O happening do Paulo Granjo

Afinal o happening foi da polícia. Espero que, à semelhança da autocrítica do Paulo Granjo, se siga a do João Proença.

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

7 respostas a O happening do Paulo Granjo

  1. anon diz:

    Chibaria, é bem Proença, é bem.

  2. Paulo Granjo diz:

    Não. Não é uma autocrítica, Renato. É uma acção cidadã que não anula o post anterior.

    A muitíssimo provável presença de provocadores infiltrados (que só uma ingenuidade do tamanho do mundo justifica que não se preveja e não se contra-prepare – veja-se http://antropocoiso.blogspot.com/2011/10/espioes-policias-e-tumultos.html e particularmente o video linkado) não transforma o, em si mesmo, quase irrelevante episódio num happening da polícia.
    Isto porque é o bê-á-bá de qualquer bufo, e de qualquer contra-bufaria, que só se deve instigar as pessoas à volta para aquilo que elas querem ser instigadas.

    • Renato Teixeira diz:

      Pode então concluir-se que o Paulo Granjo procurou dar uma de instigador do João Proença e do Carvalho da Silva. Está certo.

      • ricky diz:

        Renato – era ou não era isto que querias… asume pá, até dia 24 apelas à invasão de escadarias e coisa e tal, quando acontece, ai, ai ai, que foram infiltrados!!! e esses infiltrados, fizeram aquilo que querias, ou não?

        E, tendo sido infiltrados a cumprimir o teu apleo, percebes os carácter sectário, divisionista, oportunista de tal chamamento? ~
        Este é o último comentário a um pos teu, não és honesto intelectualmente falando!

        • Renato Teixeira diz:

          A ocupação das escadarias é uma coisa, os infiltrados outra. O que eu quero é que a greve seja de todos e que cada um assuma as suas responsabilidades.

  3. Gentleman diz:

    Ó Renato, estava a contar que, por estas horas, já estivesses enjaulado.

    • Renato Teixeira diz:

      Foram vários e ao que parece um deles ainda continua preso. Lamentável e revelador. De si também, naturalmente.

Os comentários estão fechados.