“Parar o Orçamento – Cercar o Parlamento!”

Comunicado de Balanço

Próxima Paragem: Parar o Orçamento – Cercar o Parlamento!

Um dos maiores protestos do 15 de Outubro, em todo o mundo, foi em Lisboa. Perto de 100 mil pessoas encheram as ruas do Marquês de Pombal a São Bento, local onde realizaram a maior Assembleia Popular desde o Cerco à Constituinte. Além da promessa de continuar, votaram-se várias medidas de continuidade. Na Assembleia, votou-se além da proposta unitária, dos movimentos organizadores, a nacionalização da banca sob controlo dos trabalhadores, a suspensão do pagamento da dívida e exigência de uma auditoria cidadã, apelo aos sindicatos para uma greve-geral e acções de desobediência civil pacífica.

Na Assembleia de hoje, a plataforma organizadora do 15 de Outubro, que conta já com 37 movimentos e muitas pessoas em nome individual, avançou na criação de grupos de trabalho que visam concretizar as propostas aprovadas.

Assim o 15 de Outubro em Lisboa apela:

  • À mobilização, tendo em vista uma acção de protesto em frente ao Parlamento para o dia da votação na generalidade, do Orçamento do Estado para 2012, seguida de Assembleia Popular aberta.
  • Aos sindicatos e às comissões de trabalhadores a convocatória urgente de uma greve geral nacional – contra o acordo da Troika, contra o pagamento de uma dívida que o povo português não contraiu e da qual não retirou qualquer benefício, contra as privatizações que o governo pretende levar a cabo, nomeadamente das Águas de Portugal, TAP, CTT, CP, RTP e outras, contra a nova lei dos despedimentos, contra a precariedade imposta às nossas vidas e contra as medidas de austeridade impostas pelo governo do capital, que estão a destruir a vida das pessoas.
  • À suspensão do pagamento da dívida e convocação a uma auditoria cidadã à mesma.
  • À nacionalização da banca nacional e estrangeira sob o controlo dos trabalhadores.
  • A iniciativas populares de desobediência civil pacífica, expressando a nossa contestação diária ao futuro negro que os ricos nos dizem ser o único possível.
  • Ao apoio de futuras mobilizações internacionais no espírito do 15 de Outubro, que juntou milhões de pessoas em 951 cidades e 82 países.
  • A que todos se unam numa rede de pessoas e organizações activistas com direito à palavra, à proposta e ao voto, para continuarmos a luta política, através de um movimento informal mas inclusivo e plural, que aceita todos quantos se revejam no seu manifesto.

De lembrar que a 1.ª Assembleia Popular de 15 de Outubro fez ouvir a voz de perto de uma centena de pessoas por uma democracia participativa, pela transparência nas decisões políticas e pelo fim da precariedade de vida, numa mensagem partilhada universalmente, dos Estados Unidos à Ásia.

Adere ao movimento: 15outubro2011@nullgmail.com

Este artigo foi publicado em cinco dias and tagged , . Bookmark the permalink.

20 respostas a “Parar o Orçamento – Cercar o Parlamento!”

  1. tricMadeira diz:

    falta ai um ponto!! o perdão, imediato, de 50% da divida da Madeira ao Continente e à Banca!!

    • Renato Teixeira diz:

      A Madeira não precisa de perdão. Se o Horácio Roque e o Alberto João Jardim pagarem o que devem, nem ao Cristiano Ronaldo têm que ir ao bolso. Verá que contas feitas não ficará nenhum cêntimo por pagar para os restantes madeirenses.

  2. Pingback: Portugal: 15 de Outubro em Vídeos e Imagens dos Indignados · Global Voices em Português

  3. Manuel diz:

    “Perto de 100 mil pessoas” ???? O El País fala em 30.000.

  4. João Esteves diz:

    Tudo certo… menos uma coisa… Não foram (NEM DE PERTO) 100 mil!
    Se quando se chegou ao Rato já a cauda tinha saído do Marques, se (como diz o Público) a manifestação demorou 26 minutos a arrancar desde que saiu… foram uns 15 ou 20 mil, no maximo… Eu fui la, e vi!
    Que sejam 100.000 ou bem mais a impedir o Orçamento é o que desejo, mas não é sendo mentirosos como os políticos que acusamos que faremos algo substancialemente diferente da merda que eles andam a fazer…

    • Manuel diz:

      “foram uns 15 ou 20 mil, no maximo… Eu fui la, e vi!”

      Quer dizer foram no máximo pelo menos entre 20 e 15 vezes MENOS do que há 7 meses. Aliás como muito inteligentemente o Labrincha lembrou nas televisões, tinham estado uns 300.000 em Março.

      Quer então dizer que foi um fiasco? Eu acho que foi um fiasco relativo e não entendo porque é que os donos da coisa estão tão satisfeitos agora. Na manif estavam com cara de caso e não conseguiam esconder a desilusão.

  5. Augusto diz:

    O Horacio Roque já morreu.

  6. Citado aqui:
    Portugal: 15 de Outubro em Vídeos e Imagens dos Indignados
    http://pt.globalvoicesonline.org/2011/10/17/portugal-15opt-fotos-videos/

  7. Luis F. diz:

    Isso. Vamos nacionalizar bancos e suspender o pagamento da dívida. Isso costuma resultar.

    (como a dívida é contraída para pagar despesa corrente, é capaz de ser um bocadinho chato.. )

    • Renato Teixeira diz:

      Boa parte são juros Luis F. e feitos a cobro de empréstimos que não foram, de todo, para despesas correntes.

  8. Manuel diz:

    “Adere ao movimento: 15outubro2011”

    Novo nome da Ruptura/FER?

  9. Pingback: Portugal: Photos and Videos of October 15 Protests · Global Voices

  10. Pingback: Anarquismo, a doença infantil dos indignados | cinco dias

  11. Pingback: Португалија: Фотографии и снимки од протестите на 15 октомври · Global Voices на македонски

  12. Pingback: Πορτογαλία: Φωτογραφίες & Βίντεο απο τις διαδηλώσεις της 15ης Οκτωβρίου · Global Voices στα Ελληνικά

  13. Pingback: 12 DESEJOS PARA 2012 | cinco dias

Os comentários estão fechados.