Só ares

À família Soares Santos só lhe resta dizer que há uma campanha negra, mas o comunicado redentor, tal como tantos outros da mesma proveniência, cheira a salazarismo. Pedro Soares Santos assina um texto que diz ser “em nome dos mais de 25 mil colaboradores que o Pingo Doce emprega em Portugal” que OBRIGA os seus TRABALHADORES a distribuir. O que o Doce Pedro não percebe é que os mais de 25 mil não o elegeram para ser a sua voz nem lhe conferiram qualquer legitimidade para os representar.
Mais, a julgar pelo seu passado recente não parece que estes Pedros, administradores por sucessão dinástica, tenham tido o discernimento democrático de convocar uma assembleia ou de pedir a opinião de um dos seus TRABALHADORES.

retirado daqui

Por outro lado, segundo esta notícia, parece que o Pedro é mentiroso ou devia confiar menos no papá.

 

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

9 Responses to Só ares

  1. Zuruspa diz:

    Só 500 mil? Ficam a faltar 20,4 milhöes, segundo isto:
    http://economico.sapo.pt/noticias/tribunal-da-razao-ao-fisco-contra-a-jeronimo-martins_113473.html

    Entretanto, na Polónia, onde os trabalhadores näo säo mans… bons, e näo se intimidam:
    http://www1.ionline.pt/conteudo/37751-jeronimo-martins-perde-processo-contra-trabalhadores-na-polonia

  2. Pingback: Pedro Soares Santos, um aldrabão em nome do pai! | cinco dias

  3. Von diz:

    Só duas pequenas questões. Estive por duas vezes no Pingo Doce, no passado fim de semana, e não recebi o papelinho. E essa da sucessão dinástica: então uma empresa de cariz familiar, tem de fazer eleições para encontrar o próximo chefe? Afinal, o método de sucessão é o mesmo da Coreia do Norte…

    • De diz:

      Veja bem,eu passei perto e,embora não entrando, recebi o papelinho.
      Receber o papelinho ou não receber, eis a ponderosa questão

      Quanto á sucessão dinástica e à Coreia do Norte…acho giro ir já aí a comparação.
      Mas claro,mais um caso relevante nesta questão toda,
      em que o patrão se arroga ao desplante de falar pelos que sacrifica no altar dos seus lucros e ambições,

      …qual impante poltrão

      • RC diz:

        Von, é evidente que não recebeste o papel porque não era necessário. Já lá estavas dentro.
        De, recebeste o papel para ver se te convenciam a entrar.
        Faz sentido.
        Quanto à comparação entre a forma como funciona um estado e uma empresa privada… não faz sentido.

      • Von diz:

        ó De, encanzinou-se com a brincadeira sobre o Kim (à sua escolha)? Deixe lá o patrão e pense nos empregados, que se os boicotes forem avante ainda ficam sem emprego e alguns demais sem os preços razoáveis.

        • De diz:

          Coreia?
          Ora leia lá de novo.Pode ser que à segunda …

          Quanto a deixar em paz o patrão,por temor do que possa acontecer aos empregados…não cola.
          Sabemos todos o destino de quem trabalha.Sabemos também que é com chantagens destas que se perpetua toda a mesma trampa.
          Incluindo a trampa do patrão.
          A nacionalização é um destino melhor para proteger não só quem trabalha…como também a economia nacional

          Terrorismo social?
          Até quando vamos aguentar isto?

Os comentários estão fechados.