O povo em armas…

…fará justiça com as próprias mãos e vai ser lindo! Se o Miguel Macedo queria fogo, fogo terá. Infiltrem isto bando de trambolhos violentos da São Caetano à Lapa!

O contentamento com esta notícia é de banda larga. Enternecedores estes corporativos socráticos.

Este artigo foi publicado em cinco dias and tagged , . Bookmark the permalink.

45 respostas a O povo em armas…

  1. kirk diz:

    Só perceberia aquele numero dos tiros no sistema de controle de veiculos no âmbito dum acção concertada de tomada de poder pelas massa pobres, oprimidas e exploradas.
    Foi isso que aconteceu? Nope. Enão trata-se dum crime de delito comum, cuja finalidade objectiva é descreditar os cidadaos que se opôem aos aumentos e estão a boicotar a Via do Infante.
    E mais, se eu fosse sacana era gajo para pensar que quem fez aquilo foram os mesmos que mandaram um cocktail molotov para a repartição de finanças no dia 24/11. E se eu fosse mesmo um sacana “plus rafiné” era gajo para pensar que se tratou de agentes provocadores e enquanto a policia nao provar que as acusaçoes de que têm sido alvo por causa dos provocadores das manifs de Outubro e Novembro são falsas (e dada a gravidade das mesmas, se o Ministro MM fose inteligente teria exigido um esclarecimento rápido, que parece não estar a contecer porque já lá vão tres semanas de jogo de cintura) que é que me impede de pensar que foram policias que mandaram uns tiros? Se podem ir para as manifs fazer provocações para desacreditar os manifestantes, porque nao dar uns tiros numa estrutura metálica a coberto da noite para desacreditar quem se manifesta boicotando a auto-estrada?
    E isto não tem nada a ver com justiça popular, que é uma coisa da qual fujo como o diabo da cruz.
    K

    • Sempre a mesma merda: quando aparece alguém com eles no sítio é porque faz o jogo da reacção… país de agachados

      • kirk diz:

        Alguém com eles no sitio? Quem? Uns gajos darem uns tiros numa estrutura inerte de madrugada? Ó meu caro senhor, se para si isso é tê-los no sitio, o que me parece é que você não viu nada de nada.
        K

    • Miguel Lopes diz:

      É sempre a mesma logorreia estéril que procura meter água na fervura e encaminhar a luta para pacíficas e suaves passeatas domingueiras. Os argumentos servem-se sempre a essa conveniência:

      “Só perceberia aquele numero dos tiros no sistema de controle de veiculos no âmbito dum acção concertada de tomada de poder pelas massa pobres, oprimidas e exploradas.”

      Ou seja, exigir o ‘todo’ para evitar fazer a ‘parte’. É preto ou é branco. Ou estamos a entrar com chaimites em São Bento, ou então é melhor restringirmos a luta às possibilidades legais..

      • kirk diz:

        Miguel, é assim. Aquilo que você transcreveu da minha msg é ironia ou sarcasmo ou o que lhe quiser chamar. Estamos tão longe da luta armada como a Terra está distante do Sol.
        Digo-lhe o mesmo que disse ao PBergamo. Que merda vem a ser, de madrugada, uns tiros numa estrutura de ferro e avariarem um mecanismo elctronico que só não é reparado no dia seguinte porque a em presa EP nao quer? Muito mais importante e duradouro no tempo e causar prejuizo a doer é levar as pessoas a boicotarem o uso da auto-estrada. Mas isso dá trabalho, exige militancia, exige empenho para arrastar as pessoas. Em suma, é cansativo.
        É muito mais cómodo enfiar uns tiros pró ar e depois ir para casa dormir descansado e pensar: “já dei o meu contributo e agora posso dormir descansado”.
        Ou nao me diga que Vc. acha que a revolução vai ser feita por uns gajos armados que libertarão as massas oprimidas e depois lhes entregarão o poder… bah! essa conversa já é requentada. Já outros antes de si, nos anos quentes, pensaram o mesmo e fizeram muito mais que estar sentado atrás dum ecrã de computador, como nós, até porque na altura nem havia, e a coisa deu buraco, claro.
        Deixem-se de lirismos, sff.
        K

  2. Carlos Vidal diz:

    Camarada, é preciso começar a erradicar o cliché dos “brandos costumes”, das “boas pessoas” como dizia o canalha da troika. Este é um lugar como qq outro: onde todos os meios têm de ser legítimos para responder à violência de Estado. A canalhada policial desta feita foi-se para a cidade de Faro, meter-se com quem apenas bebia cerveja à noite (atenção que os 23% de IVA na restauração já é uma forma de aprisionar cidadãos). Deixaram desguarnecida a A22. Foderam-se, como já nos foderam a nós centenas de vezes. Não hão-de estar em todo o lado, mas nós, sim, podemos estar em todo o lado.
    Força e um abraço.
    CVidal

    • Renato Teixeira diz:

      Nem mais. Serão vítimas dos seus próprios ferros. Continuar, continuar. Aquele abraço.

    • Carlos diz:

      Assim como poderão estar uns bacanos dispostos a fazer-vos a folha. Tanta vez vai o cântaro à fonte…

    • kirk diz:

      1/ Eu tb acho que essa coisa dos brandos costumes e dos bons alunos são merdas que só servem para tolher a capacidade de inciativa.
      2/ Por outro lado não acho nada que todos os meios são legitimos para responder á violencia do Estado.
      Para mim o que pode legitimar uma acção para responder á violencia do Estado (bem, se achamos o actual Estado violento, o que é que o CVidal chamaria ao Estado fascista, de antes do 25A?) são os resultados da mesma e se estes se enquadram no objectivo que perseguimos. Se nos basta apenas a nossa satisfação pessoal, ok, já concordo consigo; pode perfeitamente pegar numa fusca ir a uma esquadra e mandar uns tiros lá para dentro. Em termos de avanço para a mudança da natureza do Estado que Vc pretendeu atingir, não vai haver nenhuma. Mas se o seu objectivo for conseguir um efeito cumulativo de todas as acções levadas a cabo, aí já a natureza das mesmas é importante. No caso da Via do Infante, se se quiser causar mossa a sério o objectivo deve ser levar as pessoas a deixar de utilizar a auto-estrada; se se buscar apenas a satisfação pessoal, efémera, então o recurso a uns tiros de caçadeira está muito bem, não digo que não.
      Acções do género, de deitar abaixo todas as estruturas de controle do tráfego na via do Infante, não me parece que isso em Potugal seja, actualmente e mesmo a médio prazo, possivel; não há colhões para tanto nem organização, mas sempre dá para sonhar, não?
      K

      • Miguel Lopes diz:

        “No caso da Via do Infante, se se quiser causar mossa a sério o objectivo deve ser levar as pessoas a deixar de utilizar a auto-estrada”

        Enfim, estamos conversados..

        • Carlos Carapeto diz:

          Miguel Lopes says:

          “No caso da Via do Infante, se se quiser causar mossa a sério o objectivo deve ser levar as pessoas a deixar de utilizar a auto-estrada”

          Boa sugestão. E quando quando começarem as obras de requalificação da 125 por onde aconselha as pessoas a circular?

          Essa jogada está preparada há muito tempo.
          O trânsito na 125 já é um caos, e quando começarem as obras é impossivel circular nela.

        • kirk diz:

          Miguel é assim, se for uma cena de tiros fala-se no asunto e passados dois ou tres dias está esquecido. Se for um boicote á autoestrada daqui a um mês ainda se vai falar no assunto e daquei a dois e daqui a tres, sempre que se falar do movimento das autoestradas. Politicamente tem muito mais impacto que os tiros. Agora, se se está a borrifar para os resultados politicos das acções, tá bem, tiros talvez seja uma boa opção.
          Lembra~se dos cocktails molotov do dia 24, não lembra? Quantos dias durou o impacto daquela acção levada acabo nao se sabe por quem? dois dias, não mais. Porem, a questão dos policias infiltrados, se bem que muito menos espectacular tem sido politicamente MUITO mais eficaz.
          Pode não vir a dar nada, mas em termos d resultado politico tem sido mais eficaz. Congregou muita mais gente á sua volta, que os cocktails.
          K

          • Slint diz:

            Depende, se todos os dias aparecerem porticos estragados aqui e ali vai dar efeito também não achas?
            Ou melhor ainda… desaparafusa-se as matriculas dos carros e circulamos.

  3. Miguel Lopes diz:

    Excelente acção! Carrega!

  4. Augusto diz:

    Uma noticia que está a passar ao lado.

    Na semana passada, as chefias militares reuniram com os ministro da Defesa, e das Finanças, Cavaco nem sequer foi informado.

    Ás tantas , as reivindicações dos militares, foram todas satisfeitas, e o Governo neste caso, esteve-se cagando para a Troika.

    Bastaram umas palavrinhas do Otelo, um desfile na Baixa de Lisboa , e uma cara feia dos generais, e logo os ministros se puseram em sentido.

    Como diz o povo que tem cu…tem medo….

  5. José Picas Sem Cedilha diz:

    Oh Carlos Vidal, ó Carlinhos. dedico-te um poema do Boto: ” Um menino como tu / lkavadinho todo nu / gosto…mas gosto d efedelhos / vou-lhes au c… / dou-lhes conselhos…” O ataque foi uma cobardia de garotelhos que ainda não descobriram que quanto mais estragam mais terão que pagar. Ou antes, os que trabalham é que terão que pagar, com os seus impostos,talvez os papás e as mamãs. Já em 1975 tivemos que pôr nos eixos o bando de reaccionários, entre eles muitos comunas diminuídos mentais, que acreditavam que os chatos comem folha de alface. Não comem. Quando destruirem, não se escondam. Aliás, nem vale a pena. Toda a gente sabe onde se acoitam estes “heróis” que vagueiam enquanto os trabalhadores dormem. Ponham-se a pau, porque quem cospe para o ar molha-se. A canalhada só tem vitórias de Pirro.

    • Miguel Lopes diz:

      “ainda não descobriram que quanto mais estragam mais terão que pagar.”

      Escravo voluntário. Escravo voluntário e ignorante com chavões da avózinha.

    • Slint diz:

      A única coisa que temos que por nos eixos são os democratas-cristãos como tu, vai mas é comentar para o blasfemias ó vagaroso mental, pode ser que um dia seja a tua casa ou carro a arder.

  6. Carlos diz:

    Carlos, vá chamar cónego ao raio que o parta, tá? Se o post inicial não é uma ameaça, não sei o que lhe chamar. Continuem então com os vossos sonhos húmidos de conquista do poder pelas armas, já que nas urnas é o que se sabe.

  7. Pinto diz:

    A figura representa o interior do BE? Se querem tumultos já os têm dentro do partido. Não precisam de os desejar ao resto da população.
    Nem a casa sabem arrumar e ainda se propõem a governar um país. Garotada.

    E agora vou desinfectar as mãos por ter escrito nesta espelunca.

  8. dr diz:

    Pois é, são noticias destas que nos alertam a todos para o estado em que nos estão a deixar.Um dia ficaremos de tal maneira encurralados que só teremos uma forma honrosa de saída, que é partir para a violência, e não acredito que os portugueses já não tenham pensado nisso de tanto serem roubados e de verem o País a ser vendido ao desbarato ao estrangeiro.VIVA PORTUGAL

  9. Pingback: ERA UMA VEZ NO ALGARVE | Total Blog

  10. Delta diz:

    Convido-os para andarmos todos à porrada, todos contra todos, é só aparecerem que eu também apareço. Todos conta todos. quem ficar em pé tem razão.

  11. CÀCALHARÀS diz:

    Olá renatinho frustrado…. já sei k não vais publicar isto, mas também não me interessa, pq é a ti k quero explicar algo, meu andróide.
    Olha lá ó meu androidesito de merda deixa as pessoas efectuaram algo k realmente é luta, sem meteres a merda da colher, não deves equiparar te a quem realmente faz…. pq tu és um merdoso de um neteiro que só aqui tens coragem para cagar as tuas postas de pescada que não valem um caralho.
    Fecha a puta da matraca atrasado mental.
    Deixa fazer quem realmente faz.

    vaitefoder@nullgmail.com
    195.23.49.65

  12. helder diz:

    Se o pessoal optar por boicotes da treta, estilo deixar de circular nas AEs, será ideal para quem tem dinheiro e não se importa de pagar,escusam de andar a levar com puntos e corsas. Já as acções do tipo chumbo grosso nos porticos, tornam a passagem “gratuita” para todos. Um caso feliz de democracia á lei da bala.

  13. José Picas Sem Cedilha diz:

    Andaram gerações a trabalhar a ser sugados nos impostos para que a escola de “massas” acabasse por gerar este monte de gente que, pelos vistos, nada tem na mioleira. É só asneiredo e insultos.E ainda pairam por aqui os lírios dos amanhãs que cantam, dos que imaginam que vai haver “revolta do povo” e outros fantasmas que um tal Karl Marx iamginou em delírio, emquanto parasitava à custa do amigo capitalista. Meus meninos: quando o povo se revolta os passarões lá estarão prontos para lhes comer as papas na cabeça. Foi assim com os sans-coulottes na Revolução Francesa ou com os pobres diabos dos operários e campónios nas Revolução de Outubro. Passam a liderar os sacanas, burros como tamancos mas espertos para tomar o poder. Citando Cervantes: o pior que pode acontecer às formigas é crescerem-lhes as asas, porque qualquer pássaro as come em pleno vôo. Um conselho aos “acampados” e revolucionários de pacotilha: olhem que o excesso de álcool e de fumos faz mal à pinha. Acordem e comecem a trabalhar porque o futuro é para os jovens, mas terão que dobrar a mola porque ele não cai do céu.

  14. A. diz:

    Quando virmos o Renato Teixeira e outros do bando a pegarem nas armas e dar a cara na frente de combate, convenceram-me. Até lá… ide à merda!

  15. Pingback: Guerra Civil | cinco dias

  16. Junqueira diz:

    Ao menos escrevam sem erros ortográficos!…

  17. Pingback: Vaia, Resiste, Sabota, Luta, Desobedece, Ocupa, Boicota! | cinco dias

  18. mortalha diz:

    neste momento deu uma reportagem sobre este assunto na RTP1 e, curiosamente, a GNR está a patrulhar a zona em força mas queixa-se de dificuldades financeiras para o fazer. parece que até as viaturas da BT pagam portagens! 😀

  19. FPinto diz:

    Não há dúvida que há tendências para todos os gostos. Em minha opinião, não há métodos errados, mas métodos mal aplicados ou desenquadrados. Quero com isto dizer que a cada fase da luta contra as portagens deverá corresponder um tipo de luta. Eu acho que ainda só se está na fase da aderência à causa e é preciso ter cuidado para agregar o máximo de gente, não o contrário. Entendo que se deveria discutir e não agredir (nem que seja verbalmente).
    O que nunca deve acontecer é a injúria, que tem por aqui fervido. É feio e desmobiliza quem ainda não aderiu, porque parece coisa de garotos na fase escatológica. Será?
    É do desvario em que todos andamos um pouco que se aproveita o poder: dividir para reinar parece estar mais uma vez na ordem do dia! Sejam eficazes

Os comentários estão fechados.