Caro Zé:

Chocado e em busca de circunstâncias atenuantes para a publicação de um artigo inenarrável, fui desnecessária e gratuitamente deselegante e insensível para contigo.

Há muitas formas de se dizer que a publicação de um tal texto só nos parece concebível devido a distração do director, ou devido ao seu desconhecimento acerca do assunto e das suas implicações históricas e políticas.

Há muitas formas de o dizer e aquela que utilizei foi, repito, de uma insensibilidade e deselegância que o meu choque e consternação não justificam. E que, dadas as tuas qualidades humanas, não mereces ver escrita.

Por isso te apresento, pessoal e publicamente, o meu pedido de desculpas por esse parágrafo desnecessário, insensível e deselegante.

Como esse pedido é dirigido a ti, e a mais ninguém, este post não terá espaço para comentários.

 

Este artigo foi publicado em cinco dias and tagged . Bookmark the permalink.