«Se fores preso, camarada»

No tempo da outra senhora, era um caderninho de conselhos em papel-biblia.

Agora, em apoio ao movimento Occupy Wall Street, um grupo de programadores disponibilizou uma aplicação livre para telemóveis que, com um toque, avisa o advogado e familiares que o seu proprietário está a ser preso (e em que sítio isso está a ocorrer), transmitindo depois a notícia aos media.

Entretanto, o grave ferimento de um veterano de guerra, atingido pela polícia de Oakland com uma granada de gás lacrimogéneo na cabeça, está a fazer crescer a adesão de ex-militares aos protestos.

Este artigo foi publicado em cinco dias and tagged . Bookmark the permalink.

4 respostas a «Se fores preso, camarada»

  1. Felipao diz:

    Senhor Paulo Granjo,

    Creio que o título deste post e o seu conteúdo, fazem uma infeliz comparação, metáfora, entre duas realidades bem diferentes. Em duas situações bem diferentes.
    Admito que nao o tenha feito por mal, mas, em minh interpretação, faz um infeliz apoucamento da situação dos presos políticos portugueses(nomeadamente os comunistas) com padecidos de wallstreet. Estes últimos, que respeito bastante, nao creio que estejam sujeitos a isolamento, tortura ou a morte.

    • paulogranjo diz:

      Caro Felipao:

      Uma evocação não é uma equiparação. Pode até, conforme é o caso, marcar diferenças (quer dos tempos e tecnologias existentes, quer do significado de ser preso) e lembrar outras situações bem mais sombrias, em contraponto às actuais.
      Assim o entenderam, aliás, dois amigos presos pela PIDE-DGS (um deles libertado de Caxias a 26 de Abril, outro mais antigo), que me ligaram a comentar o post, dizendo coisas como «se no nosso tempo houvessem mordomias dessas…» e acrescentando que, com telemóveis e instrumentos de alerta como estes, muitos deles teriam escapado às “levas” de prisões.

      Se o senhor foi preso político torturado pela PIDE, se não interpreta o post dessa forma e se sente ultrajado por ele, apresento-lhe as minhas sinceras desculpas por esse involuntário ultraje.

      Se não foi, sugiro que se abstenha de gritar (e repreender os outros) por dores que não são suas.

    • Marta diz:

      O camarada já foi preso em Wall street?

      Mania de desprezar tudo o que não seja comunista! “Pois tu também resististe mas a ti não te partiram as unhas! “Vamos longe vamos!

  2. Lucio Spier diz:

    Solicito Orientacao,

    Tenho 60 anos, e em marco de 1.974 fui preso pela PIDE e fiquei na Prisao de Caxias em Oeiras.
    Fui expulso e roubaram meus filmes fotograficos.
    Gostaria de ter acesso a meu dosier eleborado pela PIDE da epoca quando tinha 22 anos.
    Vivo no Brasil na cidade de Porto Alegre.
    Ja fui varias vezes a europa mas nunca mais voltei a Portugal.
    Atenciosamente, Lucio Spier

Os comentários estão fechados.