Os mercados consomem os últimos cadáveres da democracia europeia

Lucas Papademos, o Constâncio da Grécia, foi nomeado primeiro ministro. Mário Monti, o António Vitorino de Itália, foi nomeado primeiro ministro. Por cá, António Borges, o homem da Goldman Sachs, espera a sua vez para um “governo técnico”.

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

4 Responses to Os mercados consomem os últimos cadáveres da democracia europeia

  1. Renato Teixeira diz:

    Será que a coisa pode ser chamada de uma OPA hostil?

  2. RS diz:

    “Já é tempo de tirar a camisa suja, já é tempo de vestir roupa limpa”, V.I. Lénine (1916).

  3. Indignado diz:

    Quanto para termos cá o Borges ou o Constâncio?
    O Coelho já sossegou a Banca, só se nacionaliza a dívida?
    Não há inocentes no poder, o coelhinho nas duas legisdlaturas que esteve no parlamento maçónico, não viu o que se lá passava, e o consultor pessoal o catrogazinho, não andou por lá, não estudou a matéria?

  4. Poisé diz:

    Façam o favor de escrever “Papadimos”, que é como se pronuncia em português.
    Além de que é a trasliteraçäo correcta do grego.

    Os américas é que escrevem “Papademos” para ler [papadimäus], ou entäo leriam [papadAImäus].

Os comentários estão fechados.