Ó p’ra ela, a austera Europa!…

A fim de facilitar a entrada de mais pessoal dos novos estados membros, foi aprovada a reforma antecipada, aos 50 anos e com 9.000 euros por mês, dos funcionários da União Europeia.

A decisão abrangerá, já este ano, 340 funcionários.

Só eu é que me sinto troikado?

Este artigo foi publicado em cinco dias and tagged . Bookmark the permalink.

10 respostas a Ó p’ra ela, a austera Europa!…

  1. paulogranjo diz:

    A troupe dos comentadores insultuosos está a ficar cada vez mais desleixada…
    Agora, até já fazem comentários a apoiar os insultos que “outro” gajo, o “fulano de tal”, fez em comentários que ainda não foram afixados. E que, claro, agora já não serão.
    Get a life…

    • LAM diz:

      Não conheço esses comentários, mas admito que isso se passe. Isto está a tornar-se cada vez mais num espaço pouco recomendável. Esse é pelo menos o meu sentimento.

      • paulogranjo diz:

        Sobretudo tendo em conta que (ao que me lembro) expressámos com alguma frequência, noutras ocasiões, divergências de forma veemente e acalorada, muito lhe agradeço o comentário.
        Mas passarei a ser mais selectivo quanto a meros insultos sem argumentos, seja em comentários ao que escreva, seja a outros comentadores.

        • LAM diz:

          ?? talking to me 😉
          Não recordo termos trocado divergências e, muito menos, de forma “veemente e acalorada” que é registo que evito sempre que posso. Paulo, se calhar está a fazer confusão (isto se esse comentário for a mim dirigido).

          • paulogranjo diz:

            Tenho ideia que houve para aí umas coisitas relacionadas com Moçambique (e daí recordar o seu pseudónimo, apropriado ao tema).
            Se a memória me estiver a pregar partidas, melhor.

          • LAM diz:

            É isso. A memória prega-nos algumas partidas.

  2. Maquiavel diz:

    E a notícia é de UM ANO E MEIO! Näo há vergonha!

    • paulogranjo diz:

      É verdade, quanto à notícia (o que não faria disso, se fosse apenas isso, uma vergonha, mas um exemplo de práticas sumptuárias de um dos cavalos da troika).
      No entanto, a notícia refere-se ao início do alargamento dos critérios referidos a outros altos funcionários e juízes que não, como originalmente, os comissários europeus, Trata-se, agora, de uma generalização bem mais “democrática”.
      O link para a lista de 340 jovens reformados deste ano não está, desde ontem, activo. Pelas notas que até lá recolhi, temos um Supervisor Adjunto da Protecção de Dados que, após 1 ano e 11 meses de serviço, terá 1.515 euros de reforma mensal, um seu colega que, com dez aninhos, já terá direito a 9.000 euros, um Secretário do Tribunal Europeu de Justiça que receberá 12.500 dele por mês, uma Juíza de 1ª Instância recebendo 12.900 euros mensais de reforma, e um advogado oficial a chegar aos 14.000. O standard, contudo, são 9.000.
      Como curiosidade suplementar, não fizeram descontos ao longo do seu tempo na UE e as reformas são acumuláveis quer com rendimentos de trabalho, quer com as reformas a que tenham direito nos países respectivos.

  3. JgMenos diz:

    Reformas de vergonha provavelmente a tapar a vergonha de despedir sem justa causa.
    Que vergonha!

  4. ansomilo diz:

    E penssava eu que o nosso País à beira mar plantado (enterrado) até ao tutano, estava a saque, como comentara algures, mas afinal o mal está enraizado junto dos desgovernantes desta Europa, cujo cabecilha (barroso) qual marionete dos dois párias (merkel e sarkozy), que deixara este de tanga, não faz senão governar-se e deixar que outros o façam, enquanto o desemprego alastra, os salários baixam,as reformas mingam, e faustosamente tal como cá a chulice prevaleçe com uma naturalidade impressionante. Há que por cobro a isto. Também é necessária e mais breve quanto possível de uma Primavera Europeia, destituindo estes Ditadores financeiros e entregalos ao TPI, quiçá enforcá-los pelos crimes cometidos.

Os comentários estão fechados.