jogar o dobro e não preciso de tempo para lutar pelo campeonato”. E assim foi.
    Com o Quique Flores: o David Luiz tinha passado uma época a jogar na esquerda, o Coentrão tinha andado emprestado, o Di Maria não sabia fazer um passe de 5 metros sem tropeçar, o Cardozo passou meia época no banco. Sobre o Nuno Gomes já alguém aqui escreveu tudo: o gajo acabou a carreira há 3 anos.
    É verdade que ele tem os seus momentos megalómanos quando fala e os seus equívocos desastrosos (do qual o mais notório é o que produziu os 5-0 no Dragão) do ponto de vista táctico.
    Pior ainda, parece não conseguir gerir uma equipa ao longo da época toda, faz pouca rotação e chega ao fim com a equipa fisicamente acabada (no ano passado isso foi notório, mas mesmo na primeira época já se começava a notar). E é difícil perdoar-lhe a dispensa do Carlos Martins.
    Mas sinceramente, o que é que se pretende? Um treinador como o Camacho que professa o seu enorme benfiquismo e sai com a época a meio? Um treinador que vem de fora e afirma que o segundo lugar não é mau porque o Porto é mais forte?
    Antes our own personal jesus. Para além disso, alguém se lembra de alguma vez ter visto uma equipa do Benfica a jogar tanto à bola como em 2009-2010?
    http://youtu.be/XfVNTmhJmMI
    http://youtu.be/9Ito2jFQsVY

    • Tiago Mota Saraiva diz:

      Ricardo, dou de barato que o Benfica de 2009/10 foi o melhor Benfica que vi jogar, mas tenho dúvidas na intervenção divina de Jesus para que tal sucedesse.

  6. João Pedro diz:

    É, do meu ponto de vista, uma intervação lúcida.

    Estou – mais uma vez -contigo, Tiago.

    Abraço

    João Pedro

  7. ulisses diz:

    o Tiago é do FCP, certo?

  8. Tiago diz:

    O Tiago considera que existe razão atendível para despedir o trabalhador Jorge Jesus?

  9. Tiago Marques diz:

    Qual Jesus qual carapuça. Deus está de volta.

    http://paisinutil.blogspot.com/

    Repare-se no post do Querido líder… Nem o Jesus esperava por esta.

  10. Simon diz:

    Repito, camarada Tiago, o que te escrevi há dias. Os defeitos do Jorge Jesus são por demais evidentes a nível, principalmente, daquilo que se pretende para uma liderança forte. Mas, no mais, acho as críticas quase sempre mal fundadas, atendendo, em especial, à miséria futebolística que evidenciámos de 1994 a 2009 (Julho de) e ao nosso glorioso historial de castings no que concerne a treinadores.

    Não me vou alongar, mas pense-se, por exemplo, nos jogadores que o Jorge Jesus conseguiu potenciar e naquilo que o clube ganhou com eles: Ramires, David Luiz, Coentrão e Di Maria. Pense-se ainda em Sálvio e Gaitan. Ou em Rodrigo.
    É verdade que investimos muito (e por vezes vezes mal). Mas verdade é também que muito vendemos. Como nunca, aliás (não quero mentir, mas acho que fomos o clube no mundo que mais dinheiro fez entre os dois últimos defesos). E tal facto deve-se, necessariamente, também, à qualidade do treinador.

    Não sei se ganharemos o campeonato. Falta muito. Serei até dos poucos a achar o plantel curto (penso na fragilidade de Gaitan e Aimar, na cobardia de Perez e Amorim e na falta de alternativas a Witsel, Garcia e… Emerson), mas, desde já estou certo que se o campeonato nos sorrir, existirá sempre a tendência para dizer que ganhámos apesar do Jorge Jesus. O que será (a acontecer), parece-me, uma injustiça. Venha ela!

  11. ANDANALUA E NA LUANDA diz:

    Jesus é um tipo feito para o futebol, onde não falta muita charlatanice. Ele embora analfabeto, tem dinheiro que chega para ser eleito, numa qualquer lista do PSD/PS/CDS, e há-de ser !!!
    O SLB, merecia melhor ! VIVA O “BELÉM” !!!

Os comentários estão fechados.