É a Primavera líbia, estúpido

A mãe, a irmã e as filhas, Yam e Aden, de Afaf Gaddafi tinham o apelido do coronel, como todos os membros da tribo Gaddadfa. Tentaram fugir da Líbia e sobreviver ao apelido, mas não conseguiram: um pelotão rebelde fuzilou-as. Yam tinha vinte meses e Aden tinha três semanas.

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

191 respostas a É a Primavera líbia, estúpido

  1. Grumbler diz:

    A culpa é deles, claro. Tivessem mudado de nome. Ou quererás tu dizer que os infaliveis e belos rebeldes do CNT têem culpa do que aconteceu?

  2. De diz:

    Eis a face dos “rebeldes” a quem,prestimosos, os capangas da Nato ajudaram a colocar no poder.Nato que continua a insistir que Gaddafi continua a ser um perigo.Nato que vai executando as suas tarefas sujas,enquanto as “empresas” dos vencedores vão disputando os nacos suculentos.Entretanto a factura em sofrimento e em vidas humanas vai crescendo.E as opiniões públicas ocidentais,parasitadas por uma informação que se mostrou à altura dos planos de guerra e de pilhagem dos Cameron,dos Sarkozy e dos Obama,não se apercebem das ligações sujas entre os seus governos e os extremistas da al-qaeda.

    Mais vítimas da guerra e da aliança dita atlântica.Mais vítimas do terrorismo do império e dos seus aliados

    • Helena Borges diz:

      (Ainda não é desta que discordamos!)

    • licas diz:

      Desde 1968 o Coronel mata, tortura os seus concidadãos Líbios.
      É humao, quase justo, que se pratiquem (QUE NÃO FORAM CONFIRMADOS, diga-se) barbaridades. Só quem viveu sob regomes destes é que podem
      com justiça condenar is LIBERTADORES DA LÍBIA).

      • De diz:

        Mais um que gosta de sangue e de barbaridades

        Sobra-lhe um pouco de histeria…
        enquanto se meneia em prol dos “libertadores”

        Conhece-se o género

      • Miguel Lopes diz:

        Aparece sempre um tótó a escrever com maiúsculas. Este pelos vistos nem sabe que a revolução foi em 1969. É melhor nem descobrir que mais é que ele não sabe..

  3. l'outre diz:

    Que os culpados sejam encontrados, julgados e punidos exemplarmente. Nada disto justifica os 40 anos de repressão da liberdade por parte de Khadaffi (o coronel).

    • De diz:

      Nada disto justifica os 40 anos do coronel?
      Mas não era o coronel apoiado até há bem pouco pelas ditas potências ocidentais?
      Não era recebido com beijos e abraços por Obama,Sarkozy,Berlusconi e até por Sócrates?
      Há bem menos que os 40 anos referidos pelo “outre” ?
      Então se nada disto justifica os 40 anos de opressão,o que andavam a fazer os tais líderes ocidentais?

      Mas até onde vai a demagogia barata dos que tentam ocultar a hipocrisia,o crime,o sangue ,o saque de toda esta guerra?
      Justificar invasões com base em crimes que parece que não eram relevantes até há pouco tempo?
      Mas isso parece que tem nomes piores do que demagogia não tem?

      • l'outre diz:

        Dizer que o autor de Lockerbie teve sempre o apoio incondicional das potências ocidentais é ser-se demagogo e populista (para não o chamar aldrabão e mentiroso).

        Essas recentes “demonstrações de afecto” pelas potências ocidentais só se verificaram depois de alguém ter achado que Khadaffi se tinha “emendado”. Inúmeros ocidentais se indignaram com estas “demonstrações de afecto” a um tirano e opressor dos povos. A resposta do coronel às manifestações, comprovou os receios de muitos ocidentais, que o coronel não se tinha emendado.

        E estas preocupações humanísticas não são recentes. A única diferença é que desta vez os Líbios pediram ajuda ao mundo ocidental (coisa que países como a Síria ou o Yemen não fizeram).

        • De diz:

          Mas quem disse que Gaddafi “teve sempre o apoio incondicional das potências ocidentais”?
          Ora leia lá…veja se percebe o escrito”Não era recebido com beijos e abraços por Obama,Sarkozy,Berlusconi e até por Sócrates?Há bem menos que os 40 anos referidos pelo “outre”?
          Donde parte para o “sempre o apoio incondicional das potências ocidentais?
          Havia inúmeros ocidentais que se indignaram?E onde está escrito que não?
          (Há também ainda mais que acham criminosos os pulhas que bombardearam a Libia)
          Mas eu citei os nomes dos maiores responsáveis que receberam o líder líbio de braços abertos…não me refugiei nesse cobarde “alguém ter achado que Khadaffi se tinha “emendado”

          Mas afinal o “demagogo,populista,mentiroso e aldrabão” é afinal…o”outro”

          Há aqui qualquer coisa de cumplicidade com os mortos provocados pela invasão de um país.

          “Os líbios pediram ajuda”…e a ajuda veio em forma de bombas,mortes, assassínios,pilhagens e saques
          http://tv.globalresearch.ca/2011/08/make-no-mistake-nato-committed-war-crimes-libya

          Afinal parece que a questão está aqui…como a Síria e o Yemen, não o fizeram, eis a explicação da diferença de comportamento ( já repararam no pormenor…num caso ,os líbios,povo em abstracto, pede ajuda… noutro caso são os países,Síria e Yemen…para o caso de terem pedido tal ajuda algum grupo de sírios ou algum conjunto de iemenitas…

          Começa a cheirar um pouco mal
          WikiLeaks cables expose Washington’s close ties to Gaddafi
          http://www.globalresearch.ca/index.php?context=va&aid=26236
          http://www.pvtr.org/pdf/Report/RSIS_Libya.pdf
          http://www.folhadaregiao.com.br/Materia.php?id=283860

          ah,as preocupações humanistas a par de tanta coisa

          é que ainda por cima há tanta coisa mais…

        • De diz:

          “Mussolini no seu tempo apresentava a agressão fascista contra a Etiópia como uma campanha para libertar este país da chaga da escravidão; hoje a OTAN apresenta a sua agressão contra a Líbia como uma campanha para a difusão da democracia. No seu tempo Mussolini não cessava de trovejar contra o imperador etíope Hailé Sélassié chamando-o “Negus dos negreiros”; hoje a OTAN exprime seu desprezo por Kadafi chamando-o “ditador”. Assim como a natureza belicista do imperialismo não muda, também as suas técnicas de manipulação revelam elementos significativos de continuidade. Para clarificar quem hoje realmente exerce a ditadura a nível planetário, ao invés de citar Marx ou Lénine quero citar Emmanuel Kant. Num texto de 1798 (O conflito das faculdades), ele escreve: “O que é um monarca absoluto? Aquele que, quando comanda: ‘a guerra deve fazer-se’, a guerra seguia-se efectivamente”. Argumentando deste modo, Kant tomava como alvo em particular a Inglaterra do seu tempo, sem se deixar enganar pela forma “liberal” daquele país. É uma lição de que devemos tirar proveito: os “monarcas absolutos” da nossa época, os tiranos e ditadores planetários da nossa época têm assento em Washington, em Bruxelas e nas mais importantes capitais ocidentais.”
          Domenico Losurdo

          O “ditador” afinal tinha sido, pouco tempo antes,comensal de Obama,Berlusconi,Sarkozy.Agora era para eliminar.O saque,e as questões geo-estratégicas falaram mais alto

        • De diz:

          O “pedido de ajuda”dos”líbios”:
          ” Trata-se de uma guerra preparada desde há muito tempo. O Sunday Mirror de 20 de Março revelou que “três semanas” antes da resolução da ONU já estavam em ação na Líbia “centenas” de soldados britânicos, enquadrados num dos corpos militares mais refinados e mais temidos do mundo (SAS). Revelações ou admissões análogas podem ser lidas no International Herald Tribune de 31 de Março, a propósito da presença de “pequenos grupos da CIA” e de uma “ampla força ocidental a actuar na sombra”, sempre “antes do desencadeamento das hostilidades a 19 de Março”.

          • l'outre diz:

            O pedido Líbio demorou 1 mês a passar a resolução da ONU. 3 semanas antes da resolução é ainda depois do pedido.

            Para além disso nenhuma intervenção militar avança antes de estar devidamente preparada, o que demora tempo. É perfeitamente natural que diversos países tivessem enviado observadores militares para o terreno para preparar uma futura operação militar. É assim que se fazem as coisas nas forças armadas.

            Desde que essas forças estivessem apenas como observadores e não como combatentes, não revela qualquer malícia por parte das “potências ocidentais”, apenas precaução o que é sempre positivo.

          • De diz:

            Lê-se a “resposta do “l`autre” e fica-se banzado

            Não se sabe se é a pressa que tem de justificar o injustificável,se a obediência cega aos seus líderes ideológicos

            Desde quando,desde quando é que um país vê esventrada a sua soberania por parte de assassinos estrangeiros,sem tal facto estar mandatado ao menos pelas Nações Unidas?
            Mas desde quando é que as potências ocidentais,os criminosos da CIA e SAS,se arrogam no direito de se anteciparem às decisões da ONU?
            E se estas tivessem sido noutra direcção?
            Mais.A decisão da ONU excluía tropas no terreno

            Mas tal comentário é sério?
            Mas tal comentário não revela apenas que a cumplicidade com o crime torna as pessoas cegas e obtusas?

            Mas o que se passa?
            Este “outre” pensa que estamos todos parvinhos?
            A cumplicidade com actos criminosos e fora-da-lei é algo com que “outre” pelos vistos consegue conviver.
            Não nos peça para o seguirmos no seu contraponto de sangue e de hipocrisia

          • l'outre diz:

            Ninguém se antecipou. A intervenção ocidental só começou depois do aval da ONU. Durante os períodos de paz as forças armadas de qualquer país elaboram planos de ataque e defesa para diversos cenários. A grande maioria nunca é utilizada. Esses planos existem como um “just in case” e como exercícios teóricos de estratégia militar. É assim que as forças armadas de qualquer país funcionam.

            Após o CNT líbio começar a falar no pedido de uma zona de exclusão aérea (note-se que o texto final da moção da ONU é mais vago do que isto, o que permite interpretações diferentes), é natural que as chefias militares se tivessem apressado a elaborar planos de intervenção na líbia para os diversos cenários que esperassem encontrar.

            Isto não revela qualquer malícia, até porque não são os militares que decidem se vão para a guerra, mas sim os políticos. Isto revela apenas que os militares levam o seu trabalho a sério e não fazem as coisas em cima do joelho.

          • De diz:

            Tenha santa paciência.
            Um fulano que diz defender a legalidade e depois pactua com ilegalidades, em nome das botas cardadas da tropa, é uma aventesma
            Solidária com a tropa assassina e pronta para o disparo

            A corja que este “outre” defende invade um país em nome da eficácia de futuras putativas acções.
            Militares
            Isto é tudo e mais alguma coisa

            Estes miseráveis se fossem apanhados seriam considerados o quê?
            Traidores?Espiões?
            Se fosse nos EUA seriam considerados terroristas
            E esta cambada é isso mesmo:terrorista
            Ou seja voltamos ao ponto de origem, conduzidos pela doutrina ideológica do “outre”.
            O que já se sabia de resto.Os defensores do ataque à Líbia defendem terroristas
            Tenham botas cardadas ou agitem as bandeiras do fascismo islâmico

          • Andrés diz:

            Ó l’outre qual é o seu “líder ideológico” e qual é a sua “doutrina ideológica”.
            Depois de ler o De fico cheio de dúvidas que o meu amigo não seja um perigosíssimo e fantasmagórico agente. De quem ainda não percebi, porque o De nunca é claro, mas lá que é perigoso, fantasmagórico e agente, isso é clarinho como a água.
            Nada como ler o Correio da Manhã britânico para acompanhar fielmente o desenrolar da actividade diplomática e militar. O que o De nos ensina!
            E já sabe: sempre que “defender a legalidade e depois pactua(r) com ilegalidades, em nome das botas cardadas da tropa,” o l’outre passa a ser visto como um fantasma grande e feio, desagradável, até! Ou, dito de forma mais sintética, uma aventesma.
            Claro que quem se orgulha de não consultar dicionários, tropeça nas palavritas menos vulgares ao pôr-se em bicos de pés, e, depois… nariz na lama.
            Sobretudo quando quem não consegue argumentar sem alvejar o contendor com insultos, ofensas, insinuações, suspeitas de intenções malévolas.
            Enfim, o De em toda a sua glória ridícula.

          • De diz:

            Isso mesmo andré,s vulgo catulo
            Isso mesmo.Os aliados devem-se unir,quais Cameron e Sarkozy
            A questão
            a questão agora está em saber quem é que é que faz de Sarkozy e quem faz de Cameron
            Outre será Cameron
            Andrés será Sarkozy?
            Ou será vice-versa?

        • Carlos Carapeto diz:

          «««« l’outre says:___E estas preocupações humanísticas não são recentes. A única diferença é que desta vez os Líbios pediram ajuda ao mundo ocidental (coisa que países como a Síria ou o Yemen não fizeram).»»»»

          Éh pá pede à mãinzinha que te dê o biberon e te meta na cama, que o teu mal é sono.

          Com que então os revoltosos na Siria e no Yemen não pediram ajuda? Primeiro;na Siria foi-lhe oferecido apoio antecipadamente e continua a ser prestado por parte de Israel e dos países da Nato.
          Segundo; no Yemen os países Ocidentais estão a colaborar ativamente na sufocação dos protestos da população.

          Se soubesses estas coisas não estavas a trompicar o juizo aqui ao pessoal da tribo com disparates e asnadas.

          Por isso, desaparece, pisga-te, desanda, antes que eu perca a paciência e diga que és um alarve ignorante.

    • Miguel Lopes diz:

      Consegue dar-me um exemplo concreto de repressão da liberdade?
      Acresce que, tanto quanto se sabe, Gaddafi já não está sequer no poder e é apenas uma figura decorativa, sem qualquer função na hierarquia do Estado.

      • l'outre diz:

        As prisões políticas. A supressão de partidos políticos de oposição. Perseguição a homossexuais. A destruição da cultura Berber. Programas de armamento de destruição massiva (armas químicas sobretudo).

        E isto sem incluir as chacinas na recente guerra civil.

        • De diz:

          Já não se suporta o cheiro das “armas químicas”.
          Esse foi o argumento usado pelo pior criminoso deste século para justificar a invasão e destruição do Iraque.
          Volta agora o mesmo termo,pela mão do “outro”, falando em “programas de armamento de destruição maciça”

          Foram usados?Há provas da sua existência?
          Ou basta agora os vencedores dizerem que encontraram tal?
          Mas programas de armazenamento de destruição maciça existem em muitos dos países ocidentais…
          ..a começar pelos EUA

          Começa a cada vez cheirar pior o conjunto de argumentos do “outro”?

          A realidade está aí em toda a sua nudez.Repare-se com as notícias sobre a Líbia têm diminuído significativamente.
          E no entanto continua o terreno aberto a todas as atrocidades….agora ocultadas pelos media…
          ..e o outro fala…em “preocupações humanistas”

          A hipocrisia travestida em outro?

          • l'outre diz:

            A diferença é que estas armas químicas existiram mesmo. O governo de khadaffi foi condenado pela ONU e por tribunais internacionais e existiu um programa de desmantelamento nos anos de 90 (que não sei se foi cumprido ou não).

          • De diz:

            Foi por causa desse programa de facto que Berlusconi apareceu de braço dado com o líder líbio.Até o beijou nas faces
            E Obama fotografado e sorridente
            E Sarkozy a afagar as mãos sorrateiro

            e os documentos todos que mostram os negócios entre os convivas

            Tudo isto já bem depois destas tais armas químicas

            Mas já não há o mínimo de vergonha?

        • Miguel Lopes diz:

          “As prisões políticas.”

          Exemplo concreto.

          “A supressão de partidos políticos de oposição.”

          Dos partidos da oposição e de todos os outros. Não existem partidos na Líbia com a acepção e as funções que eles têm no nosso sistema político.

          “Perseguição a homossexuais.”

          É verdade. É um combate que se tem que fazer.
          Mas quem é que vai proteger os homossexuais, são os jihadistas?

          “A destruição da cultura Berber.”

          Hhhm?!

          “Programas de armamento de destruição massiva (armas químicas sobretudo).”

          O desenvolvimento de armamento é um direito que as nações têm. Para alem disso, foi abandonado em 2003.

          • l'outre diz:

            Em relação às perseguições políticas, khadaffi chegou a oferecer muitos milhões como recompensa a quem matasse jornalistas que se opunham ao regime.
            http://www.guardian.co.uk/uk/2004/mar/28/politics.libya

            Em 2010, a Líbia estava na 160ª posição do ranking de liberdade de imprensa da Repórteres sem Fronteiras (que contem 170 e poucos países).

            Em relação à destruição da cultura Berber, Khadaffi nos anos 80 proibiu o ensino da língua Berber nas escolas.

            Se acha que a supressão de partidos políticos uma coisa boa é lá consigo, mas eu considero-o um atroz atentado à liberdade de pensamento e ao saudável confronto de ideias.

            Se o programa foi ou não abandonado não é a questão. Não deixa de ser um crime cometido pelo regime de Khadaffi.

          • De diz:

            Mas então as festas e as palmadinhas nas costas ao líder líbio por parte da fina flor dos bosses ocidentais após essa fantástica notícia do Guardian o que significava?
            Que não acreditavam no Guardian?
            Que acreditavam no Guardian mas que os negócios falavam mais alto?
            Que se estavam nas tintas para tais notícias?

            É uma chatice haver tantos momentos de cavaqueira confraternização entre o demonizado Gaddafi e a fina flor do entulho
            É que todo este palavreado soa ou a falso ou a hipócrita
            …que como se sabe é um dos caminhos para a guerra e para a morte.Ou para a sua tentativa de justificação

          • l'outre diz:

            Caro De,

            Khadaffi ser recebido (erradamente na minha opinião) de braços abertos por alguns líderes ocidentais não o iliba dos crimes que cometeu. Da mesma forma que o assassinato destas mães e filhas (a notícia do post original) não branqueiam os crimes do coronel.

            E repare que comete um erro gravíssimo na sua análise, ao assumir que ninguém pode ser amigo, ou ter relações cordiais com um criminoso, por muito velhaco que seja. Tal não é (nem deve ser) ilegal ou imoral.

            Um pai não deve ser obrigado a cortar relações com um filho só porque ele é um traficante de droga. Da mesma forma que um estado não deve cortar relações diplomáticas com outro estado apenas por não concordar com as suas políticas criminosas.

            E apesar deste discurso, sou um intervencionista na medida em que defendo que é a responsabilidade da comunidade internacional proteger as populações de graves violações dos direitos humanos (como genocídio por exemplo) usando a força militar se tal for necessário.

            Acredito piamente que é a responsabilidade dos mais fortes de defenderem aqueles que não se conseguem defender. É algo que nos torna humanos. É um comportamento inexistente na maioria das espécies animais (onde os elementos mais fracos são frequentemente abandonados à sua sorte).

          • De diz:

            Ainda não percebeu?
            Os crimes não se branqueiam com outros crimes.Ponto final parágrafo
            A intervenção na Líbia,a intervenção criminosa,imoral,nojenta,assassina na Líbia não teve nada,rigorosamente nada a ver com a protecção das populações.A prova provada são as cumplicidades existentes entre os sobas do ocidente e o regime líbio.Posterior a tudo o que se disse sobre tal regime,a todas essas tretas de que”outre”foi porta-voz
            A intervenção na Líbia foi ditada por outros interesses já escalpelizados aqui.Interesses que têm que ver com o saque às riquezas líbias e questões geo-estratégicas.A prova provada é o virar de repente o bico ao prego dos tais sobas ocidentais, que de súbito viram como aproveitar o acontecido na Líbia para seu proveito próprio(ou não tão súbito assim)
            A junção, no mesmo saco, de interesses do império, de interesses neo-coloniais,de interesses de altos quadros que abandonaram o barco,de interesses da al-quaeda, provocou aquilo que se sabe.Uma intervenção criminosa na Líbia.Por detrás dela estão relatos que hoje se sabem terem sido manipulados sobre o acontecido na Líbia pré-invasão.Onde estão as provas dos massacres pré-invasão que justificasse o que se passou?Onde estão as provas dos relatos inqualificáveis sobre as violações em massa?Até espalharam Viagra sobre as informações.O ridículo obrigou-os a arrepiar caminho.Mas o caminho já estava iniciado e os seus objectivos em marcha.
            Inqualificável é a instalação no terreno de tropas de elite dos EUA e da GB antes da decisão da ONU.Alguém defender tal é alguém que defende a ilegalidade.Mais Alguém que defende tal é alguém que não só defende a ilegalidade,como é alguém que pactua com criminosos de guerra no terreno.Quantos mortos podem ser assacados a tais “ilegalidades”?
            As questões do povo líbio são o que menos interessou aos fdp que a invadiram.Fala-se em mais de 80 000 mortos após a intervenção da Nato ao lado dos ditos rebeldes.Genocídio é o que se está a passar.Genocídio é o que a Nato está a fazer,tendo por trás terroristas islâmicos e compadres financeiros.Os relatos estão aí para confirmá-lo.
            Quem armou tudo isto,quem invadiu,quem matou,quem massacrou tem que ser responsabilizado.E os cúmplices denunciados e apontados a dedo.
            A diferença com outros casos,a ganância exposta,a forma como se viola o próprio estipulado pela ONU é demasiado marcante para irmos nas conversas da treta com que alguns, incluindo o “outre”,tentam justificar o injustificável.A intervenção “humanitária que destrói um país, arrasa populações, mata, esventra ,assassina,não é uma intervenção humanitária.É um crime puro e simples.A hipocrisia tem limites.O não querer ver também.Os líbios podem agradecer aos pulhas que deram cabo da Líbia.Eles não os vão perdoar.E a História acaba sempre,mais tarde ou mais cedo por ajustar contas com os carrascos travestidos de humanos
            E mete-me náuseas os “amigos” dos tais criminosos, que de repente reparam que os outros afinal têm “outras”qualidades”.Os gangsters é que tratam dos seus negócios desta forma.Os gangsters e os fdp dos sobas que nos governam.A diferença não é nenhuma.
            Vir defender tal comportamento é a prova mais uma vez provada que os defensores da guerra vão sendo despojados do que há de Humanidade neles.
            Não passam de cúmplices de gangsters.
            Não passam de cúmplices de crimes de guerra e de genocídio

          • Andrés diz:

            L’outre,
            Absolutamente de acordo com os seus últimos dois parágrafos, que descrevem bem a razão da intervenção da NATO.
            Como descrevem bem a intervenção do Vietname no Cambodja, que não posso deixar de bater mais palmas do que à intervenção na Líbia.
            Só que para alguns, cegos pela ideologia, há boas intervenções, como a do Vietname, e as más, isto é, qualquer uma da NATO.
            Quanto ao De, deixe lá que ele anda com problemas de fígado e muito nauseado. Náuseas e achaques por todo o lado.

          • De diz:

            Ei so verdadeiro motivo pelo qual os Andrés pairam por aqui…
            Têm que sarar as feridas
            E têm que prosseguir no seu mister

            Levantou-se e de pé bateu palmas

            Sonharia que estava na Assembleia nacional de outros idos?
            Andrés bem tenta…de balde na mão
            A

          • Andrés diz:

            Que comentário brilhantemente vazio.
            Comenta-se as imaginadas intenções dos autores e zero sobre a matéria.
            É típico do De, o vazio, os insultos e o deixar no ar insinuações.
            Pobre figurinha… 🙂

          • De diz:

            Lol
            Andrés não gostou de se confrontar com os seus métodos?
            Ou apenas se reviu na imagem salazarenta de tempos idos e dos gritos de “Apoiado” com que mimoseavam os oradores fascistas na assembleia nacional?

            O coitado ainda não reparou no porquê de tal tom usado nesta posta a respeito dele?

            A resposta que teve (merecida) resulta directamente do naco de prosa “suculenta” com que debita: “Quanto ao De, deixe lá que ele anda com problemas de fígado e muito nauseado. Náuseas e achaques por todo o lado.”

            Entendido?

            Diz o pedante em estado lacrimoso
            “É típico do De, o vazio, os insultos e o deixar no ar insinuações”
            Isto é crível?

            As insinuações do “advogado”…?
            que tem a desdita de vir choramingar para aqui?
            Mas esta coisa não sabe sequer portar-se como um “homenzinho”?

            Vamos a factos substantivos,que revelam um massacre da Nato sobre civis em Sirte:
            http://tv.globalresearch.ca/2011/09/nato-massacre-libyan-civilians-sirte

            É por causa de imagens como esta que não têm perdão os canalhas cúmplices de tais crimes

  4. Vitor Ribeiro diz:

    Por mais criticável que seja esta ‘primavera’ ou a intervenção estrangeira que a suporta, isso não justifica que caiamos na demagogia. O problema, falando no caso em concreto, não é da ‘primavera líbia, estúpido’ em particular; o problema é de qualquer conflito, sem excepção. Não há conflito nenhum, que eu conheça, por mais louvável que sejam, fossem ou tenham sido os seus propósitos, que não tenha feito as suas vítimas inocentes, gente que por qualquer razão foi apanhada no sítio errado à hora errada.
    Não sei se a Helena já percebeu, mas as armas matam (é para isso que são feitas…). E tanto matam nas mãos de um opressor como nas mãos de um oprimido. Podemos aqui ficar horas a discutir se nuns casos mortes como estas são deliberadas e noutras não, mas no fim, o resultado é sempre o mesmo: alguém matou e alguém morreu.

    • mamamia diz:

      Xim,xim,oh wise guy!100 mil milhões de ativos líbios na europa civilizada,congelados e,agora,emprestados aos libios com juros,quando no tempo do Gaddafi eram auto suficientes,ie,não pedia emprestado a ninguém.Foram roubados pela superioridade civilizacional europeias(leia-se:colonialismo!!!) e,agora,emprestam-lhes o dinheiro para reconstruir aquilo q a Organização terrorista do atlantico Norte(é bué da grande…)destruiu.É preciso ser descarado,ou muito burro ou,então tudo ao mesmo tempo

      P.S.(D):pq é q esta jana amoral não vai comentar para os abrutos,31 d’armada ou os mein kampf???Da-SE!!!!!!!!!!!

      • A.Silva diz:

        Os líbios deram inicio ao “seu” circulo infernal da divida, a partir de agora é sempre a crescer… até ao tutano!

      • Vitor Ribeiro diz:

        “É preciso ser descarado, ou muito burro ou,então tudo ao mesmo tempo”: convenhamos que o seu um nome um bocado comprido, assim ao estilo tio de cascais, não? Deixe ver se percebo: vocé é “burro” pela parte da mãe e “tudo ao mesmo tempo” pela parte do pai, é isso? E o seu paizinho e a sua mãezinha não o puseram na escolinha, nem o ensinaram a ler nem a escrever, pois não? É pena, pois se soubesse ler não dizia tantas asneiras. E se soubesse escrever, diria ainda menos.

        • Carlos Carapeto diz:

          ««««««Por mais criticável que seja esta ‘primavera’ ou a intervenção estrangeira que a suporta, isso não justifica que caiamos na demagogia»»»»».
          «««««É preciso ser descarado, ou muito burro ou,então tudo ao mesmo tempo”:»»»».

          Não precisa “mimosear” os outros com essa argumentaria para provar que é um hipócrita!

          Porque para se cair na demagogia e superar qualquer tipo de descaramento, basta ser-se um energúmeno aparentado com um reles canalha que tenha a coragem de negar a verdade , justificar o injustificável , encobrir o que está à vista de todos, na tentativa miserável de branquear as atrocidades cometidas na Líbia a mando e com o patrocínio do capitalismo com o objetivo único de resolver os problemas a ele inerentes, “criados por o próprio sistema”.
          Dizer o contrário é objitivamente pretender esconder a realidade sobre a orgia dos massacres, horrores e o sofrimento desnecessário imposto aos civis inocentes da Líbia vitimas da barbárie desencadeada por os bombardeamentos selvagens e indiscriminados por parte da OTAN e da chusma de mercenários pagos e liderados por essa organização de traficantes da industria da morte.

          Até este momento é desconhecido o grau de destruição e o numero de mortos na Líbia desde o inicio da agressão. Há quem adiante o numero de 85 000 mortos (os traidores do CNT já reconheceram entre 50 e 60 000 vitimas mortais e mais de 250 000 feridos). Cerca de um milhão de refugiados sem contar com a debandada de milhões de imigrantes. Dois terços das infra-estruturas do país estão destruídas ( no entanto o setor petrolífero ficou incólume à destruição, no Iraque também foi assim).

          Alguém sabe os crimes que estão a ser cometidos e o sofrimento atroz por que estão a passar os civis nas cidades sitiadas, flageladas incessantemente por bombardeamentos aéreos, voos rasantes, uso de bombas termobáricas, intensas barragens de artilharia pesada, privadas de medicamentos, alimentos, água e energia eletrica?

          Mesmo perante esta tragédia ainda há quem tenha o descaramento de continuar a justificar a agressão.

          Esses são os mesmos que espumam baba asquerosa contra o Hezbolahh apelidando os seus membros de terroristas extremistas no Líbano, no entanto silenciam a sua participação na Líbia ao lado dos agressores . Afinal o que tem que fazer e onde deve estar um irregular (mercenário) armado para ser considerado terrorista ou libertador?

          Quando é que um elemento da Al-Qaeda deve ser considerado um terrorista perigoso? Um dos chefes dessa organização no Magrebe que se encontrava preso em Tripoli às ordens de Kadhafi. Libertado quando a cidade foi tomada por os mercenários juntando-se a eles. Há poucos dias acusou os EUA de estarem por detrás da sua captura.

          Mustafá Abdel Jalil chefe do CNT, era o ministro da Justiça de Kadafhi, foi durante muitos anos juiz proferiu sentenças de morte durante a ocupação desse cargo. Por se ter passado para o outro lado está ilibado dos crimes que cometeu?

          Por respeito ao povo mártir da Líbia, aqueles que se congratulam, com as aventuras guerreiras da NATO e aplaudem os seus atos, perante tamanha desumanidade se tivessem vergonha na cara deviam remeter-se ao silêncio.

      • JDC diz:

        E o que é que isso tem a ver com o comentário do Vitor Ribeiro? Desconversa…

    • Helena Borges diz:

      Os rebeldes são os oprimidos? Os rebeldes são uma sopa de letras com “Al-Qaeda”, “CIA”, “Guantánamo” e “LIFG”; também altas patentes de Gaddafi que se converteram à democracia do petrodólar.

  5. ricardosantos diz:

    Ao ler o cinco dias espanta- me que em portugal vai tudo sem problemas . ai santa aliança.

  6. mamamia diz:

    E,contudo,isto se passa com os países do estado de direito.E,os juízes,o poder judicial?
    O que se passa é q o aparelho de estado está tomado pq uma clique de serventes bem pagos pelo grande capital-já sei q vão dizer q é uma mentira e,a prova disso é q estamos a pagar para o lixo,os palpites de casino de uma cambada de criminosos de alto coturno-se tiverem dúvidas,vejam os dias loureiros,e um rolo de papel de jornal(sic!)de gajos similares e,last but not the least,esse génio do mal do duarte lima q para ‘ganhar’ algum a té faz despachos…-é esta a fibra moral dos gajos q teem estado no desgoverno desde há 37 anos e,com o qual,a maioria dos pobres(de ESPIRITO e de cabedais teem dado aval após aval a uma clique de gangsters).Lamentável,esta gente é piquinina,como dizem as tias

  7. Miguel A. Baptista diz:

    De facto é uma coisa horrível a barbarie. Até me fez lembrar o assassinato das 4 filhas de Nicolau II em Yekaterinburg pelos sovietes. Embora uma revolução seja necessariamente violenta pode-se fazer uma revolução com um nível de “fiha-da-putice” controlado. A revolução cubana, o 25 de Abril português, ou mesmo a instauração do fascismo em itália foram violentas mas não absolutamente “filhas da puta”.

    Sobre a (não) capacidade de uma revolução mudar a natureza humana recomendo a leitura do discurso de A. Soljenitsine no Memorial da Vendeia. (nota: o povo da Vendeia foi martirizado por não ter aderido à Revolução Francesa). O discurso pode ser lido aqui:
    http://www.vendee-guide.co.uk/Memorial-de-la-Vendee-Alexander-Solzhenitsyn.htm

    • rato zinger diz:

      O que admiravao Pinochet?Estamos cientes da sua justeza.Da próxima não se esqueça de chamar à colação o Hitler..também ganhou as eleições e,esteve menos tem+po no poder que o Alberto Joao jardim.
      Pode tb mandar abraços ao dias loureiro,esse farol da verticalidade ,da honestidade.Mande coragem para o duarte lima esse integro,já desde aquele telefonema de Trás os Montes-uma vida em prole de democracia e do altruísmo e,agora deu em despachante…Dinheiro,querido dinheiro………………….

    • Carlos Carapeto diz:

      ««««««««Sobre a (não) capacidade de uma revolução mudar a natureza humana recomendo a leitura do discurso de A. Soljenitsine no Memorial da Vendeia»»»»»».

      Veja se se lembrou de Zinoviev e recomendar alguns dos livros que escreveu? Também era Alexandre e foi um dissidente acolhido calorosamente com grande alarido no Ocidente. Mas esse “malandro” depois acabou por dizer os podres que por cá viu . Por isso de herói passou a heródes.

      Vocês têm uma lata.

  8. De diz:

    “There is no tomorrow” under a NATO sponsored Al Qaeda rebellion.
    While a “pro-democracy” rebel government has been instated, the country has been destroyed.
    Against the backdrop of war propaganda, Libya’s economic and social achievements over the last thirty years, have been brutally reversed:
    The [Libyan Arab Jamahiriya] has had a high standard of living and a robust per capita daily caloric intake of 3144. The country has made strides in public health and, since 1980, child mortality rates have dropped from 70 per thousand live births to 19 in 2009. Life expectancy has risen from 61 to 74 years of age during the same span of years. (FAO, Rome, Libya, Country Profile,)
    According to sectors of the “Progressive Left” which have endorsed NATO’s R2P mandate: “The mood across Libya, particularly in Tripoli, is absolutely—like there’s just a feeling of euphoria everywhere. People are incredibly excited about starting afresh. There’s a real sense of rebirth, a feeling that their lives are starting anew. (DemocracyNow.org, September 14, 2011 emphasis added)
    The rebels are casually presented as “liberators”. The central role of Al Qaeda affilated terrorists within rebel ranks is not mentioned.
    “Starting afresh” in the wake of destruction? Fear and Social Despair, Countless Deaths and Atrocities, amply documented by the independent media.
    No euphoria…. A historical reversal in the country’s economic and social development has occurred. The achievements have been erased.
    The NATO invasion and occupation marks the ruinous “rebirth” of Libya’s standard of living That is the forbidden and unspoken truth: an entire Nation has been destabilized and destroyed, its people driven into abysmal poverty.
    The objective of the NATO bombings from the outset was to destroy the country’s standard of living, its health infrastructure, its schools and hospitals, its water distribution system.”
    ….
    Prof. Michel Chossudovsky

    • rato zinger diz:

      DE: isso é bué da dificil aqui para os fachos q veem aki regorgitar a maldade,o egoismo,a sacanice,a filha da putice e o seu apoio a tudo o que seja do mais baixo,ordinário e mais que tudo, anti Humanidade.

  9. Carlos Carapeto diz:

    Para que as ratazanas cá do burgo vejam a proteção levada ao povo Libio por a agressão da NATO.

    http://libyasos.blogspot.com/

  10. Pingback: A ler « BLASFÉMIAS

  11. Rogério diz:

    De: «Esse foi o argumento usado pelo pior criminoso deste século para justificar a invasão e destruição do Iraque»

    Com o apoio da Comunidade Internacional. Coisa que não aconteceu quando bombardiaram a Sérvia e mataram civis.

    R.

  12. De diz:

    Nem no Iraque tiveram o apoio da comunidade internacional.Os EUA avançaram para o “serviço”,com o apoio dos seus chacais ingleses e de pequenos contingentes da Austrália,Dinamarca e Polónia.A questão não foi submetida ao Conselho de Segurança da ONU.
    “No princípio de 2003, os Estados Unidos, o Reino Unido e a Espanha propuseram a chamada “Resolução 18” para dar ao Iraque um prazo para cumprir as resoluções anteriores e que seria aplicada pela ameaça de acção militar. Esta resolução foi subsequentemente retirada por falta de apoio no Conselho de Segurança das Nações Unidas. Em particular a França e a Alemanha, membros da NATO, e a Rússia, opunham-se a uma intervenção militar no Iraque devido ao elevado risco para a segurança da comunidade internacional e defendiam o desarmamento através da diplomacia. A 20 de Janeiro de 2003 o ministro dos negócios estrangeiros francês Dominique de Villepin declarou “…acreditamos que a intervenção militar seria a pior solução”.[27]
    Na primeira semana de Março de 2003, o inspector de armas da ONU Hans Blix declarou que, relativamente ao Iraque, “Nenhuma evidência das actividades referidas se encontraram até agora”, dizendo que tinham sido feitos progressos nas inspecções e que estas continuariam.[28] Contudo, o governo norte-americano anunciou que a diplomacia tinha falhado e que iria intervir com uma coligação de países aliados para eliminar as armas de destruição massiva do Iraque.[29] O governo norte-americano aconselhou abruptamente os inspectores de armamento da ONU a saírem imediatamente do Iraque.
    A 16 de Setembro de 2004, Kofi Annan, Secretário Geral da ONU, disse sobre a invasão: “Indiquei que não foi em conformidade com a Carta das Nações Unidas. Do nosso ponto de vista, do ponto de vista da Carta, [a invasão do Iraque] foi ilegal”.[33]

    Isto é dito pela…wikipedia(http://pt.wikipedia.org/wiki/Guerra_do_Iraque)

    Mas tem razão…os EUA iniciaram o bombardeamento em Março de 1999 sob a Jugoslávia,sem qualquer mandato da ONU.
    E também aí o sangue de inocentes cobre a bandeira dos states

  13. Rogério diz:

    De: «ao elevado risco para a segurança da comunidade internacional e defendiam o desarmamento»

    Afinal sempre existia armamento….

    Quando se refere ao sangue dos inocentes, refere-se concretamente a quê? Civis?

    R.

  14. De diz:

    Rogério:
    A história do Iraque é um mundo e não cabe aqui contá-la sobretudo todas as pulhices que rodearam a invasão
    “Em particular a França e a Alemanha, membros da NATO, e a Rússia, opunham-se a uma intervenção militar no Iraque devido ao elevado risco para a segurança da comunidade internacional”…foi exactamente isso que aconteceu.Bush tornou o mundo muito pior após a aventura criminosa de saque ao Iraque.Isso era antecipado por qualquer observador mediano
    Quando se fala em”defendiam o desarmamento”fala-se num plano que tentava conciliar os resultados das missões de observadores com as acusações dos EUA e seus comparsas.
    O que se provou é que não existiam quaisquer armas de destruição maciça,”leit motiv” para o crime hediondo perpetrado pelos EUA.
    “Sangue inocente” refere-se a todas as vítimas inocentes apanhadas no turbilhão da guerra e dos bombardeamentos.Civis sobretudo.Mas os massacres não são exclusivamente sobre civis…

    • Andrés diz:

      “leit motiv”
      isto de utilizar expressões “caras” sem saber o seu significado dá nisto, não é, De?
      Quem se põe em bicos de pés tropeça mais depressa.

      • De diz:

        Acha mesmo andrés?
        Veja bem.
        Leit motiv?
        Um espaço a separar uma palavra que devia vir junta?Leitmotiv
        Andrés,andrés
        essa raiva e esse ódio estão a deixá-lo perturbado

        Descanse e porte-se como um homenzinho
        Vá aprender o que é leitmotiv
        E deixe-se de armar em toleirão
        Valeu?

        • Andrés diz:

          LOLOLOLOLOLOL
          E não é que fui mesmo? E você foi? É que se foi, vê-se que não aprendeu nada… continua tolinho como sempre.
          Tolinho e perturbado ao ponto de estar cegueta, pois não percebeu que quem escreveu mal ‘leitmotiv’ foi o De no comentário de dias 25 de Setembro, como acima lhe mostrei. Mas veja de novo, Dezinho:

          De says:
          25 de Setembro de 2011 at 20:09

          Rogério:
          A história do Iraque é um mundo e não cabe aqui contá-la sobretudo todas as pulhices que rodearam a invasão
          “Em particular a França e a Alemanha, membros da NATO, e a Rússia, opunham-se a uma intervenção militar no Iraque devido ao elevado risco para a segurança da comunidade internacional”…foi exactamente isso que aconteceu.Bush tornou o mundo muito pior após a aventura criminosa de saque ao Iraque.Isso era antecipado por qualquer observador mediano
          Quando se fala em”defendiam o desarmamento”fala-se num plano que tentava conciliar os resultados das missões de observadores com as acusações dos EUA e seus comparsas.
          O que se provou é que não existiam quaisquer armas de destruição maciça,”leit motiv” para o crime hediondo perpetrado pelos EUA.
          “Sangue inocente” refere-se a todas as vítimas inocentes apanhadas no turbilhão da guerra e dos bombardeamentos.Civis sobretudo.Mas os massacres não são exclusivamente sobre civis…

          Já leu? Já viu como utiliza mal a expressão que nem sabe escrever?
          Como não sabe escrever, provavelmente também não sabe ler… e eu dou uma ajudinha ao bom do De:
          http://www.priberam.pt/dlpo/default.aspx?pal=leitmotiv

          leitmotiv
          (palavra alemã Leitmotiv que significa “motivo condutor”)
          s. m.
          1. [Música] Motivo musical condutor ou característico, tema repetido frequentemente numa partitura, associado a uma ideia, a uma personagem: Wagner usou muitas vezes o leitmotiv.
          2. Frase, fórmula que surge com frequência numa obra literária, num discurso, etc.

          • De diz:

            Antes de mais peço desculpa pelo facto do que vou escrever não interessar rigorosamente para nada
            Mas alguma “incompreensão” de Andrés(estou a ser “simpático”,porque o que me apetecia escrever era algo do género…a particular burrice de Andrés…) não permitiu a este perceber sequer o que escrevi.
            1- a frase replicada pelo comentário de Andrés é da minha autoria.
            2-Andrés chama-me a atenção por ter utilizado mal a palavra.E faz os comentários próprios de um pequeno…qualquer coisa
            3-Eu,no meu comentário seguinte,”gozo” com a situação e declaro que coloquei por engano um espaço na palavra “leitmotiv”Textualmente digo:
            “Leit motiv?Um espaço a separar uma palavra que devia vir junta?Leitmotiv. Andrés,andrés
            essa raiva e esse ódio estão a deixá-lo perturbado”

            4-Não interessava (do meu ponto de vista) nada tudo isto.Se se reparar,Andrés escreve por vezes mal as palavras.Só uma vez o referi,como nota sarcástica e secundária a um outro ponto de vista.Eu tenho a consciência que também por vezes troco letras ou as salto.O escrever sem corrector às vezes….Mas nada disto é grave e não é isto que é sequer verdadeiramente importante.Para se verificar as palavras com a grafia incorrecta por parte de quem cito, basta procurar.Eu não o vou fazer.Mas sei o que afirmo
            5-Andrés “acha”(deveria dizer,”pensa”?) que quando escrevo a frase a menorizar o caso, nego a má grafia da palavra leitmotiv?
            Quando este Andrés explicitamente afirma que “Tolinho e perturbado ao ponto de estar cegueta, pois não percebeu que quem escreveu mal ‘leitmotiv’ foi o De no comentário de dias 25 de Setembro, como acima lhe mostrei. Mas veja de novo, Dezinho:”
            mostra Andrés que afinal a tal inteligência superior que apregoa é afinal um punhado de basófias inconsequentes.Nem sequer sabe interpretar um simples texto.E deixemos para lá os mimos do cavalheiro
            Mas também nada disto é grave,já que tal pode ocorrer a qualquer um,pela pressa ou pela distracção
            6-Mais grave é a má fé(pensemos que o ponto 5 não seja fruto de tal,mas apenas da”distracção” deste )é a utilização da palavra leitmotiv como sendo incorrecta
            Eis que Andrés,qual pedante mal intencionado,publica o significado de tal palavra.
            Manda até um dicionário…
            Na sua ânsia de mostrar “trabalho” Andrés nem se apercebe da utilização que faço por vezes das palavras.Peço desculpa mas vou de novo escrever o que disse:”O que se provou é que não existiam quaisquer armas de destruição maciça,”leit motiv” para o crime hediondo perpetrado pelos EUA.”
            Façamos a sua tradução segundo os moldes em que a pensei e confira-se o que está escrito.”O que se provou é que não existem quaisquer armas de destruição maciça,”fio condutor” (se preferirem ser mais puristas …motivo condutor)para o crime hediondo perpretado pelos EUA.
            7-Só por evidente má fé Andrés tenta manipular o que disse
            Conheço a língua alemã e para azar do Andrés também música
            Também conheço o significado das palavras.
            Vamos a outro dicionário ver o que está escrito sobre leitmotiv?
            Leitmotiv (do alemão, motivo condutor ou motivo de ligação) é termo composto, expressão idiomática naquele originário vernáculo, para significar genericamente qualquer causa lógica conexiva entre dois ou mais entes quaisquer.

            Ou seja,a ligação lógica entre as armas de destruição maciça e o crime

            8-Fico cansado com ter que explicar o óbvio e com a sistemática má fé de alguns que aqui escrevem.Que curiosamente têm posições antagónicas à minha.Conheci muitos que,embora com posições ideológicas distintas,permitiam um diálogo civilizado e decente.Não é o caso de Andrés
            9-Um outro personagem,”amigo de Andrés, utilizou 4 (quatro)nicks diferentes,provavelmente para multiplicar a eficácia da sua propaganda ideológica particular.Não é a propaganda que é aqui verberada…são os métodos que me repugnam.A eles já me referi em outros posts
            10-André surge aparentemente do nada e, sem ter publicado nada de relevante que eu me tivesse apercebido nos últimos tempos,desata a fazer aquilo que desata a fazer.Poupo-me a mim e a todos a repetição do “festival”.O mesmo se verificou na posta de Renato Teixeira”ÁMEN E INSHALÁ – Não se armem não que as fogueiras do antigamente continuam ao virar da esquina.”Quem quiser conferir,confira
            11.O teor e os comentários de Andrés fizeram-me lembrar os de um outro comentador,José de seu nick,que se manifestava com particular virulência sobre os meus cometários.A pedantice do fulano era tal e a sua arrogância tanta que chegou a ser admoestado pelos responsáveis pelas postas.Atribuo tal ao facto de ,para meu espanto diga-se,ter percebido que, nalgumas áreas,o conhecimento de José equivalia a buracos negros autênticos,o que não o impedia de falar(com a peraltice habitual ) em tais tópicos.O ter encontrado provas concretas da sua má fé e a sua pública exposição fez com que a partir daí as coisas azedassem entre nós
            Já disse que achei tais semelhanças entre os comentários de Andrés e os de José.De tal forma que inquiri directamente o primeiro se porventura conhecia o segundo.A resposta está por aí
            11-Acho sinceramente que alguns dos comentadores outras intenções não têm senão boicotar o debate.Tudo lhes serve para o efeito.
            Tal é desmobilizador e ocasiona perdas de tempo preciosas.A única putativa vantagem é de dar a conhecer métodos e modelos.
            Muito mais teria a acrescentar.
            Por agora basta
            Vou abrir a janela

          • Andrés diz:

            Está sempre desculpado, De, porque toda a gente já percebeu há muito que o que escreve não interessa rigorosamente para nada! 🙂
            Não tenho aqui qualquer amigo a escrever o que quer que seja, chame-se André, José, Elisabeth, Tiago Vasconcelos, Provocador, ou o que quer que seja.
            Mas como o De, na sua paranóia, acha que existe uma conspiração mundial contra ele, então ’tá! Tá-se bem.
            ‘Andrés nem se apercebe da utilização que faço por vezes das palavras’
            LOLOL ‘por vezes’… Ok, vou passar a fazer um estudo aprofundado de semiótica dos discurso do De… que rídiculo, este tipo.
            Claro que conhece alemão e, para meu ENORME azar (?!), também música. Vê-se logo que é verdade, daí nem saber o que significa e como se escreve leit motiv… lolol
            A obtusidade e o umbigo centrismo do De ainda não lhe permitiu perceber que ele não consegue ter qualquer diálogo decente com quem ele não concorda. Não se apercebe que logo imagina intenções malóvolas, cola imediatamente rótulos aos autores do comentários, insulta e insinua. Agora tem a supina lata de se queixar quando recebe na mesma moeda? Coitadinho do De… chuif, chuif…. aprenda a portar-se como um homenzinho, decente, deixe os insultos, a paranóia as insinuações e os rótulos na sua casa-de-banho e não venha defecar para aqui. Assim pode ser que não receba na mesma moeda, pelo menos enquanto houver pachorra para o aturar.
            Eu surgo do nada e o De nasce da sarça ardente, por desígnio divino. Este tipinho não se enxerga mesmo…
            ainda bem que tem muito mais a acrescentar. Como sempre. Voltaremos ao assunto. lolololololololololololololol
            Cresça e apareça, menino.
            Ah! Abra, abra a janela para deixar sair o fedor que tem na sua cabecinha.

          • De diz:

            A desonestidade intelectual de alguém é sempre algo de patético
            Serenamente posso dizer que este Andrés,espécie de clone em trajectória descendente,é ignorante.
            Para além de ignorante é pedante.
            Para além de pedante,tem má fé.
            Para além de má fé,é desonesto.

            Não é preciso dizer mais.Os dados estão aí
            Para além da vacuidade patética do seu texto e da sua tentativa de “advogado” manhoso para se refugiar na “conspiração mundial”,no “umbigo”,no ” insulto,”na “calúnia”,este Andrés não diz mais nada.Fala em “pagamento na mesma moeda”,coloca em causa o que posso ou não saber,não conseguindo aí disfarçar alguma baba viscosa da inveja da ordem.Ah e agora espalha “florzinhas” pelo seu texto,em forma de sóis, como que, assim, escondesse o lixo que lhe sobra da prosa.

            Continua a mentir.Nem sequer tem a verticalidade de admitir a sua ignorância quanto ao significado de “leitmotiv”.A falta de coluna vertebral desta “coisa” é tal que ,perante os factos, tem o desplante de afirmar que e cito: “nem saber o que significa e como se escreve leit motiv…”
            Teve azar esta “coisa”
            Sabia,sei e para vergonha deste monte de pedantice não precisei de ir ao dicionário procurar o significado da palavra em causa.Sabia e sei que Andrés teve que recorrer àquele. Infelizmente verificou-se que nem sequer sabe trabalhar com tal “instrumento”.De forma surpreendente?Para quem acha que não passa de um aldrabão de feira,não.O que é aparentemente novo é,perante os factos, continuar a negar e infantilmente continuar a repetir o seu discurso, qual papagaio de feira em estado de negação

            Pobre “Andrés”
            Numa posta em que o tema era a Líbia,o manhoso manhosamente desvia o debate para uma discussão deste teor.
            O invertebrado( expliquei atrás porque lhe chamo tal )age da forma como o faz,porque tem que esconder uma coisa muito pior do que a ignorância,do que a pedantice,do que a má fé ou do que a desonestidade.Tem que procurar esconder que é cúmplice de crimes de guerra praticados pela Nato e pelos amigos desta,alguns dos quais fascistas islâmicos.E sobretudo tem que impedir que seja patente o quão horrível são os crimes pelos quais é cúmplice.
            Tem que proceder assim porque o seu mister é este.E repete mecanicamente o que diz, mesmo que apanhado em contra-pé,porque foi assim que aprendeu na sua escolinha de fala-barato tonto e na escola da demagogia partidária oleosa.
            Na véspera de uma grande jornada de luta,”Andrés” mostra-se e mostra ao que vem e ao que vai
            Tais indivíduos são potencialmente perigosos.Pela sua falta de escrúpulos talvez seja legítimo lembrar que é provavelmente desta massa que saem os gauleiters..

            Andrés pode gostar da tal linguagem um pouco escatológica com que nos brinda.
            Andrés pode até achar que desta forma tem espaço para conseguir impedir outros de exporem os seus argumentos.
            Andrés…
            Mas Andrés tem galo
            Ainda não chegámos onde Andrés queria que chegássemos.O seu patrão ainda não manda em tudo.Bem tenta.
            Mas as pequenas coisas viscosas deste tipo ainda são pateticamente impotentes para cumprirem na íntegra os seus objectivos ao serviço da direita “acanalhada”.
            Galo não é Andrés?

          • Andrés diz:

            LOLOLOLOL
            Tanta raivinha, tão nervosinho que o De fica, quando é exposta a sua ignorância, tão humilhadinho que ele fica, o coitadito.
            Excelentes respostas, dignas dos manuais de retórica.
            Desistiu de me chamar advogado, Dezinho?
            Já não é um insulto, ou revelou-se ainda melhor que é, e desatou a babar essa peçonha toda que tem dentro de si, sem restrições?
            Já aliviou as suas tensões sobre o seu fetiche, os sapatitos?
            Ele não vê que mostra bem que é, a figurinha triste que faz, com nenhum argumento, apenas insultos para quem ele não concorda.
            Que aliviadinho que ele fica depois de bolsar estas pérolas argumentativas. LOL

            Ah, já me esqueci, mais uma florzinha para o De… 😉

          • De diz:

            Andrés.
            Sorry
            Quem baba aqui é o catulo,que se resolveu travestir de andrés
            A baba de quem apoia a Nato
            e os seus sequazes
            Certo andrés,vulgo catulo?
            Certo

          • Andrés diz:

            lolololol
            Bolas! uma vez mais desmascarado!
            Eu, que na visão do De, já fui André, depois tornei-me Elisabeth, Tiago Vasconcelos, José, Provocador, Rocha e, agora, Katulo, sempre, sempre, sem engar o olho-vivo do De!
            Sim, porque este não se deixa enganar, olarilas!
            Ninguém lhe passa a perna!

            LOLOL
            Mas como é engraçado este De, maila a sua paranóia!

            Continue, De. Sério. garanto-lhe que nós somos muito e todos conluiados para perseguir o Grande De, o mestre gramatical da Net, o excelso comentador do 5 Dias, o boca d’ouro da blogosfera, o poliglota mundialmente conhecido, o geógrafo que altera os mapas com os seu conhecimento revolucionário, o omnisciente residente, o iluminado divino, enfim, o Dezinho paranóico que nos aquece a alma quotidianamente com as suas tolices ternurentamente escritas aqui, no 5 dias. Certo? Certo!
            Mas há mais, muito, mas mesmo muito mais.
            Voltaremos ao assunto.
            🙂

        • De diz:

          Pois é…
          um mimo

          Muitos lol….muito nada
          …e essa cansativa “coisa” de ter que explicar as coisas a um pedante ignorante que nem sequer conseguiu intuir (ao menos isso) que quando se fala em “advogado de meia-tigela” o que releva é o ser advogado do ramo da Nato e dos fascistas islâmicos
          Nesse sentido…andrés é um “advogado de meia-tigela”
          Valeu?

          Porque andrés tem outras artes…ou perdão outras ciências

          Andrés
          sorry
          A manifestação é hoje
          e o amigo da Nato ainda não disse mais nada para além do facto que é amigo dos canalhas
          ainda só se referiu à minha pessoa
          Já fez um estudo estatístico do tempo que “ganha” com isso?
          Lol

          Ah,tanto ódio e tanta baba,hein andrés?

          • Andrés diz:

            Olha que grande ideia que o De deu!
            Estatística! Se quiser dou-lhe umas dicas, não vá o conhecimento do De estar ao nível do alemão e da música.
            Qualquer dia passo os comentários do Dezito pelo SPSS. Deve dar um resultado formidável…
            Ah bolas! Agora já não me quer chamar advogado? Vestido de beca? Afinal era só a brincar? Chatice?
            E já não sou de extrema-direita, era a reinar?
            Está a estragar-me o dia, a tratar-me tão bem, começo a desconfiar que estou a descer de nível…

          • Andrés diz:

            Peço desculpa, esqueci-me
            🙂

          • De diz:

            Lol
            O catulo já tinha sido desmascarado como um impostor
            percebe-se que o impostor desmascarado rabie

            Certo katulo?
            Certo

            Mas vamos a algo mais substancial:
            “Killing is a humanitarian undertaking.

            War is a peacekeeping operation.

            The North Atlantic Treaty Organization confirmed on October 4, 2011 that it has conducted a total of 24,789 sorties, including 9,240 strike sorties, since March31, under Operation UNIFIED PROTECTOR

            Multiply the number of “humanitarian” strike sorties by the number of bombs and missiles carried by each aircraft and you will have an approximate tally of the number of lives which NATO claims to have saved under its “Responsibility to Protect” RP2.

            The bombing campaign, which is now in its seventh month has been extended to the end of December.

            The media is complicit in obfuscating the thousands of deaths resulting from NATO bombings.

            What is at stake is the destruction of an enitre country.”
            Michel Chossudovsky

            É por isso que os que apoiam a Nato são uns crápulas

          • Andrés diz:

            eheheheheheheheheh
            O gosto pela bebida já está de tal forma que o Dezinho já começa a ver múltiplos comentadores na própria net…
            lololololol
            Continue com a sua paranóia, que muito nos diverte, a todos nós: André, Andrés, Elizabeth, Tiago Vasconcelos, José, Provocador, Rocha, Katulo, que você acha que somo um e apenas um, cuja missão na terra é perseguir o De…
            LOLOLOLOLOLOLOLOL
            Que paranóia tão comovente, que biquinhos-de-pés tão esforçados a deste tipinho… Certo? Certo!
            Mas há mais, muito mais.
            Voltaremos ao assunto.

            🙂

          • De diz:

            Isso
            Isso mesmo
            Mas por favor
            não choramingue,não?

  15. Rogério diz:

    De: «O que se provou é que não existiam quaisquer armas de destruição maciça»

    Pode enviar-me o link com o relatório concreto que explicita o que acabou de escrever? Ando desinformado então.
    Pode também explicar-me como é que o Saddam massacrou os Curdos? Não estou muito lembrado.

    R.

    • De diz:

      Deve estar a brincar Rogério
      Ou está a fazer outras coisas?

      Primum: Armas de destruição maciça:Quando souber do link onde se confirma a sua existência diga.Quanto aos links que indicam a não existência de armas de destruição maciça são tão numerosos que até o Rogério consegue encontrar um punhado deles
      (Anda mesmo mal informado?)

      Secundo: Não falei nem em Saddam,nem nos curdos.O que falei está acima dito.
      (anda mesmo mal lembrado?)

      Ah falei nisto:
      “Esse foi o argumento usado pelo pior criminoso deste século para justificar a invasão e destruição do Iraque”.
      E reafirmo

  16. Miguel Lopes diz:

    A propósito, aqui fica o site da Agencia de Noticias de la Resistencia Libia. Para quem quer estar bem informado sobre o que se está a passar.

    http://resistencialibia.info/

  17. André diz:

    Imagino o que teriam dito se nada tivesse sido feito. Acusariam os lideres ocidentais de protegerem o tirano Gadhaffi com a intenção ulterior de obter acesso privilegiado ao sacrossancto petróleo. Solidarizar-se-iam com os mesmos rebeldes que hoje repudiam.
    É assim ou não é? A vossa mensagem política, a sua forma e conteúdo, depende essencialmente do posicionamento dos EUA/Nato/Ocidente.

    É uma postura parasita, destituída de verticalidade e reveladora de um imenso vácuo.
    Em suma, vocês são umas grandessíssimas putas!”!

    • Helena Borges diz:

      Não é. Não preferes imaginar menos e debater factos?

    • De diz:

      Acho que este André,que oscila entre a ignorância mais bacoca (como a da posição da Arábia Saudita face aos EUA ), o comentário um pouco extremista ( como a “compreensão” pelo bloqueio dos states a Cuba) e o estilo um pouco escatológico demonstra acima de tudo analfabetismo
      …também evidente na atribuição dos seus qualificativos…Quando ele fala em “postura parasita,destituída de verticalidade e reveladora de um imenso vácuo.Em suma umas grandessíssimas…” está provavelmente a auto-nomear-se
      O que confirma o já dito

      • Andrés diz:

        Acho que este De, que oscila entre a ignorância mais bacoca (veja-se qualquer comentário seu, sobretudo sobre o Médio-Oriente), o comentário mais lambe-botas ou extremista, conforme o cliente for do 5 dias ou seu adversário, e o estilo totalmente escatológico, demonstra, acima de tudo, analfabetismo, comprovação que é fácil: basta lê-lo.
        Um enorme deserto de ideias, um ego à procura de expressão…

        • Helena Borges diz:

          Não confundas solidariedade com egotismo. O De é limpo na argumentação e na contra-argumentação, não teme o debate e enriquece as postas em que participa. Lê-se e percebe-se.

          • Andrés diz:

            Ai sim, Helena?
            Curioso, o comentário que te suscitou o enlevo anterior é uma quasi-cópia do comentário do De, apenas menos insultuoso, que é o que esse tipo faz por aqui, quando não te lambe as botas ou a outros.
            As lambidelas resultam, pelos vistos, já que te obnubilam a visão e a razão: censura ao comentário original, do De, não se vislumbra por aqui, apenas à cópia…

          • De diz:

            Helena:
            Estou ambivalente.
            Agradecer-te e poder ser acusado de “lambe-botas” (por parte de um que o faz verdadeiramente a outras coisas que agora não interessa nomear)
            …ou deixar passar para não seres importunada com tais comentários?
            Apesar de tudo prefiro seguir o primeiro impulso

            e solicitar ao peralvilho que vire a sua bílis contra mim em vez de soltar o seu ladrar a quem mais não faz do que serenamente dialogar(ou seja,para que não haja mal-entendidos,tu)

            Posto isto.
            Obrigado.
            …E sorry

          • Helena Borges diz:

            Andrés, não censurei, discordei: pode ser parecido, mas não é exactamente a mesma coisa. Se o De emulasse as opiniões de quem aqui escreve, andaria aos ziguezagues, afinal, não pensamos todos da mesma maneira sobre o mesmo… E o De é coerente.

            (É bom saber que há quem concorde, mas também é bom engalfinhar-me com quem discorda.)

          • Helena Borges diz:

            Meu caro De, nada a agradecer e nada a desculpar.

          • Andrés diz:

            Exactamente Helena, é bom engalfinharmo-nos com quem discorda de nós: assim aprendemos.
            Mas tal só vale a pena quando existem ideias, argumentos de parte a parte, e ideias e argumentos se discutem. Não quando a única coisa que se sabe fazer é insultar e utilizar argumentos pessoais sobre indíviduos que nunca se viu mais gordos. Enfim, o que o De aqui fez.
            Seja como for, censura ou discórdia, o que fizeste, Helena, foi sobre uma cópia ligeira de um comentário do De. À versão ligeira achaste por bem manifestar a tua discordância, à versão original, com insultos agregados, nem um piu.
            Estás no teu direito, evidentemente, mas a coerência perdeu-se.

          • De diz:

            Coerência?
            Quem fala em coerência quem é?
            André?Elisabeth?
            Ou…?

            Ah,estas lágrimas hipócritas com que os hipócritas personagens hipocritamente vertem

          • De diz:

            Mais uma vez considero que este meu comentário não serve para quase nada,para além da colocação de alguns pontos nos is
            Relendo o que aqui se escreveu reparo numa acusação que envolve outrém e que,por me parecer injusta,merece a devida reparação:

            Andrés acusa a Helena de “falta de coerência”..e cita o meu e o seu comentário…
            O meu comentário foi uma resposta directa ao comentário de André de 26 de Setembro às 18 e 42
            .
            Dizia então este André:”É uma postura parasita, destituída de verticalidade e reveladora de um imenso vácuo.
            Em suma, vocês são umas grandessíssimas putas!”!

            A este “curioso” comentário respondi às 19 e 27:
            “Acho que este André,que oscila entre a ignorância mais bacoca (como a da posição da Arábia Saudita face aos EUA ), o comentário um pouco extremista ( como a “compreensão” pelo bloqueio dos states a Cuba) e o estilo um pouco escatológico demonstra acima de tudo analfabetismo”

            Explicito em todos os casos a qualificação que fiz:
            -Ignorância bacoca pelos comentários do dito André sobre o médio oriente(basta consultar)
            -comentário um pouco extremista pela sua posição sobre o bloqueio em Cuba(já considerado excessivo por muitos ex-governantes americanos e quase que universalmente condenado a nível internacional
            -estilo um pouco escatológico pela linguagem utilizada pelo referido André.(Escatologia:Utilização ou gosto por assuntos ou expressões relacionados com fezes ou obscenidades)

            E acrescentei para finalizar:Quando ele (André)fala em “postura parasita,destituída de verticalidade e reveladora de um imenso vácuo.Em suma umas grandessíssimas…” está provavelmente a auto-nomear-se”

            Ou seja,utilizei ipsis verbis as palavras de André…virando-as contra o próprio

            Veja-se a sequência de comentários de Andrés em resposta a tal…
            analise-se friamente o que cada um disse…
            e conclua-se a flagrante injustiça que Andrés tem para a autora do post….quando fala em falta de coerência

            Não percebo até onde vai a falta de “compreensão” do referido Andrés ou a sua má fé.Provavelmente uma imbrica-se na outra
            Os resultados são manifestamente deploráveis

        • De diz:

          Não colhe
          É que para “copiar” é preciso ainda algum mérito

          Voltaremos ao assunto

        • Andrés diz:

          E o miúdo continua a dar-lhe com a mania de que há uma conspiração contra ele. Sei lá quem são o André e a Elisabeth, como eles próprios disseram. e Sei lá que este Dezinho, que bem pode ser outra coisinha qualquer, que por aqui anda.
          Este gajo não se enxerga mesmo! Julga que há uma conspiração a pensar diariamente na Sua Insignificância… lol
          Que rídicula figurinha, meu Deus!

          • De diz:

            Eu sei Andrés…
            Uma figurinha essa, a sua
            Mas poupe-nos a esse choramingar constante e a esse espírito de “queixinhas” um pouco peganhento com que periodicamente se queixa a quem posta comentários.
            Como já lhe disse …
            porte-se como um homenzinho

            Entretanto notícias substantivas:
            “The war against Libya is built on fraud. The United Nations Security Council passed two resolutions against Libya on the basis of unproven claims, specifically that Colonel Muammar Qaddafi was killing his own people in Benghazi and Libya. The claim in its exact form was that Qaddafi had ordered Libyan forces to kill 6,000 people in Benghazi as well as in other parts of the country. These claims were widely disseminated, but always vaguely explained. It was on the basis of this claim that Libya was referred to the U.N. Security Council at U.N Headquarters in New York City and kicked out of the U.N. Human Rights Council in Geneva.

            False claims about African mercenary armies in Libya and about jet attacks on civilians were also used in a broad media campaign against Libya. These two claims have been sidelined and have become more and more murky. The massacre claims, however, were used in a legal, diplomatic, and military framework to justify NATO’s war on Libya.”

            Estas são as notícias que “andrés” a todo o custo quer evitar que se saibam

          • Andrés diz:

            Bolas! Fui desmascarado!
            Era precisamente essa notícia que nós todos queriamos evitar que se viesse a saber!
            E não é que o De, com muita coragem, malícia, dedicação, esforço e, finalmente, glória, conseguiu trazer ao mundo essa notícia?!
            Avé, De!
            LOLOLOLOLOLOLOL
            que paranóico ridículo que esta criaturinha é…

          • De diz:

            Isso
            isso mesmo
            Mas por favor
            mais baba não

    • De diz:

      Releio este texto e reparo.
      Esta é a linguagem dos cúmplices.Tão só e somente
      A linguagem não de prostitutas(peço desculpa pela tradução,mas elas merecem-me mais respeito)mas de quem olha para os outros com os olhos com que costuma ver o próprio umbigo.Ou seja,com os olhos com que costuma olhar para o mapa mundo e se regojiza com o poder do império.
      Adivinha-se uma máquina de calcular, a avaliar o deve e haver dos mortos a atribuir.
      E os processos de intenção,sempre,a acompanhar as floridas interpretações históricas ao serviço sabe-se lá de quê.
      Acima de tudo como já disse adivinha-se a cumplicidade com esta agressão inqualificável
      Daí o nojo.Não encontro de momento outra palavra,peço desculpa.
      E o não poder ficar calado perante quem assim avilta os mortos inocentes

      • Andrés diz:

        Tenha-se cuidado com o que se escreve que o De ainda tem um afrontamento…as sensibildiades podem dar para muita, muita coisa.
        E ainda há mais.
        Voltaremos ao assunto.

        • De diz:

          Uma resposta “adequada”ao personagem

          Sirva ao menos para algo o que se diz.Nem que seja para este macaquear um pouco tonto

          • Andrés diz:

            Boa caracterização do que você aqui faz: “macaquear um pouco tonto”!
            Essa suas introspecções estão a dar resultado!
            Continue que está no bom caminho.

          • De diz:

            Macaquear um pouco tonto oh andrés um pouco desvairado …refere-se ao seu macaquear,ao seu dito
            “voltaremos ao assunto”

            Andrés,deixe de verter peçonha
            Ah,essa incapacidade para se portar como um homenzinho

          • Andrés diz:

            Ah essa incapacidade de expressão que leva a tropeções sobre tropeções… 🙂

          • De diz:

            Mais uma vez o pedante escondido
            Foi penoso não foi?
            As botas engraxadas e o mirar-se nelas dá nisto
            Calma
            De pedantes não reza a história

            Quanto aos tropeções…lol
            acha mesmo?

          • Andrés diz:

            Botas não, agora sapatinho italiano ou inglês, bem engraxado, lá isso sim. Vê como já me começa a conhecer, seu malandreco… 🙂
            Tropeç, tropeça, mas nunca perde uma boa oportunidade de cair de borco na lama, não é De?
            lol

          • De diz:

            Mas acha porventura que é preciso olhar para o sapatame para o conhecer?
            Quem se mira a si naquele tom pedante dos pedantes um pouco “acanalhados” é o “Andrés”
            Típico da escola em que “aprendeu”
            Uma escola bem enlameada é certo.
            Mas que fazer?É a escola do pedante

            Passos Coelho ainda o escolhe para treinador particular de ginásio fungoso
            Certo?
            Certo

          • Andrés diz:

            Uma excelente escola, que permitiu saber alemão e música… lol coisa que o De não conseguiu… 🙂
            Só consegue mesmo copiar? Já não há mais advogados, peralvinho, odre, invertebrado e outros? Só pedante?!
            Tchiii, a sua imaginação para insultos está a fraquejar, Dezito…
            Já não quer saber quem são os meus amiguinhos?
            O nervosinho está a tirar-lhe capacidades, De…
            Certo? Certo!
            Mas há mais, muito mais.
            Voltaremos ao assunto.
            🙂

          • De diz:

            Katulo rosna um pouco.
            É natural
            As coisas são o que são.E catulo é o que é

            Vamos a coisas mais substantivas
            que o catulo/andrés não gosta de ver apontadas:
            “The coastal Libyan city of Sirte is under ferocious bombardment from NATO in the air, and militia fighters aligned with the National Transitional Council (NTC) on the ground. Tens of thousands of civilians remain trapped in the area, and are being subjected to indiscriminate rocket, mortar and missile attacks. The military operation has also involved a prolonged blockade—denying residents access to basic supplies, including food, water, medicine and fuel—that has exacerbated the humanitarian crisis.

            Numerous reports have emerged from civilians who have managed to flee Sirte in recent days about NATO bombs destroying homes and other civilian buildings and infrastructure.

            Ashiq Hussein, an immigrant Pakistani electrician who escaped with 11 of his family members, told AFP: “NATO struck one big building, Imarat Tamim, two days ago, with 12 or 13 bombs. The whole building with nearly 600 flats is razed to the ground now… Two of my neighbours died yesterday in a NATO bomb which hit their home. Maybe they have information that on rooftops there were Gaddafi men… But a lot of civilian buildings were getting hit. Also the incoming shells from NTC forces were hitting civilian homes.”

            Por isso chamo de bestas desumanas quem apoia a Nato

          • De diz:

            Ahahahahaha
            Quando falam em Passos Coelho ao katulo fica nervoso.

            Calma que os “ricos começam a compreender” …e até vão colaborar,nas palavras sábias de um andrés

          • Andrés diz:

            hmmm… só isso? Nada mais? Nem responde nem nada?
            Estás a desistir De?
            Vá lá um pouco mais de brio nessa cabecinha-de-alfinete…
            🙂

          • De diz:

            Isso
            Isso mesmo
            Mas por favor
            mantenha-se ao menos um pouco levantado da lama onde gosta de rebolar

  18. André diz:

    Menina Helena,

    Se V Exa se der ao trabalho de ler os milhares de comentários dos esquerdistas iluminados aquando da visita daquele mal cheiroso a Portugal, certamente perceberá a mui concreta plausibilidade dos meus comentários. Acusaram o outro mal cheiroso, que dá pelo nome de Sócrates, do mais ignóbil oportunismo. (petrol)

    Eu não estou a imaginar. Estou a extrapolar x de práticas anteriores.
    Agora vou imaginar que és uma bella femma.OK Helena? 🙂

  19. André diz:

    Estou a brincar, Helena. Tu és uma bella femma. Peace. 🙂

  20. André diz:

    Helena,

    Desculpas pelo comentário foleiro.
    Muito foleiro.
    Estava a brincar.
    Mesmo assim, desculpa.

    Beijins
    André

  21. Miguel Lopes diz:

    É preciso uma paciência de chinês para aturar estas discussões.

    “Imagino o que teriam dito se nada tivesse sido feito.”

    Mas feito em relação a quê? E para quê? E feito por quem?
    Tudo isto parece autoexplicativo no mundo infantil dos consumidores de BBC, CNN, Al-Jazeera e outros apêndices, mas não é.

    André, o tirano Gaddafi está fora do poder desde 2 de Março de 1977 com a proclamação da Jamahiriya e a abolição do Concelho da Revolução, ele tem apenas um título honorífico de “Guia da Revolução”, que formalmente não lhe confere poderes nenhuns. Desde então, o poder legislativo e executivo são função do Congresso Geral do Povo composto por 2700 mandatários dos congressos populares de base. Qualquer líbio pode votar, submeter propostas à votação e escolher o seu mandatário no Congresso Geral.
    Não existe um Primeiro-Ministro, nem um Presidente.
    Aprender mais: http://youtu.be/RMXyCqdPPoU

    O que propõem os ‘rebeldes’?

    Um sistema mais atrasado e indirecto do que aquele que neste momento existe, com o evidente perigo de completa usurpação das forças imperialistas como aconteceu com a eleição de Hamid Karzai.

    Quem são os ‘rebeldes’?

    São mesmo gente pouco recomendável. Um mixórdia azeda que começou com tribos apoiantes da antiga monarquia (que conseguiram impor essa bandeira como lábaro da “revolta”), forças mercenárias da NATO, tropas na NATO no terreno como as SAS (cujos algumas membros já foram capturados) e jihadistas com tendências racistas bem entranhadas e que estão a massacrar a população negra, a maioria trabalhadores imigrantes (que são acusados de serem mercenários).

    O que querem as forças que estão por trás dos ‘rebeldes’?

    Colonizar a Líbia e roubar-lhe os recursos naturais.

    De que lado da barricada está a maioria do população?

    Do lado da Jamahiriya evidentemente. Basta ver a enooorme manifestação no dia 1 de Julho (http://youtu.be/Q0XsF03fNM4), perceber o que significa a resistência das tribos em Bani Walid, em Brega, em Sabha, em Sirte e em Tripoli. Neste momento nem a cidade de Misrata os rebeldes controlam completamente.
    Oito meses depois e já com gastos de 896 milhões de dólares (EUA), 200 milhões de euros (França), mais 136 milhões de euros (Reino Unido), esta brincadeira ainda não acabou. O algodão não engana.

  22. Andrés diz:

    Está a gozar este Miguel Lopes… O Kadahfi está fora do poder? Mas é preciso ter ter um cargo formal para um ditador ter o poder? Como o Miguel diz, nem sequer há um presidente ou primeiro-ministro… basta o Guia da Revolução! E, nesse caso, porque não se retira apenas? Porque continua ele, e sua família, a reter o poder até ao ultimo momento?
    Um sistema mais atrasado e indirecto? Não quer dizer qual? Aquele que os próprios filhos do Kadahfi estava dispostos, a dado momento, a conceder, desde que a família mantivesse o poder?
    Ficamos a saber que há tribos boas – as apoiantes de Kadahfi – e tribos más, as restantes.
    Tem razão, Miguel, o algodão não engana, mostra sempre as nódoas.

  23. André diz:

    Miguel Lopes,

    Perdoe-me a sinceridade, mas só mesmo um imbecil do tamanho de um camelo líbio é que pode acreditar nisto:

    “Não existe um Primeiro-Ministro, nem um Presidente.”


    Em relação a quê?

    Olhe, chamaram-lhe Primavera Árabe.

    Lamento informar-lhe de que a maioria da população está do lado Primaveril, seja lá o que isto for.

    Quanto ao resto, concordo consigo. Os rebeldes são piores do que o tirano deposto. Os recursos naturais são a verdadeira justificação para as acções Anglo-Francesas.

    Acho que o Miguel presumiu que eu estava a defender x ou y. Estava apenas a constatar as vacilações oportunistas de uma esquerda radical desorientada e parasitica. Só isto. Quanto a isto, não retiro uma virgula.

  24. André diz:

    Formalmente, não existia PM ou Presidente.

    De facto, existia um tirano.
    PS Eu não vejo telé, cara. 🙂

  25. Elizabeth diz:

    A Europa precisa do petróleo e do gás Líbio. Um conflito prolongado na Líbia causaria inúmeros problemas à Europa (boat people etc) A GB e a França não intervieram para proteger os rebeldes da repressão brutal de gaddafi nem para instituir a democracia naquele deserto repleto de cameloides mas para pôr um fim rápido a uma situação que se antecipava (perigosamente) inconclusiva. Fizeram-no por causa de interesses vitais: petróleo, gás e segurança (emigrantes, contágio vers Argélia).

    Ao intervir, pelo menos conseguiram assegurar algum “leverage.” Se não o tivessem feito, é muito possível que outros pudessem vir a beneficiar “da boa vontade” dos rebeldes(China). Além disso, não é possível combater o perigo islamita líbio de fora.

    Foi uma jogada de mestre: excluíram os Chinocas e outros dos “interesses vitais”, conquistaram a boa vontade de alguns rebeldes (massa amorfa) e poderão, doravante, manter os islamitas debaixo de olho.

    Digam lá: foi brilhante, não foi?!

    PS:se os islamitas vencerem as próximas eleições na Líbia, então poderemos dizer que a estratégia foi imbecil e desastrosa. O tempo dirá.

  26. Elizabeth diz:

    Para o De,

    Who Dares Wins!

  27. Elizabeth diz:

    Para o De e todos os revolucionários,

  28. Miguel Lopes diz:

    “O Kadahfi está fora do poder? Mas é preciso ter ter um cargo formal para um ditador ter o poder?”

    Não. Tal como a burguesia não precisa de ter um cargo formal para governar efectivamente o país. Usei a palavra formal propositadamente.
    Tanto Gaddafi como alguns filhos, principalmente Aisha e Saif Al-Islam, têm bastante poder informal e a sua opinião normalmente determina a política do país. O primeiro dispensa justificação, é o líder, tem imenso carisma, goza de enorme popularidade junto da população. Os segundos recolheram a popularidade do pai e souberam aproveitá-la para construir uma imagem pública, e uma rede de contactos junto dos mais altos cargos. Nem eles escondem isso ao afirmarem em entrevistas que as figuras do Estado que se passaram para o CNT, lhes tinham jurado fidelidade à Jamahiriya.
    Isto apenas demonstra que mesmo tentando atomizar o poder do Estado – que foi o que aconteceu em 1977 -, aparecem imediatamente lideranças informais, que fazem a opinião e mandam de facto. Sempre foi assim. Mas a informalidade das lideranças não altera isto: existe uma democracia, o povo elege os mandatários para Congresso, estes podem ser destituídos nos congressos populares de base, e os 2700 mandatários escolhem o Secretário-Geral e as secretarias que vão exercer o poder executivo. Leia a declaração: http://mathaba.net/info/march2-d.htm
    Eu não sou hominícola, mas reconheço nas manifestações de apoio a Gaddafi (cheias de retratos do líder e da família) expressões muito sinceras do apoio popular. Mais sinceras do que essa coisa a que chamam ‘rebeldes’.

    “Como o Miguel diz, nem sequer há um presidente ou primeiro-ministro… basta o Guia da Revolução!”

    O Guia da Revolução não tem qualquer atribuição. Foi o que disse lá atrás.
    Existe uma coisa parecida com o primeiro-ministro que é o Secretário-Geral do Congresso, que é eleito e destituído pelo Congresso, e era até há pouco tempo exercido por Baghdadi Ali Mahmudi – entretanto fugiu, foi preso na Tunísia e já foi escolhido um provisório para o substituir.
    E sim, não existe Presidente (e mais uma vez acrescento) formalmente. Mas quando Gaddafi convocou as manifestações, as pessoas apareceram. Quando pediu às pessoas para pegar em armas e resistir, elas fizeram justamente isso. O exército está descentralizado, não sei se existe uma cadeia de comando, mas isso não é sequer necessário.
    Percebe a diferença?
    Informalmente existe essa figura existe na pessoa de Gaddafi, mas é posta à prova. Não lhe são atribuídos os poderes de um Presidente. Ele podia convocar as manifestações, convocar as pessoas para resistir, e ninguém aparecer. As tribos têm as armas e podiam desertar e apoiar os ‘rebeldes’, mas isso não aconteceu quase em lado nenhum: Brega, Bani Walid, Tripoli (a tomada da capital teve que ser feita por mar, porque não havia apoio no terreno), Sirte, Ghadames, Sabha, etc. As pessoas com as armas na mão escolheram apoiar a Jamahiriya.
    Espero que tenha percebido.

    “Um sistema mais atrasado e indirecto? Não quer dizer qual?”

    Sim. O sistema representativo como nós temos cá, é mais indirecto e mais atrasado do que aquele que existe na Líbia. Nós cá não participamos directamente, não temos espaços para nos reunir e discutir política como eles lá têm, não temos um congresso de base para submeter projectos de lei , não podemos destituir o nosso representante no parlamento. O sistema que eles lá têm é mais avançado do que o nosso.
    Desta forma, aquilo que propõe o CNT é um retrocesso político, na minha opinião.

    “Ficamos a saber que há tribos boas – as apoiantes de Kadahfi – e tribos más, as restantes.”

    Não é uma questão de serem boas ou más. É uma questão de posição política. Há tribos que ainda apoiam a antiga monarquia e outras claramente maioritárias que estão com a Jamahiriya. E isto produz um confronto. Sem a ajuda da NATO, não haveria qualquer dúvida sobre quem sairia vitorioso desse confronto. E mesmo com essa ajuda, os ‘rebeldes’ estão a perder.

    Cumprimentos

  29. André diz:

    Miguel, este seu esforço é completamente fútil. O homem controlava a Líbia. Era um tirano absolutista. A historieta institucional que nos conta é absolutamente desnecessária. As instituições, o Guia, bla bla serviam apenas para camuflar a tirania do dito.

    Com que então os rebeldes estão a perder!?!?! Está a sofrer de Delírio Tremens ou será outro???

  30. André diz:

    De,
    Nem onanísticos nem outros, espero eu.
    Completa sempre o que começa, felizmente.
    Anda muito pálida, De.
    Femma de femme. Uma adaptação singela.

    • De diz:

      Primeiro ponto:
      Este André afinal é “elisabeth”
      ahahahahah

      Ah,essas dores

      Segundo ponto:
      Folga-se em saber que consultou o dicionário e verificou …a tal adaptação singela
      ahahhahahaha

  31. Andrés diz:

    “mas reconheço nas manifestações de apoio a Gaddafi (cheias de retratos do líder e da família) expressões muito sinceras do apoio popular.”
    Tem toda a razão. As expressões do apoio popular, cheias de retratos do líder e da família, que as pessoas decerto compraram para terem em casa, são tão sinceras quanto as de apoio a Salazar, Franco, Hitler, Mussolini, Estaline, Ceaucescu, Kim Jong Il, Mubarak, Assad, Honecker, and so on and so on.
    Aliás, logo a 25 de Dezembro de 1989 se viu a sinceridade do apoio popular a Ceaucescu.

    Claro que o sistema político líbio é bem mais avançado do que qualquer outro europeu. Como é que ninguém viu isso ainda e não tentou copiar os geniais líbios, que, por sua vez, estão fartos desse mesmo “sistema”?!

    “As tribos têm as armas e podiam desertar e apoiar os ‘rebeldes’,” Se não o fizeram, como diz, porque e como é que os rebeldes avançaram, contra o poder do exército, dos mercenários e, como diz, contra as tribos, isto é, contra TODA a gente na Líbia?

    Vê-se que os rebeldes estão a perder…

    • De diz:

      O André não aprendeu com o seu alter-ego,quando este reproduzia os seus comentários
      e torna-os a repetir
      Agora este André merece o mesmo tratamento dado ao seu alter-ego
      que é o do sereno desmascarar das coisas feitas Andrés em ambulatórios nicks

      A fuga,a pretensa fuga para a frente é apenas um registo tonto e cobarde de tentar ocultar crimes.O citar de rajada uma filada de nomes é a forma como os deserdados de argumentário tentam confundir as coisas
      Repare-se na forma e na ordem e nos nomes escolhidos por este André.
      Pretende atirar nomes para a barrela,porque,enquanto entretidos a esmiuçar a referida barrela,nos esqueçamos de levantar o dedo acusador aos criminosos da Nato e seus aliados da Al-Quaeda e “arrependidos” governantes líbios.
      Perante a acusação deste crime horrendo,este Andrémais não faz do que repetir-se
      É que já nem se atreve a defender muito a gentalha que apoia e no fundo aclama
      Tenta apenas desviar o alvo,enquanto solenemente vai batendo com a mão no peito e vai murmurando comentários mais ou menos vacilantes e oportunistas de um radical amante da Nato,desorientado e parasitico

  32. De diz:

    Há uma frase que considero lapidar neste debate todo e que é de Carlos Carapeto.
    Vou repeti-la para que a poeira e os faits divers não a apaguem:
    “Por respeito ao povo mártir da Líbia, aqueles que se congratulam, com as aventuras guerreiras da NATO e aplaudem os seus atos, perante tamanha desumanidade se tivessem vergonha na cara deviam remeter-se ao silêncio.”

    O pior é que há alguns sem vergonha…e muita

  33. Miguel Lopes diz:

    O André não replicou nada. É apenas uma caixa de ressonância merdosa do mainstream opinativo. As respostas que vou dando a este parvalhão apenas se justificam porque não é o único a ler esta discussão. Podem existir pessoas interessadas em aprender qualquer coisa.

    As forças leais à Jamahiriya controlam 80% do território – todas as cidades que referi e uma parte de Tripoli. E neste momento regressaram os combates a Misrata. Você vê de facto demasiada televisão.
    Ainda não reparou que as televisões andam há uns meses a dizer sempre a mesma merda: “é o último bastião de Gaddafi”. É sempre o último bastião. Faz lembrar aqueles aldrabões (como o André) que andam sempre a adiar as obrigações – “amanhã eu faço isso”.
    A verdade é que os ratos da NATO estão a levar uma lição de guerra assimétrica no terreno.

    Outras informações relevantes: com a revolução, os líbios atingiram o melhor IDH em África, estão à frente do Brasil e da Rússia. A maioria dos líbios são proprietários das suas casas, têm educação gratuita, um serviço nacional de saúde também gratuito, voos gratuitos para o estrangeiro no caso de serem necessários cuidados médicos não disponíveis na Líbia, gasolina a 17 cêntimos, electricidade barata, empréstimos sem juros, sementes e equipamento agrícola gratuitos, e uma dívida pública igual a zero.

  34. André diz:

    Miguel,

    Os rebeldes estão a perder.

    As forças leais à Jamahiriya controlam 80% do território(habitado???? lol).

    Afinal não se trata de Delirium Tremens.

    É algo pior.

    Psst: suspeito que as SAS vão capturar o Gaddafi nas próximas semanas. Dizem os tontos dos jornalistas de investigação de todo o mundo ocidental que o mal cheiroso encontra-se próximo da fronteira com Argélia(fonte: O Tal Canal lol)

    Já experimentou duches de água geladita???

  35. André diz:

    De

    Que satisfação infantil em anunciar (erradamente) que o André é a Elizabeth.
    Por acaso não é. Mas prontos. Se isto lhe faz feliz. Somos várias pessoas a viver na mesma casa. Percebeu Sherlockezinho medíocre!!??

    • De diz:

      Mas prontos
      Ahahahahha

      • Andrés diz:

        André, passas a escrever sempre “prontos” nas respostas ao De.
        Já se percebeu que ele fica contente e ri.
        Pavlov explica isto tudo.
        Estes últimos dias têm sido fantásticos como exemplo de observação psiquiátrica e antropológica.

        • De diz:

          Têm não têm?
          Lol.

          Ainda não se sabe portar como um homenzinho?
          Calma e acalme-se
          Valeu?

          • Andrés diz:

            Ah foi? Vê-se… é do seu português tão clarinho como água choca.
            Torce-se todo para corrigir os erros, mas não consegue… torce outra vez e diz que os leitores é que não percebem nada… 🙂
            É como o leit motiv… 🙂

          • De diz:

            Andrés
            Que quer?
            Já lhe chamei pedante,peralvilho e ignorante.Tem má fé e mostra a sua boçalidade de um modo confrangedor

            Usa algumas técnicas de manipulação da extrema-direita.Uma delas é a repetição das aldrabices que utiliza,como se , ao repeti-las, elas se tornassem verdadeiras.Sabe quem usava e abusava de tais métodos, não sabe?

            Andrés volta ao leitmotiv?
            André já publicamente o desmascarei e à sua pedantice barata
            Doentia.
            Ainda estiola de raiva

            Andrés lá por seguir métodos da extrema-direita(parece um daqueles advogados aldrabões…)atente no que escreve

            Nunca disse que os leitores não percebiam…

            Ao menos por momentos seja sério
            E não tente parecer mais sujinho do que é
            Valeu?

          • De diz:

            Mas não se preocupe com a piada a alguns advogados…aldrabões
            Bons e maus profissionais há-os em todo o lado

            Andrés de bom profissional só se for como manipulador
            e mesmo assim..quando é posto em evidência o odre vazio que é…
            fica nesta lástima

          • Andrés diz:

            Rapazinho, pode continuar a insultar-me que isso, para mim, são medalhas vindas de si! 🙂
            Quem não sabe escrever as palavras nem percebe o seu significado é o Dezinho. Corrija agora o leitmotiv, mas o leit motiv foi do Dezinho que o escreveu… lol
            Vá lá ver o comentário, vá…

            Diga, igualmente, que sou de extrema-direita, ou que sou advogado (lol) aldrabão, esteja à vontade.
            É bom que se revele, na sua pequenez, percebendo-se a sua vacuidade, necessitando dos insultos, da imaginação, da manipulação e das mentiras, para aqui sobreviver.

          • De diz:

            Andrés!
            De extrema-direita?
            Você?
            Nem pensar

            Você é um ignorante, um pedante, tem má fé e é desonesto
            Para além de ser um invertebrado
            Dito e provado
            Umas medalhinhas para si
            valeu?

            Quanto à extrema-direita….
            oh andrés…então não percebe que o que eu digo que o que faz é usar algumas técnicas de manipulação da extrema-direita?
            Não o chamo de extremista de direita?
            Oh confrangedoramente ignorante.Mas vossemecê não consegue perceber o que lê?
            Ou não consegue sequer ler o que está escrito?

            tchtcntch

            Oh andrés
            e não percebe que pela sua insistência na palavra “leitmotiv”,na nauseante repetição do tema,(já falou do caso mais de 10 vezes) só confirma a afirmação anterior?

            Oh andrés e não percebe que não é repetindo tantas vezes o mesmo que consegue esconder a verdade e a sua frustrante humilhação por ter sido assim tão prosaicamente exposto ?

            Andrés…mas não percebe que quem o lê não tem geralmente o nível cultural do andrés?E que percebem facilmente as suas técnicas de aprendiz de beato tonto?

            Tchtchtch…

          • Andrés diz:

            É pá, Dezito, o que é que quer… bem sei que é expert em alemão e música, mas o seu leit motiv ficou-me como leitmotiv… discursivo…
            Bem sei que julga que consegue manipular os outros e crê que evita a exposição da sua ingorância petulante.
            O seu problema, De, é que nem eu nem, sobretudo, você esquecemos esse facto fundamental…o seu leit motiv, mai’lo a sua expertise em alemão e música.
            Daí a sua raivinha incapacitante que o está a dominar sempre que lê… leit motiv! LOLOLOLOLOLOLOLOLOL

            Isto de se pôr em biquinhos de pés – mesmo que descalço ou sem engraxar os sapatitos por causa do seu fetiche – dá nisto: em exposição pública, humilhação, mas, acima de tudo, à frustação de perceber que não se está ao nível de outros, né De? É essa certeza interior que o rói por dentro, né?
            Eu sei, eu sei. Deixe lá, volte aos sapatos, aos advogados, aos insultos, às insinuações, às paranóias persecutórias – a do Blasfémias está de estalo! quanto me ri, De! Obrigado por me alegrar o dia… – às bajulices, ao copy paste, e vai ver que fica mais feliz, pois está no seu domínio e não tropeça nos próprios pés…
            Ah, é verdade mais uma florzinha para o camarada de comentários 🙂

          • De diz:

            Finito.
            Não disse que era advogado
            Disse apenas que parecia um advogado aldrabão

            Finito
            Não disse que era de extrema-direita.
            Disse apenas que utilizava métodos desta

            Finito.
            Conheci um dia um fulano,vamos chamar-lhe Gustavo,que desde adolescente repetia um pouco nesciamente que encontrara a solução.Faltava-lhe agora achar o problema.E ria-se perdidamente com o dito.
            Já trintão voltei a encontrá-lo.Repetia exactamente a mesma frase,acompanhada do mesmo riso pueril.

            Dizia que a solução para a Líbia era a invasão por qualquer meio.Com a Nato,com alguns da al-quaeda,com alguns mais fascistas islâmicos…mas que a solução para o mundo ocidental era,e insistia com “convicção”,como gostava de dizer,que a solução para o ocidente era o petróleo líbio
            Nunca quis saber dos problemas a montante e a jusante relacionados com tal invasão.E quando se inquiria se não o incomodava o cheiro fétido dos milhares de mortos causados por tal solução,olháva-nos com aqueles olhos um pouco bovinos e dizia..”Mas isso não é problema.Essa é a solução”
            Não sei porque me lembrei agora desta história e deste “Gustavo”

            Há coisas de facto…
            Finito

          • Andrés diz:

            Não é mesmo uma ternurinha o De, a compartilhar com todos acontecimentos emocionantes da sua adolescência?
            Foi aí que ficou com o fetiche dos sapatinhos? É uma época tramada, a adolescência e se um tipo não se cuida, pode cair em situações embaraçosas para o resto da vida, né De? Valeu?
            E o seu amiguinho Gustavo, chamemos-lhe assim, continua bem de saúde? Folgo em saber.
            Ah não me chamou advogado? Ah não me chamou de extrema-direita? A quem quer convencer com isso? A si não, decerto, né, De, seu marotinho…
            Mudou outra vez para as alucinações com os bois? Já vê o seu amigo com traços bovídeos? Não chegava ser néscio e infantilóide, tinha de ter, também aspecto bovino.
            Essa quando lhe dá, costuma cair forte. Certo? Certo!
            O De até os seus amiguinhos de adolescência gosta de insultar. Até quanto conta um episódio ternurento, ao mesmo tempo que lhe cai uma lágrima de saudades pelos sapatinhos da teenager de sua predilecão, insulta o seu amigo.
            Com amigos destes…
            Mas há muito, mas mesmo muito mais a dizer.
            Voltaremos ao assunto.

            🙂

            ( do alemão para o italiano? Este De é um poliglota afinal!)

            🙂

          • De diz:

            Isso andrés
            isso

            vamos ao que interessa,apesar dos seus esforços para o esconder
            Certo andrés?
            Certo.

            “Terrorist Op-Ed: Libya’s Al Qaeda Rebel Commander Writes Column for Britain’s Progressive Media”
            http://globalresearch.ca/index.php?context=va&aid=26839

            E esta?
            É melhor o andrés continuar a falar sobre italianos ou sobre sapatinhos
            …desde que não se fale nos seus cúmplices
            ….

          • De diz:

            Esclarecimento ainda necessário:
            Espanta-me sempre ver que alguns não conseguem perceber o que se escreve.
            Katulo/andrés é um caso peculiar.Repete-se.Na obtusidade.
            Andrés/katulo/catulo:
            O caso vertido aqui em que falava num indivíduo que apelidei de Gustavo não é um caso de amizade.
            (Oh andrés nem isso percebe?)
            Não é um episódio ternurento
            (Oh andrés mas vossemecê faz jus à sua reputação lol)
            Não é um caso de lagrimazinha vertida ou de saudadezinha serôdia
            Oh andrés
            Mas vossemecê ainda não percebeu que este Gustavo era um pulha?

            Andrés…essa dificuldade é inata ou tem-se agravado ao longo dos anos?

        • De diz:

          Quanto ao Andrés
          mais uma vez se regista algumas limitações.

          Oh Andrés…mas vocemecê ainda não percebeu que o ahahahha não foi para o “prontos” em si?
          Foi para o casal de pombinhos?
          A viver harmoniosamente numa “comunidade” relacional?

          Tchtchtch

          André…essa sanha é perniciosa

  36. André diz:

    Então Helena.
    Não publicas os meus comentários???

  37. De diz:

    Helena:
    Será possível um comentário não ser publicado a pedido do próprio?

    Hum.Já te tinha dito quando digo que admiro a tua calma.
    Às vezes perco um pouco a cabeça
    Sorry.
    (E desta vez não digas que não tenho de pedir desculpa)

    • Helena Borges diz:

      Não me apercebi de que tinha alguns comentários por aprovar. Hoje, as caixas de comentários estiveram concorridas e perdi-me na confusão: aprovei um comentário posterior sem aprovar os anteriores.

      (Parece-me que quem tem de pedir desculpa sou eu!)

  38. André diz:

    Boa tarde Helena.
    Talvez gostes de ler este artigo que foi publicado hoje no Guardian.
    Repara no seguinte: aparentemente o MI6 aconselhou Cameron a não intervir militarmente na Líbia. Imaginemos que a Líbia transforma-se num petit Iraque e Cameron num Blair. É bastante provável. Pessoalmente, penso o seguinte: a grande questão nunca foi manter ou não manter Gaddafi. Os precedentes da Tunísia e Egipto sugeriam que Gaddafi seria deposto mais tarde ou mais cedo. Assim, a verdadeira escolha foi entre 1) um conflicto longo e desestabilizador de toda uma região (Argélia) e 2) precipitar o fim do conflicto e impedir contágio. Estou convencido de que esta foi a lógica de todo este imbróglio.

    Cumprimentos,
    AS

Os comentários estão fechados.