O “jornalista” JMF – O censor pacóvio, trauliteiro e com desvios fascistas, nem no borda d’água devia ter emprego. Não por ser parvo e de direita, mas por não ter o mínimo de competência. Fernandes, este e o outro, nunca serão cereja, nem bolo, nem nada.

Depois de colocar aspas na historiadora Raquel Varela chegou a vez de desqualificar a realizadora Raquel Freire. Podia ser um problema de toponímia mas é mesmo uma embirração ideológica. Para JMF, a história, o cinema, o jornalismo, os cargos públicos e sabe-se lá mais o quê, eram entregues, em exclusivo monopolista, à direita. Para a esquerda ficariam reservadas as minas, as fábricas e o desemprego. Gosto muito destes “liberais” de pacotilha para quem a pluralidade da informação e da opinião é um direito que apenas pode ser usufruído por aqueles que fazem de caixa de ressonância das suas próprias convicções. A velha raposa maoísta, mesmo em dissidência, não perde o lastro nem esquece a sua escola.

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

25 respostas a O “jornalista” JMF – O censor pacóvio, trauliteiro e com desvios fascistas, nem no borda d’água devia ter emprego. Não por ser parvo e de direita, mas por não ter o mínimo de competência. Fernandes, este e o outro, nunca serão cereja, nem bolo, nem nada.

  1. furiadosdias diz:

    Para quem foi maoísta, anda muito requintado o artista…

  2. Pisca diz:

    Há alturas em que se tem que ser politicamente correcto, um porradão nos cornos, e aprendia o que era a vida

    Foda-se tou farto destes sabujos rasteiros

  3. Niet diz:

    Renato Teixeira: Conhece a certamente a parábola dos homens extremos, cara a Trotski e Koestler. Ora bem, JNF1957 está longe de ser um idiota e procura um lugar ao Sol. De forma cada vez mais aflitiva ou premente, ou vice-versa. Se a Comissão Europeia- assessoria Imprensa- parece agora longe, que tal o “sieur” Barroso meter umas ” cunhas ” na Central…para ele ir para a gestão da FLAD?!?. Salut! Niet

  4. André diz:

    Este gajo (JMF) é burro. Decididamente burro.
    Então o Eric Hobsbawm teria que ter adicionado uma nota de roda pé às suas obras onde informava os seus leitores da sua filiação ideológica??? Perfeitamente absurdo!! Se ele, JMF, tivesse limitado os seus comentários à contestação da tese, contrapondo argumentos (como o tal da cena da Polícia Militar etc) tudo bem. Agora partir para um ataque ao bom nome da Raquel parece-me não apenas absurdo como um claro exemplo de má fé.

    Até parece que não é possível ser Marxista e uma boa historiadora ao mesmo tempo.

    JMF, você é BURRO!! BUUUUUURRROOOOOO! 🙂

    Maxime Rodinson, um dos mais importantes orientalistas de sempre, lido e respeitado por Bernard Lewis e muitos outros, foi, até à sua morte, um MARXISTA.

    Psst: Sou liberal old school mas não gosto de manadas e detesto injustiças, particularmente as cometidas por má fé e/ou imbecilidade.

    Viva à Raquel!!

  5. Vitor Ribeiro diz:

    Esse tal “cidadão” é um daqueles exemplos supremos da tal “cultura” (?) de mer(d)itocracia que a direita tanto gosta de apregoar e defender: é que se olha para o currículo do tal “bicho” e não se consegue descortinar nada mais que mér(d)ito. Um grande mér(d)ito. E ter escaqueirado o Público de alto a baixo não terá sido certamente a sua acção mais mer(d)itosa.
    Não sendo eu daqueles que só gosta de ler/ouvir aquilo com que concorda, há figurinhas que nem quando estão caladas eu tenho pachorra para as ouvir. É o caso deste tal “jornalista”…
    Já agora, Renato, por acaso sabe onde tirou o tal “senhor” o tal “curso” – é que ouvindo-o e lendo-o perorar sobre o tema fico a pensar se não terá sido na farinha amparo…

  6. xatoo diz:

    comentário de JMF há minutos no Twitter:
    “Cavaco é mesmo um social-democrata de centro-esquerda em termos de política económica”
    até aqui compreendemos o biltre… e a diabolização que faz de figuras de esquerda – o que não é compreensivel são as expressões usadas pelo Renato “raposa maoista” e “não esquece a sua escola” – concretamente o que é que isso tem a ver actualmente com um serventuário do regime dito democrático? foi Mao Tse Tung que esteve na génese da filosofia deste regime?

    • Renato Teixeira diz:

      “mesmo em dissidência”, terá lido, certo?

      Não embirre. Eram mesmo só saudades suas aqui pela tasca.

  7. Patrícia diz:

    Alguém que se apresenta como ex-director vive por certo no passado mas há que informá-lo que ele não é nenhum Jeremy Irons de Brideshead.

    Pessoalmente gosto da pérola que escreveu no twitter uma vez: “(…) a cultura não precisa de ministérios, precisa de gente culta.” O perito cultural devia aliar-se a Miguel Sousa Tavares e a Marcelo Rebelo de Sousa, esses renascentistas contemporâneos, e falar de todas as coisas que conhece tão profundamente.

  8. Lurdes diz:

    muito mal Renato… gosta de ser excessivo mas depois porta-se como uma virgem ofendida quando dizem algo que não gosta… mas olhe que desta vez nem sequer tem razão. Basta seguir o link para ler que a única vez que o JMF coloca aspas é quando cita. Antes e depois menciona sempre a historiadora sem aspas. Mas o ódio cega Renato, não é? Vá voltar a ler e veja se escreve menos disparates.

    • Renato Teixeira diz:

      Releia Lurdes. Não deixe que a admiração lhe tolde o juízo. Costuma ser pior do que a raiva que diz identificar na minha posta.

      • Lurdes diz:

        Tiro ao lado Renato. Tenho mais admiração pelas suas ideias do que as dele, mas a partir de agora vou ter mais cuidado com as suas (ex)citações. Para criticar JMF basta o que ele diz e não é preciso inventar aspas. Reli e mantenho o que afirmei anteriormente.

        • Renato Teixeira diz:

          Lurdes, JMF aspou com a Varela e com a Freire, na mesma técnica primária da desqualificação. Onde lhe sobram dúvidas?

          “de uma tal ‘realizadora’ Raquel Freire”

          “O meu ponto é mais simples: quando se apresenta alguém como Raquel Varela como “historiadora”, para mais com a autoridade de ter feito um doutoramento sobre o PCP, convém acrescentar legenda.”

          • Lurdes diz:

            o Renato dá-me trabalho mas eu aceito o repto. (sobre a realizadora aspou sim, mas nunca me referi a isso). Quanto à historiadora: refere-se a ela na linha 2 e 9, sem aspas. Na linha 24 coloca aspas quando escreve: «quando se apresenta alguém como Raquel Varela como “historiadora”», portanto cita e as aspas estão certas. Se duvidas restassem, na linha 28 volta a mencionar a historiadora sem aspas. No texto também não descortino qualquer menorização ou colocação em causa do cv académico. O que ele diz é que no cv falta o activismo político. Vale o que vale… Por isto, Renato, não concordei nem concordo com a sua leitura.

          • Renato Teixeira diz:

            Ora. Amigos na mesma.

  9. De diz:

    JMF,um dos homens de mão dos interesses de Belmiro,um dos servos dos patrões dos patrões,um dos apologistas doutrinadores do “império benigno”,um cúmplice de crimes de guerra e de genocídio,um arrependido em fase aprimorada,é um dos exemplos característicos de alguém que é para alem do que se disse,um censor pacóvio,com desvios fascistas e incompetente.E que tresanda à distância.
    Há outro que com ele rivaliza e que umas vezes toma a dianteira enquanto noutras vezes é ultrapassado por JMF.Esse outro é MST
    São ambos exemplos de …
    Isso mesmo

  10. Maquiavel diz:

    Fazei o favor de mudar “Borda D’Água” por “Correio da Manhä” ou algo similar. O Borda D’Água é uma publicaçäo SÉRIA, que ajuda os leitores, agricultores e näo só, desde há décadas (séculos?), logo näo merece ser misturado com bandalhos como JMF.

  11. closer diz:

    Finalmente escreveste um post de jeito. Aleluia!

    • Renato Teixeira diz:

      Para o closer ter gostado começo a achar que se calhar foi um bocado ao lado…

      • closer diz:

        Porque provavelmente não conheceste a personagem em tempos idos como eu a conheci, nos tempos em que, entre outras coisas, abandonou o PC (R) porque não era suficientemente comunista e pactuava com o reformismo.

        Depois foi para o Clube da Esquerda Liberal e daí para os neocons. O resto da história é conhecida.

        Dá que pensar estas súbitas alterações de trajectória política. Há outras mais subtis e mais actuais que envolvem o México, picaretas e revoluções traídas.

        • Renato Teixeira diz:

          A esquerda liberal, essa grande família…

          • closer diz:

            Porque é que não reconheces que aprendeste qualquer coisa com o meu comentário em vez de estares a mandar bocas sibilinas sobre a esquerda liberal?

            Chama-se a isto a táctica saloia da distracção. Enquanto se fala na esquerda liberal, esquecem-se as picaretas, não é?

          • Renato Teixeira diz:

            Aprende-se sempre. Até com o closer. Reconhecido seja o senhor.

  12. j00o0oo0o0o0o0o diz:

    Um abraço ao Cunha Manuel

Os comentários estão fechados.