Guerra Civil [actualizado]

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

No marco da luta contra as portagens, um funcionário da Euroscut acabou ferido, “sem gravidade”, com um tiro de caçadeira. Apesar de ainda ser escassa a informação disponível, podemos desde já suspirar de alívio quer pelo estado de saúde do trabalhador, quer pelo facto da luta pela gratuitidade da A22 não se limitar à luta institucional.

Posto isto, qual destes senhores deve ser acusado, daquela que poderia ter sido a primeira vítima mortal da guerra civil contra o saque e a austeridade?

ACTUALIZAÇÃO: Afinal, como se pode perceber na SIC, o funcionário não foi ferido a tiro, mas sim com alegados estilhaços que dispensaram inclusive a ida ao hospital. O Miguel Macedo, além de mandar na polícia e no Ministério Público, está visto que também tem uma perninha na LUSA. O Publico, ainda não actualizou a informação. Será que não a sabe?

Este artigo foi publicado em cinco dias and tagged , . Bookmark the permalink.

52 respostas a Guerra Civil [actualizado]

  1. Rui Campos diz:

    Este tipo de acções,a meu ver, afastam as pessoas da luta em vez de as trazer mas mesmo admitindo o recurso a este tipo de luta, atacar os trabalhadores é de todo o caminho a seguir.

    • Rui Campos diz:

      Há um erro no comentário.
      Onde se lê “atacar os trabalhadores é de todo o caminho a seguir” devia ser “atacar os trabalhadores não é de todo o caminho a seguir” Distracção minha.

  2. Carlos diz:

    E que tal o crápula que puxou o gatilho?

    • De diz:

      Crápula?

      ” Afinal, como se pode perceber na SIC, o funcionário não foi ferido a tiro, mas sim com alegados estilhaços que dispensaram inclusive a ida ao hospital.”

      Porque motivo há esta tendência para alguns projectarem nos outros o seu próprio eu?

  3. António diz:

    Claramente um dos culpados é o Renato Teixeira.
    Quem faz a apologia da violência, tentando ou dando a entender que os meios justificam os fins (como qualquer comunista) deve ser responsabilizado.

    • De diz:

      “Do rio que tudo arrasta se diz que é violento mas ninguém diz violentas as margens que o oprimem.”
      Bertolt Brecht

      Isto é algo de demasiado profundo para o rapaz de serviço,não?

      Quanto à responsabilização pelos pulhas que nos governam…
      Isso pode estar certo

      • Filipe diz:

        Citar Bretch pode ser muito giro para engatar umas miúdas indignadas, mas não lhe dá razão. O uso da violência só é legítimo quando perante um poder opressivo que não permite oposição. Ora o actual sistema pode ter muitos defeitos, mas não reprime quem o quer derrubar. A prova disso é que vocês escrevem aqui as vossas mensagens sem que alguém vos prenda, torture e envie para o Tarrafal. Não concordam com o sistema? Querem alterações? Querem revolução? Então sejam democratas e respeitem a vontade do Povo: submetam-se a eleições. Caso contrário, ainda que a vossa “revolução” triunfe, serão sempre USURPADORES. E aí, meus caros, terão de se haver com os milhões de portugueses que, como eu, não aceitam tiranos. Porque numa situação dessas, a violência torna-se legítima. E sabem o que se diz nesses casos? Sic Semper Tiranis.

        • Renato Teixeira diz:

          De, nada de engatar miudas aqui na tasca. Ca granda malandro.

          • De diz:

            Nunca tinha pensado nisso por esse prisma

            Diacho
            Isso resulta?
            Tentemos então

            A máxima dos “Usurpadores”:
            “Melhor que roubar um banco, é fundar um”(Brecht)
            (Oliveira e Costa e amigos seguiram o preceito à risca)

            Violência?
            Como a que reina em Portugal sob a comandita e aldrabões mentirosos?
            “Apenas a violência pode servir onde reina a violência, e / apenas os homens podem servir onde existem homens.”(Brecht)

            Já está!

  4. Rui João diz:

    VAI PRÓ CARALHO, RENATO TEIXEIRA!

    rujoa2@nullgmail.com
    173.208.197.226

  5. Rui diz:

    “Um funcionário da Euroscut Algarve foi esta noite atingido por um tiro, depois de se deslocar ao pórtico da zona da Guia que estava a arder” Público online

    “O funcionário da empresa que gere a Via do Infante foi atingido por estilhaços de vidro de um carro estacionado, disse fonte da GNR” Notícias Sapo (Lusa)

    Entre um tiro de caçadeira e um estilhaço de vidro há uma grande diferença.

  6. Pinto diz:

    Grande lata para quem há dias dizia que aquilo era lindo de se ver. Se tivesse vergonha na cara enfiava a cabeça num balde.
    Gente ordinária.

    • Renato Teixeira diz:

      Se vir bem, disse ontem e repito hoje.

    • De diz:

      Gente Ordinária?
      Isso e muito mais.
      Criminosa.

      Vamos aos nomes:
      Passos Coelho
      Álvaro Santos Pereira
      Sérgio Monteiro
      Miguel Macedo
      Os pulhas que oferecem a cara pela troika
      Sarkozy
      Merkel

      (o primeiro é o servo obediente da última.Está a aprender alemão (o que não interessava para nada, se o desgraçado do ladrão mentiroso não nos quisesse obrigar a fazer o mesmo)

  7. Nightwish diz:

    Culpa, culpa, acho que só de quem atirou sem cuidado.
    Também não seria a primeira vítima, já muitas se suicidaram por perderem tudo na vida.

  8. Gentleman diz:

    Nenhum deles. Quem deve ser acusado é quem disparou.
    Qual foi a parte da frase «O Estado português está tecnicamente falido» que a extrema-esquerda ainda não entendeu?
    E se a resposta a essa pergunta for algo do género «E quem o faliu, quem foi?», convirá esclarecer que:
    1. Quem o faliu foram vários governos, com o total beneplácito da extrema-esquerda parlamentar.
    2. Saber quem o faliu é bom em termos teóricos. Mas o que interessa agora é saber como o Estado poderá continuar a pagar salários e prestações daqui a 2 anos.

    • Quando na televisão falam em cortar nas gorduras do Estado, lembro-me logo que deviam começar por certos gentlemans… Estranho, não?

      Quanto à responsabilidade da “esxtrema-esquerda” no “desvio” [não deveríamos falar em gamanço?] das contas públicas… pá! Partilha essa erva boa, está bem?

      • Gentleman diz:

        Diz-nos que críticas/propostas fez o PCP ou BE, nos últimos 10 anos, que implicassem menos despesa pública.

        • Sr. Gentleman…

          Assim de cabeça (e não sendo porta-voz do PCP e/ou BE), lembro-me de:

          a) fim dos off-shores
          b) taxação das grandes fortunas
          c) fim das parcerias público-privadas
          d) combate à evasão fiscal
          e) renegocião da dívida
          f) Imposto sobre transacções da bolsa
          g) Renegociação da dívida (e consequentemente dos juros da mesma)
          h) fim das “pensões douradas”…

          Chega ou precisa de links pró avante e esquerda.net?

          • Gentleman diz:

            Das 8 propostas de que se lembra:

            1) Uma delas está em duplicado. Sobram 7.

            2) Seis são propostas de aumento das receitas. Não de diminuição da despesa. Muito haveria a dizer sobre a razoabilidade dessas propostas de aumento da receita, mas não nos afastemos do tópico por enquanto.

            3) Só mesmo o fim das PPP é que poderia representar uma diminuição da despesa. Porém, durante muitos anos o PCP não se opôs às PPP por considerá-las modelos de investimento ineficientes e lesivos do erário público. Opôs-se a elas, tal como se opôs à abertura de canais de TV privados, à privatização da Portugal Telecom, etc. Ou seja, opôs-se por preconceito ideológico contra tudo o que é privado. Nada mais. Mas como todos os relógios parados estão certos 2 vezes por dia, dessa vez o PCP até acertou… mas pelas razões erradas.

          • Gentleman diz:

            Errata:

            Na verdade, o fim das “pensões douradas” é uma proposta de diminuição das despesas. Porém, atendendo ao reduzido número de beneficiários dessas pensões, o seu peso no orçamento do Estado é ridiculamente baixo. A sua eliminação pode ter um valor simbólico, mas não será decididamente por aí que o Estado reduzirá o seu deficit.

            Quanto à renegociação da dívida, é uma fantasia. Como se um país pelintra e falido estive em condições de impor condições aos credores, e não o inverso tal como tem estado a acontecer.

          • De diz:

            A desonestidade é desonestidade.Ponto parágrafo
            Cito:
            “Ou seja, opôs-se por preconceito ideológico contra tudo o que é privado”
            …depois a treta do relógio parado…
            Sorry Gentleman.Não passa.
            A questão não é o preconceito.
            É a ideologia.
            Se não percebe meta explicador

            Não falemos da questão das reformas douradas que,tal como o ídolo de Genteman,um tal Medina Carreira considera de somenos importância

            Passemos à questão da “renegociação da dívida”
            Percebe-se que os bancos alemães dos quais Passos Coelho é fiel servidor fiquem perturbados com tais hipóteses.
            Cada vez há mais que.
            Por exemplo:Diretor do Centro de Estudos da Universidade Católica Portuguesa e vice-presidente do Conselho Geral e de Supervisão da EDP diz que Portugal está condenado a renegociar a dívida.
            Ler mais: http://aeiou.expresso.pt/alberto-castro-a-renegociacao-da-divida-e-inevitavel=f662651#ixzz1gcsO69Do

            Eanes propõe renegociação da dívida e não poupa críticas a Merkel
            http://tv1.rtp.pt/noticias/?headline=46&visual=9&tm=9&t=Eanes-propoe-renegociacao-da-divida-e-nao-poupa-criticas-a-Merkel.rtp&article=503683

            E nem são marxistas-leninistas

            Compreende-se que Gentleman tenha que apoiar Passos Coelho e o seu caminho de traição.Tenha que apoiar Merkel,a dona de Passos.Tenha que apoiar o neoliberalismo fedorento de quem Passos e Merkel são fervorosos seguidores
            Mas não nos venha falar de fantasias.

            Há quem tenha falta de coluna vertebral e lamba as botas a…(claro que há outras opções)
            Há quem opte por um outro caminho

        • De diz:

          Gentleman está redondamente enganado?
          Não.Apenas está a servir de amplificador aos economistas cúmplices pela presente situação.Aos tais economistas que nada “viram” antes da crise e que eram comensais dos nossos media a cada dia que passava.Que ganhavam ao metro por palavra e que estendiam a mão ao patrão para lhes justificar os desmandos.
          No fundo,aos mesmos que no presente replicam o memso paleio.
          (entretanto com tal nuvem de fum querem que nos esqueçamos pelo menos de uma coisa.É que os responsáveis estão no poder há um ror de anos.
          É preciso misturar as coisa depois de agitá-las bem.Sobretudo esconder os responsáveis pelo estado a que chegámos.E todos os métodos são bons para esta cambada

    • xatoo diz:

      há uma diferença, para quem quiser entendê-la:
      quem está falido não é o Estado português (que esse todos os dias recebe os milhões dos nossos impostos), é a elite governante e a banca que parasitam o Estado que está falida. Jogaram na bolsa e perderam – e agora apresentam a conta a todos. Se vc é um democrata (cof,cof) acha que isso é legítimo?

      • Gentleman diz:

        O Estado está tecnicamente falido porque os seus gastos + encargos são superiores às suas receitas.

        • De diz:

          Esta linguagem de alcoviteira
          …aprendida nos saraus do ex-ministro Medina Carreira, o tal que faz fortunas como vidente da troika e co-financiador da expedição do FMI a Portugal

          Mas porque diacho durante anos de crise os cinco principais bancos tiveram lucros superiores a um milhão de euros por dia?
          E porque motivo as desigualdades sociais aumentaram?

          Ah,já sei,o estado estava tecnicamente falido.
          ( e a luta de classes logo ali escondida debaixo de tal “tapete”)

          • Guilherme da Fonseca-Statter diz:

            Entretanto, no meio de tanta comoção sobre a falência do Estado e os seus «gastos exagerados», nem uma palavra sobre os senhores de colarinho e luvas brancas que vão roubando – é o termo, processem-me – ao Estado (e por tabela a todos nós) e por meio de múltiplos esquemas de evasão fiscal e/ou fuga de capitais, milhões (MUIIITOS…) milhões de euros. Que depois têm a supina lata de nos virem emprestar a juros mais elevados. Ou seja, roubam-nos e depois emprestam-nos o que nos roubaram.

    • Quem o faliu foram vários governos, com o total beneplácito da extrema-esquerda parlamentar.

      Dos beneplácito inventados falas tu muito depressa, agora nomear quem foram os governos e que medidas neo-liberais seguiram, já te ficas por um vago e dispersado “vários”

      Ainda gostava de saber quem é a “extrema-esquerda” parlamentar? Queres ver que o PRP-BR ou as FP-25 de Abril elegeram deputados e eu não sabia?

  9. Pedro Bergano diz:

    Carrega Allgarve!!!

  10. Pedro M diz:

    O português só se revolta contra portagens ou futebol, uma vez que a bola e a lata são os totems da nossa cultura.

    Eu não esperaria reacções como estas relativamente a saques bancários, pensões, desemprego ou tácticas fascizantes de alguns comandos distritais.

  11. kirk diz:

    Como evitar a inutilização das portagens electronicas:

    http://egitaniense.blogspot.com/2011/10/coisas-que-nao-combinam-com.html

    K

  12. De diz:

    “qual destes senhores deve ser acusado, daquela que poderia ter sido a primeira vítima mortal da guerra civil contra o saque e a austeridade?”

    Acho que todos

  13. kirk diz:

    O handicap deste blog é a sua propensão para atrair pessoal com os nervos à flor da pele, pessoas que se deixam levar pelas emoçoes, como se isto não passasse duma discussão sobre futebol. Bolas!
    K

    • A.Silva diz:

      Este blog também tem alguma propensão para atrair um certo tipo de pessoas (e isto é ser bonzinho), que insiste em fazer e defender, o extraordinário número de circo que consiste em apertar o cinto e baixar as calcinhas ao mesmo tempo, ainda por cima ficam todos amofinados com quem lhes diz que tal não é possível.

      • kirk diz:

        Silva, não consigo ler ans entrelinhas do que escreveste, mas deves concordar que aqui há muita Emoção e não tanta Razão.
        K

  14. Augusto diz:

    A primeira medida tomada pelo Macedo, foi destacar VINTE GNR para estarem de piquete aos portais , são dez portais , dois por cada um, não vá algum ter sono.

    Numa zona o Algarve , em que há um aumento da criminalidade, e a desculpa habitual é a falta de efectivos , para a Via do Infante destacam-se vinte GNR .

    Quanto ao que realmente se passou, o inspector, terá sido atingido por estilhaços de vidro, quando se dirigia a um portal que estava a arder, que vidros foram esses ninguem explica, o que é certo, é que o dito trabalhador não teve nenhuma ferida grave, e nem teve de ir ao hospital.

    Há no Algarve muita gente desesperada, há empresas de transportes a deslocarem-se para Espanha, o desemprego e o desespero são sempre maus conselheiros, e actos destes podem multiplicar-se rapidamente, se o governo não atalhar a questão de fundo, criar condições para diminuir o desemprego.

    Mas pelo que se passou com a Fabrica da Nissan, o desemprego galopante no País não preocupa nem o Passos Coelho nem e o Paulo Portas.

  15. sem nome diz:

    Parafraseando o grande R.L. Burnside: “Eu apenas disparei o tiro, se o gajo morreu a responsabilidade é de Deus”.

    Incitar à violência (justificada ou não) num blog, é tão imbecil como planear um assalto a um banco pela mesma via.

    A pergunta que se coloca é a quem interessa fazer este incitamento. A intuição diz-me que o canalha costuma ser quem está acima de qualquer suspeita.

    Tenham juizinho e cuidadinho.

    s_n@nullgmail.com
    85.241.85.38

    • Renato Teixeira diz:

      É mais ou mesmo a mesma coisa do que ameaçar sem nome. Estamos preparados. Devia fazer o mesmo.

      • sem nome diz:

        Ameaça?!!! Aonde, quem? Não descartando que a violência, com aspas ou sem elas, poderá ser um forma de luta e de afirmação, não me parece que fazer a apologia dela num blog seja o mais acertado. É assim a modos que como se um treinador de futebol anunciasse publicamente a sua táctica ou a estratégia antes de um jogo. Perde-se o efeito surpresa, essencial em qualquer confronto e sobretudo quando a outra “equipa” se encontra por cima. O Sun-Tzu terá, certamente, algo de interessante a dizer sobre isto. Por outro lado, tudo isto parece show off exibicionista – “agarrem-me fodasse, agarrem-me, senão eu vou-lhe aos cornos!”. Muita conversa, muito barulho, pouca acção. Ao que me dizem, os gregos quando vão aos cornos do outro não o anunciam, simplesmente vão. Temperamentos diferentes, combatividade diferente. Cada um é como é.
        “Cuidadinho e juizinho” – porque da mesma maneira que há infiltrados nas manifs que procuram instigar as massas ao confronto, também os haverá por aqui. Cuidado com as instrumentalizações.
        Bem hajam.

        • Renato Teixeira diz:

          Aqui faz-se propaganda, não se definem estratégias.

          • kirk diz:

            Sou capaz de achar que o sem nome é gajo para ter alguma razão. Este blogue é muito capaz de ser daqueles dos mais visitados pela policia, se bem que isso tenha um interesse limitado.
            Não estou a ver as pessoas que aqui escrevem (não me refiro aos comentários) metidos em merdas que chamem a atençao da policia, embora, parece-me, devessem dar o exemplo.
            K

  16. De diz:

    “Passos Coelho vaiado e insultado em Matosinhos”

    http://www.tvi24.iol.pt/politica/passos-coelho-insultado-vaiado-primeiro-ministro-matosinhos-tvi24/1308503-4072.html

    Passos Coelho,ao lado de José Maria Aznar.
    (Estão bem um para o outro.)

  17. Laura Nadar diz:

    la verità non esiste
    http://nihilsentimentalgia09.files.wordpress.com/2011/12/12_laverit2.jpg
    E sobretudo não existe vislumbre dela p’las mãos de um encarregado dos media. Defeito de formação, como se compreenderá.

  18. Filipe diz:

    Apelar à luta armada, contra o que quer que seja, numa democracia representativa, é criminoso. Você devia ter vergonha. Em Portugal há liberdade, não é preciso andar aos tiros para se fazer ouvir. E se acha esse tipo de atitudes aceitáveis, então não é digno de viver em democracia. Imagine se os que não concordam consigo decidissem também utilizar métodos de luta “não institucional” e lhe dessem umas chumbadas no lombo. Você não teria autoridade moral para os criticar, porque aparentemente sanciona métodos idênticos.

  19. Filipe diz:

    Além de que, com este tipo de disparates, fazem um grande mal à vossa causa. O povo português não gosta de violência e quem seguir esse caminho vai acabar morto ou na prisão. E detestado pelos seus concidadãos. Tenham juízo e joguem de acordo com as regras.

  20. Pingback: Shoot The Xerife! | cinco dias

Os comentários estão fechados.